Marina Silva volta a defender cassação da chapa Dilma e Temer

Marina Silva (Rede-AC), ex-senadora e ex-candidata à presidência, defendeu novamente que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) casse a chapa formada pela presidente Dilma Rousseff e pelo vice Michel Temer. A declaração foi dada em uma palestra para estudantes brasileiros em Chicago, nos Estados Unidos, neste sábado (9).

“Defendo que nesse momento o melhor caminho é o do TSE. Porque se ficar comprovado que o dinheiro do Petrolão foi para as eleições, deve ser caçada a chapa Dilma e Temer”, afirmou Marina.

A reportagem do G1 destaca que uma ação, de autoria do PSDB, tramita no TSE e alega que a campanha de Dilma foi permeada por irregularidades, entre elas o recebimento de propinas desviadas da Petrobras e a suspeita de que o PT teria utilizado máquina de governo em favor da reeleição da presidente. O Partido dos Trabalhadores nega as irregularidades.

Marina se referiu ao PMDB de Temer e ressaltou: “Se ganharam a eleição com esse dinheiro é melhor que se devolva a possibilidade aos 200 milhões de brasileiros de novas eleições”. “Defendo por convicção, por achar que é melhor para o Brasil. Acho que o impeachment se explicitou e tem uma formalidade legal e política, mas não cumpre com a finalidade. Porque ao final nos encontraremeos com um partido igual ao PT”, disse Marina, que considera que PT e PMDB “são faces da mesma moeda”.

A ex-senadora disse ainda que com as novas eleições os partidos terão de se apresentar novamente à sociedade dizendo apenas a verdade. “Quem vier vai ter que falar a verdade, porque a verdade já foi revelada”, avaliou. Na última terça (5), a Rede da Sustentabilidade lançou uma campanha que pede a cassação da chapa e defende antecipação de eleição presidencial.

Marina Silva foi questionada sobre se o voto dos parlamentares da Rede no processo de impeachment da presidente na Câmara dos Deputados seria combinado. A ex-candidata afirmou que a posição do partido era de que votassem pela admissão do processo, mas que não haveria um “enquadramento” e sim liberdade de voto no plenário.

Celina Leão quer CPI da Copa em Brasília

A presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), Celina Leão (PPS), vai protocolar na segunda-feira (11) o requerimento para a criação da CPI da Copa. A distrital tomou a decisão depois que o ex-governador Agnelo Queiroz (PT) foi citado na delação premiada dos ex-executivos da Andrade Gutierrez como beneficiário de um esquema de propinas na construção do Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília.

A parlamentar ressalta que, de acordo com o Tribunal de Contas do DF, o custo da obra foi de R$ 1,7 bilhão, portanto, o mais caro construído para a Copa do Mundo. O custo é 153% maior do que os R$ 670 milhões previstos inicialmente no projeto.

Em março de 2014, o TCDF emitiu relatório que apontava possíveis irregularidades nos gastos para a construção do Estádio. “Para chegar a esta conclusão, o TCDF reuniu dados obtidos em visitas e por análise de contratos, o que levou a perceber que o custo da obra dobrou desde o início da construção. Em 2010, a previsão de gastos era de R$ 700 milhões e, à época do relatório, o valor já atingia R$ 1,4 bilhão”, relembrou Celina.

A parlamentar enfatiza que as justificativas para o aumento do custo da obra são muitas. “Mas não podemos ficar de braços cruzados e aceitar esse absurdo de recursos que foram ‘enterrados’ nessa obra. O povo de Brasília não pode pagar esta conta. Na CPI da Copa vamos fazer um raio-x dos gastos, por meio de documentos que vamos exigir dos gestores e responsáveis pela obra”, garante Celina.

Lula e Marina lideram corrida presidencial

Pesquisa do Datafolha trouxe novo quadro sobre as intenções de votos para a corrida presidencial. De acordo com o instituto, estão à frente na disputa o ex-presidente Lula (PT) e a ex-senadora Marina Silva (Rede), ambos com 22% das intenções de voto quando o candidato tucano é o senador José Serra (PSDB-SP).

Tanto Serra quanto os outros dois “presidenciáveis” do PSDB (o senador Aécio Neves e o governador Geraldo Alckmin) aparecem com tendência de queda.

Serra, em fevereiro, tinha 15%. Em março, caiu para 13%. Agora, em levantamento realizado nos dias 7 e 8 de abril, chegou a 11%. Já Aécio Neves em fevereiro tinha 20%, oscilou para 14% em março e em abril atingiu 12% das intenções de voto. Em outro cenário, no qual o candidato do PSDB é o governador paulista Geraldo Alckmin, observa-se um encolhimento de cinco pontos percentuais no mesmo período.

O Datafolha testou quatro diferentes cenários. Em três deles, cada um dos tucanos citados aparece como o concorrente do PSDB. Em uma quarta simulação, Serra, Alckmin e Aécio se enfrentam e também foi apresentada como opção de voto o juiz Sérgio Moro, que se projetou nacionalmente na liderança da Operação Lava Jato. O magistrado aparece com 8% das preferências dos entrevistados.

O índice é o mesmo que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) obtém quando o candidato tucano é Geraldo Alckmin. O percentual é o dobro do que o parlamentar registrava em dezembro de 2015.

Eis os dados de cada um dos presidenciáveis no quarto cenário montado pelo Datafolha, no qual todos os possíveis candidatos se enfrentam:

Lula (PT) – 21%

Marina Silva (Rede) – 16%

Aécio Neves (PSDB) – 12%

Sérgio Moro (sem partido) – 8%

Jair Bolsonaro (PSC) – 6%

Ciro Gomes (PDT) – 6%

José Serra (PSDB) – 5%

Geraldo Alckmin (PSDB) – 5%

Luciana Genro (Psol) – 2%

Eduardo Jorge (PV) – 1%

Ronaldo Caiado (DEM) – 1%

Michel Temer (PMDB) – 1%

Em nenhum dos cenários propostos pelo Datafolha, aparecem dois possíveis candidatos à Presidência da República: os senadores Cristovam Buarque (DF), que o PPS trabalha como alternativa para a disputa ao Palácio do Planalto; e Alvaro Dias (PR), que deixou o PSDBrecentemente e pode se tornar uma opção de candidatura presidencial para o PV.

Rejeição

Como ocorreu em outras pesquisas recentes do Datafolha, Lula é o candidato com maior índice de rejeição (53%). O percentual é menor do que o verificado em março (57%), mas continua acima da taxa de rejeição que o ex-presidente tinha em fevereiro (49%).

Cresceram os índices de rejeição de Aécio e de Marina Silva. O senador mineiro era rejeitado por 23% dos entrevistados em fevereiro, por 32% em março e agora por 33%. No caso de Marina, a taxa de rejeição subiu de 15% (índice registrado tanto em fevereiro quanto em março) para 20%.

Espontânea

Na consulta espontânea sobre o melhor presidente que o Brasil já teve, Lula foi lembrado por 40% dos entrevistados, número superior aos 35% registrado em março.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) ficou em segundo lugar, com 14%.

Os números de Lula voltaram à casa dos registrados em fevereiro, quando 37% o elegiam como o melhor da história. Por outro lado, houve baixa significativa com relação a novembro de 2010, penúltimo mês de mandato de Lula na presidência, quando 71% dos brasileiros – sempre de acordo com o Datafolha – o consideravam o melhor presidente da história do país.

Os números são baseados em 2.799 entrevistas realizadas em 170 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Apoio à saída de Cunha é maior que à de Dilma

Números do Datafolha divulgados neste domingo (9) apontam que 77% dos eleitores defendem a cassação do mandato do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). No levantamento, 11% se declararam contra a saída dele. Por outro lado, 61% defendem o impeachment de Dilma Rousseff (PT), adversária política de Cunha e de grande parte do PMDB, a começar pelo vice-presidente da República e presidente nacional do partido (atualmente licenciado), Michel Temer. Outros 33% são contra o impeachment.

A pesquisa foi realizada nos dias 7 e 8 de abril e ouviu 2.779 pessoas em 170 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

No último levantamento, feito em março, 80% dos entrevistados queriam a cassação de Cunha e 8% eram contra. Quanto à presidente Dilma, 68% se declaravam a favor do impeachment na pesquisa realizada nos dias 17 e 18 do mês passado.

Renúncia

Os entrevistados também foram questionados sobre a possibilidade de renúncia dos chefes dos poderes Executivos e Legislativo. 73% se declararam favoráveis à renúncia de Eduardo Cunha. Outros 60% afirmaram que Dilma deveria renunciar ao cargo.

O presidente da Câmara é investigado no Conselho de Ética da Casa por quebra de decoro parlamentar. Ele é acusado de ter mentido em depoimento à CPI da Petrobras quando declarou não ter contas não declaradas no exterior. Recentemente, documentos enviados pelo Banco Central ao Conselho de Ética atestaram que Cunha, de fato, mantinha contas bancárias na Suíça.

O deputado é réu no Supremo Tribunal Federal (STF) em um uma ação da Operação Lava Jatopor lavagem de dinheiro e corrupção e foi denunciado em um inquérito que o vincula a contas secretas na Suíça.

Já a comissão especial que analisa o pedido de impeachment da presidente Dilma tem sessão marcada para esta segunda-feira (11) para votar o parecer do deputado Jovair Arantes (PTB-GO), favorável à continuidade do processo de retirada da presidente do Planalto.

Marina e a teoria do erro dos outros

Do Blog do Magno

Se a crise desembocar numa eleição presidencial, a ex-senadora Marina Silva entrará com boa vantagem na disputa. Duas vezes candidata, teve 19 milhões de votos em 2010 e 22 milhões em 2014. Tomara que ela pare de culpar os eleitores pelo fato de nunca ter chegado ao segundo turno.

A ex-senadora pisou três vezes na mesma bola.

Numa, disse: “A população terá oportunidade de corrigir o erro a que foi induzida”.

Na outra: “O TSE devolveria para os 200 milhões de brasileiros a possibilidade de reparar o erro a que foram induzidos a cometer.”

Num documento da Rede, repetiu-se, sempre atribuindo o “erro” aos eleitores e usando expressões como “corrigir” e “reparar”. Que tal discutir os indutores e deixar em paz os eleitores?

Fez melhor Aécio Neves, que disse ter sido derrotado por uma “organização criminosa”.

Tudo que você precisa saber sobre o IR 2016

Chegou o momento de preencher a declaração de Imposto de Renda. Os contribuintes pessoa física têm até às 23h59 do dia 29 de abril para enviar seus dados. Pensando em facilitar o trabalho do contribuinte, a Alterdata Software, quinta maior empresa desenvolvedora de softwares de automação comercial, empresarial e contábil do Brasil, reuniu as principais dicas para ajudar no preenchimento das informações:

· Evite atrasos na entrega da declaração: Está sem tempo? Reserve 10 minutos diários, o programa pode ser salvo e aberto várias vezes, antes do envio final. O atraso submete o contribuinte à multa de 1% do valor do imposto, ainda que já tenha sido pago, onde o valor mínimo será de R$ 165,74 e o máximo de 20%, por mês-calendário ou fração de atraso. Portanto, antecipe-se para não deixar para a última hora.

· Tenha em mãos a declaração anterior: Isto facilitará a conferência e você terá o número do recibo anterior, que lhe será informação fundamental. Veja se a declaração do ano anterior não está salva no seu computador. Ela pode ser resgatada para facilitar o preenchimento para a versão de 2016. Caso não possua, deve dirigir-se a uma agência da Receita Federal o quanto antes para evitar filas no atendimento.

Tenha todos os documentos em mãos: Em caso de erro no preenchimento, o contribuinte deverá ficar atento às datas para correção, pois até o prazo final de 29 de abril, ainda é possível retificar as informações com maior amplitude de ajustes. Os principais documentos são os rendimentos bancários e a declaração de rendimentos pagos pelo seu empregador. Ainda que se tenha errado a forma de tributação, determinando o desconto simplificado ou as deduções legais, ainda será possível a correção. Contudo, após essa data, os ajustes serão mais restritos.

· Não omita receitas: Na declaração, devem ser relatados os valores recebidos por qualquer natureza, como a venda de bens, aluguéis, propriedade intelectual, indenizações recebidas, etc. Sempre deixe transparente para a Receita Federal estas entradas de caixa, mesmo que não representem mais imposto a recolher, pois alguns rendimentos já são descontados na fonte. Estes valores devem ser lançados nos locais apropriados, por isso tenha em mente que fazer a declaração deve-se tomar todos os cuidados, inclusive consultar especialistas.

· Valores dedutíveis: É preciso cuidado com as deduções, pois somente as legalmente permitidas são possíveis de serem utilizadas. Caso possua dúvidas, consulte um especialista ou busque no site da Receita Federal. Entre as deduções permitidas, há a dedução dos valores pagos aos planos de saúde: caso seja filiado a um plano empresarial ou coletivo, estes valores estarão discriminados no seu informe de rendimentos, considerando a parte que esteja sob a responsabilidade do contribuinte. Para os casos de plano de saúde individual, pode-se utilizar os recibos ou notas fiscais pagas ou ainda requerer um informe de rendimentos dos valores quitados no ano de 2015. Tenha atenção com os valores não dedutíveis, pois já foram reembolsados pela operadora e não podem ser abatidos do imposto a pagar. Na declaração tem campos separados para cada tipo. Ainda em relação aos gastos com saúde, também podem ser deduzidas: despesas médicas, gastos com fisioterapeutas e gastos com educação, mas lembre-se de guardar as notas fiscais por pelo menos 5 anos.

· Modelo simples ou completo? A opção completa é a sugerida pelo aplicativo da Receita, mas continua valendo a regra de que, para os contribuintes que tiverem poucas deduções, é mais vantajoso fazer o modelo simplificado. Contudo, é sempre importante consultar um especialista para averiguar os impedimentos e a economia nesta escolha, uma vez que para retificar é um pouco complicado. Leve para o contabilista todos os recibos de despesas dedutíveis, como pagamentos de escola regular, cursos de nível superior, pagamentos de serviços de saúde (médico, dentista, nutricionista, etc.).

Quem precisa declarar?

São obrigados a declarar o IR 2016 os contribuintes que tiveram, em 2015, renda tributável (como salários, aposentadorias e aluguéis) acima de R$ 28.123,91 ou rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados apenas na fonte, superiores a 40 mil reais.

A apresentação do IR é obrigatória, também, para quem obteve, em qualquer mês de 2015, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas. É mandatória, ainda, para quem obteve receita bruta em valor superior a R$140.619,55 com atividade rural ou quem pretende compensar, no ano de 2015 ou posteriores, prejuízos com atividade rural. Quem tinha, em 31 de dezembro de 2015, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a 300 mil reais e quem passou à condição de residente no Brasil em qualquer mês e permanecia nesta condição no final do ano de 2015.

/**/

ARTIGO — “E o mundo não acabou!”

Por Maurício Assuero

O desembarque do PMDB do governo Dilma estava sendo carregado de tintas tétricas, tenebrosas, e afins, mas …o mundo não acabou. Saiu o PMDB e os ministros do partido insistem em não entregar os cargos. Por um lado, a gente vê o senador Renan Calheiros dizer que foi precipitado este desembarque (você pode acreditar ou não na sinceridade dele) e por outro lado temos uma pesquisa na qual 66% dos entrevistados entendem que o PMDB traiu o governo e 83% (isso mesmo, 83%) não gostariam que Temer assumisse o governo. São números expressivos, estes. A sensação que fica é que muitas pessoas gostariam de ver Dilma fora do governo, mas não num processo pilotado por Eduardo Cunha. De fato, soa muito estranho isso e beira bastante a um gesto de vingança.

Um nome praticamente certo num eventual governo Temer é o do ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Um homem de mercado, do sistema financeiro, que certamente poderia trazer a credibilidade que o governo necessita para implantar mudanças capazes de recuperar a economia. Estamos falando de redução de desemprego, de crescimento econômico, de menor taxa de juros, de controle inflacionário, etc. e tudo que precisamos saber é como o “governo Temer” faria isso.

Há um consenso entre os economistas que sem controlar a dívida pública (não apenas os gastos) e sem medidas impopulares para gerar superávit primário, qualquer medida do governo para atenuar a crise econômica, será ineficiente. Não tem como o governo adotar qualquer política sem cortar na própria carne e isso implica dizer que medidas impopulares deverão ser instrumento de ajuste econômico.

Enquanto isso, o mercado se prepara para suportar a pior taxa de inadimplência já vista. Os bancos aumentaram a provisão para devedores duvidosos (inclusive estão sem saber como recuperar créditos concedidos a empresas envolvidas na Lava Jato). A taxa de juros alta aumenta o risco de inadimplência e aumenta o contingenciamento de crédito (os bancos irão reduzir o volume de empréstimo com receio de não receber o que for emprestado) e sem crédito o consumo não é um instrumento suficiente para aumentar a produção.

É interessante verificar, no entanto, que qualquer movimento em direção ao impeachment faz o dólar cair e a Bolsa de Valores aumentar. É natural tais movimentos porque o mercado se baseia em sinais, em especulação e tais movimentos não trazem o indicativo de benesses plenas, ou seja, não será apenas a troca de governo que vai nos levar do inferno ao paraíso à velocidade da luz!

Professora da DeVry Brasil desenvolve chip que detecta primeiros sinais de câncer

Um chip que detecta diversos tipos de câncer em estágio inicial através de um teste sanguíneo e que dá o resultado ao paciente em 15 minutos. Esse é o projeto que a biomédica Deborah Zanforlin, professora do Centro Universitário do Vale do Ipojuca (UNIFAVIP|Devry), em Caruaru, e da Faculdade Boa Viagem (FBV|Devry), no Recife, desenvolveu e que concorrerá com projetos do mundo todo na competição BioSciKin, categoria Life Science, que acontecerá no próximo dia 7 de abril, em Stanford, Califórnia.

O projeto denominado ConquerX consiste em um biossensor em formato de chip que mapeia marcadores sanguíneos que indicam 18 tipos de câncer, o que permite um diagnóstico precoce e um tratamento mais eficiente. “O diagnóstico precoce do câncer aumenta para 70% as chances de cura. O chip fará com que as pessoas deixem de ver o câncer como uma sentença de morte, além de ajudar no esquema de prevenção”, explica Zanforlin.

Além da rapidez, a biomédica destaca a praticidade do equipamento. Com o tamanho de um laptop, o sistema do ConquerX é totalmente portátil e pode ser levado com facilidade para cidades do interior, onde o acesso a testes e tratamento contra o câncer é difícil. “A funcionalidade do ConquerX, que alia rapidez e portabilidade, também permite a maior periodicidade dos testes, que podem ser realizados a cada seis meses”, explica Deborah. Outro benefício do chip é que ele não emite radiação.

A ideia de diagnosticar e prevenir o câncer em seus estágios iniciais nasceu durante o mestrado, quando Deborah também teve a oportunidade de testar sua ideia em pacientes de um hospital da rede pública do Recife. O sucesso da iniciativa suscitou pedidos para que o chip começasse a funcionar de forma efetiva e para todos. “As pessoas me ligavam pedindo ajuda porque sabiam que o chip poderia prevenir o câncer e eu me sentia frustrada porque o projeto não estava ajudando todas as pessoas que precisavam dele”, explica.

A vontade de expandir esse atendimento levou a biomédica a buscar recursos para financiá-lo. Em 2015, ela se uniu a profissionais da Argentina, Vietnam, Espanha e Eslováquia e fundou a ConquerX, uma startup voltada para o aperfeiçoamento e divulgação do chip. O chip recebeu em 2015 a medalha de prata em premiação do Massachusetts Institute of Technology – MIT, um dos centros de pesquisa em Ciência mais avançados do mundo. Na ocasião, o projeto concorreu com 64 projetos selecionados entre mais de 50 mil estudos realizados no mundo todo.

Dois secretários entregan cargos na prefeitura de Caruaru

A Prefeitura de Caruaru informa que o Prefeito José Queiroz aceitou o pedido de entrega dos cargos dos secretários Bruno Lagos, de Infraestrutura, e Carolina Miranda, da Comunicação, por motivos pessoais. As exonerações já foram publicadas na última edição do Diário Oficial do Município e, oportunamente, os novos nomes serão anunciados.

O Chefe do Executivo, embora tenha entendido os motivos, lamentou a saída dos dois auxiliares imediatos e destacou a contribuição de ambos para o positivo desempenho da Administração.

Hoje é último dia para inscrições no concurso da Polícia Militar 

Acabam neste domingo, 10/04, as inscrições para o Concurso Público da Polícia Militar de Pernambuco. No total estão sendo disponibilizadas 1.500 vagas para candidatos de nível médio. 

A organização do certame está sob a responsabilidade do IAUPE – Instituto de Apoio à Universidade de Pernambuco, e terá como etapas a Prova Objetiva, Exame de Aptidão Física, Avaliação Psicológica, Exames Médicos e Investigação Social.

As inscrições são realizadas exclusivamente pelo site do IAUPE, e somente serão validadas após o pagamento do boleto referente à inscrição, no valor de R$ 100,00. Para inscrições, acesse: www.upenet.com.br 

O Concurso tem validade de dois anos, a contar da data da homologação do resultado final, podendo ser prorrogado por igual período, a critério da Secretaria de Defesa Social. Todas as demais informações constam no edital, no site do concurso: www.upenet.com.br