Fim do sonho: Brasil cai diante da promissora Bélgica

Folhape

A Copa do Mundo da Rússia acabou para o Brasil. Diante do primeiro adversário perigoso, a Canarinho sofreu com a força física e o talento da promissora Bélgica e foi eliminada nas quartas de final por 2×1. O sonho do hexa acabou em um jogo com emoção até os últimos minutos.

Os dois gols do adversário saíram logo no primeiro tempo. Aos 12 minutos, em cobrança de escanteio, Fernandinho – em tarde irreconhecível – desviou contra as próprias redes. Ficaria ainda pior. Aos 30 minutos, em rápido contra-ataque, De Bruyne fez um belo gol em chute de longe.

No segundo tempo, o Brasil voltou com Douglas Costa no lugar de Willian. A cara do time mudou consideravelmente. Com mais velocidade, a equipe verde-amarela passou a tomar conta do jogo e pressionar o oponente.

Com a entrada de Renato Augusto, a Seleção Brasileira ficou ainda melhor. Aos 30 minutos, Coutinho levantou na área e o próprio Renato Augusto, infiltrado, desviou de cabeça para o gol.

Nos minutos seguintes, os brasileiros seguiram superiores. Roberto Firmino quase marcou. Renato Augusto teve outra grande chance, mas mandou para fora. Depois, em contra-ataque, Neymar deixou Coutinho na boa, mas o meia perdeu chance incrível e isolou a bola.

No finalzinho, já nos acréscimos, Neymar acertou chute colocado, no ângulo, e Courtois fez linda defesa. Foi o último lance de efeito do Brasil em uma melancólica despedida dos gramados russos. A Bélgica agora pega a França na semifinal da Copa da Rússia.

Brasil: um país prioritariamente rodoviário

O transporte rodoviário é o principal meio para o deslocamento de cargas dentro do país. Apesar dos investimentos em outros modais, esse meio ainda é o responsável por quase 63% de tudo que é transportado no Brasil, atrás vem o ferroviário com 21,7%, o arquaviário com 11,7%, o dutoviário com 3,8% e por último o aéreo com apenas 0,1%. Diante da última greve dos caminhoneiros – a qual parou o país e gerou uma das maiores crises de abastecimentos dos últimos anos – a discussão sobre os modelos logísticos adotados pelo governo voltam à tona.

Para a Mariana Canto, advogada especialista em logística do departamento Societário do escritório Andersen Ballão, o modal rodoviário possui características próprias que são bastante determinantes para a sua posição de destaque na matriz de transporte de cargas do Brasil. “Estudos apresentados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), mostram que no Brasil, só o modal ferroviário se mostra competitivo em relação à rodovia em se tratando de volumes de carga a partir de 350 mil toneladas mensais”, explica.

Além disso, o transporte rodoviário é versátil e isso se revela na flexibilidade de rotas, nos volumes transportados e até mesmo na forma de embalagem dos produtos transportados. Essas características fazem com que o modal rodoviário seja o único capaz de atender determinadas cargas e cadeias logísticas. “Veja, até mesmo as concessionárias de ferrovia precisam das rodovias para interligar determinados trechos com os terminais ferroviários e é essa intermodalidade que muitas vezes viabiliza a utilização da ferrovia”, avalia Mariana.

O modal rodoviário, sem dúvida, é um grande aliado nos processos logísticos. Porém ele traz graves consequências, segundo a especialista. O desgaste nas rodovias e nos veículos, o aumento do consumo de combustíveis e dos gastos com saúde por acidentes aumentam os custos de vida de uma maneira geral e isso penaliza a todos. Adicionalmente, a preferência pelo modal rodoviário anda na contramão do desenvolvimento sustentável, além de congestionar o trânsito nas grandes cidades em razão da deficiência de contornos intermunicipais, é também o que mais polui. Para transportar 100 contêineres de carga são necessários 100 caminhões, que emitem 73 toneladas de CO². A mesma quantidade de carga demanda apenas duas locomotivas, que emitem apenas cinco toneladas de CO² para o mesmo resultado.

Outro aspecto importante a ser analisado segundo Mariana, está em nossa dependência desse modelo de transporte, o que traz consequências como as da última paralisação. “As paralizações recentes revelaram a dependência que nosso país tem em relação ao modal rodoviário. Essa condição é péssima para a concorrência do mercado e expõe os cidadãos à distorção de políticas públicas para o atendimento emergencial da categoria. A insegurança jurídica instalada ainda repercutirá por muito tempo no setor produtivo e como consequência indissociável nos consumidores. Os reflexos do acordo de contenção do preço do diesel ainda não são passíveis de mensuração, mas timidamente (ou não) já estão sendo percebidos por meio de alterações tributárias”, complementa.

Existem outros modais que para Mariana, funcionariam bem no Brasil e trariam benefícios como o ferroviário. “O Brasil é um país que tem sua base agrícola, por isso é importante que haja investimento no modal ferroviário para manter a competitividade internacional. Ampliando os corredores de exportação que integram o interior produtivo do país aos portos, assim como facilitar a intermodalidade de transportes, seria o início de um ciclo virtuoso”.

Para finalizar a especialista lembra que esse é um processo lento, que requer investimento, estudos adequados e muito trabalho. “É bem verdade que estes são projetos de longa maturação e não basta apenas investir, é preciso saber tomar decisões estratégias, como o emprego de materiais que ainda que demandem maior investimento inicial, geram menos custos de manutenção e menos reparos no futuro, investir mais tempo e dinheiro em projetos para evitar aditivos contratuais e processos infindáveis de reequilíbrio econômico-financeiro de contratos. Precisamos desenvolver projetos sólidos de longo prazo na área de infraestrutura, além de compreender a segurança jurídica e as políticas públicas como pilares do desenvolvimento. As reformas legislativas e a consciência da necessidade de controle da corrupção são certamente grandes aliados para atingirmos essas condições”.

A malha viária brasileira

O Brasil, a terceira mais extensa malha rodoviária do mundo, mas apenas 12% dela é pavimentada. O Mapeamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) de Obras Rodoviárias, que estudou os gargalos e deficiências das rodovias nacionais, identificou a necessidade de investirmos mais de R$ 183 bilhões para sanar problemas e torná-las eficientes.

Esses dados mostram ainda que mais de 80% da malha pavimentada está sob gestão pública e deste percentual apenas 37% é avaliada com qualidade boa ou ótima, sendo que os outros 63% estão entre regulares e péssimas. Essa condição se deve a inúmeros fatores, mas especialmente a falta de planejamento e decisões de investimento de curto prazo, e custos elevados de manutenção que acabam se convolando em deficiências sistêmicas.

Mais de 1.2 mil indígenas e quilombolas pediram inclusão

Desde 18 de junho, 1.228 estudantes indígenas e quilombolas matriculados em cursos de graduação em instituições federais solicitaram a inclusão no Programa de Bolsa Permanência (PBP). Desse total, 430 já tiveram o cadastro autorizado pelas instituições públicas federais. O prazo para as inscrições é 31 de agosto.

Atualmente, são pagas 10 mil bolsas permanência para indígenas e quilombolas, sendo 7 mil para o primeiro grupo e 3 mil para o segundo, o que totaliza um investimento de R$ 7 milhões mensais. Quem ainda não se inscreveu tem prazo até 31 de agosto para pleitear o benefício pelo Sistema de Gestão da Bolsa Permanência (SISBP). Atualmente, 87 instituições de ensino estão cadastradas no Programa de Bolsa Permanência.

“Esse é um compromisso que temos com as etnias historicamente excluídas do ensino superior. Muitas vezes é a única oportunidade que os estudantes dessas etnias têm para se manter em uma instituição pública e concluír a sua formação ”, destacou o ministro da Educação, Rossieli Soares.

O Programa de Bolsa Permanência é um auxílio financeiro pago para estudantes de instituições federais de ensino superior em situação de vulnerabilidade socioeconômica. O Ministério da Educação paga um valor de R$ 900, em razão das especificidades da organização social de suas comunidades, condição geográfica, costumes, línguas, crenças e tradições. O recurso é pago diretamente ao estudante por meio de um cartão de benefício.

Para ter direito ao benefício, o aluno deve possuir uma renda familiar per capita de no máximo um salário mínimo e meio, não ultrapassar dois semestres do tempo regulamentar do curso de graduação em que estiver matriculado para se diplomar, ter assinado termo de compromisso e ter seu cadastro devidamente aprovado e mensalmente homologado pela instituição federal de ensino superior de que faz parte.

Os candidatos também precisam anexar toda a documentação solicitada para a comprovação do seu pertencimento a comunidades indígenas ou quilombolas – registros que podem ser obtidos, respectivamente, na Fundação Nacional do Índio (Funai) e na Fundação Cultural Palmares.

/**/

Poluição aumenta risco de diabetes, diz estudo

Estudo publicado na revista Lancet Planetary Health aponta que a poluição acarretou 3,2 milhões de novos casos de diabetes em 2016. De acordo com os pesquisadores, a má qualidade do ar prejudica a produção de insulina e provoca inflamações que impedem o corpo de transformar glicose do sangue em energia.

O número representa 14% dos casos diagnosticados mundialmente naquele ano. A Sociedade Brasileira de Diabetes fomenta a discussão a respeito de fatores de risco para a doença, bem como a necessidade de ampliação de acesso a mecanismos de diagnóstico e tratamento.

Especialista dá dicas de melhorar a segurança de um site

É inegável como as tecnologias digitais têm avançado e mudado nossas vidas. Infelizmente, nem todo mundo faz usos positivos delas, o que tem aumentado consideravelmente o número de cibercrimes, algo que sempre preocupa donos de sites.

Porém, há várias formas de se proteger. Segundo Rodrigo Darzi, especialista em marketing digital e CEO da Agência IMMA, a segurança na criação de um website ou manutenção dele começa na escolha das senhas de acesso. “Senhas curtas e simples são facilmente desvendadas por hackers. Usar várias letras e símbolos pode ajudar na construção de uma senha forte e que dificilmente será desvendada”.

Rodrigo também comenta que instituir uma quantidade limitada de tentativas de login por IP também pode ajudar a melhorar a segurança de um site. Depois de uma determinada quantidade de tentativas de login, o IP fica bloqueado para acessos, o que tende a afastar hackers mais inexperientes.

Ele lembra que quem usa WordPress pode instalar plugins que melhoram consideravelmente a segurança de qualquer site. Há plugins desde os mais simples, que bloqueiam o acesso de determinados IPs e verificam a segurança de firewall, até os mais complexos, que monitoram ações dos usuários e fazem auditorias de atividades.

Utilizar o protocolo de segurança HTTPS também é algo válido e importante, mas que nem todos os donos de site ainda fizeram. Rodrigo explica que “este é o protocolo que melhor fornece segurança na Internet, tornando quase a tarefa mais difícil em alterar ou interceptar o conteúdo do site”. Por outro lado, quando ele não é utilizado, as chances de ataque são imensas.

A escolha da hospedagem também é algo que faz diferença. Existem centenas de empresas de hospedagem. Para escolher uma, o ideal é pesquisar sua reputação e verificar o número de reclamações. Além disso, prestar atenção especial ao tipo de suporte técnico prestado é importante, pois isso pode ajudar a lidar com uma série de problemas com muito mais agilidade.

O especialista lembra que uma ação simples, mas que muita gente subestima, é ter um bom software de antivírus e mantê-lo sempre atualizado. Ele explica que muitos usuários acreditam que investir num antivírus é algo desnecessário e mantém versões gratuitas no computador. “Porém a maioria dos desenvolvedores só libera determinadas atualizações para usuários pagos”, explica.

Rodrigo finaliza comentando que manter um backup atualizado do site é algo que não melhora sua segurança, mas certamente ajudará a restaurá-lo em caso de ataques. Atualmente, existem várias ferramentas que fazem isso de forma automática, algo no qual vale muito a pena investir. Afinal, se não há como blindar completamente o site, manter um backup ajudará a diminuir o prejuízo depois.

Férias é no Caruaru Shopping

Diversão não vai faltar no Caruaru Shopping para a garotada que está de férias. De 6 de julho a 4 de agosto, o centro de compras e convivência estará oferecendo uma vasta programação, que inclui pinturas no rosto, jogos, oficinas gourmet, shows infantis e muito mais.

Durante o período, um lounge estará funcionando próximo à agência de viagens, com pinturas no rosto, maquiagem infantil, fantasias e acessórios de super-heróis e princesas. “Será uma ótima oportunidade para que a criançada possa se fantasiar e tirar fotos”, afirmou Walace Carvalho, gerente de Marketing do Caruaru Shopping. Diversos jogos infantis também podem ser encontrados no espaço, que funcionará das 13h às 20h.

Além do lounge, outras atividade nos fins de semana farão a alegria da garotada. Neste domingo, dia 8, por exemplo, haverá a apresentação da banda infantil Super Kids, em frente à Praça de Alimentação Gourmet, a partir das 16h. Nos dias 14, 21 e 28 de julho haverá o Mini Chef, com oficinas gourmet infantil de pizza, frutas no palito, docinho de leite ninho, sanduíches, mini-hambúrguer, cupcake, entre outros. No dia 22 de julho serão realizados pockets shows com princesas e super-heróis.

Já no dia 29 de julho, das 12h às 20h, um grande encontro de quadrinistas, desenhistas e cosplays promete momentos de muita diversão. A programação completa das atividades pode ser conferida no site www.caruarushopping.com

O Caruaru Shopping fica localizado na Avenida Adjar da Silva Casé, 800, no Bairro Indianópolis.

Mulheres representam apenas 25% das indenizações pagas por acidente de trânsito

As mulheres são mais cuidadosas, prudentes e se envolvem menos em acidentes. Especialistas garantem que algumas características do sexo feminino, refletem, sim, no trânsito. E os dados divulgados pela Seguradora Líder, responsável pela administração do DPVAT, no Boletim Estatístico Especial “Mulheres no Trânsito” comprovam a afirmação. Do total de quase 384 mil indenizações pagas pelo Seguro DPVAT em 2017, apenas 25% foram para vítimas do sexo feminino.

As mulheres tendem a ser mais atentas na direção ou nas ruas. Além disso, elas costumam respeitar mais às normas e leis de trânsito, como o uso do cinto de segurança e da cadeira infantil. Isso reflete diretamente nos números. Em casos de morte, por exemplo, a diferença no pagamento das indenizações é ainda maior: 82% das vítimas são do sexo masculino.

Dados do Denatran mostram que, dos 67 milhões de motoristas no Brasil, 34% são do sexo feminino, mas elas recebem apenas ¼ das indenizações. Proporcionalmente, se envolvem em menos acidentes de trânsito. Segundo o Censo do IBGE 2010, a população brasileira é composta por 49% de homens e 51% de mulheres.

Ainda de acordo com os números da Seguradora Líder, o menor risco associado à mulher ao volante também pode ser verificado pelas estatísticas referentes ao condutor do veículo. Em 2017, apenas 7% das indenizações pagas foram para motoristas do sexo feminino, contra 42% para motoristas do sexo masculino.

Fiesp leva empresários à Summer Fancy Food, em Nova York

Entre 28 de junho e 4 de julho, 18 empresas brasileiras participaram da mais importante feira de alimentos e bebidas especiais das Américas, a Summer Fancy Food, em Nova York. Em ação coordenada pelo Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp pelo quarto ano consecutivo, em parceria com a Rede Brasileira de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN), da Confederação Nacional da Indústria (CNI), os empresários conheceram produtores, distribuidores e importadores do chamado ‘fancy food sector’, que concentra alimentos gourmet, regionais, orgânicos e naturais.

Em seminário com o cônsul comercial do Brasil em Nova York, ministro Roberto Ardenghy, o adido agrícola do Brasil nos Estados Unidos, Luiz Caruso, e o gerente do escritório da Apex-Brasil em Miami, Fernando Spohr, foram detalhados aos participantes os serviços de suporte das representações diplomáticas brasileiras locais, além do funcionamento do mercado norte-americano de alimentos e bebidas, suas tendências de consumo e possíveis canais e acesso e distribuição de produtos. Em 2017, a feira contou com 2,6 mil expositores de 57 países, 180 mil produtos e 23 mil visitantes.

Fundadora da My Sweet Brigadeiro, Paula Barbosa, e o dono da Sweet Corner Bakeshop, Rodolfo Gonçalves, compartilharam suas trajetórias de negócios nos EUA, contando sobre os desafios de adaptar produtos genuinamente brasileiros ao gosto norte-americano e de empreender em um cenário de forte concorrência.

Senac abre turmas para curso de Libras em Caruaru

Em meio às dificuldades encontradas no processo de comunicação com a sociedade, as pessoas com surdez seguem em busca de inclusão no Brasil. Para incentivar a inserção desse público na área acadêmica e no mercado de trabalho, assim como no meio social, e também para facilitar a comunicação entre ouvintes e pessoas com deficiência auditiva, o Senac abriu inscrições para turmas de Língua Brasileira de Sinais (Libras) na unidade de Caruaru, com aulas começando a partir do dia 21 de julho. O curso é voltado exclusivamente para quem não possui a deficiência e deseja aprender o idioma, oficial no Brasil desde 2002. “Nós estamos vivenciando uma época de mudança social em relação às pessoas com deficiência, eles precisam de mais inclusão na área acadêmica e no mercado”, comentou a gerente de Idiomas do Senac Recife, Mauricea Oliveira.

Com uma proposta dinâmica, as aulas buscam ensinar os sinais da língua, as feições e os movimentos do corpo. Segundo o instrutor do curso no Recife, Marcello Manoel, a Língua Brasileira de Sinais (Libras) possui vocabulário e diversos significados específicos, além de ter estruturas sintáticas, semânticas e morfológicas como qualquer outro idioma. “Hoje vivemos em uma sociedade que está buscando meios para a inclusão, com isso temos a necessidade de aprender a se comunicar com uma pessoa surda e interagir com ela, e a Libras é a ponte dessa comunicação entre o surdo e ouvinte”, disse o instrutor, que também é surdo. “Com o curso, as pessoas terão a oportunidade de, além de aprender a se comunicar, conhecer a cultura surda que é muito rica e merece ser divulgada para a sociedade”, acrescenta.

Conforme o artigo 26 do Decreto 5626, de 22 de dezembro de 2005, instituições públicas – como bancos, hospitais e clínicas – têm orientação legal para garantir às pessoas surdas atendimento diferenciado, função que deve ser realizada por intérpretes de Libras. Esses órgãos precisam ter, pelo menos, 5% do seu quadro de funcionários formado por pessoas capacitadas neste idioma. Para atender às empresas que desejam oferecer essa capacitação aos funcionários, o Senac também oferece a possibilidade de fazer uma turma personalizada.

Os interessados em fazer o curso devem efetuar a inscrição pessoalmente na unidade do Senac no barro de Indianópolis.

Senac Caruaru

Intérprete de Libras

Carga Horária: 60h

Período: 21/07 a 10/11/2018

Horário: 8h às 12h

Dias na semana: aos sábado

Investimento: R$ 425,00 (parcelado até 6x no cartão)

Inscrições: Av. Maria José Lyra, 140, Indianópolis

Informações: (81) 3727.8259 / 8260

UniFavip|Wyden promove cursos de férias gratuitos em julho

Neste mês de julho, o Centro Universitário UniFavip|Wyden promove uma série de minicursos e palestras para os estudantes que estão de férias e querem aproveitar o período para enriquecer o currículo e ganhar novos conhecimentos.

Na programação, curso de inglês para iniciantes, oficinas das áreas de psicologia, gestão, comunicação, saúde, engenharia e arquitetura, além de palestras com profissionais de destaque na área de Direito.

Toda a programação é aberta ao público e gratuita, com vagas limitadas. Os interessados podem ser inscrever através do link http://wyden.to/feriasunifavip. O UniFavip|Wyden fica na Rua Adjar da Silva Casé, nº 800, Indianópolis. Informações pelo telefone 4020-4900.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA:

INGLÊS PARA INICIANTES – 14H ÀS 17H

Turma 1 – 9 e 10 de julho

Turma 2 – 11 e 12 de julho

PSICOLOGIA

10 de julho

Ludoterapia – o simbolismo de brincar na infância (19h às 22h)

ENEM: como ter sucesso nos seus resultados (19h às 22h)

11 de julho

Mediação de conflitos – enfoque teórico e prático (14h às 17h)

A clínica do suicídio – estratégias de enfrentamento (19h às 22h)

12 de julho

Automutilação na adolescência (19h às 22h)

GESTÃO

12 de julho

ISSO 14001 – Sistema de Gestão Ambiental: princípios que conduzem a sustentabilidade (14h às 17h)

13 de julho

Educação Financeira (15h às 17h)

Comunicação

10 julho

Marketing Pessoal e Oratória (19h às 22h)

11 de julho

Conteúdo Digital e realidade aumentada: tecnologia e dia a dia (19h às 22h)

SAÚDE

09 de julho

Desafios para a assistência de enfermagem no setor de hemodinâmica (18h às 21h)

Massagem modeladora (14h às 17h)

10 de julho

Recomendações da OMS para assistência ao parto normal (19h às 22h)
Massoterapia como recurso terapêutico na fisioterapia (8h às 11h)

11 de julho
Pilates (14h às 17h)

12 de julho

SAE nos tratamentos de dialíticos (19h às 22h)

Ventosoterapia (8h às 11h)
Fisioterapia cardiorrespiratória no paciente adulto com ênfase na reabilitação funcional (14h às 17h)

13 de julho

Legislação estruturante do SUS (19h às 22h)

O papel do enfermeiro na cirurgia bariátrica (19h às 22h)

Técnicas para elaboração de trabalhos acadêmicos (19h às 22h)

DIREITO

Dia 9 de julho
Palestra: Segurança Pública – como evitar ser vítima, com Dr. Mamede (19h às 22h)

Dia 10 de julho
Palestra: Súmula 184 do STJ e o direito à isenção de imposto de renda para microempresas de representação comercial, com Dra. Carmem Alexandre (14h às 17h)

Palestra: A vitimização histórica da mulher e do papel da advocacia, com Dra. Ana Luiza Mousinho (19h às 22h)

Dia 11 de julho
Palestra: Inovações do CPC/15 e os novos caminhos do direito processual civil, com Dra. Emília Queiroz (14h às 17h)

Palestra: Reforma Trabalhista e impactos sociais, com Dr. Bertone Vasconcelos (19h às 22h)

Dia 12 de julho
Palestra: Empreendedorismo e advocacia em tempos de crise (14h às 17h)

Palestra: Direito Eleitoral e eleições, com Dr. Marcelo Cumaru (19h às 22h)

Dia 13 de julho
Palestra: Benefícios previdenciários: as regras atuais e o que pode mudar, com Dr Felipe Sampaio (14h às 17h)

ENGENHARIA
Dia 9 de julho
Introdução ao projeto de linha de transmissão: cálculo de parâmetros elétricos utilizando o programa ATP (19h)

Dia 10 de julho
Palestra: Sistema de transportes e suas principais vantagens (15h às 17h)

Dia 11 de julho
Palestra: Ciclos Econômicos prevendo o imprevisível (14h às 17h)

Dia 12 de julho

Modelos de produção e gerenciamento com foco em indústrias automotivas (19h)

Dia 13 de julho
Currículo Lattes: importância e organização (19h)
Importância de simuladores de plantas industriais – introdução ao simulador COCO (19h)

ARQUITETURA

Introdução a Sketchup e Autocad 2D – 9 a 13 de julho

Turma 1 – 14h às 17

Turma 2 – 19h às 22h