PIS-Pasep: saque do abono salarial ano-base 2015 só pode ser feito até quinta

Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil

Termina nesta quinta-feira (28) o prazo para saque do abono salarial ano-base 2015 pelos trabalhadores. Até o fim de novembro, 1,4 milhão de brasileiros com direito ao benefício ainda não tinham sacado o dinheiro. De acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), não haverá prorrogação do prazo.

Quem trabalhou na iniciativa privada em 2015 pode retirar o dinheiro em qualquer agência da Caixa Econômica Federal ou em uma casa lotérica. Servidores públicos devem procurar o Banco do Brasil. Cada trabalhador recebe valor proporcional ao número de meses trabalhados formalmente naquele ano. Se a pessoa trabalhou o ano todo, recebe o valor na íntegra. Quem trabalhou por seis meses, por exemplo, recebe metade do valor. Os pagamentos variam de R$ 79 a R$ 937.

Quem tem direito

Para ter direito ao abono salarial ano-base 2015, é preciso ter trabalhado formalmente em 2015 e atender a alguns requisitos, como estar vinculado formalmente a uma empresa ou a um órgão público por pelo menos 30 dias naquele ano, ter remuneração média de até dois salários mínimos no período, estar inscrito no Programa de Integração Social (PIS) ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) há pelo menos cinco anos e ter os dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Para saber se tem direito ao benefício, é possível fazer uma consulta ao site do Ministério do Trabalho com o número do PIS ou do CPF e a data de nascimento. Também é possível obter informações nas agências bancárias ou ligando para o Alô Trabalho, 158. As ligações são gratuitas de telefone fixo em todo o país.

A Caixa Econômica Federal fornece a informação aos beneficiários do PIS também pelo telefone 0800-726 02 07. O Banco do Brasil atende os beneficiários do Pasep no número 0800-729 00 01.

ARTIGO — Como a tecnologia está transformando o mercado de trabalho?

Por Paulo Exel

Os avanços da tecnologia, historicamente, são um dos motores que impulsionam as transformações no mercado de trabalho. Isso porque, com novas ferramentas e novos processos, o papel dos funcionários se modifica dentro das empresas. Com ciclos de mudanças cada vez mais curtos, o que podemos esperar do futuro do trabalho?

O fato é que o mercado ainda vai se transformar muito nas próximas décadas. Apesar de ser impossível prever o futuro, se olharmos para o passado e dedicarmos um tempo observando as mudanças, é possível identificar os setores que irão se transformar primeiro e de forma mais impactante.

O mercado financeiro é um bom exemplo de como a tecnologia evolui de maneira escalável para transformar um setor inteiro e, consequentemente, a demanda por mão de obra. Imagine a transformação do trabalho como uma escada de muitos degraus. No setor bancário, o primeiro degrau foi o surgimento dos caixas eletrônicos. O segundo, os protocolos de segurança para o uso do banco online e, a partir daí, o surgimento de aplicativos de celular para gerenciar as contas. Até pouco tempo atrás era necessário nos deslocarmos até uma agência para efetuar um simples TED, ou seja, por muito tempo nem sonhávamos que um dia poderíamos fazer isso com alguns passos de onde quer que estivéssemos, sem sair do lugar.

Tudo isso fez com que os clientes precisassem cada vez menos utilizar a infraestrutura das agências bancárias e, portanto, com a diminuição da clientela nas agências certamente houve a necessidade de rever a quantidade de Caixas disponíveis. Apesar de termos presenciado a redução deste posto de trabalho, a partir do surgimento da tecnologia, muitos outros foram criados nessa cadeia de produção.

Se olharmos também mais adiante, enxergamos o surgimento de novas moedas digitais como os Bitcoins e o protocolo de pagamento Blockchain, que possivelmente são, os próximos degraus que irão revolucionar mais uma vez os meios de pagamento. Não é à toa que as fintechs estão chamando tanto a atenção.

Quando pensamos em futuro do trabalho é fato presumir que as atividades relacionadas à tecnologia e ao mundo digital terão grande impacto no que diz respeito a novas profissões. Nesse sentido, novas e mais funções poderão surgir a partir de cientistas ou engenheiros de dados, especialistas em cloud computing, designer de realidade aumentada, entre outros.

Nesse cenário, ser um profissional de TI certamente é uma vantagem competitiva. É claro que apenas isso não garante a empregabilidade, uma vez que a especialização é o que realmente conta na hora de se posicionar profissionalmente. Uma dica para os profissionais é buscar atualização constante, acompanhar as tendências e desenvolver habilidades que vão além da competência técnica de suas profissões.

Aspectos de liderança, inovação, mindset criativo e competências de gestão são algumas das capacidades complementares aos profissionais e que estão sendo cada dia mais demandadas pelas empresas. Sempre existirá uma lacuna entre a velocidade com que as corporações demandam skills e competências e o que o mercado de trabalho oferece. Essa realidade é ainda maior no Brasil, dado a ainda baixa qualidade de ensino.

Além de se preparar melhor, o profissional do futuro precisa estar pronto para se adaptar às novas relações de trabalho. Modelos pautados por jornadas engessadas e salários fixos devem ficar no passado. A tendência é que as contratações aconteçam por demanda ou projetos, exigindo uma maior habilidade de gestão por parte do trabalhador.

De maneira geral, a tecnologia vai impactar todos os setores da economia, desde a área de saúde, ciências humanas até o setor de serviços. Se você já está com medo de perder seu emprego para uma máquina, saiba que o profissional do futuro precisa ser altamente especializado, desenvolver habilidades de adaptação, empatia e principalmente criatividade para propor soluções a problemas ainda não conhecidos. Quanto antes se começar, melhor. O futuro já está aí.

Secretária de Educação de Agrestina é eleita tesoureira da União dos Dirigentes Municipais de Educação de Pernambuco

A secretária de Educação e Esportes de Agrestina – PE, Joelma do Nascimento, foi eleita tesoureira da União dos Dirigentes Municipais de Educação de Pernambuco (Undime-PE).

A eleição ocorreu em uma reunião ampliada da Diretoria Executiva da Undime-PE, no Centro de Convenções do Summerville Beach Resort, em Porto de Galinhas, localizado em Ipojuca-PE.

A Undime-PE é uma entidade que tem como missão articular, mobilizar e integrar os dirigentes municipais de educação do Estado de Pernambuco, fortalecendo esse regime de colaboração, em prol da defesa e construção de uma educação pública de qualidade. Pautada pela democracia, a entidade busca garantir a unidade de ação institucional, a afirmação da diversidade e do pluralismo, e as ações pautadas pela ética e transparência, com autonomia frente aos governos, partidos políticos, e outras instituições.

Governo entrega Planos de Resíduos Sólidos beneficiando 106 municípios pernambucanos

Plano Intermunicipal de Resíduos Sólidos - PIRS

O governo Paulo Câmara, por meio da SEMAS – Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, entrega os Planos Intermunicipais de Resíduos Sólidos (PIRS) para 106 municípios pernambucanos. O secretário Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Sérgio Xavier, anunciou oficialmente nesta quarta (27/12) a conclusão dos Planos para os municípios localizados nas regiões da Zona da Mata, Agreste e Sertão.

Elaborados pela SEMAS, com apoio institucional do Ministério do Meio Ambiente, os PIRS são requisitos para que os municípios cumpram a Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS (Lei Nº 12.305, de 2/8/2010), implantem processos de coleta seletiva e reciclagem de lixo e possam ter acesso aos recursos da União destinados a empreendimentos e serviços relacionados à limpeza urbana e ao manejo de resíduos sólidos.

Para apoiar os municípios na destinação final dos seus resíduos já estão disponíveis na SEMAS os Planos referentes a cinco agrupamentos (2, 3, 4, 5 e 7) e, no primeiro semestre de 2018, estarão prontos os planos municipais dos agrupamentos 1 e 8, que abrangem as regiões da Mata Norte, Agreste e Sertão do Araripe, beneficiando outras 47 cidades do estado, num total de 153 cidades contempladas. A elaboração dos sete Planos envolveram recursos da ordem de R$ 1.082.601,75 do Ministério do Meio Ambiente – MMA/Caixa Econômica Federal e contrapartida do estado no valor de R$ 799.134,33 (Confira abaixo a lista dos municípios beneficiados).

Para o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade Sérgio Xavier, “os Planos de Resíduos Sólidos são primordiais para que as municipalidades se adequem à legislação ambiental (Lei Federal e Estadual de Resíduos Sólidos – 14.236/10), de forma a garantir uma nova cultura de gestão de lixo para desenvolver uma economia sustentável, gerar empregos na cadeia produtiva da reciclagem e melhorar a qualidade de vida da população local”.

Entre as diretrizes e metas propostas pelos PIRS, estão a gestão e o gerenciamento dos resíduos sólidos, garantindo a destinação adequada dos resíduos através da instalação de equipamentos como aterros sanitários individuais e compartilhados, além da implantação do plano de limpeza urbana e programas de coleta seletiva e de educação ambiental para cada um dos cinco agrupamentos, considerando os diversos tipos de resíduos: De serviços de saúde; Da construção civil; Resíduos industriais; Resíduos agrossilvopastoris; Resíduos sujeitos à logística reversa, entre outros.

Para se chegar a um documento que refletisse as demandas e realidades locais, antecederam à proposta dos Planos Intermunicipais a elaboração de diagnósticos de abrangência regional, elaborados para os cinco diferentes agrupamentos do Estado de Pernambuco, considerando as características socioeconômicas e ambientais dos municípios contemplados. Durante o processo de construção dos Planos Intermunicipais de Resíduos Sólidos (PIRS) foram capacitados, no primeiro semestre de 2017, 662 gestores públicos sobre legislação ambiental relativa aos resíduos sólidos.

Os Planos, que a partir de agora irão nortear a construção e a execução das políticas públicas sobre o tema resíduos sólidos, foram elaborados de forma participativa, envolvendo diretores e secretários municipais, representantes de consórcios regionais, sociedade civil organizada, membros de associação e cooperativas de catadores.

Planos Intermunicipais de Resíduos Sólidos (PIRS) – Agrupamentos do Estado de Pernambuco – Lista dos 153 municípios beneficiados:

Agrupamento 1 (37 municípios): Aliança, Bom Jardim, Buenos Aires, Camutanga, Carpina, Casinhas, Chã de Alegria, Condado, Cumaru, Feira Nova, Ferreiros, Frei Miquelinho, Goiana, Itambé, Itaquitinga, João Alfredo, Lagoa do Carro, Lagoa do Itaenga, Limoeiro, Macaparana, Machados, Nazaré da Mata, Orobó, Passira, Paudalho, Salgadinho, Sta. Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, São Vicente Férrer, Surubim, Taquaritinga do Norte, Timbaúba, Toritama, Tracunhaém, Vertente do Lério, Vertentes e Vicência.

Agrupamento 2 (23 municípios): Água Preta, Amaraji, Barreiros, Catende, Cortês, Escada, Gameleira, Glória de Goitá, Jaqueira, Joaquim Nabuco, Maraial, Palmares, Pombos, Primavera, Quipapá, Ribeirão, Rio Formoso, São Benedito do Sul, São José da Coroa Grande, Sirinhaém, Tamandaré, Vitória de Santo Antão e Xexéu.

Agrupamento 3 (25 municípios): Alagoinha, Agrestina, Altinho, Barra de Guabiraba, Belém de Maria, Belo Jardim, Bezerros, Bonito, Brejo da Madre de Deus, Camocim de São Félix, Chã Grande, Caruaru, Cupira, Gravatá, Jataúba, Lagoa dos Gatos, Panelas, Pesqueira, Poção, Riacho das Almas, Sairé, Sanharó, São Caetano, São Joaquim do Monte e Tacaimbó.

Agrupamento 4 (24 municípios): Águas Belas, Angelim, Brejão, Bom Conselho, Cachoeirinha, Caetés, Calçado, Canhotinho, Capoeiras, Correntes, Garanhuns, Iati, Ibirajuba, Jucati, Jupi , Jurema, Lagoa do Ouro, Lajedo, Palmerina, Paranatama, Saloá, São Bento do Una, São João e Terezinha.

Agrupamento 5 (12 municípios): Arcoverde, Betânia, Buíque, Custódia, Ibimirim, Inajá, Itaíba, Manari, Pedra, Sertânia, Tupanatinga e Venturosa.

Agrupamento 7 (22 municípios): Afrânio, Belém de São Francisco, Cabrobó, Carnaubeira da Penha, Cedro, Dormentes, Floresta, Itacuruba, Jatobá, Lagoa Grande, Mirandiba, Orocó, Parnamirim, Petrolândia, Petrolina, Salgueiro, Santa Maria da Boa Vista, São José do Monte, Serrita, Tacaratu, Terra Nova e Verdejante.

Agrupamento 8 (10 municípios): Araripina, Bodocó, Exú, Granito, Ipubi, Moreilândia, Ouricuri, Santa Cruz, Santa Filomena e Trindade.

Final de ano marcado por reinaugurações de escolas e creches em Caruaru

Durante toda a semana, a prefeita Raquel Lyra e o secretário de Educação, Rubenildo Moura, estão com a agenda lotada de inaugurações e reinaugurações de escolas e creches, distribuídas pelos quatro cantos da cidade.

Nesta quarta-feira (27), às 14h, está marcada a inauguração do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) Severino Oliveira da Silva, situado no Residencial Alto do Moura. A creche favorecerá 180 crianças, de 4 meses a 5 anos de idade.

Na quinta (28), a partir das 8h30, os moradores do Residencial Luiz Bezerra Torres receberão o CMEI Guiomar Alves de Lima e a Escola Municipal Dom Bernardinho Marchió (Dom Dino). O número de alunos beneficiados na creche é 285 e a escola vai dispor de 20 salas de aula.

A maratona de entrega de equipamentos educacionais continua a todo vapor, na sexta-feira (29), quando a prefeita e o secretário Rubenildo Moura irão reinaugurar a Escola Municipal Professor Augusto Tabosa, no bairro São Francisco, a partir das 8h30. Depois da requalificação, a unidade de ensino atenderá cerca de 820 alunos.

À tarde, às 14h, é a vez da entrega da Creche Tia Clarice, no bairro Maurício de Nassau, que está de cara nova e tem capacidade para atender cerca de 140 crianças.

Raquel Lyra recebe visita do senador Armando Monteiro Neto

2Janaína Pepeu

A prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, o vice-prefeito Rodrigo Pinheiro, o secretário de Governo, Rubens Júnior e o ex-governador João Lyra Neto receberam, na manhã desta quarta-feira (27), a visita do senador Armando Monteiro Neto na sede da Prefeitura Municipal de Caruaru. O senador veio acompanhado do deputado estadual Augusto César e do suplente Douglas Cintra. Também participaram da reunião os secretários municipais de Planejamento e da Fazenda, Rubén Pecchio e Diogo Bezerra – respectivamente.

Dentre os assuntos, um balanço das ações de 2017 e orçamento e planejamento para 2018. “Com muita satisfação, viemos a Caruaru reafirmar o nosso compromisso, que vem desde o início da gestão de Raquel Lyra e, também, reafirmar a nossa confiança, trazer nossa disposição e ampliar essa parceria para viabilização de importantes projetos em curso, desenvolvidos e que serão implantados”, destacou Armando.

Raquel falou da importância de uma parceria como essa para o município. “Armando continua com um compromisso muito forte com Caruaru e está trabalhando por nós, lá em Brasília, nos ajudando a destravar contratos, convênios, projetos pelo crescimento da nossa cidade. Quero agradecer sua parceria com nossa gente. Ano que vem, o Senhor vai estar aqui conosco, acompanhando uma boa colheita, com muitas obras que vão atender o interesse da nossa gente”, pontuou a prefeita.

Oposição só vai bater o martelo em abril

fbc

Folhape

Em briga interna com o vice-governador Raul Henry pelo controle do PMDB, o que será decisivo para suas pretensões majoritárias, o senador Fernando Bezerra Coelho afirmou, ontem, que até abril a oposição terá um palanque mais claro. Em visita à Folha de Pernambuco, onde foi recebido pelo diretor-executivo do grupo EQM, Paulo Pugliesi, pelo diretor operacional, José Américo Lopes Góis e pela editora-chefe, Patrícia Raposo, Bezerra disse que o bloco realizará, pelos menos, dois atos no Estado (Petrolina e Caruaru) e que após os eventos será realizada uma reunião para definir estratégias.

“Em abril, após definição da janela partidária, vamos sentar e ver a melhor estratégia. Se será melhor uma candidatura ou duas. Estamos fazendo esforço para que seja só uma”, admitiu o parlamentar que também demonstrou mais uma vez confiança de que até o começo do ano a situação judicial estará equalizada internamente no MDB.

Bezerra, por sinal, creditou na Justiça de Pernambuco o apito final sobre o imbróglio travado com o Henry e disse esperar que o julgamento saia o mais rápido possível.

“Temos que aguardar os prazos da Justiça. Mantenho a minha expectativa positiva de que tudo vai caminhar bem na esfera judicial até meados de fevereiro”, disse o parlamentar que já contabiliza o apoio político da executiva nacional e só espera o desfecho na justiça comum de primeira instância para assumir o comando do MDB.

No judiciário estadual existe uma liminar impedindo a dissolução do atual diretório estadual que se baseia no desempenho eleitoral, o que é questionado pelo grupo de Henry e o Jarbas Vasconcelos.

Porém, com a aprovação do novo estatuto do PMDB foi colocado que a executiva tem o poder de dissolução. O comunicado já foi repassado à Justiça do Estado, que precisa se manifestar. Entre aliados de FBC, há o entendimento de que não existe motivo para o Judiciário protelar o assunto e que esticar o prazo não seria razoável.

O sertanejo também falou sobre as eleições de 2018. Questionado se o recente encontro com os prefeitos Lula Cabral (PSB/Cabo), Lupércio (SD/Olinda) e Anderson Ferreira (PR/Jaboatão) seria o começo de uma aliança, uma vez que o bloco de oposição precisa de um bom cabo eleitoral na Região Metropolitana do Recife (RMR), FBC tergiversou. Afirmou que se tratou de um gesto de retribuição ao esforço que vem fazendo em Brasília para atrair recursos para as cidades.

FBC também condenou a pecha que setores da base do governo estadual tentam colocar na oposição que seria palanque de Temer para influenciar a população. Segundo ele, à medida que a economia for dando sinais – em vem dando na sua avaliação – os eleitores irão escolher o projeto político que manterá o avanço.

Aos antigos aliados, inclusive, FBC não poupou críticas ao falar sobre os três anos de gestão. “Existe um forte sentimento de decepção e frustração com os resultados que estão sendo entregues pela atual administração ao governador Paulo Câmara”.

Segundo o emedebista, o Estado perdeu a liderança no Nordeste no que se refere a investimentos públicos nos últimos três anos, é lento para tomar decisão e não tem projetos. “Nós temos a informação que foi encaminhada ao Congresso, no início de outubro, que dormia no BNDES algo em torno de R$ 125 milhões para o Complexo de Suape. Isso no momento que dizia que o governo federal estava retaliando Pernambuco”, lembra o parlamentar demonstrando otimismo quanto as eleições em 2018.

“Eu acredito que os pernambucanos buscam em 2018 que surjam alternativa, um caminho alternativo que possa dar a Pernambuco o maior protagonismo político e econômico no sentido de a voltar a liderar os investimentos sobretudo no Nordeste”.

Fortalecimento das manifestações culturais e descentralização do São João são destaques da Fundação de Cultura e Turismo de Caruaru em 2017

Em 2017, na cultura e no turismo, os caruaruenses sentiram os efeitos do trabalho de valorização que a Fundação de Cultura e Turismo de Caruaru (FCTC) se comprometeu em fazer.

Logo no início do ano, foi reativado o Conselho Municipal de Políticas Culturais, reunindo representantes das mais variadas classes culturais a fim de discutir políticas de valorização da área para o município. Numa das primeiras ações visando melhorar a cena cultural do munícipio, blocos que desfilam pela cidade na semana pré-carnavalesca receberam o apoio do órgão. “Caruaru tem uma história carnavalesca muito forte. Precisamos retomar isso”, comentou Lúcio Omena, presidente da FCTC.

Um grande compromisso da gestão é a valorização e o fortalecimento da Feira de Caruaru, Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. E, pensando nisso, foi criado o I Festival Gastronômico Comidas de Feira, que pretendeu resgatar a importância da feira, utilizando insumos vendidos pelos feirantes, e uniu a experiência dos cozinheiros dos restaurantes locais junto ao conhecimento dos chefs. Treze restaurantes da cidade entraram no circuito do Festival, que fez parte das comemorações da Semana Santa e trouxe, ainda, aulas gratuitas de culinária e a visita do chef brasileiro atuante na Inglaterra, Geo Bassani.

Ainda dentro da Semana Santa, a Fundação recriou o conceito das comemorações da época e criou o projeto Caruaru por Paixão, que teve como objetivo oferecer uma vivência cultural única, visando fortalecer os já consolidados lugares símbolos, além de novos polos de entretenimento, como a Avenida Agamenon Magalhães e a Rua Silvino Macêdo (Rua da Má Fama). A FCTC realizou um trabalho descentralizado, com ações que incluíram circuito gastronômico, exposição de arte popular sacra, apresentações artísticas, cortejos, teatro, mercado criativo e intervenções urbanas.

Maior manifestação popular do interior do Nordeste, o São João de Caruaru é conhecido como o melhor do mundo. O trabalho de valorização da tradição aliado à modernização dos festejos resultou numa nova proposta aprovada por 95% dos visitantes. O São João descentralizado contou com 17 polos, onde mais de 400 atrações se apresentaram, 78% delas escolhidas por meio de edital, feito inédito na realização do evento. Comunidades da periferia e da zona rural foram contempladas com os polos São João nas Ruas e São João na Roça e a tribo alternativa aprovou o incremento no Polo Azulão, que, este ano, trouxe atrações nacionais como Lenine e Chico César.

Conhecida como um dos lugares mais animados de Caruaru, a Rua Silvino Macêdo – ou Rua da Má Fama – vem passando por um processo de ressignificação desde o início do ano. Em parceria com o Coletivo Má Fama, que envolve moradores, comerciantes e amantes da rua, a Fundação criou o Festival Flor&Ser MáFama, que tem como objetivo aproximar todos os públicos (crianças, jovens, idosos, famílias) e acabar com o sentido pejorativo que a rua Silvino Macêdo ganhou nos últimos anos. O projeto teve quatro edições em 2017 e o público adotou a ideia. “Essa é uma das ações que planejamos para a requalificação da rua mais boêmia da nossa cidade. Nós, da Fundação, moradores e comerciantes do local queremos mostrar a Má Fama como um espaço de lazer para todos”, explicou Leonardo Salazar, vice-presidente da FCTC.

Visando aproximar a comunidade da cultura, a Fundação levou até os distritos rurais de Caruaru ações como o projeto de cantoria Viola na Vila, o espetáculo “Auto da Compadecida” e o espetáculo “Os Saltimbancos”. Além disso, realizou o I Festival de Violeiros Ivanildo Vila Nova, na Praça Chico Porto, que contou com a participação de 12 repentistas, três declamadores e apresentação de Rogério Meneses.

Outra grande reivindicação da população, a Escola de Pífanos de Caruaru, a primeira pública, foi criada em novembro e vai ensinar crianças entre 9 e 14 anos a tocar instrumentos presentes numa banda de pífanos, símbolo da cultura da nossa região. Houve, ainda, reforma de vários equipamentos turísticos da cidade, como o Centro de Apoio ao Turista (CAT) da Feira de Artesanato, além da inauguração do CAT do Alto do Moura.

Ainda pensando no fortalecimento do turismo no município, pela primeira vez, Caruaru tem um site voltado exclusivamente para esse fim. O visitecaruaru.com.br traz os principais atrativos culturais, históricos e naturais, um tour virtual que possibilita, para o internauta, ver a cidade por vários ângulos e o calendário de eventos de 2018 já disponível.

Outro grande destaque deste ano é a criação da Lei do Patrimônio Vivo, que vai beneficiar mestres da cultura popular caruaruense, escolhidos pela população, com um incentivo à propagação da sua arte para outras gerações. A Lei foi aprovada em dezembro.

Saque acima de R$ 50 mil deve ser informado com 3 dias úteis de antecedência

1068900-edit_11.03.2017_04494

Agência Brasil

A partir de hoje (27), o cliente bancário que precisar sacar na boca do caixa valor igual ou acima de R$ 50 mil deverá informar a operação com, no mínimo, três dias úteis de antecedência. Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), também será preciso fornecer dados adicionais sobre a transação, como os motivos do saque e a identificação dos beneficiários.

De acordo com a entidade, a medida foi determinada pelo Banco Central (BC) para aumentar o controle sobre movimentações financeiras de alto valor em espécie. Até então, a comunicação prévia ao banco era exigida apenas com um dia útil de antecedência e para valor igual ou acima de R$ 100 mil. As exigências constam na Circular 3.839 do BC, publicada em 30 de junho, e que tinha prazo de 180 dias para entrada em vigor.

O formulário para a comunicação prévia pode ser preenchido por meio eletrônico nos portais dos bancos ou nas agências bancárias. As informações fornecidas pelos clientes serão automaticamente encaminhadas ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). Em 2017, segundo a Febraban, o sistema financeiro fez mais de 1 milhão de comunicações de operações em espécie.

Para a entidade, as medidas contribuem para aprimorar as políticas oficiais de combate à corrupção e à lavagem de dinheiro e, ao mesmo tempo, darão mais segurança aos clientes na realização das operações. Entretanto, a Febraban orienta os clientes que deem preferência aos canais eletrônicos para transferências e outras transações.

A mudança nas regras de saques em dinheiro faz parte das ações desenvolvidas na Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla). Segundo a Febraban, a instância foi criada em 2003 para articular a ação de entidades públicas e da sociedade civil na prevenção e combate à corrupção e à lavagem de dinheiro.

País perde 12 mil vagas de emprego em novembro e cria 299 mil no ano

Agência Brasil

O saldo de empregos formais no Brasil em novembro ficou negativo, com redução de 12.292 vagas. Em relação a outubro, houve redução de 0,03%, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado hoje (27) pelo Ministério do Trabalho. Os dados já consideram as novas formas de contratação estabelecidas na reforma trabalhista.

Segundo o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, em novembro há uma tendência de saldo negativo do emprego. Ele argumentou, entretanto, que esse resultado não indica interrupção no processo de retomada do crescimento econômico, com criação de postos de trabalho. “Nos 11 meses do ano, oito foram positivos [com geração de emprego]”, disse Nogueira.

O resultado de novembro considera 1.111.798 de admissões contra 1.124.090 de desligamentos. No acumulado do ano, o saldo é de 299.635 empregos, com expansão de 0,78% em relação a dezembro de 2016.

Nos últimos 12 meses, o saldo é negativo, com redução de 178.528 postos de trabalho, uma retração de 0,46%.

Em novembro, o comércio foi o único setor que registrou saldo positivo (tanto atacadista quanto varejista), com a criação de mais de 68 mil vagas. Segundo o Minstério do Trabalho, as festas de fim de ano, que aqueceram as vendas, foram o motivo desse resultado.

A indústria de transformação registrou saldo negativo de 29.006 empregos. A construção civil reduziu 22.826 vagas. O setor agropecuária gerou saldo negativo de 21.761 vagas. O setor de serviços também apresentou saldo negativo de 2.972 vagas.

Regiões

A região que mais criou vagas formais em novembro foi a Sul, com 15.181 postos. A Região Nordeste abriu 3.758 vagas. As demais regiões registraram saldo negativo: Sudeste (-16.421), Centro Oeste (-14.412) e Norte (-398).

Salários

Em novembro, o salário médio de admissão no país ficou em R$ 1.470,08, enquanto o de demissão foi de R$ 1.675,58. Na comparação com outubro, houve aumento de 0,39% no salário de contratação e de 0,02% no de demissão.

Projeção

A projeção do Ministério do Trabalho é que em 2018, com o crescimento da economia (o Produto Interno Bruto – PIB) em 3%, devem ser criados 1.781.930 empregos formais até o fim do ano, na comparação com o mesmo período de 2017.

O ministério também divulgou uma estimativa mais otimista considerando o crescimento do PIB de 3,5%, com a criação, no próximo ano, de 2.002.945 vagas.

/**/