Artigo:O que esperar?

Por Tiê Felix

Kant dizia que uma das questões fundamentais do homem é a resposta a seguinte questão: o que posso esperar?

É uma questão utópica e escatológica, remete ao futuro.

Pergunto então: o que podemos esperar?

Do Brasil? Nada!

A verdade seja dita: o Brasil é um país desumano. Um sujeito qualquer que ainda há de nascer, se por acaso vier a nascer nas terras tropicais do hemisfério Sul da América, verá realmente muita miséria e muita desgraça nesse país de faz de conta.

O Brasil não é lindo coisa nenhuma. Mesmo sua natureza é depredada continuamente pelo mau uso e pela ignorância dos poderes e do próprio povo. Os animais nem sequer são reparados, inclusive em sua beleza ou encanto. O brasileiro é incapaz de perceber tais coisas. Nem mesmo o clima, a alternância das estações do ano por aqui representam pouca coisa. Sabe-se que é calor desde sempre e que pouco há de diferença entre as estações de ano…

Mas temos de arranjar uma forma de elogiar, se for possível.

A politica é ainda mais ridícula, e a culpada de tudo. O Brasil é um belo exemplo do que não se fazer, de como não fazer qualquer coisa em qualquer aspecto do mundo social e privado. O melhor aprendizado que o Brasil tem a dar ao mundo é o mau exemplo, ou melhor dizendo, sua incapacidade de fazer coisas fáceis. Não há método nenhum no Brasil e todo método é imitação.

Não há como seguir exemplos estrangeiros e não há exemplos para o Brasil. Mesmo um exemplo dá errado se trazido ao Brasil.

O Brasil é o filho burro de sua época. Nasceu numa época idealista, uma época que todo o discurso histórico exalta. Renascimento,Reforma,ciência,grandes navegações:o que sobra para o Brasil?A incapacidade de fazer parte dessa história. Os séculos XV e XVI foram demasiados, para o Brasil não havia lugar dentre tantas ocasiões interessantes.

O Brasil é filho dos jesuítas, dos guerreiros de Deus. O que nos resta dos jesuítas? O catolicismo pós-catolicismo, ou seja, uma religião duas vezes falsa e por isso claramente empurrada dogmaticamente. O Brasil é positivista:acredita na ciência mesmo sem produzi-la. É o país dos bacharéis: tem mais lábia que ação e a oratória é o que define a verdade e não a veracidade mesma. O brasileiro gosta mesmo é da mentira: ela é mais realista num lugar em que tudo é mentira, até mesmo aquela promessa eterna de desenvolvimento que nunca aconteceu e nunca acontecerá pela cronicidade da nossa situação.

Quem quiser coisa mais conveniente que busque em si mesmo suas garantias.

Tiê Felix é professor

Natural do Rio de Janeiro, é jornalista formado pela Favip. Desde 1990 é repórter do Jornal VANGUARDA, onde atua na editoria de política. Já foi correspondente do Jornal do Commercio, Jornal do Brasil, Folha de S. Paulo e Portal Terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.