Civil conclui primeiro inquérito da “Hipócrates”

27_11_2015_15_20_14

 

Pedro Augusto

Em coletiva realizada na manhã da última sexta-feira (27), na sede da Delegacia Regional de Caruaru, entre os bairros Boa Vista I e II, a Polícia Civil, juntamente com o Ministério Público, apresentou detalhes do primeiro inquérito concluído da “Hipócrates”. Desencadeada no dia 11 deste mês, nas cidades de Caruaru, Agrestina, São Caetano, Tacaimbó e Recife, a operação desarticulou uma extensa organização criminosa que vinha atuando principalmente nas dependências do Hospital Regional do Agreste. Composta por médicos, auxiliares de enfermagem, um chefe de enfermagem e uma comerciante, a quadrilha estaria utilizando-se do desespero dos pacientes da unidade para cobrar por serviços garantidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Ao todo, na Hipócrates, foram cumpridos nove mandados de prisão preventiva, três de condução coercitiva e 16 de busca e apreensão. Doze supostos integrantes acabaram sendo indiciados. As novidades desta última em relação à primeira coletiva – realizada no dia 12 deste mês – ficaram por conta da inclusão, como suspeito, do nome do médico Marcos Bezerra e do agora co-líder e não mais apenas integrante, o médico Pablo Thiago. Este último, segundo as investigações da polícia, comandava em conjunto com o chefe de enfermagem do HRA, Thiago Emanuel, o esquema de captação de pacientes.

“De propósito, a organização dificultava o atendimento de uma forma tal que os pacientes ficavam desesperados e acabavam cedendo à pressão dos auxiliares de enfermagem, que exerciam as funções de captadores. Iludidos com a conversa de que seriam ajudados por eles, as vítimas acabavam desembolsando quantias – entre R$ 4 mil e R$ 12 mil – para se submeterem a procedimentos cirúrgicos tanto no HRA como na rede privada”, relembrou o gerente operacional da Dinter 1, Erick Lessa. Ainda na coletiva, o policial deu detalhes sobre as supostas participações do Marcos e do Pablo Thiago.

“Colhemos provas robustas de que o Pablo Thiago coordenava, em conjunto com o Thiago Emanuel, os trabalhos de captação. Além disso, estaria realizando, desde o ano passado, procedimentos cirúrgicos sem a indicação de necessidade, bem como uso de material ortopédico além do prescrito. Quanto ao Marcos Bezerra, que atuava como chefe de ortopedia do HRA, também integrava à organização, mas não na função de líder”, acrescentou Lessa. Além de Marcos, que contra ele foi expedido o mandado de condução coercitiva, também permanecem em liberdade os suspeitos Ricardo Marinho (médico) e Maria da Paz da Silva (auxiliar de enfermagem).

“Não solicitamos as prisões preventivas dos mesmos, porque precisávamos de provas robustas, o que ainda não foi identificado. Mas, atualmente eles se encontram nas condições de indiciados com a aprovação do Ministério Público”, explicou Erick Lessa. Em paralelo aos supostos líderes, também já se encontram recolhidos em unidades prisionais do Estado, o médico Bartolomeu Bueno, a comerciante Maria Aparecida de Lima e os auxiliares de enfermagem Almir da Silva, Claudiomiro da Silva, Luiz Emídio da Silva, Jamesson Luiz da Silva e Severino Ramos dos Santos.

Conforme ressaltou o promotor do Ministério de Público de Pernambuco, Luiz Gustavo, o inquérito concluído refere-se apenas ao primeiro da operação “Hipócrates”. “Esse correspondeu somente ao crime de organização criminosa, mas na medida em que as investigações sobre os demais – tráfico de influência e prevaricação – forem concluídas, outros inquéritos serão constituídos e a polícia também apresentará denúncias junto ao MP”. Pelo crime de organização criminosa, os suspeitos poderão pegar de três a oito anos de reclusão.

Na “Hipócrates”, foram utilizados 100 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. Em paralelo às prisões efetuadas, a operação ainda foi responsável pela apreensão de um revólver calibre 38, além de dez computadores e vários documentos. A reportagem do Blog do Wagner Gil tentou entrar em contato com os advogados dos presos, porém não obteve êxito.

 

 

Pedro Augusto é jornalista e repórter do Jornal VANGUARDA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.