Mercado reduz para R$ 136,1 bilhões previsão de déficit nas contas públicas

Kelly Oliveira – Repórter da Agência Brasil

Instituições financeiras consultadas pelo Ministério da Fazenda esperam por um déficit menor nas contas públicas neste ano. A estimativa de déficit primário do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central), neste ano, passou de R$ 139,132 bilhões para R$ 136,103 bilhões. A estimativa está abaixo da meta para este ano, que é R$ 159 bilhões.

O resultado primário é formado por despesas menos receitas, sem considerar gastos com juros.

A projeção consta na pesquisa Prisma Fiscal elaborada pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda, com base em informações de instituições financeiras do mercado. Os dados foram divulgados hoje (12).

Para o ano que vem, a estimativa de déficit primário passou de R$ 111,892 bilhões para R$ 107,304 bilhões.

Na última terça-feira (10), o novo ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Esteves Colnago, disse que a melhora na arrecadação decorrente da recuperação da economia poderá fazer a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019 vir com meta menor de déficit primário.

A LDO de 2018 estimava meta de déficit primário – resultado negativo nas contas do governo antes do pagamento dos juros da dívida pública – de R$ 139 bilhões para o próximo ano. No entanto, o bom desempenho da arrecadação federal, que cresceu mais de 10% acima da inflação oficial nos dois primeiros meses do ano, pode criar condições para que a equipe econômica imponha uma meta fiscal mais apertada para 2019.

Hoje à tarde, Colnago e o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, darão entrevista coletiva à imprensa para divulgar o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias 2019 (PLDO), que será enviado ao Congresso Nacional.

Dívida

A pesquisa apresenta também a projeção para a dívida bruta do governo geral, que, na avaliação das instituições financeiras, será de 74,9% do Produto Interno Bruto (PIB, soma de todos os bens e serviços produzidos no país). A estimativa anterior era 75% do PIB. Para 2019, a estimativa foi ajustada 76,95% para 76,90% do PIB.

Edição: Nádia Franco

Convocados pelo INSS têm até amanhã para agendar perícia de revisão do benefício

Agência Brasil

Beneficiários de auxílio-doença e aposentadoria por invalidez que foram convocados em 23 de março pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) têm até amanhã (13) para agendar a perícia de revisão do benefício. A marcação deve ser feita por meio do telefone 135.

Caso a perícia não seja marcada, o pagamento ficará suspenso até o convocado regularizar sua situação. A partir da suspensão, o beneficiário tem até 60 dias para marcar o exame. Se não procurar o INSS neste prazo, o pagamento será cancelado.

Foram chamados 94 mil pessoas que não foram encontradas por alguma inconsistência no endereço e quem recebeu a carta, mas não agendou a perícia no prazo determinado. No início de março, mais de 522 mil cartas de convocação foram enviadas para os beneficiários de auxílio-doença que estão há mais de dois anos sem passar por uma perícia médica e para os aposentados por invalidez com menos de 60 anos.

Aqueles que não responderam às cartas foram convocados por edital publicado no Diário Oficial da União (Seção 3, páginas de 121 a 367). O objetivo é fazer uma avaliação para verificar se estas pessoas ainda fazem jus ao benefício. No último edital publicado em agosto de 2017, foram convocadas 55.152 pessoas. Desse total, 22 mil agendaram perícia.

A meta do governo federal é fazer um pente-fino em 1,2 milhão de benefícios por incapacidade ao longo 2018, sendo 273.803 de auxílio-doença e 995.107 de aposentadorias por invalidez.

Número de veículos novos financiados cresce 9,6% em março, diz B3

Agência Estado

O financiamento de veículos novos no Brasil cresceu 9,6% em março ante igual mês do ano passado, com a realização de 178,7 mil vendas a crédito, mostra levantamento da B3, que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motocicletas.

Na comparação com fevereiro, mês mais curto, o volume representa avanço maior, de 32,7%. O primeiro trimestre, com isso, terminou com 469 mil unidades financiadas, alta de 14,5% em relação a igual período do ano passado.

Entre os usados, os financiamentos somaram 292,1 mil unidades em março, queda de 0,4% em relação a igual mês do ano passado, mas avanço de 17,8% na comparação com fevereiro. No trimestre, são 843 mil unidades financiadas, expansão de 5,5% sobre o volume de igual intervalo de 2017.

Das modalidades de financiamento, o Crédito Direito ao Consumidor (CDC) foi o único que apresentou crescimento em março ante março do ano passado, a um ritmo de 6,5%. Com isso, passou a representar 84,2% do total de unidades financiadas. Consórcio e leasing, que tiveram quedas de 9,4% e 42,8%, respectivamente, agora correspondem a 14% e 0,6% do total.

Humberto defende compensação a municípios por construção de hidrelétricas

1523532759602_1522239718062_image1

Sufocados pela falta de recursos decorrente da crise política e econômica que vive o Brasil sob o comando de Michel Temer (MDB), os municípios passarão a receber mais verbas a título de compensação financeira pela utilização de recursos hídricos. A proposta, que contou com o voto do líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), na quarta-feira (11), segue para sanção presidencial.

O projeto, aprovado com 43 votos favoráveis e um contrário, altera os percentuais de distribuição da verba entre os entes da Federação. Atualmente, 10% do total do montante são destinados à União, 45% vão para os cerca de 700 municípios diretamente impactados pelas áreas alagadas para construção de barragens de hidrelétricas, e 45% são injetados em 21 Estados e no Distrito Federal.

Humberto defendeu o aumento da destinação de recursos da compensação às cidades, para 65%, conforme prevê o texto, pois ele entende que são os municípios que sofrem mais de perto os impactos sociais e econômicos da construção das hidrelétricas e seus reservatórios.

“São eles que perdem a possibilidade de usar as terras alagadas e perdem em termos de produção e emprego. Além disso, têm menos alternativas econômicas para contornar os prejuízos e fazer frente às enormes pressões sociais”, ressaltou.

Em Pernambuco, as cidades de Belém de São Francisco, Floresta, Itacuruba, Jatobá, Petrolândia e Tacaratu terão um incremento de 44% nas suas receitas pela compensação.

Entre 2016 e 2017, as seis chegaram a perder mais de R$ 1 bilhão, de acordo com a Associação Nacional dos Municípios Sedes de Usinas Hidrelétricas e Alagados (AMUSUH).

O senador entende que os Estados não são tão prejudicados, pois dispõem de muitas outras formas de geração de renda e arrecadação.

Ele lembrou que a proposta reproduz os critérios adotados em relação à distribuição de compensação do setor mineral, em que 65% dos recursos são liberados aos municípios, 23% aos estados e 12% para a União.

“Se, na mineração, os municípios recebem 65% do total da compensação, não há por que não aplicar o mesmo percentual à exploração de recursos hídricos”, afirmou.

Baixa autoestima atinge 56% dos brasileiros que perderam emprego

Um levantamento realizado em todas as capitais pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que além de trazer complicações à vida financeira, o desemprego afeta também o estado físico e emocional das pessoas. De acordo com o estudo, 56% dos brasileiros desempregados desenvolveram o sentimento de baixa autoestima após perderem o emprego e 45% passaram a sentir-se envergonhados perante a família ou amigos próximos.

De modo geral, o estudo descobriu que a perda do emprego desencadeou uma série de sentimentos negativos nos entrevistados, como ansiedade (70%), insegurança em não conseguir um emprego (67%), estresse (64%), sensação de angustia (63%), desânimo (60%) e medo (59%).

Um dado positivo em meio a tantas sensações negativas ocasionadas pela perda do emprego é que aumentou em um ano de 54% para 68% o percentual de desempregados que estão esperançosos em se recolocar no mercado, assim como o percentual de otimistas, que cresceu de 30% na pesquisa do ano passado para 41% neste ano.

Para José Vignoli, educador financeiro do portal ‘Meu Bolso Feliz’, a serenidade e o equilíbrio emocional são fundamentais para o trabalhador superar esse momento. “Vivenciar a perda do emprego não é nada fácil, justamente por tratar-se de algo que costuma afetar tanto o aspecto psicológico, quanto o lado prático da vida, já que todos temos contas a pagar. Nos dias de hoje, o trabalho assume uma função importante de pertencimento e de identidade para as pessoas. Por isso que em muitos casos, quando elas perdem o emprego se sentem pouco produtivas e desorientadas frente ao novo contexto e precisam se adaptar”, explica o educador.

A pesquisa ainda mostra que 72% dos entrevistados sentem-se privados de consumir produtos que antes estavam acostumados, como roupas, determinados alimentos e atividades de lazer.

Alphaville Urbanismo estimula funcionários a se tornarem empreendedores

A Alphaville Urbanismo, responsável pelo Terras Alpha, em Caruaru, lança o seu programa de intraempreendedorismo Alpha Labs, em que talentosos empreendedores em seu quadro de funcionários são estimulados a criar, inovar e buscar novas oportunidades, com a vantagem de já estarem familiarizados com os processos e respaldados pela empresa.

Juntamente com a consultoria da Innoscience, empresa especializada em aportar conhecimento, método e experiências para apoiar as companhias a estimular a inovação, o Alpha Labs tem sete etapas: palestra para todos os colaboradores da empresa com o detalhamento do programa e auxilio na estruturação do projeto; abertura das inscrições; workshop para estruturação das ideias; submissão das inscrições dos Projetos de Inovação; filtro dos projetos pelo Comitê Gestor e de Inovação; Pitch para a Diretoria escolher os top 5; e início da Incubadora de projetos.

Em todos os encontros, os times percorrerão o método Fast Innovation, partindo da oportunidade até o desenho dos projetos. Cada encontro presencial será composto de uma combinação de conteúdo, trabalho “mão na massa” e mentoria dos consultores. O Alpha Labs também tem foco em buscar eficiência de custos, gerar valor para o cliente da Alphaville Urbanismo e ampliar a tecnologia dos produtos oferecidos pela empresa.

São João da Serra Negra 2018: coletiva divulga datas e normas

coletiva-são-joão01

O secretário de Turismo e Cultura do município, Vando Dias, anunciou, durante a manhã desta quinta-feira (12), novidades na organização do São João da Serra Negra em 2018. A coletiva de imprensa aconteceu no Gabinete da Prefeitura de Bezerros, e reuniu representantes de veículos de comunicação da cidade. O secretário de Governo, Josevânio Miranda, também participou da iniciativa.

O calendário festivo deste ano já foi fechado: 16, 17, 23, 24 e 30 de junho e 1º de julho. Entre as normatizações, estão a proibição de coolers, bancos, cadeiras e mesas dentro do pavilhão no entorno do anfiteatro. Também está proibida a subida de ônibus e micro-ônibus durante os dias de festa. “O São João da Serra Negra ganhou uma visibilidade muito grande, atraindo uma multidão que a cada ano só aumenta. Por se tratar de uma área rural, infelizmente não dispomos de muito espaço, então são mudanças extremamente necessárias para que o distrito possa comportar o enorme público e para que não tenhamos problemas, inclusive no trânsito”, afirmou o secretário Vando Dias.

Vale lembrar que as vans, bestas e similares, assim como os veículos pequenos, terão acesso ao Polo Cultural de Serra Negra normalmente. Prezando pela segurança, também não serão permitidas garrafas de vidro. O Palco Principal e o Palco do Anfiteatro irão permanecer, com a apresentação de bandas tradicionais, trios pé de serra, quadrilhas, bacamarteiros, entre outros. A programação oficial completa do evento será divulgada em breve.

/**/

Novo app de transporte para mulheres começa a funcionar em Recife

Com proposta de oferecer segurança no transporte individual para mulheres, foi lançado o app FemiDriver, que conecta motoristas mulheres às suas passageiras numa versão exclusivamente feminina do tradicional aplicativo de transporte. O serviço já está em funcionamento para moradoras de Recife, região metropolitana, Caruaru e Petrolina.

Claucione Lemos, CEO da empresa, decidiu criar o serviço após tomar conhecimento de reclamações de assédios em corridas de transporte por aplicativo vindas de motoristas do gênero masculino. “Entendi que a maioria das mulheres se sente mais segura quando são atendidas por outras mulheres e a partir daí, veio a ideia de criar o aplicativo”, afirma. Toda a diretoria da empresa é formada apenas por mulheres e inclui, além de Claucione, a administradora financeira Antonieta Araújo e a advogada Bruna Melo, responsável pelo departamento jurídico.

A tarifa da FemiDriver será de R$ 2,50, mais R$ 1,15 por quilômetro rodado e R$ 0,17 por minuto de deslocamento. Para o interior, o valor é de R$ 2,00, mais R$ 1 por quilômetro rodado e R$ 0,15 por minuto de deslocamento. O valor mínimo da corrida é de R$ 6 para todas as cidades e o pagamento poderá ser feito em dinheiro ou cartão de crédito. A viagem também poderá ser compartilhada com outras pessoas, garantindo trajeto monitorado e, caso a passageira deseje sair acompanhada de homem, poderá colocar como opção de companhia em ícone disponível no aplicativo.

PT fará vaquinha para custear despesas pessoais de Lula

lula

Folhape

Deputados e senadores do PT vão contribuir mensalmente com uma vaquinha para pagar as contas pessoais do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ele está sem recursos para bancar as despesas depois que suas contas pessoais e as do Instituto Lula foram bloqueadas pela Justiça.

O presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, afirmou na quarta-feira (11) à reportagem que o ex-presidente “não tem mais como pagar água, luz, telefone de seu apartamento nem convênio médico, advogados, nada”. Okamoto, que também teve as contas bloqueadas, diz que “querem que a gente morra de fome, de sede, sem defesa, de frio”.

A senadora Gleisi Hoffmann, que preside o PT, diz que os parlamentares decidiram arrecadar os recursos e destiná-los aos pagamentos das despesas de Lula. “É difícil porque deputado e senador do PT são duros. Já contribuímos com R$ 4 mil para o partido. Mas vamos ajudar, cada um dando R$ 500 ou R$ 1.000 já é uma boa colaboração”, diz ela.

PDT não abre mão de estar na chapa em PE

pdt

Folhape

Uma eventual candidatura do ex-ministro Joaquim Barbosa ao Planalto torna, para algumas siglas aliadas do governador Paulo Câmara, a presença na chapa majoritária no Estado ainda mais necessária. É o caso do PDT. Os pedetistas alimentavam a hipótese, ainda que remota, de o PSB apoiar a candidatura presidencial de Ciro Gomes. Com a candidatura iminente do ex-ministro do STF à Presidência da República, os planos iniciais, nas hostes pedetistas, se diluem e a intenção de ter uma vaga na majoritária do governador Paulo Câmara aumenta, uma vez que o partido quer espaço para defender sua candidatura presidencial. Com seu projeto principal, que seria o apoio do PSB a Ciro, praticamente inviabilizado, o PDT defende como “acessório” o pleito de ter uma vaga para o Senado, ao menos, da qual não pretende abrir mão. A composição estaria hipotecada e pedetistas aguardam que “cumpra-se o combinado” sob a lógica da necessidade de se defender a postulação de Ciro, considerando, de quebra, as chances de um nome do PCdoB ter espaço para defender Manuela D’Ávila e do próprio governador já encabeçar o palanque do PSB. Seria um desenho de mais de um presidente sendo apoiado pela mesma chapa. Nas hostes pedetistas, já se aponta como uma subtração nos planos iniciais o fato de o PSB ter uma candidatura presidencial e os pedetistas não contam, hoje, com a possibilidade de perder espaço numa chapa majoritária também em Pernambuco.

Menu das esquerdas
Um almoço, ontem, na casa do presidente estadual do PDT, Wolney Queiroz, em Brasília, reuniu lideranças da oposição em torno de uma estratégia nacional para o campo das esquerdas. Entre os presentes, estavam os líderes, na Câmara Federal, do PCdoB e do PDT, Orlando Silva e André Figueiredo, respectivamente, além de representantes do PT e do PSB.

Consenso > A situação de Pernambuco foi à pauta. O entendimento era de que a questão do PT no Estado passaria pela candidatura de Paulo Câmara considerando uma estratégia maior das oposições. O grupo já vem sentando e conversando há algum tempo acerca de uma construção coletiva.

Digital > Ontem, à CBN, o deputado federal Silvio Costa se disse “indignado” com atitude de Paulo Câmara de ir visitar Lula em Curitiba. Tachou de “oportunismo” e grifou que o PSB votou a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

Recursos > Indagado sobre a utilização de recursos do PSB para viagem de Paulo Câmara a Curitiba, o deputado Bruno Araújo, que preside o PSDB-PE, observa: “Fundo partidário é dinheiro oriundo do tesouro nacional, é dinheiro público”.

Procon 1 > Em reserva, um parlamentar da oposição sapecou: “O STJ tirou Geraldo Alckmin da Lava Jato, botou ele na Justiça Eleitoral. Daqui a pouco, vão botar no Procon, pequenas causas e ainda tem gente que diz que é teoria da conspiração”.

Procon 2 > A comparação feita pelo deputado se deu depois que a ministra do STJ, Nancy Andrighi, decidiu enviar a investigação relativa ao ex-governador Geraldo Alckmin para a Justiça Eleitoral de São Paulo. Ela atendeu requerimento do vice-procurador-geral, Luciano Maia, que passou por Pernambuco ontem, em evento no TRF5, onde avaliou que enviar à primeira instância não altera a celeridade do processo.