“Não adianta esconder bens ou valores fora do Brasil”, diz Janot

Da Agência Brasil

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, participou hoje (12) de uma palestra em Belo Horizonte durante o Seminário de Ciências Penais da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), instituição da qual é ex-aluno. Ele destacou a importância da cooperação jurídica internacional para as investigações criminais conduzidas pelo Ministério Público Federal (MPF).

Durante sua fala ao público, Janot ressaltou que, no âmbito da Operação Lava Jato, o Brasil encaminhou 136 pedidos de cooperação internacional a 33 países. Ao mesmo tempo, foram recebidas 70 solicitações de 26 países. “Não adianta esconder bens ou valores fora do Brasil. A cooperação internacional hoje é tão estreita que nós vamos descobrir. Também não adianta fugir do Brasil, fugir da jurisdição brasileira. Nós conseguiremos que a lei brasileira alcance também estes cidadãos”, disse.

Sem citar o nome do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB), ele mencionou a cooperação com as autoridades da Suíça que fundamentou a denúncia contra o parlamentar. “Tivemos um caso específico de um réu no STF, atualmente condenado e preso em Curitiba. Era um caso difícil. A Suíça começou a investigação e recebemos deles a documentação completa. Fizemos alguns ajustes e apresentamos a denúncia. Esse processo gerou inicialmente o afastamento do mandato parlamentar e depois a condenação”.

Por meio da cooperação, o Ministério Público da Suíça havia identificado contas no país em que Eduardo Cunha depositou recursos envolvidos em esquemas ilegais. A Justiça do país europeu autorizou o bloqueio destes valores. Em março, o juiz Sérgio Moro condenou Cunha a 15 anos e quatro meses de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

De acordo com dados apresentados pelo procurador-geral, a cooperação internacional permitiu repatriar US$250 milhões, o que equivale a aproximadamente R$785 milhões. Cerca de R$500 milhões foram restituídos à Petrobras e outros R$270 milhões ao governo do estado do Rio de Janeiro.

Saiba Mais
Com base em delação de marqueteiros, Janot faz 22 pedidos a Fachin
Outro exemplo de cooperação citado por Janot foi a extradição do ítalo-brasileiro Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil condenado por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro na Ação Penal 470, o mensalão. Ele fugiu para a Itália, mas teve o pedido de extradição autorizado pelo governo italiano, mesmo tendo dupla nacionalidade.

Janot também apresentou ao público dados da Operação Lava Jato. Segundo ele, já foram autorizados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), 150 quebras de sigilo fiscal, 215 quebras de sigilo bancário, 147 quebras de sigilo telefônico, 34 quebras de sigilo telemático, cinco quebras de sigilo dados, 19 sequestros de bens e quatro sequestros de valores. Foram cumpridos até o momento 917 mandados de busca e apreensão autorizados em decisões de primeira instância e também do STF.

Delação premiada

A parte final da palestra do procurador-geral foi dedicada para esclarecimentos em relação à delação premiada, que foi considerada por ele como um instrumento poderoso que possibilitou chegar à situação atual das investigações. “O colaborador não é um dedo-duro. Ele ajuda a Justiça a desvendar organizações criminosas, confessa seus crimes e indica os coautores. E assim ele tem direito a uma premiação. Há toda uma construção jurídica, dentro do regramento legal e com um controle do judiciário”, avaliou.

Para ele, não é correto dizer que os órgãos de controle prendem os réus para forçá-los a delatarem. “A colaboração tem que ser espontânea. Não somos nós que chamamos o réu para colaborar, a iniciativa tem que partir dele. O advogado dele é quem nos apresenta a proposta”, argumentou.

Segundo Janot, dos 160 acordos de delação premiada já homologados no âmbito da Lava Jato, 136 foram feitos com pessoas em liberdade e apenas 24 com pessoas detidas. Ele disse ainda que a delação é um mecanismo que favorece ao réu e, por isso, não pode haver tratamento discriminatório entre quem está preso e quem não está.

Judiciário fortalecido

Janot registrou alguns episódios dos últimos anos que teriam contribuído para que as investigações do MPF ganhassem amplitude. Ele citou a aprovação da Lei de Acesso à Informação e a criação da TV Justiça, que tornaram o controle social mais efetivo e permitiram que os brasileiros acompanhassem e compreendessem o funcionamento do Judiciário. “Os julgamentos passaram a integrar a agenda do cidadão. Uma vez o procurador-geral do Chile me contou que estava no Rio de Janeiro e ficou impressionado quando viu pessoas em um bar tomando cerveja discutindo um processo judicial com a mesma intensidade que antes discutiam sobre futebol”.

O procurador-geral também considerou que o processo do mensalão alterou o paradigma do Judiciário e fortaleceu o discurso de que a lei é para todos. Ele lembrou ainda das jornadas de junho de 2013, quando milhares de brasileiros saíram às ruas em protesto. “Entre diversas pautas difusas, surgiram os questionamentos à Proposta de Emenda Constitucional 37, que buscava proibir o Ministério Público de realizar investigações em matéria penal. A perspectiva que nós tínhamos era de que ela seria aprovada com um apoio avassalador. E com as manifestações, o que seria uma derrota certa se transformou numa rejeição da proposta. Foram 430 votos contrários e apenas 9 favoráveis”, lembrou.

Meirelles diz que mudanças na Previdência podem evitar outra reforma por décadas

crindbr_12.05.2017_img_2441

Da Agência Brasil

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse hoje (12) que se a reforma da Previdência entrar em vigor com as regras do relatório aprovado na comissão especial da Câmara não serão necessárias outras mudanças em décadas.

De acordo com Meirelles, a reforma feita nos termos do atual relatório é suficiente para garantir uma economia de R$ 600 bilhões em 10 anos, cerca de 75% do previsto na proposta original do governo, de R$ 800 bilhões.

“É um número que está dentro das nossas expectativas. Outra reforma não seria necessária nos próximos anos, com este projeto como está aprovado”, disse o ministro em entrevista após participar da posse da nova diretoria da Câmara de Comércio Americana do Rio de Janeiro (AmCham Rio), no Hotel Copacabana Palace.

Mesmo com a perspectiva positiva, Meirelles destacou que tudo depende do crescimento do Brasil, da situação fiscal e da evolução demográfica nos próximos anos. Segundo o ministro, a reforma atende às necessidades do país, mas se houver mudanças significativas no texto no plenário a situação será diferente. “Vai depender de uma série de favores, mas se for aprovada como está, acreditamos que esta reforma pode tornar desnecessária outra reforma por algumas décadas.”

O governo avalia que não haverá novas demandas dos parlamentares por mudanças no texto. “A nossa expectativa é que não, porque o momento a discussão se dá exatamente na confecção e na aprovação do relatório na comissão especial e essa fase já passou”, afirmou Meirelles.

Calendário

O ministro da Fazenda espera que a Câmara vote a reforma ainda em maio para que o texto siga para análise do Senado. No entanto, como o tema é complexo, Meirelles diz que não haverá prejuízo significativo se a votação dos deputados ficar para junho ou até para agosto, após o recesso parlamentar.

Segundo ele, a reforma da Previdência é aguardada há décadas e não faria diferença esperar mais dois ou três meses. O ministro ponderou, no entanto, que para a recuperação do nível de confiança na economia brasileira e da atividade este ano, quanto mais cedo as mudanças forem aprovadas, melhor.

Ciganos de Pernambuco relatam dificuldades em reunião no Ministério Público

unnamed (15)

A vida dos ciganos nunca foi fácil. Varekai, como dizem em romani, a língua cigana dita oficial, ‘onde quer que seja’ em português. Mal compreendidos, alvo de preconceito e perseguição de toda sorte, a comunidade – que conta cerca de 20 mil pessoas em Pernambuco, segundo estimativas – pediu o apoio do Ministério Público para combater esses problemas e promover a inclusão social do cigano. O MPPE, através do seu Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça (CAOP), atendeu ao chamado e promoveu, na tarde desta quinta-feira (11), na sua sede na Rua Visconde de Suassuna, no centro do Recife, uma reunião com a participação da Associação dos Ciganos de Pernambuco (Acipe) e representantes de diversas secretarias estaduais – Educação, Saúde, Direitos Humanos e Justiça, Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Defesa Social e Meio Ambiente.

Conduzida pelo promotor Édipo Soares, coordenador do CAOP Saúde, a reunião teve ainda a participação da procuradora de Justiça Bernadete Figueiroa, coordenadora do Grupo de Trabalho ‘Racismo’; da procuradora Débora Tito, do Ministério Público do Trabalho (MPT); e do Padre Roberto de Andrade Silva, da Igreja Ortodoxa dos Estados Unidos no Brasil, entidade que vem há alguns anos desenvolvendo um trabalho junto a comunidades ciganas no Estado.

A pauta da reunião foi centrada em três áreas – Saúde, Educação e Direitos Humanos e Justiça – principais demandas das comunidades ciganas em Pernambuco. “A maior dificuldade é no acesso do povo cigano à saúde, em razão da invisibilidade dessas pessoas”, começou salientando o promotor Édipo Soares, abordando a exigência da apresentação de comprovante de endereço para uma comunidade que ainda apresenta situação de itinerância.

Além dessa questão, o presidente da Acipe, Enildo ‘Kalon’ Soares, falou da necessidade da capacitação de ciganos e ciganas como agentes multiplicadores de informação sobre cuidados com a saúde para atuar em suas comunidades, na formação de agentes de saúde dentro das próprias comunidades e da necessidade dos próprios profissionais de saúde receberem capacitação para melhor atuar junto a essas comunidades, conhecendo sua realidade, cultura e peculiaridades.

A cigana Elizangela Cavalcante, da comunidade de Ibiranga (distrito de Itambé, a cerca de 100km do Recife), reforçou a dificuldade de acesso do seu povo à saúde, apontando outro problema, esse de ordem cultural: a mulher cigana não se trata com ginecologista homem e nem sempre a rede dispõe de uma médica dessa especialidade para atendimento naquele município. Essa fala foi sublinhada também pelo Padre Roberto: “As ciganas só aceitam fazer seus exames preventivos com profissionais do sexo feminino”.

Em relação à educação, a questão maior é o desconhecimento da situação do povo cigano. O Estado não sabe exatamente quantos são e onde estão e nem como trabalhar com eles. Derivados dessa falta de conhecimento, vêm a grave situação do analfabetismo, inclusive entre jovens e adultos ciganos, o preconceito e a discriminação no ambiente escolar, a inexistência de material didático que valorize a cultura cigana e a inexistência de qualquer política pública que combata esses e outros problemas.

Há boas iniciativas, no entanto, como informou Josebias José dos Santos, da Gerência de Políticas Educacionais em Educação Inclusiva, Direitos Humanos e Cidadania da Secretaria Estadual de Educação. No próximo dia 23 de maio, a secretaria irá promover a primeira formação de professores e práticas pedagógicas na rede estadual sobre a cultura do povo cigano. Será no Centro de Formação Paulo Freire, na Torre. Mas a Secretaria de Educação já vem trabalhando, ainda que de forma pontual, o acesso à alfabetização das comunidades itinerantes, como um projeto realizado há dois anos com artistas mambembes e trabalhadores de parques de diversões. “Também estamos atuando em outras comunidades no campo”, informou a professora Zélia Freitas, da SEE/PE, destacando a necessidade do Estado ter uma radiografia das comunidades ciganas para melhor atuar nelas.

Depois da Educação, a pauta focou-se na área da promoção da Justiça e dos Direitos Humanos. Na carta das comunidades ciganas representadas pela Acipe, foram elencadas várias demandas, como a necessidade da proteção dos direitos humanos e liberdades fundamentais dos ciganos; o apoio à realização de estudos e pesquisas sobre a história, cultura e tradição do povo cigano; levantamento da situação das comunidades quanto à documentação básica – RG, CPF e o Registro Civil Nacional; e o apoio das municipalidades ao estabelecimento do povo cigano, principalmente no que tange à infraestrutura. “Também precisamos dar maior apoio aos artistas, aos artesãos, aos ciganos que fazem trabalho com pedras, metais, os tecelões”, colocou o presidente da associação, Enildo Kalon. A procuradora do Trabalho, Débora Tito, disse que o MPT “pode colaborar ajudando na formalização de cooperativas de trabalho, o que pode ajudar na captação de recursos, melhorando a condição econômica da comunidade”.

“Ninguém quer dar trabalho ao cigano”, contrapôs Elizangela Cavalcante, lamentando a discriminação que seu povo enfrenta. “O preconceito deriva da falta de conhecimento. As pessoas temem aquilo que não conhecem”, acrescentou a jornalista e escritora Gabriela Kopinits, integrante da Acipe, que há 17 anos desenvolve um projeto de incentivo à leitura através da sua Cigana Contadora de Estórias, o que tem ajudado na desconstrução da imagem negativa do cigano, principalmente entre as crianças.

“O problema é que não há leis específicas para o povo cigano, tem que tirar tudo da Constituição”, destacou a procuradora Bernadete Figueiroa, que coordena o Grupo de Trabalho de Combate ao Racismo do Ministério Público de Pernambuco – GT Racismo, organismo criado em 2002 pelo MPPE para ajudar a construir mecanismos de enfrentamento ao preconceito e de combate ao racismo. A procuradora salientou ainda a ocorrência de ações policiais que vitimaram ciganos, como relatou o próprio presidente da Acipe. Respondendo a isso, o Major Ériton Lucas, da Diretoria de Articulação Social e Direitos Humanos da Secretaria de Defesa Social, colocou a falta de conhecimento sobre a comunidade cigana como possível motivador desse tipo de ação e esclareceu que a SDS possui também um grupo de trabalho justamente para atuar contra isso.

Mas se há problemas, há também a vontade de buscar soluções. O governo do Estado está trabalhando, através de uma frente de secretarias, junto com a Associação dos Ciganos, na construção de um plano estadual para a população cigana. De acordo com Marinna Duarte, da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, a previsão é que este plano esteja concluído até o meio do ano.

O promotor Édipo Soares aventou a possibilidade desse plano ser convertido em instrumento legal de proteção ao povo cigano e sugeriu que o assunto fosse debatido também com os prefeitos, o que deverá acontecer em uma reunião a ser marcada na Associação Municipalista de Pernambuco – Amupe, uma vez que há comunidades ciganas em muitos municípios e esta seria uma boa maneira de esclarecer o assunto e sensibilizar os gestores sobre a questão, principalmente de combate à discriminação.

A perseguição e o preconceito sofridos desde sempre pelo povo cigano foram condensados na fala do cigano Eliezer Francisco Dantas, conhecido como ‘Antonio Seresteiro’: “É um tipo de ódio gratuito, de quem não tem amor nem por si próprio”. Pai de Elisangela e vice-presidente da Acipe, o cigano filosofou ainda: “Quando a pessoa vive de bem com a vida, seja qual for a etnia, ele não procura ofender, procura proteger. E é isso que nós queremos, viver em paz”.

Conclusão – Ao final da reunião ficou deliberado que os representantes das secretarias e entidades presentes encaminhem, em até 10 dias, os direcionamentos que podem ser dados às questões levantadas com a finalidade de promover a cidadania do povo cigano.
O assunto também vai ser debatido no próximo dia 24, Dia Nacional do Povo Cigano e Dia de Santa Sara Kali, a padroeira do povo rom. A Acipe, com apoio do governo do Estado, vai promover o “Seminário sobre a situação atual da comunidade cigana em Pernambuco: desafios e perspectivas para o futuro”. Será a partir das 14h no auditório da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, na Praça do Arsenal, no Recife Antigo. A entrada é aberta a todos que quiserem conhecer mais sobre a realidade do povo cigano, que é uma etnia, não uma religião, como muitos ainda pensam.

Mais água para população da Mata Norte

unnamed (14)

Assumindo o compromisso de continuar trabalhando para vencer os desafios da crise hídrica no Estado, o governador Paulo Câmara anunciou, nesta sexta-feira (12.05), um conjunto de obras estruturadoras para o setor, durante a quarta rodada do Pernambuco em Ação, na Zona da Mata Norte. Serão investidos cerca de R$ 4,7 milhões no reforço do abastecimento dos distritos de Guadalajara, em Paudalho, e Borracha, em Vicência; além da Agrovila da Barragem, em Lagoa do Carro. Ao todo, 16 mil habitantes serão beneficiados com as intervenções.

“Hoje, nós temos a alegria de, mais uma vez, autorizar o início de obras essenciais para fortalecer o abastecimento de água aqui, na Mata Norte. Vamos reforçar o funcionamento dos sistemas que já existem e implantar outros novos. O nosso maior desejo é fazer com que a água de qualidade chegue a todos, em todas as áreas, principalmente nas zonas rurais”, frisou o chefe do Executivo estadual.

Na ocasião, foi autorizada a elaboração de convênio entre a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) e a Prefeitura de Paudalho para a Ampliação do Sistema de Abastecimento de Água do distrito de Guadalajara. A ação vai beneficiar 10 mil habitantes e possui um custo estimado de R$ 2.998.001,27, com prazo para execução de oito meses após a ordem de serviço.

Atualmente, o distrito possui um sistema operado pela Administração Municipal. A proposta é que a Compesa assuma a operação do sistema para a implantação de uma nova captação, estação elevatória de água bruta, estação de tratamento de água, reservatório elevado, e o fornecimento e assentamento de tubulações no sistema adutor e na rede de distribuição. Em paralelo, a Prefeitura ficará responsável pela demolição e reposição de pavimentos e calçadas, escavações, reaterros e remoções de solo oriundo dos serviços realizados no sistema adutor e na rede de distribuição.

Além disso, foi aberta licitação da obra de Implantação do Sistema de Abastecimento de Água do Distrito de Borracha, no município de Vicência. Cerca de cinco mil habitantes serão contemplados com a iniciativa, que vai custar R$ 1.059.896,69. A obra conta com a implantação de 6,5 km de sistema adutor, com diâmetro de 150 mm e estação elevatória, a partir do Sistema Siriji até o reservatório do Distrito de Borracha. Serão transportados um total de 9 L/s de água tratada, desde a ETA Murupé até a população beneficiada.

Paulo autorizou, ainda, o início do processo licitatório para as obras de Implantação do Sistema de Abastecimento de Água para a Agrovila da Barragem, no município de Lagoa do Carro. A obra consiste na implantação de 5 km de sistema adutor com diâmetro 100 mm, além de estação elevatória e ampliação da rede de distribuição para abastecimento de água aos habitantes locais, a partir da estação de tratamento de água que abastece a cidade. Ao todo, serão beneficiados cerca de 1 mil habitantes. A ação possui um custo estimado de R$ 700 mil e prazo para execução de cinco meses após a ordem de serviço.

O presidente da Compesa, Roberto Tavares, falou sobre os benefícios das obras para a região. “São investimentos importantes que representam bem a linha de gestão do governador Paulo Câmara, que prioriza a questão da água e da melhoria da qualidade de vida”, pontuou. Com a realização das obras, toda a população dos distritos de Guadalajara e de Borracha, e da Agrovila da Barragem contará com fornecimento de água tratada através de tubulações diretamente em suas residências, em frequência e qualidade superior a já distribuída.

Secretaria de Educação realiza série de comemorações em homenagem ao Dia das Mães

unnamed (12)

As escolas da Rede Municipal de Ensino de Riacho das Almas estão realizando nesta sexta-feira (12) uma série de comemorações em homenagem ao Dia das Mães. As atividades começaram com um café da manhã na Escola Enedina Maria, no Sítio Atalaia. Já o almoço foi realizado na Escola Santos Cardoso, na Vila de Pinhões e à tarde, as homenagens aconteceram simultaneamente nas escolas Mário da Mota Limeira, na cidade, Patrícia Cardoso, na Vila de Couro D’Antas e José Joaquim de Lima, na Vila de Trapiá. Durante as festas, muitas homenagens dos alunos e sorteio de brindes.

“Esse é um momento de muita importância, no qual temos a oportunidade de valorizar estas mães, mostrando a elas o quanto são especiais na vida dos filhos. Esse também é um momento de unir Escola e Família para uma confraternização, e parabenizar essas mulheres não só pelo Dia das Mães, mas pelo papel que elas desempenham no dia-a-dia nesta missão”, afirmou a secretária de Educação Arijane Monteiro.

Na última quinta-feira (11), as comemorações contemplaram as mães de alunos da Creche Mãe Rainha. Já na próxima semana, no dia 18, as homenagens serão destinadas às mães de alunos da Escola Luiz Francisco, da Vila do Vitorino.

Mata Norte recebe R$ 56,5 milhões durante quarta rodada do Pernambuco em Ação

CARPINA – A quarta rodada do Pernambuco em Ação chegou à Zona da Mata Norte, nesta sexta-feira (12.05), com o anúncio de diversas obras e ações estruturadoras para áreas importantes de atendimento à população. Comandado pelo governador Paulo Câmara, o Seminário reuniu autoridades e representantes da sociedade civil. No total, serão aplicados R$ 56,5 milhões em saúde, educação, infraestrutura viária e urbana, abastecimento hídrico, segurança, agricultura e turismo da região.

“O nosso compromisso aqui, hoje, é reativar esse compromisso de mostrar o que estamos fazendo e ampliar o conjunto de ações que já estão em planejamento para esta região. E isso, com certeza, vai nos dar condições de, em 2017 e em 2018, fazermos mais entregas, continuarmos avançando nas áreas que precisam de uma atenção maior, e de podermos estar mais presentes na vida do povo”, destacou o governador.

Paulo Câmara frisou que iniciativas como o Pernambuco em Ação renovam o compromisso do Governo com as demandas populares. “Precisamos manter no nosso coração a esperança. A esperança de um Estado melhor. E eu estou muito comprometido com todos os pernambucanos”, reforçou.

Entre as realizações anunciadas durante o Seminário estão a entrega de estradas, como a PE 04 e a PE-401; liberação de recursos, através do Fundo Estadual de Apoio Municipal (FEM), e de parcerias no atendimento de saúde; assinatura de Ordens de Serviços para a construção de quadras cobertas, revitalização de espaço públicos e realização de obras hídricas, entre outras.

Secretário estadual de Planejamento e Gestão, Marcio Stefanni defendeu que a dinâmica do Seminário demonstra o comprometimento da Administração em se fazer mais presente e atento às necessidades dos pernambucanos. “Nós entendemos que essa iniciativa de ir até os municípios para prestar contas e apresentar novos investimentos é a forma mais adequada de se trabalhar. O nosso principal objetivo é continuar avançando e oferecer condições de melhorar a qualidade de vida da população”, pontuou.

Para o prefeito Manoel Botafogo, receber esse seminário trouxe novas perspectivas para o município. “Os recursos liberados têm contribuído muito para o desenvolvimento de nossa Carpina. O governador sabe disso e veio, hoje, para nos trazer tantas outras boas notícias, que vão beneficiar não só o nosso povo, como toda a região”, afirmou o gestor.

“É bom ver que as coisas estão saindo do papel, que o Governo está interagindo e escutando o povo”, avaliou o agricultor Gustavo André Cavalcanti, de 50 anos, que é integrante Serviço de Tecnologia Alternativa (Serta), movimento que visa o resgate da realidade rural.

SEGURANÇA - Um protocolo de intenções foi assinado para a instalação de uma seção do Corpo de Bombeiros, que vai atender dez municípios da Mata Norte. Para a implantação unidade e aquisição de equipamentos, serão investidos cerca de R$ 2 milhões. O equipamento ofertará serviços importantes como prevenção de incêndios, salvamentos, resgates de vítimas de acidentes e vistorias técnicas. O edital para construção da unidade será lançado no próximo mês com um custo de R$ 613 mil.

Haverá ainda um investimento, por parte do Governo de Pernambuco, de R$ 1,4 milhão em equipamentos e viaturas, como uma auto bomba tanque (ABT), Auto regate e carro de vistoria. A conclusão deve ocorrer até o final do ano, beneficiando os habitantes dos municípios de Carpina, Paudalho, Lagoa do Carro, Lagoa de Itaenga, Chã de Alegria, Tracunhaém, Buenos Aries, Nazaré da Mata e Vicência e Aliança.

Educação da Mata Norte é fortalecida com implantação de novas quadras poliesportivas

CARPINA - Para reforçar a estrutura do ensino público estadual da Mata Norte, o governador Paulo Câmara autorizou, nesta sexta-feira (12.05), durante o Pernambuco em Ação, o início da construção de novas cinco quadras poliesportivas cobertas em quatro municípios da região. Na ocasião, também foram assinados os termos de compromisso para a construção de equipamentos do tipo em Itambé e Ferreiros, além da inauguração simbólica da quadra coberta da Escola Doutor Francisco Siqueira Carneiro da Cunha, em Lagoa do Carro. Para estas ações, estão sendo investidos R$ 3,3 milhões.

“Quero reforçar meu compromisso com a educação. Hoje, Pernambuco tem a melhor educação pública do País e queremos que isso seja uma realidade também nos municípios. Para isso, estamos fazendo parcerias para que o ensino integral também seja implantado nas escolas municipais do Estado. Com determinação, tenho certeza de que vamos ter uma futura geração de pernambucanos muito mais focados”, afirmou Paulo Câmara, lembrando que cerca de 6.052 mil estudantes serão beneficiados com o conjunto anunciado.

As ordens de serviços darão início às construções das quadras cobertas nas unidades: Escola de Referência em Ensino Médio Joaquina Lira, em Aliança; Escola Coronel Luiz Ignácio Pessoa de Melo, em Aliança; Escola José de Lima Júnior, em Carpina; Escola Severino Gouveia de Lima, em Itaquitinga; e Escola Jornalista Jader de Andrade, em Timbaúba.

O secretário estadual de Educação, Frederico Amâncio, explicou que o Governo de Pernambuco tem feito um trabalho de continuidade na melhoria da educação do Estado. “Nós temos a melhor educação pública no Ensino Médio. Isso não está associado apenas ao trabalho de melhoria da qualidade, mas também ao investimento em infraestrutura, que é importante para os alunos, como o Programa Quadra Viva”, afirmou o gestor, destacando que as quadras que serão construídas, mais do que importantes para o esporte, serão utilizadas para toda a comunidade.

Ainda durante o seminário, Paulo Câmara assinou os termos de compromisso para a construção de quadra coberta na Escola de Referência em Ensino Médio Frei Orlando, em Itambé, e na Escola Emiliano Pereira Borges, em Ferreiros.

PROGRAMA GANHE O MUNDO – Três estudantes da Mata Norte receberam, durante o Seminário Pernambuco em Ação, certificados de participação do Programa Ganhe o Mundo. Os alunos, que estudaram espanhol no Chile, são: William Felipe Dias da Silva, Amanda Thais Siqueira Silva e Miqueias Victor Araújo da Silva.

Couro: exportações crescem em área, mas setor está alerta para o custo produtivo

As exportações brasileiras de couros e peles em 2017 estão maiores em área do que as registradas em 2016. É o que mostram os números recentemente divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, com análise da Inteligência Comercial do Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB). De janeiro a abril, foram embarcados 68 milhões de metros quadrados de couro brasileiro para o mundo, uma alta de 0,8% em relação ao mesmo período do ano passado.

O recorte exclusivo do mês de abril também registra elevação: 16,2 milhões de metros quadrados exportados, o que representa 1,5% a mais do que em abril de 2016. Os valores, no entanto, não têm acompanhado a alta em área: há decréscimo de 6,2% no acumulado do ano e 8,1% a menos na análise exclusiva do mês de abril. “Este panorama reflete o momento atual do mercado do couro no mundo, com preço médio em queda; no Brasil, este fator ainda é combinado com o câmbio em um patamar não ideal”, avalia Rogério Cunha, da Inteligência Comercial do CICB, destacando o caráter cíclico do setor.

A queda em valores tem potencial ainda maior de decesso se for aprovada a Medida Provisória 774/2017, que extingue a desoneração da folha de pagamento de uma série de setores industriais, incluindo o couro. “Haverá imediato encarecimento do custo produtivo”, informa Cunha. Esse ônus, ressalta, deve ter reflexos não só nas exportações, mas também no mercado interno, geração de emprego e ocupação das plantas.

Com a divulgação do balanço de abril, o Rio Grande do Sul superou São Paulo no ranking dos estados que mais exportam couro no país. Os gaúchos respondem sozinhos por 19,1% das exportações em valores e os paulistas por 18,9%. Em seguida vêm Goiás (15,8%), Paraná (12,1%) e Bahia (7,2%).

Ato ecumênico em Caruaru enaltece o dia da abolição dos escravos

Caruaru em seus 160 anos enaltece o dia 13 de maio de 1888, que marca a assinatura da lei Áurea em favor da abolição da escravidão negra no Brasil. Por isso que dentro da programação do aniversário da cidade, que será comemorado no próximo dia 18 de maio, acontece nesta sexta (12), na Praça do Artesão do Alto do Moura, o ato Caruaru de Pretos e Pretas. Trata-se de um ato ecumênico realizado pela Igreja Católica e representantes de religiões de matriz africana.

O ato se inicia com a celebração ecumênica conduzida pelo Padre Everaldo na Praça do Artesão, a partir das 17h, com a presença dos Babalorixás Ivan Moreira e Marivaldo de Xangô. A celebração é também em homenagem ao Dia dos Pretos Velhos, os ancestrais da cultura africana, comemorado no dia 13 de maio. Além da parte religiosa, a programação ainda conta com as apresentações culturais do Coletivo Cultural Afro Brasileiro Bará Asá, do Grupo Cultural do Alto do Moura, do grupo Jurema Preta e do cantor Colibri Brasil.

O evento é aberto ao púbico e será realizado com o apoio da Prefeitura de Caruaru, através das secretarias de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Políticas para Mulheres e Fundação de Cultura e Turismo.

Paulo Câmara recebe ministro Moreira Franco

unnamed (10)

O governador Paulo Câmara recebeu, na quinta-feira (11.05), no Palácio do Campo das Princesas, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco. No encontro, os gestores conversaram sobre parcerias entre o Governo Federal e o Governo de Pernambuco na área de infraestrutura, entre elas: a volta do controle das atividades do Complexo Industrial Portuário de Suape ao Estado. O presidente Michel Temer volta a Pernambuco ainda neste mês para oficializar a devolução.

Participaram da reunião também o vice-governador e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Raul Henry; o deputado federal Fernando Monteiro; e o secretário estadual da Casa Civil, Antonio Carlos Figueira.