Alistamento militar poderá ser feito pela internet a partir deste ano

ALIS

Agência do Rádio Mais

A partir deste ano, o alistamento militar para o Exército Brasileiro, Marinha do Brasil ou Força Aérea Brasileira, poderá ser feito pela internet, através do site oficial da Diretoria de Serviço Militar. Em 2018 é a vez dos jovens que nasceram no ano 2000 se alistarem. Ou seja, todo brasileiro do sexo masculino que completar 18 anos é obrigado a se alistar pela internet ou então deve comparecer à Junta de Serviço Militar mais próxima da sua residência. O prazo máximo é até o dia 30 de junho.

A primeira tela do site direciona para seis situações distintas: arrimo (único responsável pelo sustento da família), exterior (mora fora do Brasil e não possui CPF), convicção ideológica (convicção política, filosófica ou religiosa contrária à atividade militar), nome social, problema de saúde (necessidade especial física e aparente) e alistamento militar de fato, para quem não se encaixa em nenhuma das outras restrições.

Quem optar por fazer o alistamento pela internet deve preencher o formulário e informar o número do CPF para validação dos seus dados pessoais. Agora quem não tem o CPF deve levar os seguintes documentos na junta de Serviço Militar: certidão de nascimento ou no caso de brasileiro naturalizado ou por opção, a prova de naturalização ou certidão do termo de opção; um comprovante de residência ou declaração assinada; e convém também levar um documento oficial com fotografia que permita sua identificação, caso necessário.

Caso perca o prazo, é preciso comparecer a Junta de Serviço Militar mais próxima da sua residência, pagar a multa militar por estar fora do prazo e fazer o alistamento. Esta multa é uma pena, em dinheiro, que é corrigida de três em três meses.

Quem não se alistar dentro do prazo, além de ter que pagar esta multa vai estar em débito com o Serviço Militar e não poderá obter passaporte ou prorrogação de sua validade; não vai poder ingressar como funcionário, empregado ou associado em uma instituição, empresa ou associação oficial, oficializada ou subvencionada; não poderá assinar contrato com o Governo Federal, Estadual, dos Territórios ou Municípios; e prestar exame ou matricular-se em qualquer estabelecimento de ensino.

Além disso, o jovem ficará impedido de obter carteira profissional, registro de diploma de profissões liberais, matrícula ou inscrição para o exercício de qualquer função e licença de indústria e profissão; de inscrever-se em concurso para provimento de cargo público; exercer, a qualquer título, sem distinção de categoria ou forma de pagamento, qualquer função pública ou cargo público, eletivos ou de nomeação; e receber qualquer prêmio ou favor do Governo Federal, Estadual, dos Territórios ou Municípios.

Mantenha as mãos limpas para evitar doenças

lavar as mãos

Lavar as mãos pode parecer apenas um simples hábito de higiene. Porém, o que muitos não sabem é que esse hábito pode prevenir contra diversos tipos de doenças, principalmente as infectocontagiosas. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que é possível reduzir em até 40% o risco de infecções, diarreias, resfriados e conjuntivite, quanto mantemos esse hábito.

Segundo Dr. Aier Adriano Costa, coordenador da equipe médica do Docway, as mãos são as principais vias de transmissão de germes e micro-organismos. “Se não mantivermos as mãos limpas, atos simples como coçar os olhos, o nariz e a boca, podem colocar sua saúde em risco”, comenta.

O ideal é lavar as mãos várias vezes ao longo do dia. Além disso, é imprescindível lavar as mãos antes e depois das refeições, assuar o nariz ou usar o banheiro. Também é fundamental higienizar as mãos antes e depois de utilizar transporte público. Os ônibus e metrôs são lugares muito propícios para termos contato com bactérias.

Para quem passa muito tempo na rua e não consegue parar em todos os lugares para lavar as mãos, uma opção é o álcool-gel. “O álcool-gel, serve para desinfetar e matar qualquer tipo de bactéria, desde que sua concentração seja de 60% a 80%. Entretanto, apesar de ter uma duração prolongada, ele não substitui a lavagem com água e sabão”, explica.

Para completar, o médico alerta as pessoas que usam lentes de contato. “Antes de colocar e tirar as lentes, as mãos devem estar bem limpas. Contaminar as lentes pode fazer com que a pessoa tenha conjuntivite e tenha que se desfazer das lentes mais cedo do que o comum”, detalha o especialista.

Marília Mendonça, Aviões e Léo Santana invadem o Litoral Sul

marilia_mendonça_dvg

Acontece neste sábado (6/1), o primeiro fim de semana do Tamandaré Fest, no Litoral Sul pernambucano, a 104km do Recife. Em uma arena completamente reformulada em 2018, apresentam-se Marília Mendonça, Léo Santana e Xand Aviões. O público agora tem a opção de escolher entre três áreas: arena, área vip, lounge open bar e os gazebos (agora no lugar dos camarotes família). Todo desenho estrutural é para deixar a experiência nos moldes do Parador, no Recife Antigo, referência no Estado. Começa às 18h. Ingressos à partir de R$ 50 à venda nas lojas Nagem, supermercado Napa e online pela Bilheteria Digital.

A sertaneja Marília Mendonça volta a abrir o festival depois do feito na edição 2017: foi recordista de público. Será acompanhada em coro nos clássicos como De quem é a culpa?, Eu Sei de Cor, Amante Não Tem Lar e O que falta em você sou eu.

Junta-se a ela o baiano Léo Santana que vem embalado em sua carreira, inclusive pronto para emplacar o hit do carnaval, a música Várias novinhas.

Se no ano passado o clima foi de despedida de Solange no Aviões do Forró, Xand chega celebrando a bem-sucedida alavancada que teve sua carreira agora na nova fase do Aviões com uma sonoridade mais pop. Um grande 2018 à espera desses três grandes artistas no Tamandaré.

Com quase duas décadas de consolidação, o Tamandaré é o maior festival de praia do Brasil com três finais de semana de duração e presença dos artista mais em alta da temporada. Dia 13 de janeiro a festa será comandada por Luan Santana, Bell Marques e Jonas Esticado. Já no dia 20 de janeiro terá Thiaguinho, Matheus & Kauan e Ávine Vinny.

INGRESSOS:
Arena R$ 120 (casadinha três dias) ou R$50/dia
Área VIP R$ 240 (casadinha três dias) ou R$100/dia
Lounge Open Bar R$ 480 (casadinha três dias) ou R$ 200/dia

SERVIÇO
Tamandaré Fest 2018 – Noite de abertura
com Marília Mendonça, Léo Santana e Xand Aviões
Local: Praia de Tamandaré, Litoral Sul – Pernambuco
Quando: Sábado, 6 de janeiro de 2018
Hora: 18h
Quanto: Pista R$ 50 / Área Vip 100 / Lounge Open Bar R$ 200 à venda nas lojas Nagem, Supermercado Napa e Bilheteria Digital. Casadinha para os três fins de semana fica Pista R$ 120 / Área Vip R$240 / Lounge Open Bar R$ 480
Informações: 3441-9660

Lava Jato patrocinou “o maior assalto da história”, diz líder do PT

pimenta2-1024x670

Congresso em Foco

O novo líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), acusou a Operação Lava Jato de patrocinar “o maior assalto da história da humanidade”. Em sua conta no Twitter, Pimenta atacou a decisão do presidente da Petrobras, Pedro Parente, de pagar US$ 2,95 bilhões a investidores norte-americanos para encerrar uma disputa judicial envolvendo a empresa nos Estados Unidos.

Segundo ele, os procuradores Carlos Fernando Lima e Deltan Dallagnol e o juiz Sérgio Moro são responsáveis pelas perdas da Petrobras com o pré-sal e as indenizações bilionárias porque, nas palavras dele, trataram a companhia como “culpada”, e não como “vítima” das empreiteiras. O petista não fez referência à participação de dirigentes da empresa, durante o governo Dilma Rousseff, do PT, no esquema de corrupção. Entre os ex-executivos presos estão indicados pelo próprio PT, pelo PMDB e pelo PP.

“É escandalosa a notícia de que Pedro Parente, [indevido] atual Presidente da Petrobras, decidiu indenizar em R$ 10 bilhões investidores americanos. Até onde eu sei um agente público não tem essa autonomia para não recorrer e pagar antecipadamente uma condenação. É como se o Parente assumisse que a Petrobras é culpada e não vítima das empreiteiras. Sendo culpada dá 10 bilhões aos americanos. Incrível como conseguiram fazer o maior assalto da história da humanidade. Todo suposto dinheiro recuperado pela Lava Jato foi entregue para os americanos”, criticou o novo líder petista, que assumiu oficialmente o posto nessa terça-feira (2) no lugar de Carlos Zarattini (SP).

Em tom de ironia, Pimenta chamou Dallagnol, Moro e Carlos Fernando de “salvadores da pátria” e disse que o país não ganhou nada com a Lava Jato. A operação, de acordo com o deputado, foi “uma invasão imperial”, que tinha como objetivo vender o pré-sal e a Petrobras para os “gringos mais ricos”.

“O Brasil não ganhou nada. Isso fecha a Conexão. O assalto foi comandado de lá dos EUA. Moro, Dallagnol e Carlos Fernando conseguiram o impossível. Petrobras foi saqueada pelas empreiteiras. Os empresários estão soltos vivendo em mansões nababescas”, escreveu.

“O pré-sal foi entregue. E os ‘salvadores da pátria’ vão dar aulas nos Estados Unidos e fazer palestra de ‘combate à corrupção’. Petrobras sendo fatiada e vendida, e os gringos mais ricos. Foi uma invasão imperial muito bem executada, sem armas, pela Toga, tendo a Globo como instrumento principal de dominação. E, ao fim, vão morar no EUA porque as coisas não estão boas no Brasil”, acrescentou.

Fluxo cambial fecha 2017 com saldo positivo de US$ 625 milhões

Agência Brasil

Em 2017, as atividades econômicas diversas trouxeram mais dólares para o Brasil do que levaram para fora do país. Ao todo, o saldo positivo foi de US$ 625 milhões. O resultado do fluxo cambial foi divulgado pelo Banco Central hoje (3).

No total, a entrada de dólares em transações chegou a US$ 678,336 bilhões, enquanto a saída somou US$ 677,711 bilhões. O fluxo é medido considerando transações comerciais (como exportações e importações) e financeiras (a exemplo da compra e venda da moeda estadunidense).

Na balança comercial, as exportações totalizaram US$ 195,612 bilhões, enquanto a saída foi de US$ 142,688 bilhões, resultando em um superavit de US$ 52,924 bilhões. Nas transações envolvendo papel-moeda, o desempenho foi o inverso, com compras de US$ 482,724 bilhões e vendas de US$ 535,023 bilhões, produzindo um deficit de US$ 52,299 bilhões.

“O superavit recorde em 2017 se deve ao aumento das exportações e das importações durante o ano. O saldo aferido em 2016 foi resultado de uma queda nas importações de 20% e também das exportações de 3,5%, em relação a 2015. Agora temos uma retomada real da economia e sobretudo no comércio exterior brasileiro”, disse o agora ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Marcos Pereira, em entrevista em Brasília na terça-feira (2). Pereira comunicou hoje (3) sua saída do posto ao presidente Michel Temer.

Série histórica

A série histórica de 2014 a 2017 mostra um movimento irregular do fluxo cambial brasileiro. Em 2016, o resultado havia sido negativo. A retirada de dólares chegou a US$ 626,228 bilhões, enquanto a entrada ficou em US$ 621,976 bilhões, um deficit de US$ 4,252 bilhões. Em 2015, foi registrado superavit de US$ 9,414 bilhões. Já em 2014, novo resultado negativo, dessa vez de US$ 9,287 bilhões.

Pezão veta limite de 180 dias para prisão provisória no Rio

Cristina Indio do Brasil – Repórter da Agência Brasil

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, vetou, integralmente, projeto do deputado estadual Paulo Ramos (afastado do PSOL) que dispõe sobre a permanência de preso provisório nas unidades do sistema penitenciário estadual. O texto, aprovado na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), em dezembro, limitava a 180 dias a prisão provisória nas penitenciárias fluminenses.

No ofício encaminhado à presidência da Alerj com a explicação do veto, publicado hoje (3) no Diário Oficial do estado, o governador destacou que o projeto, que disciplina conteúdo relativo a processo penal, invade a “competência privativa da União para tratar de tais matérias, em evidente desrespeito ao sistema federativo”.

Pezão apontou ainda que o texto impõe atribuições aos Executivo e Judiciário, “esbarrando, mais uma vez, nas competências privativas destes Poderes para cuidar das respectivas estruturas e organização”. Ele acrescentou que, dessa forma, o projeto vai diretamente de encontro ao princípio da separação e de independência dos poderes de Estado, previsto na Carta estadual.

O governador chamou atenção ainda para o momento político do estado em que várias autoridades fluminenses estão presas e destacou que a sanção traria insegurança jurídica às investigações. “Considerando as diversas apurações criminais em curso envolvendo autoridades ou ex-autoridades estaduais, a sanção de tal projeto poderia agregar uma desnecessária insegurança jurídica à atuação investigativa e jurisdicional estatal”, justificou.

Pelo projeto, quando o prazo da prisão provisória acabar, o preso deverá ser apresentado à Vara de Execuções Penais do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), cabendo ao juiz responsável pela vara tomar as providências que achar cabíveis, inclusive, deixar o detento nas carceragens existentes nas instalações do TJRJ.

A proposta aprovada pela Alerj determina ainda que o preso provisório não seja encaminhado novamente ao sistema penitenciário pelos mesmos motivos apresentados na detenção anterior. No dia 7 de dezembro, após a aprovação do projeto, o deputado Paulo Ramos disse que “se uma das causas dos presídios estarem lotados é a morosidade da justiça, é natural que o Poder Judiciário arque com as consequências”.

Na ocasião, houve também intensa discussão sobre o assunto no plenário da Alerj. A presidente da Comissão de Segurança Pública, deputada Martha Rocha (PDT) destacou que a medida deveria ser discutida no Congresso Nacional.

O deputado Paulo Ramos informou que a intenção dele não era soltar criminosos, mas transferir a responsabilidade dos presos provisórios do Poder Executivo para o Judiciário e permitir que a justiça fosse mais ágil. O parlamentar informou que atualmente 42% dos presos no estado do Rio são provisórios.

Deputada Cristiane Brasil será a nova ministra do Trabalho

1030909-13072016-wdo_7275

Agência Brasil

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, informou que a sua filha e deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ) vai assumir o ministério do Trabalho. Ele se reuniu hoje (3) com o presidente Michel Temer no Palácio do Jaburu e disse que o nome de Cristiane Brasil “surgiu” durante a conversa e não foi uma indicação dele próprio.

“Eu vim discutir outros nomes, estávamos pensando em três [outros deputados]. Aí roda pra cá, roda pra lá. Então se falou: ‘Roberto, e a Cristiane? Por que não?’ Aí foi da cabeça do presidente: ‘Ela é uma menina experimentada, foi secretária municipal em vários governos na cidade do Rio de Janeiro’. Eu falei: ‘presidente, aí o senhor me surpreende, vou ter que consultar”, afirmou Roberto Jefferson.

Segundo ele, após a consulta e a aceitação, Cristiane Brasil concordou em não disputar as eleições deste ano. “Ela ficará ministra até o final [do governo de Temer]“, afirmou. Roberto Jefferson disse ainda que o líder do partido na Câmara, deputado Jovair Arantes (PTB-GO), também concordou com a nomeação e disse que ela tem a “confiança” da bancada.

Durante entrevista a jornalistas em que anunciou o nome da filha para o cargo, Roberto Jefferson, que foi protagonista e o primeiro delator do mensalão há pouco mais de dez anos, se disse emocionado. “É um resgate da imagem, da família. Depois do que aconteceu, mas já passou. Fico satisfeito”, afirmou, com a voz embargada.

Ronaldo Nogueira deixou o ministério no último dia 27 para se candidatar a um cargo eletivo no pleito deste ano. Para concorrer a cargos eletivos a nível nacional, ministros de Estado precisam se afastar do cargo com seis meses de antecedência. Após o convite ao deputado Pedro Fernandes (PTB-MA) não ter sido confirmado devido a resistências do PMDB do Maranhão, Roberto Jefferson disse que o “imbróglio acabou”. “Não há conflito no PTB, há uma relação muito boa entre mim, os líderes no Senado e na Câmara. A bancada é unida”, disse.

Rodrigo Maia: ‘Geraldo Alckmin é um bom nome’

251975,930,80,0,0,930,522,0,0,0,0

Folhape

Presente no velório do ex-ministro Armando Monteiro Filho, realizado na Capela Central do Cemitério Morada da Paz, em Paulista, o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM), afirmou que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), é “um grande nome” para a eleição presidencial deste ano. O elogio acontece logo após o tucano sinalizar que está disposto a ceder a vaga de vice em sua chapa e oferecer o apoio do seu partido a outras siglas nos Estados, em troca da adesão ao seu projeto.

“Nós sempre dialogamos bem com o PSDB. O governador Geraldo Alckmin é um grande nome. Já nos representou em 2006 e quase vencemos a eleição. O importante é o diálogo e a construção de um nome”, colocou Maia, que se encontrou com o tucano nas últimas semanas de 2017 para discutir sobre a possível aliança.

O ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM), é um dos nomes cotados para assumir a vaga de vice na chapa encabeçada por Alckmin. O pernambucano, por sua vez, admite a possibilidade de apoiar o PSDB, mas diz que continua em busca de alternativas no campo da centro-direita. “O foco do DEM hoje é buscar uma candidatura liberal-democrata e reformista própria, e fortalecê-la. Mas é evidente que o diálogo com o PSDB e com Alckmin não está descartado”, destaca Mendonça Filho.

Eletrobras
Durante sua passagem pelo Recife, Rodrigo Maia também defendeu o processo de privatização da Eletrobras. Na sua visão, a apresentação de um projeto de lei é a forma mais adequada para tratar do tema, pois permite o debate no Congresso. “A medida provisória é um instrumento autoritário. O governo decide sozinho antes, durante quatro meses, a vontade da sociedade. Então não é justo vender um ativo assim, apesar de eu ser completamente a favor da venda. Acho que a gestão privada é melhor do que a gestão pública. Mas isso não me faz desrespeitar o sistema democrático brasileiro”, pontuou.

Segundo ele, o projeto deve ser aprovado rapidamente pela Câmara dos Deputados. “Mande um projeto de lei que a gente vai discutir rapidamente, mais rápido do que a medida provisória e vamos aprovar. E vai ter o meu apoio porque ela privatizada vai ser mais eficiente para o Brasil do que ela pública, da mesma forma que foi a Vale do Rio Doce e tantas outras ex-estatais. Agora por medida provisória não é correto que a sociedade não seja ouvida antes entre seus representantes que estão nas Câmara dos Deputados”, disse.

Homenagem
Na ocasião, Maia aproveitou para homenagear a trajetória do ex-ministro Armando Monteiro Filho, falecido nesta terça-feira (03). “Ele era amigo dos meus pais na década de oitenta, desde a redemocratização. Vim aqui em nome da família prestar a homenagem a um grande brasileiro, um grande pernambucano. Era uma referência e tinha um posicionamento claro, a vida inteira. Tive a oportunidade, quando criança, de conviver bastante com ele”, declarou.

Secretário-executivo vai comandar Ministério da Indústria até definição de Temer

Agência Brasil

Após o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, entregar carta de demissão ao presidente Michel Temer, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços divulgou nota informando que o secretário-executivo, Marcos Jorge de Lima, irá comandar a pasta interinamente até que haja uma definição por parte do Palácio do Planalto.

Nesta quarta-feira (3), o ex-ministro pediu a exoneração do cargo alegando questões pessoais e partidárias. Essa é a segunda baixa no ministério do presidente Temer em menos de 10 dias. Na semana passada, Ronaldo Nogueira deixou o comando do Ministério do Trabalho para se candidatar às eleições deste ano.

Até o momento, o Palácio do Planalto não se manifestou sobre a demissão de Marcos Pereira. Após receber Ronaldo Nogueira pela manhã no Palácio do Planalto, o presidente se deslocou para o Palácio do Jaburu, residência oficial, onde recebe neste momento o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson. Apesar do convite feito ao deputado petebista Pedro Fernandes para assumir o ministério do Trabalho na semana passada, o partido pode indicar outro nome para assumir o posto.

Vender mais: o que você tem planejado para 2018?

Por André Romero

O ano que se aproxima promete ser de fortes emoções. Ao que parece, a crise econômica começa a dar uma trégua, mas num cenário marcado por eleições presidenciais, todo cuidado é pouco. Nesse sentido, nada melhor que um bom planejamento, traçando diversas hipóteses para 2018.

O grande problema é que o brasileiro não costuma se preocupar muito com planejamento. Com a redução do número de profissionais nas empresas, essa questão ficou ainda mais deixada de lado. Os funcionários costumam ficar focados no operacional e, a chefia, que deveria estar com a atenção em planejar, acaba mais apagando incêndios.

Contudo, planejar deve ser uma tarefa de todos, em especial do alto escalão. Trata-se da inteligência do negócio, algo vital para o sucesso da companhia. Em vez de “perda de tempo”, ele proporciona exatamente o contrário. Com tudo bem planejado, ganha-se velocidade e sobra mais tempo para cuidar do que realmente é importante.

Outro erro comum nas empresas é não fazer um bom benchmarking. Aprende-se com os erros, mas também com os acertos da concorrência. O gestor deve se voltar para o que está fora da empresa, aprendo, trazendo inovação e solução para questões atuais.

Quando se olha para a concorrência é interessante ainda analisar o comportamento de marketing. Assim, é possível ver o que há de melhor e o que nós podemos melhorar, valorizar. É importante analisar os principais concorrentes, com um estudo profundo sobre eles. Essas informações são muito ricas e podem ajudar na diretriz para a empresa.

Engana-se quem pensa que deve-se olhar apenas para os concorrentes. Vale avaliar os fornecedores também. Muitas vezes eles fornecem para outras empresas do mesmo nicho e detém informações relevantes sobre o mercado, que podem ser fundamentais na hora de planejar e agir. É preciso avaliar quais fornecedores tem visão de parceria.

Um outro aspecto fundamental é entender o público-alvo, o comprador. Se o meu produto foi desenhado para um público em especial, preciso entender quem é essa pessoa, entender suas necessidades, desejos. Sem conhecer bem meu potencial cliente fica impossível criar formas de me comunicar com ele. E vale lembrar que customização é uma forte tendência para 2018. As pessoas querem se sentir únicas e valorizadas.

Além de olhar para fora, é preciso olhar para dentro. É necessário ter as pessoas corretas nas funções adequadas. E, muitas vezes, o profissional ideal não vem pronto do mercado. E precisa ser formado, treinado, desenvolvido. Os colaboradores precisam estar realmente alinhados com o propósito ideológico da empresa, que deve manter uma trilha de aprendizagem para que essas pessoas se desenvolvam.

Depois de fazer todas essas análises de macro e microambiente, é hora de fazer um bom plano de marketing. Ele deve identificar forças e fraquezas da empresa, além das oportunidades e ameaças apresentadas pelo mercado. A ideia é valorizar o que se tem de bom e corrigir o que precisa ser melhorado.

Nesse plano é preciso levar em consideração todas as variáveis de mercado, como a estabilidade da moeda, a política do país, a economia mundial, e também o comportamento de compra do meu consumidor, que deve ser estudado, adequado e compreendido.

Com base nas informações que tenho sobre o meu potencial cliente, posso entender o que ele identifica como valor, se é a qualidade, o preço, a distribuição de um produto ou serviço. A comunicação é quem traz essa percepção de valor. É preciso estar perto do consumidor, conversar com ele, inclusive captar feedback e entender o que o satisfaz e o que precisa ser melhorado.

Cabe desenvolver uma matriz de público-alvo, definindo dois públicos. Com base nisso, entendemos o que cada um quer e prioriza. Assim se cria um mapa da gestão de comunicação da empresa. Afinal, cada produto ou serviço se vende uma maneira.

Tendo bastante conhecimento sobre o seu nicho de atuação, de forma macro e micro, interna e externa, certamente as previsões para 2018 na sua empresa tendem a ser mais otimistas. E o melhor de tudo será chegar ao fim do ano e ver que os resultados compensaram o esforço. Está esperando o que para começar a planejar?