ARTIGO — Mais um ano perdido

Por Maurício Assuero

Estamos a duas semanas do fim de 2016 e, francamente, torcendo para chegar logo 2018. A economia brasileira foi travada e engolida pelos inúmeros escândalos que atingiram maciçamente os caciques da política brasileira. Quando se tem surge uma nesga de esperança em alguém, seu nome aparece envolvido num desvio de recursos, no lamaçal da corrupção.

A delação de um executivo da Odebrecht cita, nominalmente, o presidente Temer e a desculpa que que se tratou de recursos doados legalmente se perde na cópia de um fax no qual fica claro que tal doação ocorreu em fevereiro de 2015, quando não havia campanha política. Tivemos a escabrosa decisão do STF sobre o escabroso senador Renan Calheiros e isso foi o terrível indicativo de que nossas esperanças estão minguando a cada dia. No meio do tiroteio em que se encontra o presidente convocou uma reunião para tratar a crise e traçar políticas que façam o Brasil voltar a crescer, ainda este ano (deixe-me rir!). A crise no Brasil se intensificou em outubro/novembro de 2014. De lá para cá, todas as previsões de crescimento são pessimistas e o presidente acha que em 15 dias ele tem capacidade para fazer o Brasil voltar a crescer?

É bom lembrar que a única política do governo tem sido a PEC do Teto, a limitação de gastos públicos por 20 anos. Fora isso, o governo se segura na reforma da previdência, que é importante e necessária, mas que este novo cenário de fragilidade pode levar para não aprovação. É preciso reformar a previdência, mas é preciso que se faça uma discussão mais ampla sobre o atual modelo previdenciário. Não basta discutir equilíbrio financeiro e deixar em segundo plano o equilíbrio atuarial. Esta reforma não é a única necessária. A tributação no Brasil há muito que clama por um encaminhamento salutar. Ninguém ousa discutir reforma tributária.

Um caminho que poderia favorecer a retomada do crescimento econômico seria através do comércio exterior, da atração de capital externo para fortalecer as reservas e gerar fundo para investimento. Mas, isso não deslancha porque nenhum investidor externo está disposto a aplicar no Brasil por conta desse cheiro fétido de podridão. Não é confortável observar que o Presidente da República, o presidente do congresso e o presidente da câmara participaram de ações nada republicanas.

Estamos numa situação absolutamente delicada, com graves consequências sociais. 2017 se aproxima e com ele vem todas as incertezas atuais. Se Temer abrir mão do governo até 31.12, faz-se uma eleição para atravessar 2017. É bom observar, no entanto, que não é Temer quem está na corda bamba… é o Brasil.

Economista e Firjan elogiam, mas consideram medidas econômicas insuficientes

No plano geral, as medidas microeconômicas anunciadas, hoje (15), pelo governo federal são necessárias, mas ainda não resolvem o centro dos problemas econômicos do país, que é o deficit público, disse o professor da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (FGV/Ebape) Istvan Kasznar.

“Quando se está na mão, praticamente, de um pentapólio de poucos bancos, surge pequeno grau de liberdade para um empresário investir. As medidas que permitem uma renegociação fiscal das empresas e da pessoa física são muito boas e bem-vindas. É a hora de fazer isso e fazer mais, mas tampouco ouvimos como capacitar as empresas para fazer investimentos com urgência e dessa maneira gerar mais empregos”, disse.

Sobre as mudanças no FGTS, Kasznar disse que é muito pesado para o trabalhador aplicar no FGTS, porque o retorno não é suficiente e permanecem sem acesso aos recursos para fazer investimentos. O professor sugeriu uma correção que desse mais retorno ao trabalhador. “Do lado do trabalhador o que interessaria é ter, pelo menos, a taxa de mercado, digamos um CDB, e do lado do governo interessaria aplicar os recursos em projetos sociais para que reduzisse os graves problemas que estamos vivendo tanto no assistencialismo, como na política de saúde e educação”, disse.

Exportações

Para o professor, a proposta de redução de custos nas exportações é um bom caminho para evitar que as mercadorias fiquem travadas nos portos por questão de tarifas. No entanto, ele disse que o Brasil é recordista em produção e exportação de soja, de cítricos, papel e celulose, entre outros produtos, mas precisa diversificar a pauta de bens. “Temos exportado muito matérias-primas e semimanufaturados e não estão sendo criados valores adicionais sobre o produto industrializado mais sofisticado”.

Kasznar disse que a regularização das dívidas anunciadas pelo governo vai permitir mais credibilidade empresarial e com isso tanto o sistema bancário, como o conjunto de fornecedores passam a acreditar em melhor solvência e gestão das empresas.

“A disciplina gerando transparência, obtendo maior perdão, também por um prazo mais longo de dívidas que as empresas possam ter, criar junto à Receita uma negociação contínua para que as cargas fiscais históricas tão grandes não atinjam tão pesadamente as organizações, quanto mais em caso de recessão que estamos vivendo, precisa ser agendada pelas organizações”, disse.

De acordo com o economista as medidas divulgadas até hoje pelo governo vão se complementando e é da combinação delas que depende a correta tendência para o país chegar à estabilidade macroeconômica. “As medidas são necessárias mas ainda não suficientes. Precisamos pensar na reforma trabalhista para que a carga fiscal violenta se reduza e não impinja tão pesadamente nas empresas, porque, com isso, teríamos uma volta de empregos, algo dramático na história atual do Brasil”, disse.

Firjan

A diretora de Desenvolvimento Econômico da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), Luciana de Sá, também defendeu avanços na reforma trabalhista. Segundo a economista, a legislação é um peso excessivo para as empresas. “A gente reitera que é relevante ter medidas estruturais complementares ao limite dos gastos públicos aprovado esta semana. Não adianta ter só o teto para o limite do gasto. É importante aprovar a reforma da Previdência e do ponto de vista empresarial são essenciais as reformas ligadas, que a gente esperava que vinham, às relações de trabalho, sobretudo, com a prevalência do negociado sobre o legislado e maior empenho na aprovação da regularização da terceirização”, disse.

Luciana destacou ainda que a regularização tributária é feita em parcela fixa com base na Selic, mas dada a situação das empresas, o ideal é que fosse um programa que guardasse relação com o faturamento. “Se o ano que vem vai ser complexo, fixando a parcela as empresas vão ter dificuldades em cumprir e se manter no pagamento. Outra coisa que a gente sugeriria é que não fosse corrigido pela Selic, mas pela TJLP [Taxa de Juros de Longo Prazo]. Dada a situação das empresas, seria uma condição mais favorável para elas participarem”, disse.

De acordo com a economista entre as medidas positivas anunciadas está a maior rapidez na restituição e compensação de tributos; e a redução gradual até eliminar a multa de 10% do FGTS na demissão sem justa causa de empregados.

Reequilíbrio fiscal

Em nota, a Firjan disse que em um ambiente econômico de profunda recessão, as medidas anunciadas hoje se juntam às macroeconômicas já divulgadas para a obtenção do reequilíbrio fiscal.

Para a federação, elas têm como objetivo claro auxiliar na retomada do crescimento econômico. “Tal anúncio vai na direção correta ao atacar as questões que afetam a competitividade e o ambiente de negócios para as empresas”.

Segundo a entidade, das 22 medidas anunciadas, oito estão no Mapa do Desenvolvimento 2016-2015 do Sistema Firjan, entregue ao ministro Henrique Meirelles em maio deste ano e que elenca propostas nesta linha.

Artigos natalinos também estão bastante procurados

Natal (27)

Pedro Augusto

Assim como a maioria dos artesãos do Alto do Moura, alguns lojistas de grandes redes do comércio de Caruaru estão tendo motivos para comemorar a proximidade do Natal. Com as vitrines e as entradas de seus estabelecimentos enfeitadas de artigos natalinos, eles também têm contabilizado demanda alta em relação a produtos voltados para a época. Que o diga a Casas Cabral da Rua 15 de Novembro, no centro da cidade. De acordo com a subgerente Edjane Elza, até o presente momento a comercialização de itens temáticos nesta rede caruaruense encontra-se 25% superior em relação ao mesmo período do ano passado.

“Este ano investimos bastante na exposição dos artigos bem como reforçamos a variedade dos produtos, desta forma, estamos conseguindo faturar ainda mais no que diz respeito ao fim do ano passado. Mesmo com a crise, a procura por produtos temáticos tanto no atacado como no varejo encontra-se muito boa tanto é que alguns estoques já estão se esgotando. A tendência é de comercialização redobrada nesta próxima semana, quando estaremos a poucos dias da celebração do Natal”, projetou Edjane. Na Cabral, as compras também podem ser parceladas nos cartões de crédito.

Sua concorrente, a Bijou Mark, também na 15 de Novembro, iniciou a venda de artigos natalinos logo após a despedida do Dia das Crianças. “Isso mesmo. Começamos as comercializações destes tipos de produtos no último dia 15 de outubro e podemos afirmar que estamos atingindo a nossa meta em relação ao volume de vendas projetado. Alguns estoques, por exemplo, de árvores e piscas-piscas tiveram de ser reforçados, porque a demanda pelos mesmos tem sido redobrada. Até o próximo sábado, quando estaremos vivenciando a véspera de Natal, a expectativa é de zerarmos a gama de itens à disposição”, destacou o gerente comercial, Carlos Menezes.

De folga do trabalho, a técnica de laboratório, Lilian Souza, aproveitou a manhã da terça-feira (13) para renovar o seu estoque de artigos natalinos. Ela gostou dos preços que viu. “Se o consumidor pesquisar verá que os valores praticados encontram-se alternados nas lojas do gênero, porém não estão caros. Comprei tudo aquilo que estava procurando”.

Natal alarga faturamentos de artesãos

Artesãos (36)

Pedro Augusto

Eles costumam vender esses produtos temáticos durante todo o ano, mas é justamente nas proximidades do Natal que as demandas provenientes de vários locais do país costumam redobrar. Mesmo com o fantasma da crise, que tratou de assombrar em 2016 a maioria dos setores econômicos de Caruaru, os discípulos do Mestre Vitalino não deixaram de comercializar em larga escala suas peças voltadas para arte sacra. Colocando ainda mais as mãos na massa, ou melhor, no barro para dar conta de tantas encomendas, os artesãos do Alto do Moura, na Capital do Agreste, confirmaram em entrevistas concedidas ao Jornal VANGUARDA, na manhã da última segunda-feira (12), em seus respectivos ateliês, o crescimento na procura por presépios e demais itens ante o mesmo período de 2015.

Tido como uma das principais referências vivas da arte do barro em Caruaru, Luiz Antônio afirmou estar contabilizando pedidos direcionados para a época desde o último mês de setembro. “Não sei em relação aos outros artesãos, mas pelo menos para mim o número de vendas relacionados a presépios encontra-se alto em 2016. Para se ter ideia, até hoje (segunda-feira) comercializei em torno de 30 conjuntos de diferentes tamanhos e preços. De início este volume pode até soar baixo, mas quando avaliado os seus valores praticados acaba sendo bastante satisfatório. Além de clientes de Caruaru e região, também estou atendendo desde setembro as encomendas de compradores de vários estados do Nordeste.”

De acordo com o artesão Cícero da Silva, que também não está tendo do que reclamar da demanda referente a peças temáticas de Natal, a alta procura deverá se estender até a esta terça-feira (20). “Indo de encontro à crise, este ano graças a Deus estou vendendo bem esses produtos de arte sacra como os presépios, o menino Jesus e as imagens dos santos. O fim do ano passado foi muito ruim em termos de vendas, mas em 2016 estou sendo recompensado. Somada à habitual gama de turistas que circula por aqui nos finais de semana e acaba fazendo as suas compras, também tenho vendido bastante para consumidores de fora que já conhecem e dão preferência ao meu trabalho. A partir desta terça, o movimento já deverá dar uma pequena caída.”

Com presépios em suas prateleiras a preços que variam de R$ 10 a R$ 200, o artesão Zé Galego está encontrando uma saída para driblar a crise, garantindo também a satisfação do cliente. “Para vender nesta época em larga escala, estou praticando, meu amigo, o velho e conhecido desconto nos preços. Quando observo que o comprador está interessado em adquirir uma determinada peça, mas o valor não está tão atrativo, acabo baixando-o e ele, satisfeito, tem levado mais de uma mercadoria. Desta forma, estou conseguindo comercializar bem neste fim de ano, o que já é um alento num 2016 tão difícil conforme todos nós que fazemos parte do comércio de Caruaru tivemos de encarar”, analisou.

Quem se submeteu à estratégia de vendas de Zé Galego e saiu com duas sacolas cheias foi a representante comercial, Renata Campos. Em visita ao Alto Moura, juntamente com a sua família, ela tratou de descer a Serra das Russas com presépios e demais produtos em barro em sua bagagem. “Podemos ir para qualquer local do país, mas os produtos daqui não têm comparação. Gostamos bastante de festejar o Natal e sempre fazemos questão de adquirir uma novidade a cada ano para renovarmos a nossa tradição. Desta vez viemos especialmente ao Alto do Moura e acabamos saindo satisfeitos com as nossas compras.”

Viatura amplia fiscalização na zona azul

Viatura (7)

Pedro Augusto

A farra de irregularidades cometidas por parte de milhares de motoristas que utilizam a zona azul de Caruaru deverá sofrer a partir de agora um baque grande. Isso porque passou a operar de forma oficial desde a segunda-feira (12), em fiscalização a este sistema de estacionamento em espaços públicos da cidade, a viatura automotiva da Destra, em parceria com a empresa Serttel. O automóvel tem as atuações de um agente da autarquia e de um funcionário da companhia terceirizada, bem como ainda é equipado por quatro câmeras de monitoramento, que possuem tecnologias necessárias para fazer a leitura das placas dos veículos que se encontram parados na zona, conferindo, de quebra, se eles estão usando o espaço de forma regular.

Em entrevista ao Jornal VANGUARDA, na manhã da última quarta-feira (14), na sede da Destra, no Bairro Maurício de Nassau, o presidente da autarquia, Alex Monteiro, explicou de que forma o novo equipamento está operando. “Ele é dotado de um sistema de levantamento de dados que capta em até três segundos as placas das motocicletas e dos automóveis estacionados na zona azul. Através deste sistema integrado de câmeras, nossos agentes têm a possibilidade de identificar, em pouquíssimo tempo, se os veículos se encontram parados com os tíquetes ativados, se ultrapassaram o limite máximo de 2h de permanência nas vagas e demais irregularidades cometidas pelos infratores.”

Atualmente a Capital do Agreste, segundo os dados da Destra, dispõe de cerca 1.500 vagas integradas ao sistema zona azul. De acordo ainda com as informações repassadas pelo presidente da autarquia, neste primeiro momento a viatura específica estará dando um suporte maior aos espaços de estacionamento oferecidos no centro da cidade. “Haja vista que é justamente nesta área em que se encontram os maiores trechos destinados ao sistema. Entretanto, também estaremos circulando com esse automóvel pelos demais bairros da cidade. Vale ressaltar que o novo equipamento ainda será designado para atuar em operações de fiscalização de trânsito, que normalmente são realizadas em parceria com outros órgãos de segurança”, acrescentou Monteiro.

Além de identificar as irregularidades cometidas na zona, o veículo de monitoração também já está auxiliando as polícias Civil e Militar no combate à criminalidade. “É importante ressaltar que esse equipamento, em paralelo, ainda identifica se o veículo estacionado está com restrição de roubo ou furto. Desta forma, estaremos trabalhando em conjunto com as polícias, haja vista que se verificarmos tal situação acionaremos as suas respectivas equipes para que todos os procedimentos necessários sejam tomados. Dificuldades a respeito das fiscalizações na zona azul estavam ocorrendo, já que elas se encontravam sendo feitas pelos agentes de forma mais lenta, ou seja, a pé”, destacou Alex Monteiro.

Para a lojista da Rua 15 de Novembro, Cristina Figueiredo, a ampliação do sistema de fiscalização da zona azul chegou em boa hora. “Cansei de presenciar motoristas estacionando nas vagas passando mais do que o dobro do tempo limite, porque praticamente não havia inspeção. Agora com a utilização dessa viatura, a expectativa é de que haja uma rotatividade maior por parte dos veículos, o que deverá proporcionar mais benefícios para o faturamento do comércio. Sim, porque muitas vezes pessoas acabam deixando de comprar nas lojas do Centro por causa da falta de vagas. Torço para que o número de veículos do tipo seja ampliado para que toda a cidade saia ganhando.”

Hoje, os valores dos tíquetes correspondentes a 30 minutos e a 1 hora na zona azul de Caruaru estão custando: R$ 0,40 e R$ 0,80 (motocicleta) e R$ 0,80 e R$ 1,60 (automóvel). Já os preços dos períodos limites para ambos os veículos estão se referindo atualmente a: R$ 1,60 e R$ 3,20.
Para o autônomo Alexandre Cardoso, que volta e meia tem utilizado as vagas do sistema, a implantação desse novo equipamento também vem a combater a falta de cidadania dos infratores. “Infelizmente muitas pessoas são mal-educadas e pensam somente em si mesmas ao ocuparem de forma errada as vagas que poderiam estar sendo utilizadas por outras que cumprem com os seus deveres e pagam de forma correta pelo espaço usado. Essa viatura tende a conter essa prática vergonhosa.”

De acordo ainda com Alex Monteiro, caso os veículos sejam identificados sem o pagamento do tíquete ou parados acima dos horários limites, os seus respectivos donos estarão sujeitos ao pagamento de multa, bem como terão incluídos cinco pontos nas suas CNHs por infração grave. “Também é importante salientar que hoje os motoristas possuem a comodidade de baixar o aplicativo referente à zona azul (Estacionamento Rotativo da Sertell) e fazerem as compras de forma on-line sem precisar se deslocar para os pontos de vendas físicos”, finalizou. Na Capital do Agreste, o sistema zona azul foi implantado em 2010.

/**/

Caruaru recebe o maior evento de MMA do Nordeste

Na próxima quarta-feira (21) Caruaru vai se tornar a Capital do MMA no Nordeste, com a realização do Kezen Fight, maior evento de MMA já realizado na cidade e um dos maiores do Norte-Nordeste. A promoção é da Toca dos Lobos Kezen e vai acontecer no Shopping Difusora (quinto andar), a partir das 19h.

Ao todo serão 13 lutas, sendo sete de MMA (Artes Maciais Mistas), com dois embates de cinturão. A luta principal terá como atração Lattuf Kezen, um carioca que há mais de dez anos luta defendendo a bandeira de Pernambuco e vai representar Caruaru também no evento. Ele tem 16 lutas com 15 vitórias – a maioria delas por finalização, e apenas uma derrota por pontos.

Considerado um evento de alto nível, a expectativa dos organizadores é de excelente público, já que uma grande estrutura será montada. “Teremos vendas de mesas (R$ 120,00) e ingressos individuais que estão com preços promocionais de R$ 15,00 até este domingo (18)”, revelou a professora Tatheanne Kezen, a coordenadora do Kezen Fight. Ela informou que serão apenas 100 mesas disponíveis e 1.000 entradas individuais.
O evento conta com o apoio do Jornal VANGUARDA, Rádio Caruaru FM, TV Jornal, Physical, Brindgraf, Central Burguer, Suplevita, Mamute Sports, Auto Escola Central, Arena Fit e E & R Express. “Tivemos um bom apoio do comércio e da mídia local e quem for ao Kezen Fight vai ter a oportunidade de ver lutadores de alto nível em um encontro único”, garantiu a produtora.

Serviço
O quê: Kezen Fight
Onde: Shopping Difusora
Quando: Quarta-feira (21), às 19h
Ingressos promocionais: R$ 15,00 até este domingo (18)
Pontos de vendas: Shopping Difusora (stand do evento), lojas Arena Fit e Academia Physical
Informações: 99580-5439

Caruaru tem Noite de Canto e Luz neste domingo

A emoção do clima natalino tomará conta de Caruaru a partir deste domingo (18), com a realização da ‘Noite de Canto e Luz’, que chega a sua 30ª edição com uma grade de atrações. O evento é uma iniciativa da Fundação de Cultura e Turismo e terá início às 20h, na escadaria do Palácio Episcopal, conhecido popularmente como Palácio do Bispo, Centro.

O encontro de vozes e de sons é uma tradição que reúne centenas de famílias que se irmanam em um só pensamento que o Natal nos remete: a paz. A programação consta de apresentações da Orquestra Municipal de Violinos, Corais Diocesano, Madrigal, Vozes do Carmelo e de Libras. Ao todo, são mais de 200 artistas envolvidos no evento. Os solistas Elias Guinho, Élida Mendonça, Thaise Dias, Anne Cunha e Thayse Luck soltarão a voz na noite tão esperada. As jovens bailarinas do Ballet Municipal darão um charme especial ao espetáculo ao mostrar o que aprenderam ao longo do ano durante as aulas.

De acordo com Lúcia Lima, presidente da Fundação de Cultura e Turismo, os colaboradores do órgão passam boa parte do ano aguardando ansiosos para produzir a festa que tem um significado ímpar. “A Noite de Canto e Luz tem um sabor especial. É muito bonito ver todas aquelas apresentações, as luzes do Palácio brilhando e as famílias juntas vivenciando o nascimento do menino Jesus. O Natal de Caruaru comove e é mais um momento de confraternização entre os cidadãos caruaruenses”, pontuou a presidente, que também está empenhada com toda a equipe no projeto do Réveillon, no Marco Zero.

A professora aposentada Ieda do Nascimento costuma levar toda a família para assistir ao espetáculo e garante que retorna para casa com a fé renovada. “A noite não se resume apenas à beleza das atrações, mas, principalmente, à mensagem de amor que as apresentações deixam em cada um de nós. Eu costumava levar meus filhos e agora tenho o prazer de estar com os meus netos”, finalizou, emocionada.

Para o maestro Bitonho, de 50 anos e que a metade da vida se dedica à música, o momento tem um significado especial para os 70 jovens e crianças que formam a Orquestra Municipal de Violinos. “É uma verdadeira consagração, afinal os meninos passam o ano inteiro se dedicando aos ensaios para fazer bonito na apresentação natalina de Caruaru. Sinto-me realizado e grato a Deus”, comentou. A atração tem integrantes na faixa etária de 9 a 18 anos, que residem nos bairros Rendeiras, Salgado, José Carlos de Oliveira e Monte do Bom Jesus.

Central encara Campinense em amistoso

Central x Campinense

Pedro Augusto

Quem já estava com saudades de acompanhar a uma partida do Central poderá matar as saudades neste fim de semana. Em preparativos já para o Estadual 2017, a Patativa duela em amistoso contra o Campinense, no domingo (18), a partir das 16h, no Luiz Lacerda. Já na quarta-feira (21), os adversários da vez se enfrentam a partir das 20h, no Amigão. Os ingressos para a partida no Lacerdão estão sendo comercializados ao preço único de R$ 20, dando o acesso ao torcedor a qualquer setor do estádio, inclusive às cadeiras.

Pelo menos para este primeiro compromisso à frente do elenco principal do Central, o técnico Laelson Lima deverá armar a equipe titular no esquema 4-4-2. Em coletivo realizado na tarde da última quarta-feira (14), em seu reduto, o treinador alvinegro formou o time de cima com: Murilo; Diogo, Marlon Ventura, Éverton Moura e Altemar; Everton Hora, Bruno, David Manteiga, Aílton e Sillas Vital; Yerien Nigeriano.

Em paralelo, o atacante Anderson Lessa se apresentou ao seu novo clube na última segunda-feira (12), passando a ser a principal esperança de gols da Patativa na próxima temporada. Com início de carreira na categoria de base do Náutico, Lessa também já vestiu as camisas do Cruzeiro, do Vila Nova-GO, do Avaí, do ASA e do Salgueiro, onde neste último time voltou a reeditar o seu bom futebol. Atualmente com 27 anos, o novo camisa 9 do Central foi um dos poucos destaques do Carcará na Série C 2016.

Daniel Finizola teve reunião com Humberto Costa 


Na tarde da última sexta-feira (16), o Vereador Eleito Daniel Finizola, se encontrou com o Senador petista, Humberto Costa. Na ocasião os dois dialogaram sobre desenvolvimento regional (Agreste) e falaram sobre a importância do fortalecimento do Partido dos Trabalhadores e das Trabalhadoras em Caruaru.
A reunião também tratou de temas como a aproximação dos mandatos (Vereador e Senador), na perspectiva do estabelecimento de uma ponte política entre Brasília e Caruaru, com a formulação e a apresentação de projetos que visem a construção coletiva, participativa e novos horizontes para a cidade que mais cresce em Pernambuco e que precisa continuar crescendo, ouvindo as pessoas e trazendo melhorias para todas elas.

Encontro de Bandas Musicais é atração em Brejo

Brejo da Madre de Deus, no Agreste do Estado, será palco, neste fim de semana, do projeto Encontro de Bandas Musicais, que chega a sua II edição na cidade bicentenária e traz como novidade a Virada Cultural, com a participação de artistas locais e regionais de vários estilos. A ideia é que cada atração apresente um repertório diversificado para a população brejense e visitantes, em um momento de confraternização e interação com o público, através da culminância do projeto Amigos e Música, outra ação desenvolvida no município.

Toda a programação se concentrará no Pátio de Eventos, no Centro, a partir das 21h deste sábado (17), e o acesso do público se dará através de doação de 1kg de alimento não perecível, que será destinado para o projeto Amigos e Música, que proporcionará um Natal digno para famílias carentes do município. Como o nome já diz, as apresentações das bandas se estenderão até o dia seguinte, caracterizando a Virada Cultural.

No domingo (18), as festividades serão retomadas às 16h, com as apresentações das bandas musical da cidade de Bonito, Novo Século (Santa Cruz do Capibaribe), Corpo de Bombeiros (Recife), da Polícia Militar (Caruaru), XV de Novembro (Gravatá) e Madre de Deus (Brejo). Participa do evento junto com as bandas convidadas o Maestro Forró, artista irreverente que se destacou no cenário nacional e mundial pelo talento e a alegria com que se apresenta ao pisar no palco. Também é responsável por popularizar o frevo em várias partes do mundo. A festa será encerrada com show da Banda Feras, de Natal (RN).

Os homenageados este ano do Encontro de Bandas Musicais são os ex-prefeitos do município, Marly Mendonça e Israel Cordeiro, políticos que contribuíram para a musicalidade de forma efetiva e participativa nas sociedades que representavam em suas respectivas gestões. O evento é uma iniciativa de Júnior de Miguelão e conta com o apoio cultural da Prefeitura do Brejo e da iniciativa privada.