Comitê Gestor planeja Festival do Jeans 2017

Desenvolver um plano de comunicação, realizar desfiles e promover o pequeno varejo do arranjo produtivo local foi o objetivo de uma reunião com alguns dos integrantes do Comitê Gestor do Festival do Jeans, que aconteceu na ACIT – Associação Comercial e Industrial de Toritama, nesta semana, com a presença de Edson Tavares, o Secretário de Desenvolvimento Econômico de Toritama, que esteve acompanhado de sua esposa Janeide Tavares.O secretário, Edson Tavares expressou na ocasião, que o objetivo do município é principalmente estimular as vendas no pequeno varejo.

A reunião contou com a presença dos analistas Robert Albuquerque e Cristiane Fiusa da J & B Consultores, empresa especializada no planejamento de eventos da moda e rodadas de negócios. O presidente a ACIT, Ronaldo Jonas demonstrou que a associação esta disposta para realizar o tradicional festival em parceria com a Prefeitura de Toritama, com Parque das Feiras e demais cotistas e patrocinadores. Também participaram da reunião, o diretor Genivaldo Luiz Minervino e o gerente Américo Lima, ambos da ACIT, a publicitária Isabelle de Moura e o jornalista Éder Mateus.

Os participantes da reunião lamentaram o baixo nível de qualidade dos últimos festivais realizados, onde na opinião de Cristiane Fiusa, esvaziou-se os desfiles e não se promoveu as vendas em detrimento de shows, então contratados sem estratégia aceitável. Os integrantes lamentaram o desperdício de dinheiro durante anos e determinaram novas metas de atração de público e principalmente compradores para o evento deste ano.

Prefeitura de Agrestina iniciará cadastro de barraqueiros

A partir da próxima terça-feira (17) será iniciado o cadastro de barraqueiros de Agrestina e região interessados em participar da 95° Festa de Nossa Senhora do Desterro, que acontece nos dias 1 e 2 de fevereiro.

O cadastro deve ser feito na Secretaria de Cultura e Turismo, localizada no centro da cidade, em frente a Praça Padre Cícero, das 7h às 13h, sendo necessários apenas o CPF, RG, comprovante de residência e telefone para contato.

O cadastro servirá também para participação nas demais festas que acontecem no município ao longo do ano e os inscritos vão ter oportunidade de futuramente participar de oficinas e cursos essenciais para o bom desempenho do serviço de barraqueiro, como o de manuseio de alimentos.

Projeção de Cármen Lúcia provoca ciúme no Planalto

Folha de S.Paulo 

O protagonismo da presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Cármen Lúcia, na negociação da dívida do Rio de Janeiro e na crise dos presídios tem criado um desconforto tanto no governo Michel Temer como entre colegas dela do Judiciário.

Assessores de Temer, por exemplo, destacam o perfil centralizador e de gestão executiva que a ministra tem adotado desde que assumiu o comando do Supremo, em setembro passado.

A presidente do STF tem evitado declarações públicas e entrevistas, optando por convocar reuniões com autoridades para tratar de assuntos de grande repercussão.

Na última terça (10) –em meio à crise no sistema prisional–, ela telefonou para o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, chamando-o para uma reunião em seu gabinete. A pedido dela, o encontro também contou com a participação do diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello.

A conversa, não prevista na agenda, vazou pouco depois para a imprensa. A pessoas próximas, Cármen disse que convidou os dois para discutir o relatório do sistema penitenciário.

Recentemente, a ministra concedeu liminares impedindo o bloqueio de R$ 373 milhões das contas do governo do Rio em função de dívidas com o governo federal. A decisão irritou o ministro Henrique Meirelles (Fazenda), que viu no gesto um risco à política de ajuste fiscal.

A atitude dela foi vista pela cúpula do Planalto como uma interferência sobre uma questão de competência do governo federal.

Para arrefecer os ânimos, Temer se reuniu com a ministra no último dia 7, na casa dela em Brasília. Segundo assessores, ele teria sinalizado, com discrição, a necessidade de manter os limites entre os Poderes. Ou, nas palavras de duas autoridades ouvidas pela Folha, de manter “cada macaco no seu galho”.

PROJEÇÃO

Por trás da insatisfação do Palácio do Planalto, há um receio em relação à projeção da ministra. Nas palavras de um aliado de Temer, o governo sempre a viu com desconfiança porque parte da opinião pública a considera uma alternativa caso o peemedebista perca o mandato no processo de cassação da chapa de 2014 no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

O julgamento sobre a campanha da ex-presidente Dilma Rousseff e Michel Temer deve ocorrer neste semestre.

Já pessoas próximas à ministra afirmam que ela age de maneira discreta e que seu estilo lembra o do ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato, avesso a entrevistas e holofotes.

O fato de ela ser arredia a entrevistas, inclusive, também desperta críticas. Seu silêncio diante da crise nos presídios incomodou alguns colegas do Judiciário. Ela não se manifestou publicamente desde que a crise eclodiu, nos primeiros dias do ano.

Chegou a ir a Manaus, onde ocorreu o primeiro massacre de presos, mas saiu de lá sem falar com a imprensa.

Como presidente do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), tem batido na tecla de realizar um censo carcerário, mecanismo visto como pouco eficaz pelos demais integrantes do colegiado.

A iniciativa também incomodou o governo, mas por outro motivo: o fato de ela sempre mencionar o IBGE e o Exército, vinculados ao Executivo, como braços auxiliares deste censo. A ministra iniciou a gestão anunciando visitas surpresas em presídios –três até agora–, mas ainda não apresentou medidas efetivas para nenhum deles.

A assessoria do STF informou que Cármen Lúcia não iria comentar as críticas que sofre nos bastidores.

A relação entre a presidente do Supremo e Temer vive altos e baixos desde que ela assumiu o posto.

Em outubro, quando Cármen Lúcia trocou farpas com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), sua reação chegou a ser considerada “exagerada” no Planalto.

Em dezembro, contudo, reconquistou a simpatia do presidente ao participar do movimento que evitou que o STF afastasse o mesmo Renan do comando do Senado.

Prefeitura de Agrestina iniciará cadastro de barraqueiros

A partir da próxima terça-feira (17) será iniciado o cadastro de barraqueiros de Agrestina e região interessados em participar da 95° Festa de Nossa Senhora do Desterro, que acontece nos dias 1 e 2 de fevereiro.

O cadastro deve ser feito na Secretaria de Cultura e Turismo, localizada no centro da cidade, em frente a Praça Padre Cícero, das 7h às 13h, sendo necessários apenas o CPF, RG, comprovante de residência e telefone para contato.
O cadastro servirá também para participação nas demais festas que acontecem no município ao longo do ano e os inscritos vão ter oportunidade de futuramente participar de oficinas e cursos essenciais para o bom desempenho do serviço de barraqueiro, como o de manuseio de alimentos.

Após 14h, PM invade prisão e susta rebelião; 10 mortos

Folha de S.Paulo 

Veículos da Polícia Militar entraram na Penitenciária de Alcaçuz, maior presídio do Rio Grande do Norte, por volta das 6h da manhã deste domingo (15), no horário local (7h em Brasília). Uma rebelião ocorria na prisão desde a tarde deste sábado (14).

O motim foi controlado por volta das 8h (horário de Brasília), segundo informações da Secretaria de Segurança Pública. Nas próximas horas, a polícia deverá fazer a contagem de corpos e avaliação da estrutura do presídio. Pelo menos dez presos foram mortos, segundo o governo estadual.

No portão do presídio permanecem homens da Força Nacional, bombeiros e ambulâncias. Policiais militares tentam tranquilizar as pessoas que esperam notícias.

Os familiares continuam do lado de fora. Para dormir, improvisaram papelões na calçada e se protegeram do frio com cobertores.

Durante a madrugada, o clima foi tranquilo. Gritos dos presos e disparos de bombas de efeito moral não foram ouvidos das 2h até as 6h da manhã, quando as tropas começaram a entrar.

O Sindicato da Polícia Civil do Rio Grande do Norte emitiu uma nota onde alerta sobre ataques nas ruas e em outros presídios por facções. O Estado afirma que apenas em Alcaçuz ocorreu rebelião.

O secretário estadual de Justiça, Walker Virgulino, reconhece a crise no sistema penitenciário e afirma que o governo criou uma equipe para gerenciar a rebelião.

Imagens compartilhadas na internet atribuídas ao motim mostram presos sendo mutilados e decapitados. O governo não confirma se as fotos e vídeos são verdadeiros. Parentes dizem que existem mortes no pavilhão 4, e contabilizam 60 mortos. O boato causou desespero das famílias e também não tem confirmação.

Na madrugada, um momento de emoção durante a vigília das esposas foi um culto ecumênico improvisado, com rituais e canções de diferentes religiões, seguidos de orações.

Os presos permaneciam fora das celas e circulavam nos pavilhões desde o início do confronto. Lideranças de facções teriam sido separadas pela polícia com bombas de efeito moral.

A dona de casa Maria Santos, 60, moradora da zona norte de Natal, não economiza nas críticas para direção de Alcaçuz. O filho, de 37 anos de idade, cumpre pena por tráfico de drogas. Condenado a 14 anos, cumpriu quatro.

“Quem nunca soube o que é o inferno, é aqui (Alcaçuz). Os agentes (penitenciário) fazem o que eles querem. É uma humilhação para as esposas”, diz dona Maria depois de ter ouvido relatos de maus tratos. Ela também reclama da administração do presídio e suspeita de corrupção.

CONFLITO

A rebelião foi motivada por uma briga nos pavilhões 4 e 5 do presídio envolvendo facções: segundo o governo, entre membros do PCC (Primeiro Comando da Capital) e do Sindicato do Crime. Houve uma invasão de um pavilhão por presos inimigos, o que deu início ao motim. O governo diz que a rebelião foi restrita a esses dois pavilhões e que não houve fugas.

O conflito começou por volta das 17h de sábado, no horário local (18h em Brasília). A Polícia Militar acompanhava a situação da rebelião, com tropas do choque e do Bope no local, mas não conseguia entrar no presídio.

A Penitenciária de Alcaçuz abriga 1.083 presos, mas tem capacidade para apenas 620, segundo dados da Secretaria de Justiça. O presídio fica no município de Nísia Floresta, a 25 km de Natal.

Segundo o advogado Gabriel Bulhões, da Comissão de Advogados Criminalistas da OAB-RN, há uma “guerra de facções” no Estado entre o PCC e o Sindicato do Crime –uma dissidência do PCC surgida por volta de 2012. Os dois lutam pelo domínio do sistema carcerário no Rio Grande do Norte, em especial em Alcaçuz, o maior presídio estadual.

“Essa situação estava para explodir há algum tempo”, afirma Bulhões. Segundo ele, o clima se tensionou nos últimos meses, e há informações de que os grupos estavam se armando para o confronto.

O governo informou que criou um gabinete de gestão integrada e que enviou batalhões de todo o Estado para o presídio. O Ministério da Justiça disse, por meio da assessoria, que o ministro Alexandre de Moraes acompanha a situação em Natal.

Trailer da Paixão de Nova Jerusalém começa a ver veiculado

unnamed (11)

O primeiro trailer da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém começa a ser veiculado no próximo domingo (15), no intervalo do programa Fantástico, da TV Globo. Ao todo foram produzidos seis filmes com cenas que fazem referência ao espetáculo. Na produção destacam-se os cenários grandiosos e os artistas do elenco principal Rômulo Neto (Jesus), Letícia Birkheuer (Maria), Raphael Vianna, (Herodes), Joaquim Lopes (Pilatos), Adriana Birolli (Madalena), Aline Riscado (Herodíades) e Jesus Luz (apóstolo João). Nos vídeos aparecerão também algumas novidades deste ano, como a entrada apoteótica do Rei Herodes em uma grande carruagem dourada.

Os filmes foram criados e dirigidos pelo cineasta Eduardo Morotó que, este ano, se inspirou no visual das pinturas renascentistas para a concepção das imagens. “Como vemos nas pinturas renascentistas, buscamos um conceito mais solar, com imagens radiantes e cores vivas”, afirmou o diretor. Além disso, em algumas cenas, o diretor lançou mão da técnica do “tableau vivant”, que são quadros vivos nos quais os atores ficam parados enquanto a câmera, em movimento, capta as imagens em várias camadas dando um efeito em três dimensões.

No ano do cinquentenário do espetáculo, os vídeos, que até a temporada passada eram de 25 segundos, terão, este ano, uma duração de 60 segundos, além do trecho no qual aparecem as assinaturas dos patrocinadores Vitarella, Palmeiron, Assolan, Santa Clara e Imecap.

Os ingressos para a temporada 2017, que acontecerá de 8 a 15 de abril,
já estão à venda pelo do site oficial (www.novajerusalem.com.br). As entradas para o espetáculo custam de R$ 100,00 a R$ 140,00, dependendo do dia, com direito a meia-entrada. Nas compras feitas pelo site, o valor do ingresso poderá ser parcelado em até 12 vezes nos cartões de crédito.

Esquema previa até calote na Caixa, diz empresário

O Estado de S.Paulo 

O empresário Evaldo Ulinski, ex-dono do Big Frango, uma das empresas investigadas na Operação Cui Bono?, disse em duas entrevistas ao Estado que Lúcio Bolonha Funaro e operadores dele lhe ofereceram um empréstimo de R$ 100 milhões na Caixa Econômica Federal, com condições especiais. Cobrariam 10% sobre do valor do financiamento, a título de comissão, para facilitar a liberação dos recursos. Mas havia outra opção. Se o empresário aceitasse dar uma comissão maior, de 30%, não pagaria o empréstimo.

“Era 10% para você pagar e 30% para nunca mais precisar pagar. As palavras deles”, disse Ulinski ao Estado.

A história contada por Ulinski traz detalhes de como eram os bastidores de um esquema que previa a liberação de financiamentos irregulares na Caixa em troca de propinas, o alvo central da Operação Cui Bono?, deflagrada na sexta-feira.

Segundo o Ministério Público e a Polícia Federal, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, Geddel Vieira Lima – ex-ministro do atual governo de Michel Temer –, além de Funaro, operaram um esquema de fraudes na liberação de créditos da Caixa, que teria ocorrido pelo menos entre os anos de 2011 e 2013.

Neste período Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica do banco estatal, área que libera financiamentos para empresas.

PE: salva-vidas fechados; 2 anos sem monitorar tubarões

Folha de S.Paulo 

Com a chegada do verão, o clima é de insegurança nas praias pernambucanas. O litoral com mais registros de ataques de tubarão do Brasil está há dois anos sem o monitoramento desses animais. Além disso, há postos de salva-vidas abandonados.

O convênio entre a UFRPE (Universidade Federal Rural de Pernambuco) e a Secretaria de Defesa Social do Estado para a manutenção do projeto Protuba foi encerrado em dezembro de 2014. Durante dez anos, ele conseguiu capturar mais de 450 tubarões. Eles eram marcados com chips e soltos em alto mar.

Em 2015, depois do fim do projeto, foram registrados dois ataques, em Olinda e Fernando de Noronha. Ao todo, desde 1992, o Estado soma 62 incidentes e 23 mortes.

“O TCE-PE vetou o convênio devido ao alto custo para o Estado [foram gastos R$ 800 mil em 2014]“, justificou na época o coronel Clóvis Ramalho, presidente do Cemit (Comitê de Monitoramento de Incidentes com Tubarões).

Em setembro, um novo projeto foi selecionado por licitação, mas sequer saiu do papel. Ele prevê a instalação de um protótipo com câmeras. “Se o banhista atravessar a faixa de segurança, estabelecida pelos arrecifes, o equipamento alerta os postos de guarda-vidas”, diz Valmir Macário Filho, professor da UFRPE.

O pesquisador diz aguardar o investimento inicial de R$ 31 mil. Segundo ele, a expectativa é que a verba saia em janeiro e o monitoramento comece no fim de 2017.

Os postos de salva-vidas, contudo, não têm infraestrutura nem para ocorrências menos graves. A Folha constatou o abandono nos seis pontos com estruturas elevadas instalados na praia de Boa Viagem, cartão postal do Recife.

Os postos 4 e 7 servem de abrigo para moradores de rua. No posto 6, havia apenas um bombeiro. Nos postos 8 e 10, uma dupla trabalha embaixo de um guarda-sol.

Eles foram inaugurados em 2013, pelo então governador Eduardo Campos (PSB). O projeto Orla Segura, com verba de R$ 4 milhões, previa a segurança das praias da capital.

Caruaru Shopping recebe museu do vídeo game 100% interativo

unnamed (10)

Já pensou em juntar nostalgia, diversão e novidades para você, seu filho e toda a família nas férias? Se a sua resposta foi positiva, o Caruaru Shopping traz a magia dos videogames que é apresentada ao público por meio de uma exposição cheia de curiosidades e interatividade.

A exposição Super Games vem para resgatar e apresentar ao público desde os videogames clássicos que ainda hoje permanecem na memória das pessoas, até os mais modernos, trazendo o que há de mais avançado no mercado. São mais de 40 consoles originais para o público jogar e matar a saudade dos games da infância, além dos mais modernos e atuais que existem no mercado.

Em uma área montada no shopping, próximo a entrada do cinema, entre os jogos que vão estar disponíveis, destaque para Magnavox Odyssey, o primeiro console de sucesso no mundo, os campeões de venda no Brasil; Atari; Super Nintendo; Master System; Mega Drive; Nintendo 64; Playstation e raridades como Sega Saturn, Dreamcast, Game Cube, Xbox e Neo Geo.

A exposição também traz para o público uma nova forma de jogar, a “Realidade Virtual”. Este novo conceito insere o jogador dentro do jogo, onde ele literalmente pilota o carro de “Formula 1” ou tenta fugir de tiros em um avião da segunda guerra mundial. É um verdadeiro parque da realidade virtual, onde os simuladores mais modernos estarão disponíveis.

Se você ficou curioso em conhecer tudo sobre a nova atração, basta ver qual o melhor horário e correr para lá. A exposição Super Games funciona de segunda a sábado, das 13h às 21h e aos domingos, sendo das 12h às 19h.

No presídio: espero que meu filho esteja vivo, diz mãe

Folha de S.Paulo 

Dezenas de familiares aguardam informações sobre presos em frente à Penitenciária de Alcaçuz, na região metropolitana de Natal, onde acontece uma rebelião desde a tarde deste sábado (14) e pelo menos 10 detentos foram mortos, segundo o governo do Estado.

Os clima é de tensão e nervosismo no local. Um helicóptero sobrevoou o presídio durante a madrugada, enquanto policiais e bombeiros faziam ronda ao redor da unidade. Do lado de fora, é possível escutar barulho de tiros, bombas e gritos dos presos.

Até o começo da madrugada, a Polícia Militar ainda não havia entrado no presídio e o motim continuava em andamento. Todos os presos deixaram as celas e ocuparam a área dos pavilhões.

Zélia de Melo, 44, espera por notícias do filho, Diego, 26, condenado por a seis anos de prisão por tráfico de drogas –falta um ano para ele ser solto, segundo a mãe.

“Espero que esteja vivo. Só vou sair daqui quanto tiver informações”, afirma. Ela diz que bloqueadores de celular não impedem contato com os presos. Detentos repassam informações para as famílias, segundo pessoas no local. Durante todo o dia, familiares compartilhavam fotos e vídeos do massacre.