I Fórum Itinerante de Mobilização para prevenção dos acidentes de moto no Estado de PE acontece nesta sexta

O Comitê Estadual de Prevenção aos Acidentes de Moto (CEPAM-PE) vai promover, neste dia 31, o I Fórum Itinerante de Mobilização para Prevenção dos Acidentes de Moto, em Petrolina, Sertão de Pernambuco.

O evento é mais uma iniciativa entre o CEPAM-PE e Projeto Salvando Vidas, realizado em parceria com Projeto Moto Amiga (Honda), a Assembleia Legislativa do Estado e o Sindicato dos Corretores de Seguros (Sincor-PE), e tem como objetivo apresentar ações para diminuir acidentes e salvar vidas no trânsito. O Fórum acontece a partir das 8h, na sede da VIII Geres, Rua Fernando Góes, S/N, Centro. De acordo com dados da SES, em Pernambuco, entre os meses de janeiro e abril deste ano, foram registradas 255 mortes causadas por acidentes com motocicletas.

O evento também vai contar com a presença do Secretário de Saúde do Estado, José Iran Costa Júnior, do coordenador executivo do Cepam-PE, João Veiga, do representante do projeto Moto Amiga, além do coordenador-executivo da Operação Lei Seca, tenente coronel André Cavalcanti. Todavia, o representante da VIII Geres fará uma apresentação das ações de prevenção do Comitê Regional. Todos devem chamar a atenção para os altos índices de acidentes de moto e os onerosos custos desembolsados pelos governos na recuperação dos pacientes.

Durante o Fórum serão discutidas e apresentadas as ações realizadas por todos os órgãos envolvidos na mobilização para prevenção de acidentes com motocicletas. “O País gasta R$ 40 bilhões com acidentes de trânsito, por ano. Em Pernambuco se gastou R$ 1,3 bilhão, em 2014, durante os serviços de pré-atendimento (Samu), internamento hospitalar e pós-tratamento”, informa o médico e coordenador executivo do CEPAM, João Veiga. “Existe uma preocupação do Governo do Estado. E a diferença para mudar o quadro atual deve ser feita com fiscalização”, condiciona Veiga.

Criada pela Honda a pouco mais de dois anos, o projeto Moto Amiga trabalha para reduzir o alto índice de acidentes com motos no Brasil. Os instrutores do Centro de Treinamento Honda procuram fazer palestras educativas e mostrar que o alto índice de acidentes se deve à falta de instrução sobre a pilotagem correta. “Para ter uma ideia, nós oferecemos todos os cursos gratuitos de pilotagem nos centros de treinamento (PE, SP e AM). Mas somente 5% dos usuários utilizam e procuram as nossas instruções”, ressalta o diretor do Moto Amiga, Marcelo Sadi.

O coordenador-executivo da Lei Seca deve ainda apresentar e analisar um balanço do trabalho de três anos e oito meses das operações, expondo os números referentes à quantidade de veículos abordados, entre outros dados. “Também vamos tratar sobre a mudança de hábito e cultura, que foi absorvido pela população. Desde o início da operação até maio de 2015, foram abordados quase 1,2 milhão de motoristas, número bastante significativo para que haja uma maior redução de acidentes”, dispõe o tenente-coronel André Cavalcanti.

Natural do Rio de Janeiro, é jornalista formado pela Favip. Desde 1990 é repórter do Jornal VANGUARDA, onde atua na editoria de política. Já foi correspondente do Jornal do Commercio, Jornal do Brasil, Folha de S. Paulo e Portal Terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.