Adolescentes da Casem são inseridos em curso sobre refrigeração e climatização

Adolescentes da Casa de Semiliberdade (Casem) Casa Amarela, uma das unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) no Recife, estão tendo a oportunidade de se preparar para o mercado de trabalho. O grupo deu início, neste mês, ao curso de Instalador de Refrigeração e Climatização Residencial, ofertado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Com 144 horas/aula, a formação é dividida em seis blocos de estudo. Como estratégia para o melhor aproveitamento da turma, só seguirá no curso quem tiver bons resultados no primeiro módulo, Introdução à Refrigeração e Climatização, com 40 horas/aula. A iniciativa, articulada pelo Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer da Funase junto ao Senai, soma-se aos esforços para ampliar a oferta de qualificação profissional para jovens em semiliberdade na Capital.

As aulas teóricas estão sendo ministradas na Biblioteca Popular de Casa Amarela. Já as atividades práticas ocorrerão na Escola Técnica Senai Santo Amaro. A turma, com 25 pessoas, é composta por alunos de dentro e de fora da Funase. Na primeira etapa, os socioeducandos estão aprendendo sobre circuito elétrico, estados físicos da matéria, noções de termometria e de calorimetria, pressão, ciclo de compressão do vapor, preparação de tubos e brasagem. Já os módulos seguintes abordarão Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde, tipos de condicionadores de ar, Cálculo de Carga Térmica e Manutenção de Refrigeradores, Freezers e Bebedouros Convencionais. O objetivo é preparar profissionais para instalar e fazer a manutenção em equipamentos do tipo, substituindo componentes elétricos e mecânicos conforme normas técnicas, de segurança e ambientais. Indústrias, revendas e oficinas mecânicas são espaços que podem absorver a mão de obra dos socioeducandos após o curso.

A formação com essa temática foi escolhida pelos próprios adolescentes a partir de consultas feitas pelo Eixo Profissionalização. “O curso foi adaptado às características da semiliberdade, que é um modelo em que os adolescentes saem nas sextas-feiras para passar os fins de semana com as famílias e voltam à unidade nas segundas-feiras. Então, as aulas acontecem nas terças e quintas, sempre à tarde. Além disso, como a carga horária é mais extensa, o formato modulado é um acerto. Para evitar a evasão, os alunos vão sendo certificados a cada módulo. Essa é uma estratégia também aplicada nos cursos de Eletricidade Aplicada à Automotiva e Sistemas de Iluminação e Sinalização, ofertados pelo Senai nos Cases Caruaru e Vitória de Santo Antão”, explica o coordenador do Eixo Profissionalização da Funase, Normando Albuquerque.

Para o coordenador técnico da Casem Casa Amarela, Julio Scaramal, o fato de socioeducandos estarem inseridos em um dos cursos mais procurados da Escola Técnica Senai Santo Amaro mostra o compromisso da Funase e da instituição parceira com a socioeducação em Pernambuco e com a oferta de oportunidades de qualidade para os adolescentes. “Assim como qualquer jovem e adolescente, nossos socioeducandos também sonham com uma oportunidade no mercado de trabalho. A inclusão profissional proporciona aprendizado, independência, trabalha a autoconfiança e o senso de responsabilidade. Proporciona ainda a superação de sua situação de exclusão social, contribuindo para que possam compreender o potencial que possuem, assumindo o protagonismo da própria vida”, declara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.