Garanhuns reúne magistrados para II Encontro Regional da Justiça

A comarca de Garanhuns vai abrigar o II Encontro Regional da Justiça, promovido pela Presidência do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) e Corregedoria Geral da Justiça de Pernambuco (CGJ-PE), em parceria com a Escola Judicial. O evento acontece nos dias 17 e 18 de abril, com magistrados de 16 comarcas. A abertura será às 17h, na próxima terça-feira, no Salão do Tribunal do Júri do Fórum Ministro Eraldo Gueiros Leite, localizado na Avenida Rui Barbosa, no bairro de Heliópolis. Participam da solenidade o presidente do TJPE, desembargador Adalberto de Oliveira Melo, o corregedor geral da Justiça, desembargador Fernando Cerqueira, e o diretor da Escola Judicial, desembargador Jones Figueirêdo.

O objetivo da iniciativa é aperfeiçoar a prestação jurisdicional no Estado. No primeiro encontro, realizado nos dias 10 e 11 deste mês em Caruaru, foram discutidas metas, produtividade e um plano de gestão para as unidades judiciais com o objetivo de agilizar a tramitação processual. Segundo o presidente do TJPE, além de manter os integrantes do Judiciário bem informados, a iniciativa busca mostrar os benefícios que o Tribunal está trazendo para magistrados e servidores. “Precisamos proporcionar uma situação de respeito e dignidade para que os integrantes do TJ possam prestar um bom serviço aos jurisdicionados”, destacou o desembargador Adalberto Melo.

Mais de 130 magistrados e servidores foram convocados para o encontro. Durante os dois dias, foram apresentadas as metas da Corregedoria, com foco na movimentação dos processos paralisados há mais de 100 dias. “Reunimos juízes e servidores com intuito, não apenas de fomentar um bom relacionamento entre o primeiro grau, segundo grau e todos os seguimentos do Poder Judiciário, mas de buscar a melhoria dos níveis de aperfeiçoamento que devemos ter na prestação jurisdicional. O tratamento que devemos dar aos jurisdicionados, por exemplo, deve ser o melhor possível; a conjuntura do universo entre servidores e juízes, que também é imprescindível que seja excelente, além da preocupação que devemos ter com a gestão das unidades judiciárias em que atuamos. Precisamos ter a consciência de que, como servidores públicos, prestar um bom serviço jurisdicional”, afirmou o corregedor Fernando Cerqueira.

Um workshop sobre “Inspeção nos serviços extrajudiciais” também foi promovido durante o encontro, considerando a necessidade de o magistrado, na condição de juiz corregedor permanente da sua unidade judiciária bem como perante as serventias extrajudiciais, realizar fiscalização contínua nos serviços prestados por essas unidades. A Escola Judicial também ofereceu um curso para os chefes de Secretaria para que possam planejar estrategicamente a execução do plano de ações que permitirá agilizar a tramitação processual nas unidades em que atuam.

“Magistrados e servidores de toda a região discutiram não apenas metas, mas a ações proativas no que diz respeito à qualidade da prestação do serviço jurisdicional. Este é, sobretudo e também, um trabalho de pertencimento e compromisso público no interesse de fazer com que a Justiça mais próxima do jurisdicionado possa realizar o direito de maneira eficiente, segura e rápida. A discussão de metas com a Corregedoria, os propósitos inovadores, no que diz respeito a um trabalho cooperativo entre juízes e servidores, Presidência, Corregedoria e Escola Judicial servirão, certamente, a um melhor momento da Justiça para a sociedade pernambucana”, concluiu o desembargador Jones Figueirêdo.

Também estiveram presentes no evento o presidente da Associação de Magistrados de Pernambuco (Amepe), Emanuel Bonfim, o juiz assessor especial da Presidência Silvio Beltrão, a juíza assessora especial da Corregedoria, Fernanda Chuahy, e os juízes corregedores auxiliares, Paulo Victor, Marcus Vinícius, Janduhy Finizola e Carlos Damião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.