Operação investiga pagamento de R$ 160 milhões em propina pela JBS

Folhapress

O Ministério Público Federal, a Receita Federal e a Polícia Federal deflagraram nesta segunda-feira (11) a Operação Baixo Augusta, um desdobramento da Lava Jato que investiga um suposto esquema de pagamento de propina pela JBS para agilizar a liberação de recursos que a empresa teria a receber do Fisco.

Estão sendo cumpridos 14 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Caraguatatuba, Campos do Jordão, Cotia e Lins. Em nota, o MPF afirma que o esquema funcionaria desde 2004. As investigações indicam que a JBS pagou cerca de R$ 160 milhões em propina, e obteve liberação de R$ 2 bilhões em crédito tributário ao longo de 13 anos, segundo o órgão.

Procurada pela reportagem, a JBS afirmou, por meio de sua assessoria de imprensa, que “os valores recebidos referem-se a créditos tributários legitimamente devidos à empresa” e que a sede da companhia não é alvo da operação.

A investigação foi iniciada a partir do acordo de colaboração premiada firmado entre o MPF e executivos da companhia. Teria sido identificada a participação de um auditor-fiscal da Receita, um empresário, um contador e um advogado falecido em 2016. Além do cumprimento dos mandados, a Justiça Federal determinou o afastamento do auditor-fiscal e o bloqueio de bens de pessoas beneficiadas pelo esquema e de empresas ligadas a elas.

Mercado financeiro volta a prever inflação abaixo da meta: 2,88%

Agência Brasil

O mercado financeiro voltou a prever inflação abaixo do piso da meta para este ano. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 3,03% para 2,88%. Em setembro, as instituições financeiras também projetaram inflação abaixo da meta. A estimativa consta do boletim Focus, uma publicação divulgada no site do Banco Central (BC) todas as semanas com projeções para os principais indicadores econômicos.

A meta de inflação, que deve ser perseguida pelo BC, tem como centro 4,5%, limite inferior de 3% e superior de 6%. Quando a inflação fica fora desses patamares, o BC tem que elaborar uma carta aberta ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicando os motivos do descumprimento da meta.

Se a estimativa se confirmar, será a primeira vez que a meta será descumprida por ficar abaixo do piso. A meta ficou acima do teto quatro vezes: 2001, 2002, 2003 e 2015.

Na última sexta-feira (8), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que, de janeiro a novembro, o IPCA chegou a 2,5%, o menor resultado acumulado em 11 meses desde 1998 (1,32%).

Para 2018, a projeção do mercado financeiro para o IPCA – a inflação oficial do país – é mantida de 4,02%, há duas semanas consecutivas.

O principal instrumento usado pelo BC para controlar a inflação é a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 7% ao ano, o menor nível histórico. Na última quarta-feira (6), a Selic foi reduzida pela décima vez seguida. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) diminuiu a Selic em 0,5 ponto percentual, de 7,5% ao ano para 7% ao ano.

A expectativa do mercado financeiro para a Selic ao final de 2018 segue em 7%. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, subiu de 0,89% para 0,91%, este ano, e de 2,60% para 2,62%, em 2018.

Milhares de pessoas são beneficiadas com trabalho da Acic

Foto oficial 2015_depois_

Reconhecida como a maior associação do Norte/Nordeste do Brasil, em 2017, a Acic deu início aos trabalhos de mais um biênio de atuação. Para alcançar o seu objetivo de ser uma associação cada vez mais dinâmica, a Acic promoveu eventos, cursos, palestras, oficinas e ações de fortalecimento empresarial.

Ao todo, em 2017, 1.630 pessoas participaram dos cursos promovidos pela Acic, 6.596 prestigiaram as palestras oferecidas, 533 foram capacitadas através de workshops e 1.843 compareceram aos seminários que fizeram parte da programação anual da associação. Destaque para o 3º Encontro da Beleza do Agreste de Pernambuco desenvolvido pela Câmara Setorial da Beleza e o Sebrae que teve 717 profissionais inscritos; “Neurovendas – Conhecendo a Cabeça do Consumidor”, com Fernando Kimura e “Criatividade para Solução de Problemas”, com Murilo Gun. Entre os workshops, o “Mapa Gerencial” com Almeris Armiliato e “O Marketing do Amanhã e a Evolução das Práticas de Gestão” com Filipe Gaudêncio foram os mais concorridos.

A Acic realizou mais duas edições da Rodada de Negócios da Moda Pernambucana, maior evento do segmento no Norte e Nordeste. Os números mais expressivos das duas edições de 2017 contabilizaram R$ 37,5 milhões em vendas; mais de dois milhões de peças de roupas, calçados e acessórios comercializados e 800 compradores de 22 estados brasileiros.

A Associação também atuou inserindo profissionais e estudantes no mercado de trabalho. O Empregacic realizou 23 seleções, sendo que 13 já foram concluídas. No total, 400 pessoas foram recrutadas pelo departamento de RH da Acic. O QualificaBrasil conseguiu 267 vagas, convocou 475 estudantes e realizou 239 novos contratos de estágios.

Este ano, também foi realizada a 3ª edição do Marchador Imperial, que tem o objetivo de fortalecer o mercado de cavalos Mangalarga Marchador na região, desenvolvendo também o agronegócio. Na Gastronomia, a Associação e o Sebrae promoveram o 6º Circuito do Café de Pernambuco, em setembro, que contou com a participação de nove cafeterias e oito mil pessoas iniciaram a rota de degustação dos cafés Astros.

Em 2017, a Câmara Setorial da Saúde promoveu, juntamente com a Clínica Manoel Florêncio Diagnósticos, a 9ª Campanha de Prevenção das Doenças da Mama. A edição deste ano contabilizou 10 mil atendimentos e o maior número de casos descobertos na história da campanha, que teve início em 2008, com 15 casos avançados, sendo seis deles confirmados por mamografia. Teve ainda a 3ª edição da AgresteMed, com 31 conferências, fórum, exposição de produtos, serviços médicos e odontológicos. Cerca de três mil pessoas prestigiaram a iniciativa. Já, a Semana de Saúde Bucal, em parceria com o Centro Universitário Asces/Unita, atendeu 478 pessoas.

Encerrando o ano, através das Câmaras Setoriais da Construção Civil e dos Corretores de Imóveis, a Acic injetou ânimo no mercado com a realização da Semana Imobiliária de Caruaru, no Shopping Difusora. Na ocasião, o público pôde encontrar as melhores opções e adquirir um imóvel com segurança e garantia de satisfação.

Anfavea apoia resolução que estabelece a inspeção técnica veicular

O Conselho Nacional de Trânsito, CONTRAN, publicou no Diário Oficial da União da sexta-feira, 8, duas importantes resoluções para o aprimoramento da segurança e meio ambiente no trânsito. Uma delas é a Resolução Nº716, que estabelece a obrigatoriedade em nível federal da inspeção técnica veicular, ITV, até 31 de dezembro de 2019.

Para Antonio Megale, presidente da Anfavea, “este talvez seja um dos mais importantes avanços no que diz respeito às questões da segurança e melhoria da qualidade de vida das pessoas. Parabenizo o esforço do CONTRAN e dos ministérios e órgãos envolvidos, na certeza de que reduziremos acidentes de trânsito, emissões e quebras de veículos sem condições de rodagem nas vias públicas”.

O regulamento define forma e condições de implantação da ITV e coloca a aprovação do veículo como condição necessária para a obtenção do licenciamento anual. Determina ainda a periodicidade de inspeção, com isenção nos primeiros anos em alguns casos, e validade do certificado.

De acordo com a regulamentação, os órgãos executivos de trânsito dos Estados e do Distrito Federal deverão apresentar ao CONTRAN o cronograma de implementação da inspeção técnica veicular até 1º de julho de 2018, sendo que o limite para implementação é até 31 de dezembro de 2019.

Roadmap de segurança veicular
A segunda resolução publicada é a de nº 717, que trata do cronograma de estudos técnicos e proposta para a regulamentação de 38 itens de segurança veicular. Dentre alguns exemplos estão aviso de afivelamento dos cintos de segurança e regulamentação para veículos elétricos e autônomos.

Na visão de Antonio Megale, presidente da Anfavea, o cronograma permitirá planejamento adequado das empresas:

“A Resolução Nº717 é fruto da discussão de diversos entes envolvidos no desenvolvimento da segurança veicular e garante previsibilidade para as empresas, que poderão conhecer os itens estudados e programar investimentos quando a respectiva implementação for estabelecida”.

Megale lembra ainda que as resoluções representam importantes pilares de política automotiva.

Secretaria de Educação de Belo Jardim inicia matrícula de alunos novatos

Começa nesta terça-feira (12) o período de matrícula para alunos novatos na rede municipal de ensino de Belo Jardim. Os responsáveis pelos estudantes devem realizar o procedimento na escola que desejam matricular o aluno. O período de matrículas seguirá até o dia 12 de janeiro, de acordo com a quantidade de vagas de cada escola.

Para matricular o aluno, o responsável precisa levar a cópia dos seguintes documentos: certidão de nascimento, declaração provisória de transferência ou histórico escolar, número do NIS, Cartão Nacional do SUS e comprovante de residência, além de uma foto 3×4. A documentação é obrigatória no ato da matrícula.

De acordo com a Secretaria de Educação, a rede municipal de ensino de Belo Jardim conta 11 mil alunos, divididos em 60 escolas e quatro creches. A rede atende estudantes do ensino básico ao fundamental, do 1º ao 9º ano.

Aborto, porte de armas e Lei Orçamentária estão na pauta do Congresso

Às vésperas do recesso legislativo, que oficialmente começa no dia 23, enquanto o governo ainda faz contas sobre a quantidade de votos para aprovar a reforma da Previdência, a Câmara e o Senado devem discutir nesta semana diversos projetos, entre eles os que tratam de temas como aborto, Lei Orçamentária de 2018, Funrural e porte de arma de fogo em área rural.

No Senado, os próximos 10 dias úteis de trabalho devem ser de esforço concentrado. O presidente da Casa, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), adiantou que além de apreciar medidas provisórias (MPs) que trancam a pauta, ele quer votar na semana que vem no plenário uma pauta positiva de propostas nas áreas de economia e segurança pública. Apesar do esforço, Eunício admite que algumas propostas ficarão para o ano que vem.

O presidente do Senado lamentou mais uma vez que as MPs cheguem trancando a pauta da Casa e reclamou da demora dos deputados em aprovar a proposta de emenda à Constituição (PEC) que muda o rito das MPs na Câmara e no Senado. “Mais uma vez fiz um apelo ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para que aprove a PEC que está lá há mais de três anos sob pena de eu ter que devolver as medidas provisórias que vão chegar ao Senado para que a gente tenha condição de votar”, reclamou.

A PEC defendida por Eunício estabelece que a medida provisória deve ser discutida por uma comissão especial em cada Casa (Câmara e Senado) e vá direto ao plenário se for esgotado o prazo no colegiado. A PEC está na pauta da Câmara, mas ainda não há acordo para a votação.

A Casa também deve discutir o Estatuto do Desarmamento, que inclui um projeto que autoriza moradores de áreas rurais a comprar arma de fogo.

O projeto que assegura em lei a união estável entre pessoas do mesmo sexo deve ser tratado pelo plenário nesta semana.Está prevista, também, a análise da medida provisória que prevê incentivos tributários para empresas do setor de petróleo, como a suspensão do pagamento de alguns tributos até 2040.

Congresso

Eunício convocou sessão do Congresso para a próxima terça-feira (13), às 14h. Para abrir caminho para a votação da Lei Orçamentária de 2018 (PLN 20/2017), estão na pauta sete vetos presidenciais pendentes e 17 projetos de lei. O primeiro veto a ser analisado será o do projeto que permite o porte de armas a agentes de trânsito.

Congresso mantém nove vetos, mas adia polêmicas como o porte de armas para agentes de trânsito

Vencida essa pauta, o presidente do Congresso já adiantou que pretende votar a Lei Orçamentária na quinta-feira (14), mesmo dia em que o relatório do deputado Cacá Leão (PP-BA) deve ser votado na Comissão Mista de Orçamento.

No entanto, esse cronograma ainda é incerto, já que poderia atrapalhar as negociações para votação da proposta de reforma da Previdência na Câmara. O receio se justifica porque, tradicionalmente, o Congresso fica esvaziado após a votação do Orçamento. Eunício afirma que essa não é a intenção e que o calendário das duas votações não está ligado. A votação da LOA, na semana que vem, acredita, poderia até liberar os deputados para se dedicarem exclusivamente à reforma.

Câmara

Em meio a articulações para a retomada da tramitação da proposta de emenda à Constituição (PEC) encaminhada pelo governo para a reforma da Previdência, a Câmara pode votar nesta semana projetos originários do próprio Congresso Nacional.

Uma sessão deliberativa extraordinária foi convocada para esta segunda-feira (11) para discutir o projeto de lei que cria o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito. O projeto prevê que o Código de Trânsito Brasileiro tenha metas de redução do número de mortes no trânsito por grupos de habitantes e de veículos.

Para a sessão de terça-feira (12), está prevista a conclusão da análise do projeto de lei que trata da anistia das dívidas e multas referentes à contribuição dos produtores rurais com o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural) durante o período de 2011 a 2017. Os deputados devem votar as sugestões de mudança no texto. A proposta aprovada na semana passada estabelece o desconto das dívidas rurais em diversas modalidades de crédito do setor.

A pauta de terça-feira inclui também a discussão do projeto de lei que tipifica o ato de divulgar cena de estupro como crime, com previsão de dois a cinco anos de prisão. A proposta prevê ainda aumento de pena para o crime de estupro cometido por duas ou mais pessoas.

Para esta semana, também há expectativa de que a PEC que muda as regras de acesso à aposentadoria comece a ser discutida no plenário da Câmara. O líder do governo, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), disse acreditar que a matéria possa ser colocada em votação no dia 18 de dezembro. O relatório elaborado pelo deputado Arthur Maia (PPS-BA) deve ser lido em plenário na quinta-feira (14) de manhã. A partir daí, líderes farão a defesa da proposta e estará aberta a discussão para que a votação ocorra nos dias 18 e 19.

Comissões da Câmara

Nas comissões, ainda está pendente a conclusão da votação das sugestões de mudança no texto da PEC que amplia a licença-maternidade para mães de bebês prematuros. A comissão especial criada para debater o assunto já aprovou o texto principal e acatou o primeiro destaque à matéria, derrubando o limite de 240 dias para a licença da mães.

A emenda diz que vida deve ser protegida e considerada inviolável a partir da concepção no ventre materno. Na prática, a PEC pode proibir o aborto, mesmo nos casos já permitidos atualmente: quando a mulher for vítima de estupro; quando a gravidez representar risco à vida da mãe; quando o feto for anencéfalo.

Na próxima terça-feira (12), os deputados devem analisar os destaques que pretendem retirar ou modificar esta expressão, que gerou polêmica entre os grupos de defesa dos direitos das mulheres.

Na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), a pauta tem 71 itens, entre os quais oi projeto que aumenta a pena do homicídio qualificado em crime cometido contra vítima que estiver sob as medidas protetivas estabelecidas na Lei Maria da Penha (Lei 11.340, de 2006, que visa proteger a mulher da violência doméstica e familiar).

A CCJ convocou ainda reunião extraordinária para a próxima quarta-feira (13) para debater a PEC que trata da autonomia funcional e administrativa da Polícia Federal em relação ao Poder Executivo e outra proposta de emenda à Constituição que pretende substituir as atuais polícias civis e militares por uma força policial única e desmilitarizar os corpos de bombeiros dos Estados e do Distrito Federal.

Congresso em Foco

Mercado financeiro volta a prever inflação abaixo da meta: 2,88%

O mercado financeiro voltou a prever inflação abaixo do piso da meta para este ano. A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu de 3,03% para 2,88%. Em setembro, as instituições financeiras também projetaram inflação abaixo da meta. A estimativa consta do boletim Focus, uma publicação divulgada no site do Banco Central (BC) todas as semanas com projeções para os principais indicadores econômicos.

A meta de inflação, que deve ser perseguida pelo BC, tem como centro 4,5%, limite inferior de 3% e superior de 6%. Quando a inflação fica fora desses patamares, o BC tem que elaborar uma carta aberta ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicando os motivos do descumprimento da meta.

Se a estimativa se confirmar, será a primeira vez que a meta será descumprida por ficar abaixo do piso. A meta ficou acima do teto quatro vezes: 2001, 2002, 2003 e 2015.

Na última sexta-feira (8), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que, de janeiro a novembro, o IPCA chegou a 2,5%, o menor resultado acumulado em 11 meses desde 1998 (1,32%).

Para 2018, a projeção do mercado financeiro para o IPCA – a inflação oficial do país – é mantida de 4,02%, há duas semanas consecutivas.

O principal instrumento usado pelo BC para controlar a inflação é a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 7% ao ano, o menor nível histórico. Na última quarta-feira (6), a Selic foi reduzida pela décima vez seguida. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) diminuiu a Selic em 0,5 ponto percentual, de 7,5% ao ano para 7% ao ano.

A expectativa do mercado financeiro para a Selic ao final de 2018 segue em 7%. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, subiu de 0,89% para 0,91%, este ano, e de 2,60% para 2,62%, em 2018.

Agência Brasil

Aécio defende unidade tucana em convenção nacional do PSDB

O senador Aécio Neves defendeu a importância da unidade do PSDB para vencer os adversários nas eleições do ano que vem. Ao participar no último sábado (09/12) da 14ª Convenção Nacional do PSDB, em Brasília, Aécio destacou que durante sua gestão como presidente nacional do partido, entre 2013 e 2017, o PSDB esteve unido e conquistou maior número de filiados e de vitórias nas disputas que enfrentou em todo país.

“O PSDB depende fundamentalmente da sua unidade interna para vencer os adversários que estão no campo externo. Alckmin significa a garantia dessa unidade e, agora, espero que resgatemos os nossos compromissos programáticos. Eu tenho, portanto, muita confiança de que estamos prontos para ser o ponto de equilíbrio que o Brasil precisa para voltar a crescer”, afirmou o senador em entrevista coletiva.

Aécio lembrou que nas últimas eleições municipais o PSDB foi o partido que mais cresceu no país. “Nos últimos quatro anos em que administrei como presidente o PSDB foi o seu período mais fértil, de crescimento do partido, tanto em nível nacional, quanto nos estados. A cada quatro brasileiros hoje, um é administrado por prefeituras do PSDB. Estou muito feliz com a convenção de hoje e com a unidade que construímos”, afirmou o senador.

Geraldo Alckmin

Aécio Neves afirmou também que a escolha do governador Geraldo Alckmin para assumir a presidência do PSDB nos próximos dois anos se deu como melhor caminho para unir as forças entre as lideranças tucanas.

Ele destacou a composição dos novos quadros da direção nacional. “É a chapa do entendimento com presenças, por exemplo, do secretário-geral Marcus Pestana representando Minas Gerais, e do vice-presidente Marconi Perillo, governador de Goiás”.

O deputado federal Marcus Pestana foi eleito a secretário-geral do PSDB, na chapa eleita que tem o governador de Goiás, Marconi Perillo, como primeiro vice-presidente. Pestana foi presidente do PSDB de Minas Gerais por dois mandatos consecutivos, entre 2011 e 2015.

“Estamos vivendo o pior momento do SUS”, avalia Humberto

Para uma plateia de pesquisadores e profissionais da área da Saúde, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT), fez duras críticas às políticas adotadas para o setor pelo governo de Michel Temer (PMDB). Segundo Humberto, desde que o Sistema Único de Saúde (SUS) foi implantado, é a primeira vez que um ministro da Saúde assume abertamente o papel de atender a interesses corporativos e de instituições privadas em detrimento do próprio sistema e do bem estar da população brasileira. Hoje, quem comanda a pasta é Ricardo Barros (PP).

“Vivemos, sem dúvida, o pior momento da história do SUS. Desde que o sistema foi implantado, em 1988, todos os ministros que passaram pela pasta, até mesmo nos governos de Collor e de Fernando Henrique Cardoso, tinham uma preocupação de melhorar o SUS, de garantir recursos, pensar novos projetos. Mas o atual comandante da pasta age exatamente fazendo o oposto. Ele defende mais os planos de saúde que os pacientes. Administra o SUS, mas é o primeiro a dizer que ele precisa diminuir de tamanho. A quem o ministro está servindo? Porque ao povo é que não é”, questionou o senador.

Ex-ministro as Saúde, Humberto foi convidado de debate sobre o SUS no Brasil na conjuntura política e econômica atual. A conversa fez parte da programação dos 30 anos do Núcleo de Estudos de Saúde Coletiva da Fundação Oswaldo Cruz (NESC). Para ele, há um claro desmonte das políticas públicas da área da saúde. “Ricardo Barros não é um médico, é engenheiro de profissão e só assumiu a pasta porque está na cota do PP. Não é à toa que estamos sofrendo este desmonte. Estão querendo acabar com tudo aquilo que foi estabelecido pela constituição de 1988 que, mesmo com idas e vindas, seguia o objetivo de produzir o bem estar social”, assinalou.

Segundo Humberto Costa, é fundamental manter a mobilização em favor do SUS. “Precisamos ter ainda mais debates, trazer a população para a conversa. Levar o problema para as ruas, para as redes e denunciar qualquer tipo de desmonte do Sistema Único de Saúde. Só com a força de todos é que conseguiremos barra este processo”, afirmou o senador.

“Lições da Disney” ajudam empreendedores brasileiros nos Estados Unidos

Encantar o público e fazer com que as pessoas se sintam importantes durante uma experiência é uma das principais ações da Disney para ser reconhecida por seus visitantes depois que vão embora. Criar momentos mágicos, com diversos elementos surpresa, é parte fundamental dessa estratégia. Essa é uma das lições que os empresários brasileiros Leo Charamba e Alex Alencar, proprietários do Camila’s Restaurant, maior reduto de comida brasileira dos Estados Unidos com sedes em Orlando e Miami, aprenderam com um dos maiores parques temáticos do mundo.

Depois de participarem de diversos workshops ministrados pela Disney e viverem as experiências dos parques, os sócios decidiram implantar algumas ações no Camila’s. “O relacionamento com o cliente é a coisa mais importante de qualquer negócio”, comenta Charamba. “Assim como a Disney, não queremos que o cliente simplesmente entre no nosso restaurante, coma e saia sem lembrar o nome Camila’s. Por isso queremos que ele viva experiências”, completa Alex Alencar.

Para tanto, além de se propor a servir a melhor comida brasileira nos Estados Unidos, o Camila’s conta com equipe capacitada para dar todo apoio necessário ao turista brasileiro e ações permanentes no restaurante. “Há alguns anos, trabalhamos com Programação Neurolinguística, que busca impactar o público de forma que ele se lembre daquela experiência”, explica Charamba. Para isso, realizam uma série de eventos artísticos que fazem com que clientes sejam surpreendidos no momento em que visitam o restaurante.

O Camila’s Restaurant chega a receber 3 mil pessoas diariamente na alta temporada e estima um crescimento de público acima de pelo menos 10% em 2018. “Nos últimos anos também ampliamos nosso leque de atuação e passamos a receber muitos turistas da Colômbia, Argentina, Venezuela, Equador e Porto Rico”, comenta Alencar. “Acreditamos que 2018 será um ano bastante bom para nós”, finaliza.

Sobre o Camila’s restaurant:

Fundado em 1989 em Miami e em 1994 em Orlando, o Camila’s é o maior e mais tradicional restaurante brasileiro nos Estados Unidos. Em 2013, foi comprado pelos ex-funcionários Leonardo Charamba e Alex Alencar. O Camila’s é ponto de apoio e encontro para turistas e residentes brasileiros, sendo considerado até mesmo uma ’embaixada’, onde se pode encontrar comida tipicamente brasileira como feijoada e churrasco, além de atendimento em português e programação 100% brasileira nas televisões. Hoje, o local é o mais indicado entre os restaurantes brasileiros dos Estados Unidos no maior site de viagens do mundo, TripAdvisor, que premiou o restaurante com seu selo de excelência nos últimos 5 anos.