Como sobreviver em tempos de recessão econômica?

Que medidas tomar diante de um cenário de crise? A questão virou parte da rotina dos micro e pequenos empresários brasileiros, que sentem na pele o arrocho e o peso de gerir seus negócios em meio às dívidas. Ainda em 2015, de acordo com a Serasa Experian, o número de recuperações judiciais requeridas foi a maior nos últimos 10 anos. Foram 1.287 casos, 55,4% maior do que em 2014. As micro e pequenas empresas lideraram os requerimentos de recuperação judicial, com 765 pedidos.Também foram as responsáveis pelo maior número de pedidos de falência.

A expectativa para este ano é ainda mais tenebrosa, diante do cenário político incerto que tem impacto direto na economia do país. “O fantasma da falência assombra principalmente os pequenos que olham mas não enxergam uma luz no fim do túnel”, afirma o diretor executivo da VH Consultores, Vitor Hugo Gonçalves. O consultor está entre os palestrantes do evento “Estratégias e liderança em tempos de crise”, organizado pelo Sebrae, através do Programa Agentes Locais de Inovação (ALI). No evento, que acontece no dia 14 de abril, no Senac do Caruaru Shopping, empresários terão a oportunidade de ouvir especialistas em gestão que discutem algumas soluções estratégicas e comportamentais a curto prazo.

“Os empresários precisam entender que o momento é propício à ação. Ou seja, ele precisa tomar as rédeas do negócio, revisando processos e atividades internas, reduzindo gastos, renegociação de despesas com fornecedores e até terceirizando alguns serviços”, comenta Vitor Hugo. “Não tem fórmula mágica. Tem motivação para mudar certos comportamentos e ação estratégica que impactam diretamente na mudança da performance da empresa. Vamos abordar isso na nossa palestra “Lições empresarias para sobreviver na crise”, que tem uma abordagem provocativa e didática.

Além da palavra do consultor, especialista em estratégia e finanças, também fala para o empresariado, a consultora e coach Carla Oliveira, que tratará dos aspectos motivacionais. “Vamos abordar o conceito de alta liderança e engajamento de equipes, visando os resultados mais rápidos e em seguida aplicar um jogo destacando os cinco desafios das equipes de alta performance”, explica.

Pedro Augusto é jornalista e repórter do Jornal VANGUARDA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.