Adutora do Pajeú homenageará Ariano Suassuna

A atuação de dois senadores pernambucanos batizará de Ariano Suassuna a Adutora do Pajeú, cuja primeira etapa, em funcionamento há mais de dois anos, numa extensão de 198 quilômetros, beneficia 177 mil habitantes de sete municípios do sertão do estado. De autoria do senador Fernando Bezerra (PSB) e tendo como relator o senador Douglas Cintra (PTB), o projeto de lei dando o nome de Suassuna à adutora foi aprovado hoje, terça-feira, 05.04, sob aplausos e por unanimidade, pela Comissão de Educação, seguindo agora à votação da Câmara dos Deputados.

   “Oportuna, justa e meritória” foi como Cintra classificou a medida, no parecer ao projeto de lei de Bezerra – o PLS 339/2015. “Com tal iniciativa, Ariano poderá levar aos seus dois estados do coração (a adutora beneficiará também oito municípios da Paraíba) a água, elemento tão vital e precioso quanto a arte que levou ao povo brasileiro”, escreveu o senador caruaruense em seu parecer. Cintra disse acreditar que o PLS 339/2015 terá tramitação rápida na Câmara, indo à sanção presidencial para entrar em vigor.

 “Sempre orgulhoso de sua origem e de sua gente, Ariano ofereceu ao povo brasileiro a oportunidade de se descobrir, se reconhecer e de valorizar e apreciar a beleza e a diversidade de sua cultura e de suas tradições”, ressaltou ainda Cintra em seu parecer.

 Paraibano como o escritor, o senador Raimundo Lira (PMDB) usou seu celular para divulgar, na sessão, a gravação de uma das aulas-show de Suassuna. A senadora Fátima Bezerra (PT-RN), que presidiu a reunião da Comissão, ressaltou que o projeto “homenageia o Nordeste inteiro”. 

 Nascido na Paraíba e tendo se criado e criado sua obra em Pernambuco, o romancista, poeta, ensaísta e dramaturgo Ariano Suassuna, propagador e defensor radical da cultura nordestina, morreu em julho de 2014, no Recife, aos 87 anos.

 Após sua conclusão, com investimentos totais da ordem de R$ 547 milhões, a adutora que terá seu nome percorrerá quase 600 quilômetros levando água captada do Lago de Itaparica, em Floresta (PE), a 400 mil nordestinos do sertão dos dois estados.

Natural do Rio de Janeiro, é jornalista formado pela Favip. Desde 1990 é repórter do Jornal VANGUARDA, onde atua na editoria de política. Já foi correspondente do Jornal do Commercio, Jornal do Brasil, Folha de S. Paulo e Portal Terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.