“Poderemos entrar em greve durante o São João”

Pedro Augusto

A afirmação acima é do presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol), Áureo Cisneiros, que esteve visitando a redação do Jornal VANGUARDA, na tarde da última terça-feira (26), em Caruaru. De acordo com ele, uma nova assembleia com o Governo do Estado está prevista para ser realizada no próximo dia 8, no Recife, com o objetivo de que ambas as partes chegue num acordo quanto às reivindicações solicitadas pela categoria. Do contrário, a ameaça é de que os policiais civis do Estado paralisem as suas atividades em pleno período junino.

“Apresentamos a nossa pauta de reivindicações no dia 30 de janeiro deste ano, mas na época a Secretaria Estadual de Administração solicitou que esperássemos o fechamento do primeiro quadrimestre. Acatamos o pedido e, como não obtivemos nenhuma resposta, tivemos de fazer uma paralisação de advertência no último dia 19 de maio. Na ocasião, o governo nos informou que apresentará o balanço do primeiro quadrimestre neste sábado (30) e já no dia 8 divulgará o seu posicionamento em relação à pauta. Caso não haja avanços para a categoria, infelizmente entraremos em greve durante o São João”, destacou Áureo.

O Sinpol solicita que a gratificação por função policial seja fixada em um percentual de 225% para todos os civis do Estado. Além disso, o sindicato também reivindica modificações no Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV), que promovam aumentos salariais por tempo, qualificação e faixa etária. Em paralelo, a entidade exige que os peritos papiloscopistas integrem o Quadro Técnico Policial e que o Governo do Estado realize a reposição inflacionária para o ano base de 2015.

Em nota, a Secretaria Estadual de Administração informou: “O Governo do Estado vem negociando com a categoria desde o início deste ano, onde já concedeu aumento no vale-refeição, de R$ 7 para R$ 11,20, ao dia. Nas negociações, o governo também está buscando atender às demandas da categoria, embora precise ser cauteloso com os pleitos do Sinpol, pois precisa respeitar a capacidade financeira do Estado. As reuniões com a categoria vão continuar ocorrendo. O próximo encontro está agendado para o dia 8 de junho.”

Pedro Augusto é jornalista e repórter do Jornal VANGUARDA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.