A importância do check-up para manter a saúde em dia

O começo de um novo ano traz diversas promessas que, na maioria das vezes, envolvem um cuidado maior com a saúde. É nesta época que muitas pessoas resolvem firmar um compromisso consigo mesmas: frequentar uma academia, matricular-se numa escola de dança, iniciar caminhadas diárias, entre outras opções. Apesar disso, poucas se lembram de incluir nessa lista o check-up médico, que poderá revelar com detalhes o funcionamento de cada sistema do nosso corpo. Assim, é possível, inclusive, direcionar os esforços para alguma “área” que precisa de cuidados mais urgentes.

O início de mais um ano significa o começo de um novo ciclo e o momento é de voltar as atenções para a saúde de todos os membros da família, especialmente para os que já têm mais de três décadas de vida. Manter a saúde em dia é indispensável e, assim como adotar hábitos saudáveis, realizar exames de rotina também é de extrema importância.

O check-up consiste em exames preventivos. Ou seja, é algo que o indivíduo fará quando não estiver sentindo nada para dessa forma descobrir se há algum processo ou doença que precise de um tratamento e orientação específica. Por motivos não compreendidos, uma parcela da população evita fazê-lo e prefere passar longe de um consultório médico.

Essa falta de hábito de visitar o médico anualmente pode representar um perigo para a saúde de muita gente que pode ser diagnosticada mais tarde com uma doença em estado avançado. Por outro lado, existem pessoas que enxergam o check-up como uma salvação definitiva de todos os males, porém alertamos que isto é uma inverdade.

Outro agravante é que em nosso país os check-ups não têm muita tradição. Tanto assim que são realizados, na maioria das vezes, por exigência de grandes empresas que veem a saúde de seus funcionários como investimento.

Entre os exames requisitados pelos médicos está o ecocardiograma, uma ultrassonografia do coração, que tem como objetivo detectar/diagnosticar problemas no órgão, a exemplo de miocardiopatias, valvulopatias, infartes, endocardite, cardiopatia hipertensiva e dissecção da aorta. “É um exame muito importante, um estudo anatômico do coração e das grandes artérias do coração, músculo e válvula. É um método de imagem cardiovascular, não-invasivo. Através dele, se consegue visualizar toda a estrutura interna do órgão, com exceção das coronárias, além de avaliar tanto a força de contração quanto de relaxamento do coração”, destaca o médico do Serviço de Ecocardiografia do Hospital Português, do Recife, o cardiologista dr. Edmundo Câmara. Além de ser um exame de rotina, o ecocardiograma é muito solicitado pelos médicos antes de cirurgias.

Criado há 26 anos, o Serviço de Ecocardiografia do Hospital Português é considerado o mais completo da Bahia, com uma estrutura que envolve equipamentos de ponta, possibilitando realizar, além do ecocardiograma, o ecocardiograma transesofágico (muito utilizado em UTIs), eco-estresse (que detecta isquemia no coração e a viabilidade miocárdica), Doppler colorido e Doppler tecidual, incluindo strain. “Não existe outro no Estado tão moderno e atualizado, sem falar na experiência e tradição do Hospital Português”, salienta dr. Edmundo. O Serviço ainda oferece atendimento na beira do leito, evitando que o paciente se desloque para realizar o exame. A equipe do Serviço de Ecocardiografia do HP conta com quatro médicos (todos cardiologistas e especialistas em Ecocardiologia), uma enfermeira e duas técnicas de enfermagem.
Fontes: www.hportugues.com.br/http://coracaoevida.com.br/http://www.boasaude.com.br/

Frentes de trabalho irão gerar mais de 4 mil empregos

A adutora será a redenção do Agreste, região que possui o pior balanço hídrico do Nordeste. Com a obra voltando com força total em 15 frentes de trabalho situadas ao longo da BRs 232 e 104, serão gerados mais de quatro mil empregos diretos e indiretos nos canteiros de obras localizados em Caruaru, Toritama, Santa Cruz do Capibaribe, Itaíba, Águas Belas e São Caetano. Em maio de 2017, está previsto o início das obras do Lote 5, que irão implantar um trecho de 40 quilômetros da adutora entre os municípios de Belo Jardim, São Bento do Una e Lajedo. No Lote 5, serão agregados cerca de 200 postos de trabalho.

Hoje, dos 420 quilômetros da adutora (previstos para os quatro lotes), quase 300 já estão concluídos, o que corresponde a 70% da adutora – toda obra, que inclui um moderno sistema de bombeamento e uma estação de tratamento de água, está 45% finalizada. Em termos de investimentos, do total de R$ 1,4 bilhão orçados para o empreendimento, até o momento foram executados R$ 610 milhões. Ao final do projeto, a Adutora do Agreste irá consumir R$ 1,4 milhão e beneficiar mais de 2 milhões de pessoas em 68 municípios do Agreste, além de 80 localidades.

Quanto ao cronograma de início da operação da Transposição do Rio São Francisco, esse será antecipado em 30 dias, neste mês de janeiro, graças ao empréstimo de quatro conjuntos de motobombas feito por meio de um Termo de Cessão de Uso não Oneroso, assinado pelo ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, no dia 26 de dezembro. O maquinário foi utilizado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) durante o período de restrição hídrica em São Paulo, com a queda do sistema da Cantareira. Os equipamentos podem bombear 2 mil litros de água por segundo e irão acelerar a passagem do líquido pelas estruturas já construídas do Eixo Leste para beneficiar os estados de Pernambuco e Paraíba.

Poupança tem mais saques do que depósitos

Em 2016, os saques da poupança superaram os depósitos em R$ 40,7 bilhões, em reflexo à crítica situação econômica nacional, que leva ao desemprego, e também ao baixo rendimento que a caderneta oferece, menor do que a taxa básica de juros. Logo, é imprescindível manter as reservas financeiras em investimentos mais rentáveis que a poupança.

Definir onde investir o dinheiro poupado é sempre uma decisão difícil, devido a variedade de ativos financeiros existentes no mercado. Mas, indubitavelmente, há ótimas modalidades. O mais importante é diversificar os investimentos, escolhendo os mais adequados para os objetivos e sonhos de curto, médio e longo prazo.

Sempre que ouço a velha história de que um copo pode estar meio cheio ou meio vazio, dependendo do ponto de vista, e lembro da relação existente entre essa frase e os investimentos, pois todos têm pontos positivos e negativos. Assim, gostaria de citar também os pontos positivos e negativos destes investimentos de algumas linhas de investimentos existentes:

Caderneta de Poupança – É o mais tradicional investimento, tem característica de ser conservador e popular entre os brasileiros. Ela possui liquidez imediata e pouco rendimento, por ser uma transação de baixo risco. Os investimentos de até R$ 250 mil em uma conta poupança são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito. Assim, mesmo em caso de falência ou liquidação de uma instituição financeira, o valor não será perdido. Por fim, para pessoas físicas há isenção de Imposto de Renda.

CDBs e RDBs – Certificado de Depósito Bancário ou Recibos de Depósitos Bancários são títulos de renda fixa que servem como captação de recursos dos bancos. A rentabilidade corresponde aos juros pagos pela instituição ao cliente por conta do empréstimo, no término do contrato. A diferença entre esses investimentos é que o CDB permite a negociação do título antes do vencimento (perdendo remuneração), enquanto o RDB é inegociável e intransferível. Possui um baixo risco, pois é um investimento de renda fixa.

Títulos públicos – São títulos emitidos pelo governo, que busca verbas para financiar suas atividades nas áreas de educação, saúde, infraestrutura e pagamento da dívida pública. Há títulos variados, com diferentes prazos e rentabilidade, incluindo juros prefixados pela taxa Selic. É possível comprar títulos públicos federais do Tesouro Nacional pela internet ou por meio de Agentes de Custódia, as instituições financeiras que podem operar o Tesouro Direto. Entre os investimentos de baixo risco, esse é o que tem a melhor rentabilidade e oferece a possibilidade de que o próprio investidor, pela internet, administre e tenha maior controle sobre a sua carteira de investimentos. É possível ter uma carteira diversificada quanto a prazos e rentabilidade, e há liquidez garantida pelo Tesouro Nacional.

Ações – Comprar ações significa adquirir a parte de uma empresa que possui capital aberto, se tornando um de seus sócios. Dentre os tipos de ações, existem as preferenciais (PN), na qual o investidor tem preferência no pagamento da parcela do lucro, e as ordinárias (ON), que dão direito de voto ao acionista, porém tem menor peso na hora da distribuição dos lucros. Como depende da saúde de uma empresa, é um investimento de alto de risco, de renda variável, sendo mais indicado para sonhos de longo prazo. Com sua popularização, perdeu grande parte dos seus “mistérios” e isso é ótimo, pois agora é possível encontrar muitas informações antes de começar a aplicar dinheiro. É possível investir nas ações de mais de uma empresa e de diferentes tipos de liquidez.

Fundos de Investimentos – Reúnem diversos investidores (pessoas físicas ou jurídicas) que se unem para comprar cotas de ações, regidos por um regulamento prévio. Esses fundos podem ser fechados, em que não há entrada ou saída de cotistas e não se pode resgatar antes do encerramento, ou abertos, dos quais cotistas podem sair antes. Geralmente, esses fundos possuem rendas variáveis, tendo no mínimo 67% do seu patrimônio investido em ações. Nessa modalidade, investidores com perfis semelhantes podem unir recursos para aumentar o poder de negociação, tendo uma expectativa de rentabilidade elevada. Se destaca pela possibilidade de diversificar o investimento em cotas de ações de mais de uma empresa e por não requerer muita pesquisa e atualização, como na aplicação direta em ações.

Previdência Privada – É uma forma de poupar para aposentadoria, sem depender do INSS, pois é possível definir o período de investimento e o valor da contribuição. É possível escolher entre dois planos, com formas de tributação diferentes. Há o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre), no qual o valor pago ao plano pode ser abatido no Imposto de Renda em até 12% de sua renda bruta anual, mas que quando o dinheiro é sacado, se paga imposto referente ao total que havia no fundo. E há também o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), que não pode ser abatido no Imposto de Renda, mas do qual só é cobrado imposto no momento do saque e sobre o rendimento do valor investido. Pode ser considerada uma forma de poupança obrigatória para a aposentadoria do investidor, pois possibilita altos rendimentos em longo prazo. Existe a possibilidade de resgatar o investimento antes de seu prazo final e de, ao término, resgatar todo o valor de uma vez ou em parcelas mensais.

LCI e LCA – Letras de Crédito Imobiliário e Letras de Crédito Agrícola são ativos financeiros de renda fixa que possuem garantia de um bem imóvel, rendendo juros e atualização monetária aos aplicadores. Eles são muito parecidos, a diferença está no destino do dinheiro dentro do banco, sendo que no LCA o dinheiro é investido no agronegócio e no LCI é investido em financiamentos habitacionais ou créditos, utilizando imóveis como garantia de pagamento. Geralmente a rentabilidade é pós-fixada, recebida ao final da aplicação. Possibilita pagamento de juros elevados, acima da maioria das aplicações e possui a vantagem de ter isenção total de IR para pessoas físicas. Possui as mesmas garantias de segurança que a poupança.

Fundos Referenciados DI – Os fundos DI ou Fundos Referenciados DI são fundos de investimentos pós-fixados. No mínimo 95% do seu patrimônio é direcionado aos Títulos Públicos atrelados a SELIC e o restante é aplicado em fundos de curto prazo. São investimentos bastante seguros, já que não aplicam em ativos de risco. Eles têm rendimento diário, permitindo resgates de recursos a qualquer momento.

Debênture – Consiste em um valor mobiliário que sociedades por ações emitem referentes a dívida, assegurando a quem adquire o direito de crédito contra a companhia emissora. É um título de crédito privado e os credores esperam receber juros periódicos e pagamento correspondente ao valor unitário da debênture no vencimento do título, conforme estipulado em um contrato específico chamado “Escritura de Emissão”. Esse tipo de investimento é emitido com taxas de juros mais baixas que as cobradas nos financiamentos bancários e em securitização. Não precisam estar ligadas a um empreendimento específico e os prazos para pagamento são cada vez mais longos, sendo que algumas operações podem superar 20 anos.

Tesouro fixa regras para contratação de operações de crédito por estados

Da Agência Brasil
A Secretaria do Tesouro Nacional definiu regras para contratação de operações de crédito por estados e municípios. A Portaria nº 9, publicada hoje (6) no Diário Oficial da União, regulamenta os procedimentos e competências do Tesouro Nacional para verificação do cumprimento de limites e condições para a contratação de operações de crédito externo ou interno e para a concessão de garantias pelos estados, Distrito Federal e municípios.

Segundo a portaria, a medida considera a necessidade de “garantir a segurança, a racionalidade, a tempestividade, a transparência e o controle no processo de verificação de limites e condições para a contratação de operações de crédito, para a concessão de garantia”.

Os procedimentos de instrução dos pedidos de verificação de limites e condições para contratação de crédito serão discriminados no Manual para Instrução de Pleitos (MIP), editado e atualizado periodicamente pela Secretaria do Tesouro Nacional. O MIP será disponibilizado na internet.

Verificação de limites

A portaria estabelece, ainda, que o envio de pedidos de verificação de limites e condições e de documentos será feito por meio do Sistema de Análise da Dívida Pública, Operações de Crédito e Garantias da União, Estados e Municípios (Sadipem).

A análise dos pedidos de verificação de limites e condições será feita no prazo de 10 dias úteis. Caso os documentos ou informações sejam considerados insuficientes ou inadequados para a análise, será solicitada a complementação. Se as exigências para adequação não forem atendidas em até 60 dias o pedido será arquivado.

Se forem constatadas irregularidades, a unidade da Federação terá 60 dias para contestação, podendo o prazo ser estendido por igual período. Se a conclusão da análise for de operação irregular, o Senado Federal, a unidade da Federação, o Poder Legislativo local e o Tribunal de Contas serão comunicados.

A portaria também estabelece que a Secretaria do Tesouro Nacional estará impedida de concluir análise de outros pedidos de verificação de limites e condições da unidade da Federação, enquanto a irregularidade estiver pendente.

/**/

ARTIGO — Como fazer sucesso o ano inteiro com uma franquia de verão?

Por Antônio Ricardo de Mesquita

Alguns empreendedores, só de ouvirem falar de marcas sazonais já sentem até um arrepio. Se lembram logo do fracasso do frozen yogurt e, pouco depois, das paletas mexicanas. A preocupação é valida, não é à toa que seis de cada dez franquias do grande picolé artesanal fecharam. Mas, não podemos generalizar. A aliança entre estratégia, qualidade e adaptabilidade pode dar mais certo do que você imagina.

Na verdade, a chave para o sucesso é simples: escolher um produto de verão, mas em um mercado consolidado. Veja o caso da Sucão. Nós somos especializados em sucos naturais, um produto sazonal. Porém, atuamos no setor de alimentação saudável, um mercado que tem demanda o ano todo e ainda está em ascensão. Assim, conseguimos ampliar nosso mix, de forma a manter a rentabilidade o ano inteiro.
Para lidar com os picos ou as baixas nas vendas dos sucos, elaboramos um planejamento especial para esses períodos de sazonalidade e também fornecemos um suporte diferenciado ao franqueado.

Como o verão é responsável por 30% do faturamento anual da rede, nessa época o foco do gestor é a excelência no atendimento, assim o aumento da demanda em nada influencia a qualidade do produto ou do serviço prestado.

Já no inverno, temos uma maior rigidez no controle de desperdícios e na minimização de custos para podermos driblar a queda do faturamento. Além disso, incrementamos o nosso portfólio de produtos com sopas e escondidinhos saudáveis, sempre mantendo o propósito da marca.
Outra estratégia que funciona bem em franquias que trabalham com a sazonalidade é oferecer um suporte no planejamento financeiro dos franqueados. Assim, é possível garantir a sustentabilidade das unidades em todos os meses.

Através de uma gestão forte e estruturada conseguimos manter a rede rentável o ano todo e ainda crescer em meio à crise. Portanto, antes de torcer o nariz para as marcas de verão, vale a pena se aprofundar um pouco mais. Às vezes, você só está olhando na direção errada! Então, que tal aproveitar a chegada de 2017 para conhecer novas oportunidades? Tenho certeza que não faltarão boas inspirações para você!
Antônio Ricardo Mesquita é sócio fundador da Sucão, franquia de alimentação saudável que se destaca no mercado Fast and Healthy Food.

Sobre a Sucão

A Sucão é uma franquia de alimentação saudável que se destaca no mercado de Fast and Healthy Food. A marca, fundada há mais de 40 anos na cidade de Campinas, interior de São Paulo, inicialmente ficou conhecida por seus famosos sucos naturais que ganharam por sete anos consecutivos (2007/2013) o título de Melhor Suco pelo prêmio Veja Comer & Beber da cidade. Quando tornou-se franquia em 2014, os reconhecidos sucos receberam a companhia de novas receitas para ampliar o conceito da marca de fornecer uma alimentação saudável e nutritiva no modelo de fast food. Hoje, a rede já conta com 12 lojas em operação no interior de São Paulo, sendo cinco próprias e sete franqueadas.

Demissões continuam, mas ritmo desacelera, aponta estudo

Pelo décimo nono mês consecutivo, o País e o estado de São Paulo, incluindo as regiões e o município de Ribeirão Preto, destruíram vagas de trabalho em outubro de 2016. É o que mostra o Boletim Mercado de Trabalho divulgado pelo Ceper/Fundace com base em dados recentes (atualizados até outubro de 2016).

Entre as regiões analisadas, somente o município de Sertãozinho criou novos postos de trabalho. Embora todas as demais regiões tenham destruído vagas no período, houve redução no montante de demissões líquidas em comparação com Outubro de 2015. “Isso significa que, ainda que não se possa falar em recuperação, há ao menos uma desaceleração dos desligamentos”, aponta o professor da FEA-RP e pesquisador do CEPER/Fundace Sérgio Sakurai.

Entre os setores, Comércio exibiu o melhor desempenho em nível nacional, no estado de São Paulo, na região administrativa de Ribeirão Preto (RARP) e nos municípios de Ribeirão Preto e São José do Rio Preto. A Construção Civil, por sua vez, exibiu o pior desempenho, destruindo vagas em todas as regiões analisadas.

“O desempenho positivo do setor comercial pode ser explicado em parte pelas contratações temporárias referentes às festas de final de ano. Já o baixo desempenho da Construção Civil é reflexo de uma tendência mais prolongada, resultado do baixo crédito imobiliário e elevado desemprego, consequência da crise econômica vigente no Brasil”, avalia Sakurai.

Demissões caem na região – Somente a Região Administrativa de Ribeirão Preto (RARP) e os municípios de Ribeirão Preto, Sertãozinho e Franca apresentaram redução no montante de vagas destruídas no acumulado entre Novembro de 2015 e Outubro de 2016 em comparação com o registrado entre Novembro de 2014 e Outubro de 2015. Nos cenários nacional, estadual e nos municípios de Campinas e São José do Rio Preto, a situação se agravou.

A Região Administrativa de Ribeirão Preto encerrou o mês de Outubro de 2016 com destruição líquida de 316 vagas, montante que, apesar de negativo, é significativamente inferior ao montante de 1.620 demissões líquidas registrado em Outubro de 2015. Entre os setores, o Comércio foi o único a criar vagas (177 admissões líquidas). A Indústria, por sua vez, registrou o maior volume de demissões líquidas.

Na análise do acumulado entre Novembro de 2015 e Outubro de 2016 (no qual foram registradas 8.744 demissões líquidas), a RARP diferencia-se do cenário nacional e estadual ao apresentar redução do volume de demissões quando comparado ao saldo acumulado entre Novembro de 2014 e Outubro de 2015 (quando foram registradas 9.375 demissões líquidas).

Setorialmente, a Indústria, o Comércio e Construção Civil apresentaram redução no montante de demissões líquidas, enquanto Serviços apresentou aumento no número de demissões líquidas.

O município de Ribeirão Preto registrou em Outubro de 2016 a destruição de 10 vagas, montante significativamente inferior às 688 demissões contabilizadas em Outubro de 2015. Entre os setores, Comércio registrou o melhor desempenho.

A Construção Civil, por sua vez, foi o setor que mais demitiu (132 desligamentos líquidos). De forma semelhante ao registrado na RARP, o saldo acumulado entre Novembro de 2015 a Outubro de 2016, de quase quatro mil demissões líquidas, é inferior às quase 6,5 mil demissões líquidas registradas nos doze meses imediatamente anteriores. O único setor a mostrar aumento dos desligamentos líquidos foi o de Serviços.

O município de Sertãozinho foi a única região analisada neste boletim que criou vagas em Outubro de 2016. O município registrou 235 contratações, revertendo o cenário de demissões líquidas exibido em Outubro de 2015, quando foram destruídas 474 vagas. Entre os setores, Indústria e Agropecuária registraram o maior montante de vagas líquidas criadas, com 99 novos postos líquidos cada. A Construção Civil, por sua vez, foi o setor que mais demitiu em Outubro de 2016 (31 desligamentos líquidos).

Na análise do acumulado entre Novembro de 2015 a Outubro de 2016 (1.753 demissões líquidas), também houve redução do montante de demissões quando comparado ao acumulado entre Novembro de 2014 a Outubro de 2015, quando foram registradas quase três mil desligamentos líquidos.

O município de Franca registrou saldo de apenas uma demissão líquida em Outubro de 2016, montante inferior às 17 vagas destruídas em Outubro de 2015. Entre os setores, Serviços exibiu o maior volume de contratações, com 141 vagas líquidas criadas. A Indústria, por sua vez, apresentou o pior desempenho (131 desligamentos líquidos).

O saldo acumulado entre Novembro de 2015 e Outubro de 2016, de 2.616 desligamentos líquidos, foi inferior ao acumulado entre Novembro de 2014 e Outubro de 2015.

O município de Campinas foi outra localidade que registrou desaceleração no ritmo de demissões, encerrando o mês de Outubro de 2016 com 404 vagas destruídas, montante consideravelmente inferior às 2.387 demissões líquidas registradas em Outubro de 2015. Somente a Indústria criou vagas no município. A Construção Civil, também foi o setor que apresentou o pior desempenho, com 266 desligamentos líquidos.

Na análise do acumulado nos últimos doze meses tem-se maior destruição de vagas entre Novembro de 2015 e Outubro de 2016 (17.196 demissões líquidas) do que nos doze meses imediatamente anteriores (Novembro de 2014 a Outubro de 2015), quando foram registradas 16.598 demissões líquidas.

Por fim, o município de São José do Rio Preto destruiu 167 vagas em Outubro de 2016, montante inferior às 450 demissões registradas em Outubro de 2015. Entre os setores, o Comércio apresentou o melhor desempenho (34 vagas líquidas). A Construção Civil, por sua vez, exibiu o pior desempenho (140 demissões líquidas).

O saldo acumulado entre Novembro de 2015 e Outubro de 2016 (5.800 mil vagas líquidas destruídas) registrou aumento do volume de demissões em comparação com o acumulado entre Novembro de 2014 e Outubro de 2015, quando foram registradas 1.900 demissões líquidas. Todos os setores apresentaram saldo negativo nos últimos doze meses.

Análise – As informações apresentadas nesta edição do boletim Mercado de Trabalho do CEPER/FUNDACE continuam sinalizando um quadro generalizado de demissões líquidas do mercado de trabalho brasileiro. Contudo, algumas localidades analisadas têm registrado um montante de demissões inferior ao registrado no ano de 2015. “Apesar de ainda não ser possível falar em recuperação das contratações de forma categórica, há indícios de que as demissões têm se dado em ritmo menos forte”, conclui Sakurai.

O Boletim Mercado de Trabalho está disponível na íntegra no site da Fundace através do link: https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201612_00258.pdf

Ceper – O Centro de Pesquisa em Economia Regional foi criado em 2012 e tem como objetivo desenvolver análises regionais sobre o desempenho econômico e administrativo regional do País. Sua criação reúne a experiência de diversos pesquisadores da FEA-RP (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto) da Universidade de São Paulo em pesquisas relacionadas ao Desenvolvimento Econômico e Social em nível regional, a análise de Conjuntura Econômica, Financeira e Administrativa de municípios e Gestão de Organizações municipais, entre outros. A iniciativa de criação do Centro foi dos pesquisadores Rudinei Toneto Junior, Sérgio Sakurai, Luciano Nakabashi e André Lucirton Costa, todos da FEA-RP/USP. Os Boletins Ceper têm o apoio do Banco Ribeirão Preto, Imobiliária Fortes Guimarães, São Francisco Clínicas e Construtora e Incorporadora Stéfani Nogueira.

Fundace – A Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Fundace) é uma instituição privada sem fins lucrativos criada em 1995 para facilitar o processo de integração entre a FEA-RP e a comunidade. Oferece cursos de pós-graduação (MBA) e extensão em diversas áreas. Também realiza projetos de pesquisa in company além do levantamento de indicadores econômicos e sociais nacionais regionais.

Obras da Adutora do Agreste ganha ritmo acelerado

unnamed (8)

Uma boa notícia para a população dos municípios que estão sofrendo com a falta d’água nas torneiras. A Adutora do Agreste, a maior obra hídrica em execução no Brasil, está em um novo ritmo desde o início desta semana. Os quatro consórcios envolvidos nas obras dos lotes 1, 2, 3 e 4, além do início de mais uma frente de trabalho com o lote 5, já começam a mobilizar equipamentos e profissionais para imprimir celeridade às intervenções.

Isso será possível graças à retomada da liberação de recursos por parte do Governo Federal, que não estavam sendo repassados com a regularidade necessária para tocar o empreendimento. Com a liberação do último aporte de 2016, no valor de R$ 42 milhões, na terça-feira, dia 27 de dezembro, a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) fechou o ano com o montante liberado de R$ 142 milhões. A expectativa é que Toritama, vizinho a Caruaru, seja a primeira cidade a receber água pela Adutora do Agreste, em maio deste ano, seguida por Santa Cruz do Capibaribe, no mês de setembro.

Diante da necessidade urgente de levar água para os municípios do Agreste que sofrem com os efeitos do sexto ano consecutivo de seca, o governador Paulo Câmara solicitou à Compesa a realização de estudos e projetos para que fosse dada uma funcionalidade às tubulações da adutora já construídas. Na concepção original do projeto, a Adutora do Agreste seria alimentada pelo Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco, quando fosse concluído o Ramal do Agreste, obra do Governo Federal que está prevista agora para ser finalizada só em 2022. “Estamos enfrentando a maior seca do século. O nosso corpo técnico apontou alternativas para antecipar o uso da adutora e a chegada da água nos 23 municípios mais castigados pela estiagem”, contextualiza o diretor técnico e de engenharia da Compesa, Rômulo Aurélio Souza, informando que o saldo em caixa de R$ 80 milhões permitirá a retomada das obras da Adutora do Agreste.

“Essa foi a segunda maior liberação de recursos desde o início do empreendimento em 2013. Com essa repactuação, e se for mantido o calendário financeiro de 2017, o repasse de recursos pode chegar a R$ 370 milhões, o que garantirá o avanço significativo do projeto”, informa.
De acordo com o diretor, uma das alternativas para antecipar a chegada da água será a Adutora do Moxotó, a primeira ligação da Transposição com as regiões do Sertão e Agreste de Pernambuco. A Compesa vai “puxar” a adutora, de 70 quilômetros de extensão, pela BR-232 até Arcoverde, e de lá seguir por um trecho de 130 quilômetros da Adutora do Agreste até Pesqueira, Belo Jardim e São Caetano. Essa engenharia vai tornar possível levar água da Transposição, captada na Barragem do Moxotó, situada no distrito de Rio da Barra (Custódia), no Sertão, até a cidade de São Caetano, no Agreste, com uma vazão de 450 litros por segundo.

As obras das etapas 1 e 2 da Adutora do Moxotó também ganharão celeridade a partir deste mês, com cerca de 200 trabalhadores atuando em dez frentes de obras. A previsão para concluir o empreendimento é março de 2018, no entanto a Compesa vai dedicar esforços para finalizar a Adutora do Moxotó antes do prazo, e entregar a obra em dezembro deste ano. Também está sendo estudado pela companhia a possibilidade de levar a água da Transposição a partir de captação na Barragem de Sertânia, adiantando a chegada para o próprio município de Sertânia. Além disso, os trechos da Adutora do Agreste que vão de Caruaru a Toritama, e de Toritama a Santa Cruz do Capibaribe, serão finalizados para começar a receber água do Sistema do Pirangi, a partir dos meses de maio e setembro de 2017, respectivamente. O Sistema do Pirangi já está na reta final de conclusão das obras e vai levar água do município de Catende, na Mata Sul do Estado, para a Barragem do Prata, situada em Bonito, beneficiando dez cidades do Agreste.

Outra obra que irá antecipar o uso da Adutora do Agreste será o sistema adutor executado a partir dos poços de Tupanatinga, composto de 20 poços – sendo quatro já perfurados. O edital para a perfuração das outras 16 unidades será publicado na próxima terça-feira, 10 de janeiro, e irá contemplar também a construção de estrada de acesso, estações de bombeamento e uma adutora de cerca de 80 km de extensão. Vai atender os municípios de Venturosa, Pedra, Buíque, Tupanatinga, Itaíba, Águas Belas e Iati. “A nossa expectativa é concluir o processo em dois meses, já que tudo será feito dentro do modelo de RDC (pregão), e executar a obra em 15 meses”, revela Rômulo Aurélio.

Vila Canaã será símbolo do governo

Após a posse do secretariado, Raquel Lyra, Rodrigo Pinheiro e vereadores da base visitaram a Vila Canaã, que fica localizada na divisa do município de Toritama, às margens da BR-104. Ela convocou ainda o prefeito de Toritama, Edilson Tavares. Lá, os dois assinaram um protocolo de intenções em benefício da comunidade. “Vamos fazer uma parceria entre as duas cidades que traga ações de infraestrutura urbana e que envolva pavimentação, drenagem, saneamento e iluminação, além de projetos que contribuam com as potencialidades locais e que gerem renda para a comunidade”, disse Rodrigo Pinheiro.

Raquel, que já esteve na comunidade há dois anos, falou sobre suas intenções com a Vila Canaã. “Esse projeto foi pensado, no nosso Plano de Governo, para que possamos mudar a situação de vida dessa localidade”, disse. “Ter a cidade de Caruaru representada na sua pessoa como parceira para cuidarmos dessa comunidade me deixa extremamente feliz,” complementou Edilson Tavares. “Estou muito feliz em saber que a prefeitura vai dar uma atenção maior aos moradores da Vila Canaã”, afirmou a agente comunitária de Saúde, Socorro Ribeiro, que recebeu a equipe da prefeitura na localidade.

A prefeita Raquel se sensibilizou com a situação do vilarejo em 2014, quando esteve no local acompanhada pelo senador do Distrito Federal, Cristóvam Buarque. Durante a visita, os dois viram as péssimas condições de infraestrutura e das pessoas que moram lá. Além de andar pelas ruas da comunidade, os dois foram na casa de uma família, que em 2004 foi visitada pelo então presidente Lula.

A ideia era ver como estavam aquelas pessoas dez anos depois e como a criação dos programas sociais, a exemplo do Bolsa Família, havia influenciado na vida dessa família. O destino parece ser o mesmo dos pais, com adolescentes deixando a escola para ter que trabalhar em busca do sustento. Alguns jovens viraram delinquentes, com um chegando a ser ferido em uma das rebeliões que ocorreram em 2014 na Funase.

Estudantes ganham nova alternativa para buscar aprovação na prova da OAB

Mesmo que alguns candidatos estejam concentrados para a prova prático-profissional da segunda fase do XXI Exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que ocorrerá em 22 de janeiro, é importante que os demais bacharéis e estudantes de Direito dos dois últimos semestres da graduação que estejam em busca do exercício regular da profissão de advogado, já comecem a se preparar e a intensificar os estudos para a primeira fase do XXII Exame da OAB, cujo edital será publicado no próximo dia 31. A prova objetiva está marcada para 2 de abril.

Com foco neste público e visando promover o maior índice de aprovação do mercado, o recém-criado Centro Preparatório Jurídico (CPJUR) inicia na próxima segunda-feira, 9 de janeiro, a primeira turma do Curso Intensivo OAB Online e Ao Vivo. Com alcance nacional e carga horária de 180 horas, serão abrangidas todas as 17 disciplinas exigidas.

A Instituição destaca o corpo docente altamente qualificado e uma metodologia inovadora como trunfos para reverter os baixos índices de aprovação verificados nas últimas provas. Estima-se que a taxa média de reprovação do exame anterior, em todo o Brasil, tenha ultrapassado os 90%.

Segundo o professor de Direito Civil e diretor pedagógico do CPJUR, José Fernando Simão, além de contar com os principais juristas do país, com vasto conhecimento no conteúdo exigido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), organizadora do certame, o curso oferece diversos bônus que contribuirão de forma significativa para a fixação do conteúdo e, consequentemente, para ampliar as chances dos estudantes.

“Além da carga horária diária, serão oferecidas pré-aulas de 50 minutos para cada disciplina, como reforço, bem como a realização de simulados e diversos outros conteúdos extras. Nossos diferenciais são a qualidade e a personalização”, enaltece Simão.

Para obter informações detalhadas sobre a programação e realizar a inscrição, basta acessar o endereço eletrônico www.portalcpjur.com.br ou entrar em contato pelo telefone (11) 4118-4080.

Sobre O CPJUR

Com foco no desenvolvimento de estudantes e profissionais de todo o Brasil que buscam capacitação e aprimoramento de conhecimentos na carreira jurídica publica ou privada, o Centro Preparatório Jurídico (CPJUR) promove cursos para o Exame da OAB, Concursos Públicos e Pós-graduação nas modalidades presencial, telepresencial e online. Com investimentos na qualidade de seu corpo docente, formado pelos principais juristas do Brasil; profissionais de atendimento com vasta e comprovada experiência no segmento; salas de aula com padrão de excelência e moderna tecnologia de transmissão, visa oferecer soluções inovadoras e adaptadas às necessidades de mercado, com a personalização e atualização constante exigida pelo ramo do Direito.

Raquel Lyra foi empossada prefeita de Caruaru

_DSC9241

Wagner Gil

A posse da prefeita Raquel Lyra (PSDB) e do seu vice, Rodrigo Pinheiro (PSDB), no último domingo (1º), foi marcada por ineditismo e simbologias: pela primeira vez uma mulher vai assumir o comando do Palácio Jaime Nejaim, sede do Governo Municipal, sendo a terceira geração da mesma família a estar à frente do Poder Executivo na cidade. Antes dela, foram prefeitos por duas vezes cada, seu avô, João Lyra Filho, e o seu pai, João Lyra Neto, que estava presente ao ato.

Diversas autoridades políticas e eclesiásticas participaram da solenidade. Além do ex-governador e pai da prefeita, estavam presentes o bispo diocesano de Caruaru, dom Bernardino Marchió; a mãe da prefeita, Mércia Lyra; o esposo de Raquel, Fernando Lucena, e os filhos João e Fernando, bem como irmãs, cunhados e sobrinhos.

A posse ocorreu na Câmara de Vereadores, logo após a escolha da Mesa Diretora, onde a prefeita discursou. “Hoje o poder do povo cria um novo capítulo na história de Caruaru. A cidade tem história e, mais do que isso, Caruaru sempre fez história. Sempre na vanguarda, é terra de gente que pega as rédeas do seu próprio destino. Somos protagonistas da mudança e juntos vamos trabalhar para, de mãos dadas, construir um futuro melhor para todos os caruaruenses”, disse, na tribuna do Poder Legislativo. “Hoje a gente começa a transformar sonho em realidade. Hoje a gente começa a construir uma cidade para todos. A cidade que queremos para os meus e para os seus filhos. Obrigada por me darem a honra de ser a primeira prefeita de Caruaru, essa cidade que amo tanto e que tanto me deu e que tanto me confiou”, completou.

Logo após o discurso, Raquel foi bastante cumprimetada e, na sequência, seguiu caminhando para o Palácio Jaime Nejaim, onde recebeu a transmissão do cargo das mãos do ex-prefeito José Queiroz (PDT). “Muita emoção estar aqui tomando posse como a primeira prefeita de Caruaru. Esta caminhada da Câmara até aqui, até a prefeitura, é cheia de significado. Este caminho já foi percorrido por muita gente de valor, que lutou pela nossa cidade. Gente como o meu avô, João Lyra Filho, como o meu pai, João Lyra Neto, os dois prefeitos eleitos por dois mandatos. E em nome deles, presto aqui minhas homenagens aos prefeitos que me antecederam e que tanto trabalharam e trabalham por nossa cidade”, disse.
O vice-prefeito Rodrigo Pinheiro também falou com o VANGUARDA. “Os caruaruenses podem ter certeza que iremos fazer um governo transparente e justo. Raquel e eu temos o compromisso de fazer com que Caruaru avance mais e vamos a cada dia lutar por essas melhorias”, afirmou o vice-prefeito.

Posse de secretários

Logo na manhã da segunda-feira (2), a prefeita Raquel Lyra empossou os 13 secretários municipais, em ato que ocorreu no Centro Administrativo. Alguns nomes já são conhecidos em nível de Estado, como a nova secretária de Saúde, Ana Maria Albuquerque. Ela esteve à frente da pasta estadual de Saúde, no governo de João Lyra Neto. “Estou muito honrada com o convite. É muito importante para mim como profissional. De tudo o que a gente tem visto, a nossa principal meta é aumentar o acesso da população à atenção básica, qualificando a atenção primária”, comentou.

Outro nome que causou muita repercussão positiva foi o do coronel Luiz Aureliano, que será o responsável pela Secretaria de Ordem Pública, órgão que vai absolver a Destra, que deixa de ser autarquia. “Só o fato da criação da secretaria demonstra a preocupação da prefeita com o tema. Vamos diagnosticar todos os indicadores de violência da cidade. Vamos fazer interlocução com outras entidades responsáveis pelo enfrentamento da criminalidade”, afirmou o coronel.

Diogo Cantarelli vai comandar a Secretaria de Desenvolvimento Rural, Agricultura Familiar e Meio Ambiente. Essa pasta também vai absolver o controle da Destra, Parques e Diretoria de Meio Ambiente. “Temos um grande desafio pela frente, mas estamos motivados. A meta da prefeita é manter serviços e ampliá-los com um quadro menor e redução de custos. Vamos vencer esse desafio”, disse.

Na Fundação de Cultura e Turismo, o nome escolhido foi o do médico e empresário Lúcio Omena. Ele falou da valorização do artista local, em políticas culturais para que a cidade não fique apenas focada nos festejos juninos.

Lúcio Omena defendeu ainda uma repaginação do projeto Revitalino, que foi iniciado na gestão anterior e não foi concluído. Ele admitiu ainda a possibilidade de se debater a volta das quadrilhas estilizadas, mas em outro formato, podendo ser realizadas em ambiente fechado.

Confira os nomes dos secretários empossados:

Secretaria de Governo – Rubens Júnior
Secretaria de Saúde – Ana Maria Albuquerque
Secretaria de Políticas para Mulheres – Perpétua Dantas
Secretaria de Urbanismo e Obras – Nyadja Menezes
Secretaria da Fazenda – Diogo Bezerra
Secretaria de Sustentabilidade e Desenvolvimento Rural – Diogo Cantarelli
Secretaria de Educação – Rubenildo Ferreira de Moura
Secretaria de Administração – Margarida Ferreira Lima
Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão – Rubén Pecchio
Secretaria de Desenvolvimento Social, Inclusão e Direitos Humanos – Fernando Silva
Secretaria de Serviços Públicos – Humberto Correia Lima
Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Economia Criativa – João Melo Neto
Secretaria de Ordem Pública – Coronel Luiz Aureliano

Presidentes dos órgãos municipais:
Controladoria do Município – Cláudia Correia
Fundação de Cultura e Turismo – Lúcio Omena
Procuradoria Geral do Município – Túlio Vilaça