Eleições presidenciais repercutem na imprensa internacional

O resultado do primeiro turno das eleições presidenciais no Brasil é destaque nos principais jornais do mundo hoje (8). Em manchetes que ocuparam espaços privilegiados nas primeiras páginas, a imprensa internacional ressaltou a surpresa com a conquista de Jair Bolsonaro (PSL), que obteve quase metade dos votos entre os eleitores.

O “choque” de grande parte dos brasileiros diante do número foi o tom da matéria do The Washington Post. A reportagem destaca que a campanha de Bolsonaro dividiu a maior nação da América Latina ao longo de linhas raciais e de gênero e lembrou que, muitas vezes, o candidato do PSL é comparado ao presidente norte-americano Donald Trump.

O The New York Times destacou que “o candidato de extrema direita que falou com carinho da antiga ditadura militar do Brasil e teceu comentários ofensivos sobre mulheres, negros e gays chegou perto de uma vitória na eleição presidencial de domingo.”

A matéria revela, ainda, o atual cenário brasileiro marcado pela repulsa da população à política e de defesa do combate à criminalidade e corrupção.

Em tom mais ameno, a emissora pública BBC, do Reino Unido, estampa em sua página na internet a disputa, em segundo turno, entre Bolsonaro e Fernando Haddad, marcada para 28 de outubro.

O mexicano La Jornada destaca a “distância confortável” que Bolsonaro teve em relação a Haddad. Segundo o jornal, “será difícil para a esquerda reverter o resultado na eleição presidencial.”

O jornal aponta as várias surpresas negativas para a esquerda durante o pleito, citando as derrotas para o Senado do veterano Eduardo Suplicy, por São Paulo e, em Minas Gerais, da ex-presidente Dilma Rousseff.

Vizinhos
Entre jornais sul-americanos, o argentino Clarín, de Buenos Aires, estampa a manchete “Jair Bolsonaro varre o Brasil e fica com ampla vantagem para a votação com Fernando Haddad”.

O jornal destaca que o ex-capitão do Exército fechou o score com uma diferença de quase 17 pontos, o que pode revelar uma tendência sobre o segundo turno.

O periódico também veiculou a mensagem transmitida pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aos seus seguidores, na qual afirma que o Brasil caminha para “o diálogo e respeito” e aposta que “a esperança superará o ódio”.

Europa
O jornal português Diário de Notícias mostra um “Brasil partido ao meio” e destaca que faltou pouco para o candidato Jair Bolsonaro vencer em primeiro turno. O jornal Público também estampou que o Brasil deixou Bolsonaro com um pé na presidência.

Mais crítico, o francês Le Monde descreve a conquista da maior parte dos votos pelo candidato “nostálgico da ditadura militar, às vezes rude, racista ou homofóbico”.

Lembra, ainda, o momento em que os holofotes da política se viraram para Bolsonaro, durante a sessão no Congresso, em abril de 2016, quando, ao votar a favor do impeachment de Dilma Rousseff (PT) ,dedicou sua escolha “em memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra”, acusado de ser um dos torturadores da ditadura militar.

O El País, da Espanha, reservou o maior espaço ao assunto entre todas as publicações, classificando o resultado como uma “onda conservadora que tomou o país e garantiu ampla vantagem a Bolsonaro no segundo turno para se tornar o próximo presidente do Brasil.”

A publicação ressalta a polarização aguda entre os presidenciáveis, comparando com “água e óleo” e considera o pleito como uma das eleições mais emocionantes da história democrática.

Barricada
O jornal espanhol também traz manchetes com o posicionamento da região Nordeste, “a barricada do PT” e as perdas do partido de esquerda como a derrota de Dilma Rousseff ao Senado por Minas Gerais. Os tucanos também aparecem nas matérias do El País, que destaca derrotas como no comando do estado de Mato Grosso e a luta por votos que o PSDB ainda espera conquistar em seis estados.

O inglês The Times mostrou que “o Brasil chegou perto de eleger um presidente de extrema direita” revelando uma onda de apoio ao populista, considerado a resposta da América Latina a Donald Trump”.

Também da Inglaterra, o The Guardian lembra que Bolsonaro venceu em número de votos, mas não teve ainda a vitória e comparou a campanha “improvável e eletrizante do candidato de extrema-direita a “qualquer telenovela brasileira”.

O italiano L`Opinione e, na Alemanha, a Deutsche Welle (DW), lembraram que o Brasil terá que definir o futuro presidente em um segundo turno e destacaram os percentuais de votos dos dois presidenciáveis.

Agência Brasil

UniFavip|Wyden abre inscrições para Clínica Escola de Nutrição

O Centro Universitário UniFavip|Wyden está com inscrições abertas para os interessados em receber atendimento gratuito na sua Clínica Escola de Nutrição. No espaço, localizado dentro do NIS – Núcleo Integrado de Saúde, no bairro de Indianápolis, alunos estagiários atendem a população com a supervisão de nutricionistas profissionais.

Os atendidos pela Clínica de Nutrição passam por uma avaliação nutricional completa com aparelhos modernos que identificam o percentual de gordura e massa magra do paciente, além de uma avaliação de todo o seu histórico clínico e alimentar. “Após a primeira consulta, é elaborada a dieta do paciente e este fica sendo acompanhado mensalmente na clínica até alcançar os objetivos e receber alta”, explica a coordenadora do curso de Nutrição do Unifavip|Wyden, Geórgia Galvão.

O atendimento é gratuito para todos os públicos, seja criança, adulto ou idoso. A Clínica Escola de Nutrição funciona de segunda a sexta, nos turnos da manhã e tarde, das 8h às 12h e das 13h às 17h, na Rua Zara Maria de Amorim, nº 46, em Indianápolis. As consultas devem ser agendadas previamente pelo telefone (81) 3727-4721.

Haddad vai a Curitiba; Bolsonaro fica em casa

Os candidatos à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), têm agendas distintas na manhã de hoje (8). Bolsonaro deverá permanecer em casa, em um condomínio na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, como fez ao longo do primeiro turno. Haddad foi a Curitiba, onde se reunirá com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e concederá entrevista.

Seguindo o costume consolidado na campanha eleitoral, Bolsonaro e os filhos Flávio, eleito senador pelo Rio de Janeiro, e Carlos, também vitorioso para a Câmara, utilizaram as redes sociais para se comunicar com o público.

Candidatos à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

“Muito obrigado aos quase 50 milhões de brasileiros que confiaram o voto a @jairbolsonaro , em especial ao povo do Nordeste, que nos deu votação surpreendentemente alta, elegendo, inclusive, deputados do PSL que se candidataram pela 1ª vez – uma grande demonstração de confiança”,  disse.

Entrevista

Haddad está em Curitiba onde chegou cedo à Superintendência da Polícia Federal, para visitar Lula, preso desde 7 de abril por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, cumprindo pena de 12 anos e um mês. A candidata a vice-presidente Manuela d’Ávila (PCdoB) não acompanhou o candidato do PT na viagem.

Após a reunião com o ex-presidente, a assessoria de Haddad confirmou que ele concederá uma entrevista coletiva, transmitida ao vivo pelo site do PT Nacional, PT Paraná e página oficial da campanha.

Ontem (7), Haddad afirmou que “muita coisa está em jogo” no atual pleito. “Esta eleição coloca muita coisa em jogo. O próprio pacto da Constituinte de 1988 está em jogo em função das ameaças que sofre quase diariamente.”

Eleição para Senado tira nomes tradicionais da política

A eleição para o Senado Federal deixa fora do Congresso políticos de renome, como a ex-presidente Dilma Rousseff (PT-MG), que ficou em quarto lugar na disputa; o atual presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE); o vereador Eduardo Suplicy (PT-SP), ex-senador e aposta do partido para reforçar a bancada; o senador Cristovam Buarque (PPS-DF), ex-ministro da Educação; e o deputado federal Mendonça Filho (DEM-PE), ex-ministro da Educação.

A eleição do Rio de Janeiro foi a que causou maior desfalque: foram derrotados os senadores Lindbergh Faria (PT) e Eduardo Lopes (PRB), além dos deputados federais Miro Teixeira (Rede) e Chico Alencar (PSOL).

Miro é o deputado com maior número de mandatos na atualidade. Ao todo são onze mandatos, com apenas uma interrupção, entre 1983 e 1987. Chico Alencar está no quarto mandato na Câmara dos Deputados. Um dos principais defensores de Dilma na Câmara dos Deputados, Silvio Costa (Avante-PE), tentou sem sucesso uma vaga no Senado. O líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE), também foi derrotado.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira, durante solenidade de posse do novo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli.
O senador Eunício Oliveira não foi reeleito – Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Os eleitores do Maranhão tiraram do cenário nacional o senador Edison Lobão (MDB) e o deputado Sarney Filho (PV), mas colocaram no Senado, o deputado Weverton Rocha (PDT) e a deputada Eliziane Gama (PPS). Já os deputados Alfredo Nascimento (PR-AM) e Alex Canziani (PTB-PR) tentaram o Senado, mas foram derrotados. Filho da senadora Kátia Abreu (PDT-TO), o deputado Irajá Abreu (PDT-TO) conquistou uma cadeira no Senado.

Os tucanos Ricardo Trípoli, em São Paulo, Bruno Araújo, em Pernambuco, e Jutahy Júnior, na Bahia, que atualmente ocupam uma vaga de deputado federal, perderam a eleição de senador. Os ex-governadores Beto Richa (PSDB-PR), Raimundo Colombo (PSD-SC), Marconi Perillo (PSDB-GO) e Jackson Barreto (MDB-SE) também não tiveram sucesso nas urnas.

Os senadores Garibaldi Alves Filho (MDB-RN), Antônio Carlos Valadares (PSB), Roberto Requião (MDB-PR), Valdir Raupp (MDB-RO), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Flexa Ribeiro (PSDB-PA), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), Vicentinho Alves (PR-TO), Ataídes Oliveira (PSDB-TO), Lúcia Vânia (PSB-GO), Wilder Morais (DEM-GO), Magno Malta (PR-ES), Ricardo Ferraço (PSDB-ES), Waldemir Moka (MDB-MS), Benedito de Lira (PP-AL), Angela Portela (PDT-RR) e Paulo Bauer (PSDB-SC) não foram reeleitos.

Candidatos a governador

Dos 18 senadores que se candidataram a governador, apenas dois conseguiram se eleger no primeiro turno: Ronaldo Caiado (DEM), em Goiás, e Gladson Cameli (PP), no Acre.

Três vão disputar a eleição estadual no segundo turno: João Capiberibe (PSB), no Amapá; Antonio Anastasia (PSDB), em Minas Gerais, e Fátima Bezerra (PT), no Rio Grande do Norte.

Presidenta Dilma Rousseff na Convenção Nacional do PT

Reeleição

Dos 33 senadores que tentaram a reeleição, oito conseguiram votos para voltar: Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Ciro Nogueira (PP-PI), Humberto Costa (PT-PE), Jader Barbalho (MDB-PA), Eduardo Braga (MDB-AM), Renan Calheiros (MDB-AL) e Sérgio Petecão (PSD-AC).

Funase e UFPE formam segunda turma no curso de Instalações Elétricas

Treze adolescentes do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Jaboatão dos Guararapes, uma das unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase), receberam certificados de conclusão do curso Instalações Elétricas Residenciais e Noções de Gestão de Pequenos Empreendimentos. A formação foi promovida pelo Núcleo de Inovação, Empreendedorismo e Sustentabilidade (NIES) do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) em conjunto com o Centro de Tecnologia e Geociências (CTG), o Centro de Artes e Comunicação (CAC) e a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da instituição. Os alunos também ganharam uma caixa de ferramentas com itens básicos para que, futuramente, possam exercer o que aprenderam como trabalho remunerado. O material foi doado por meio da mobilização da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, no Recife.

Essa foi a segunda turma concluída no âmbito da parceria entre a Funase e a UFPE para a oferta de cursos profissionalizantes voltados ao público atendido pela fundação. Na primeira, concluída em junho, oito adolescentes do Case Jaboatão e duas socioeducandas do Case Santa Luzia foram certificados por terem terminado o mesmo curso. Na ocasião, as aulas ocorreram na universidade. Desta vez, os professores foram até o Case Jaboatão, o que também viabilizou a inclusão de cinco agentes socioeducativos na turma. O curso teve 40 horas/aulas, abordando conteúdos como Ferramentas, Eletricidade Básica, Instrumentos e Medidas, Instalações Elétricas, Normas de Segurança e Gestão de Pequenos Empreendimentos. Além da UFPE e da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem, foram parceiros no projeto a Paróquia Bom Pastor e o Rotary Club do Recife – Largo da Paz.

Para a diretora geral da Política de Atendimento da Funase, Íris Borges, a parceria tem viabilizado que os adolescentes atendidos pela fundação participem de experiências de alta qualidade. “Nosso papel, enquanto Estado, universidade ou qualquer entidade que tem o papel de construir uma sociedade mais igualitária, é dar a oportunidade de esses adolescentes aprenderem e se tornarem cidadãos. Eles estão obtendo o certificado de uma instituição renomada, como é a UFPE. É uma experiência de muito valor na socioeducação e nos novos projetos de vida que eles estão construindo”, destacou. “Queremos ver vocês vivendo, aprendendo e crescendo. A vida tem percalços, mas também tem passos importantes e momentos bons como esses que vocês estão vivenciando agora”, complementou o coordenador geral do Case Jaboatão, Mozat Lourenço, em mensagem proferida aos socioeducandos.

A ideia é que a próxima turma comece em março de 2019, com aulas novamente ministradas na UFPE. Dentro da Funase, o projeto é articulado pelo Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer. “Trazer os adolescentes para o campus é positivo para que eles interajam com outras pessoas e vivenciem o ambiente universitário. No próximo ano, queremos ter até mais que duas turmas”, disse o coordenador do NIES, professor André Marques, idealizador do projeto juntamente com o professor Frederico Nunes. “Estamos felizes em ver o resultado desse trabalho e de poder entregar as caixas de ferramentas, que são doações vindas de Belém do Pará, de Campina Grande, de Caruaru e de outros lugares. Gente do Brasil inteiro acredita em vocês”, acrescentou o professor Flávio Miranda, que integra um grupo da Paróquia de Nossa Senhora da Boa Viagem que se mobilizou para contribuir com a iniciativa.

Ainda durante o curso, vários alunos obtiveram da Justiça o direito a progredir de medida socioeducativa, puderam sair do Case Jaboatão e voltar para casa. Mesmo assim, mantiveram o compromisso de terminar as aulas. As próprias famílias levaram os adolescentes para o ato de certificação. “Gostei muito de ter participado. E a área que eu aprendi é muito boa para trabalhar”, elogiou o ex-socioeducando M.N., 15 anos. Também presente ao evento para receber o certificado, o agente socioeducativo José Carlos Figueiredo, 63 anos, comemorou a conquista. “Eu entendia alguma coisa de eletricidade, mas, agora, formalizei esse conteúdo. Considero o ser humano um eterno aprendiz. Achei muito bom que tenham incluído os agentes socioeducativos na turma e a experiência de ter me surpreendido com a inteligência impressionante que os adolescentes demonstraram ter”, afirmou.

CESAR oferece bolsa de R$ 2 mil para universitários se capacitarem

Um dos principais centros de inovação do Brasil, o CESAR está com inscrições abertas para a primeira turma do Summer Job de 2019. Nesta edição, as novidades ficam por conta das novas parcerias. Segundo Eduardo Peixoto, chefe de negócios do instituto, além da sede – Recife – e regionais – Sorocaba, Curitiba e Manaus – também serão realizadas turmas do programa dentro de dois parceiros: Parque Tecnológico de Itaipu (PR) e Instituto Senai de Inovação em Recife (ISI – PE).

Peixoto explica que a ideia de trazer parceiros teve como objetivo expandir ainda mais o programa. “Ano passado recebemos cerca de mil inscrições e nesta edição queremos capacitar mais estudantes brasileiros na área de tecnologia e inovação”. Com a duração de seis semanas, de 7 de janeiro até 15 de fevereiro, o Summer Job oferecerá bolsa de R$ 2 mil para os participantes, além de passagens para aqueles que optarem por unidades do CESAR diferentes do seu estado de residência.

Outro ponto destacado pelo executivo é que as aulas ministradas dentro dos parceiros terão o padrão CESAR, com mentores e profissionais acompanhando toda a execução de cada projeto realizado. O Summer Job é ideal para os estudantes que buscam aprimoramento pessoal e vivência do mercado de trabalho, já que os participantes serão envolvidos na resolução de um desafio de empresas patrocinadoras e parceiras do CESAR, como FCA, ISVOR, Liberty Seguros, Motorola e Unilever.

“Um dos grandes diferenciais é que essas empresas irão apresentar desafios reais de mercado para os estudantes trabalharem. As patrocinadoras do Summer Job também se beneficiam, já que os protótipos gerados durante as atividades poderão ser implementados e virarem produtos inovadores”, explica Peixoto.

O programa é voltado para estudantes de qualquer curso e um dos requisitos para a participação é que o aluno curse a partir do 4° período e tenha inglês avançado. Mais informações: https://summerjob.cesar.org.br/.

PT e PSL são os que mais elegeram para a Câmara dos Deputados

A galeria de eleitos para integrar a bancada paulista na Câmara dos Deputados tem general, palhaço, príncipe e astro de filme pornô. Os novos deputados assumem em fevereiro para mandatos de quatro anos.

Num discurso em dezembro de 2017, o comediante Tiririca (PR) avisou que não tentaria a reeleição, se dizendo “decepcionado com a política”, mas recuou da decisão e conseguiu se manter no Legislativo.
Os partidos PT e PSL foram os que mais elegeram deputados federais para a Câmara para os próximos quatro anos. O MDB, que durante os últimos anos foi a maior bancada da Casa, perdeu espaço, enquanto o Partido Novo conquistou mais cadeiras. O levantamento foi feito pela Câmara dos Deputados.

Se em 2014, o PT cujo candidato disputada o segundo turno das eleições presidenciais, Fernando Haddad, elegeu 69 deputados, desta vez foram 56 deputados. O PSL, legenda do também candidato Jair Bolsonaro, saltou de um deputado eleito, há quatro anos, para 52.

O MDB, que tradicionalmente integra a Presidência da Câmara e do Senado, caiu para quase metade em tamanho. Em 2014, foram eleitos 65 deputados, agora serão 34 parlamentares. O Partido Novo, que lançou o empresário João Amoêdo à Presidência, conseguiu oito deputados.

Legendas
No total, serão 30 legendas com representação na Câmara. O tamanho das bancadas é importante para que os deputados sejam indicados para funções específicas e relevantes no funcionamento do Parlamento.

Pelo Regimento Interno da Câmara e negociações, o maior partido ou bloco tem peso na escolha dos da Presidência da Casa e para ocupar o comando de comissões de maior destaque, como a de Constituição e Justiça e a de Finanças e Tributação.

Posse
Os deputados tomam posse em fevereiro de 2019. Até lá, há negociações sobre cargos federais e estaduais, assim como a possibilidade de mudanças de partidos políticos.

De acordo com o levantamento da Câmara, a renovação foi elevada. Em Mato Grosso e no Distrito Federal, apenas uma em oito cadeiras é de deputados reeleitos. Erika Kokay (PT) foi reeleita pelo DF e Carlos Bezerra (MDB) por MT. Os demais são novatos na Câmara dos Deputados.

O Piauí, por outro lado, reelegeu sete dos dez deputados federais de sua bancada. O Rio Grande do Sul reelegeu a maior parte da bancada: 19 foram reeleitos e 12 são novatos.

Os resultados finais deste domingo poderão ser alterados em decorrência de eventuais recursos decididos pela Justiça Eleitoral. O Judiciário analisa ações sobre abuso do poder econômico e político nas eleições, cumprimento de critérios para assumir o cargo e o atendimento dos requisitos da Lei da Ficha Limpa.

Congresso gasta R$ 850 milhões com cotas e verbas indenizatórias

Com a missão de acompanhar e fiscalizar a gestão dos parlamentares brasileiros desde 2012, a ONG Ranking dos Políticos realizou um estudo minucioso para apurar a utilização dos privilégios entre os deputados federais e senadores do Congresso. O resultado mostra que os congressistas utilizaram R$ 849.071.065,60 com cotas e verbas indenizatórias na atual legislatura, média de R$ 1.429.412,57 para cada parlamentar. O estudo leva em consideração os gastos reportados por todos os parlamentares que exerceram o mandato, incluindo os suplentes, entre fevereiro de 2015 e setembro desse ano.

O estado com maior taxa proporcional de despesas com esse perfil é Roraima. Cada parlamentar estadual gastou em média R$ 1.757.975,54. Na sequência, aparecem o Amapá (média de R$ 1.746.325,23), Rondônia (R$ 1.654.945,14), Acre (R$ 1.629.903,36) e Pará (R$ 1.613.792,58). O gasto mais elevado é explicado pelo preço das passagens aéreas, que geralmente são mais caras para a região Norte devido a menor oferta de voos. “Por isso, o valor da cota desses estados costuma ser mais alto que dos demais”, afirma Renato Dias, diretor-executivo do Ranking dos Políticos. Nesse quesito, o Amapá utilizou 92% de toda verba disponível, seguido por Minas Gerais (91%), Piauí e Roraima (ambos com 88%), Pará (87%) e Rondônia (86%).

Em termos absolutos, São Paulo lidera o ranking de despesas com R$ 97.649.639,59, média de R$ 1.337.666,30 por congressista. Em seguida, aparecem Minas Gerais (total R$ 80.519.410,18 e média de R$ 1.437.846,61), Bahia (total R$ 61.801.118,34 e média de R$ 1.471.455,20), Rio de Janeiro (total R$ 60.913.885,89 e média de R$ 1.243.140,53) e Rio Grande do Sul (total R$ 50.436.658,01 e média de R$ 1.483.431,12). “Os estados de São Paulo e Rio de Janeiro estão com gastos abaixo da média nacional”, observa Dias.

O diretor do Ranking dos Políticos defende, porém, que a utilização dos privilégios seja readequada por meio de uma reforma política, já no início da próxima Legislatura. “Atualmente há exemplos de parlamentares que conseguem desempenhar um bom papel em ambas as Casas com equipes mais enxutas, sem o uso de mordomias como motorista, carro oficial, auxílio moradia e outros benefícios. No entanto, ainda tem também parlamentares que abusam da máquina ao ter mais de 90 assessores, entre comissionados e efetivos”, argumenta.

Ainda segundo Dias, embora o corte de verbas não gere um impacto grandioso no orçamento nacional, a medida poderia trazer benefícios para a aprovação de projetos essenciais ao futuro do País, como a reforma da Previdência. “Ao mostrar que o exemplo vem de cima, o Congresso consegue ter uma comunicação e engajamento mais eficientes com a população”, complementa.

O gasto exato de cada parlamentar nesses quatro anos de mandato, bem como o número de presenças em sessões plenárias, processos judiciais e a sua atuação legislativa podem ser consultados no link www.politicos.org.br. A plataforma também dispõe de aplicativo nos sistemas Android e iOS.

/**/

Pernambucano exerce livremente o direito de voto nas Eleições

Após o encerramento votação do primeiro turno deste ano e o início da apuração dos votos em Pernambuco, o procurador-geral de Justiça (PGJ-PE) do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) avalia como positiva e tranquila o saldo das Eleições Gerais de 2018. Em todo o Estado, 186 urnas eletrônicas tiveram de ser substituídas por outros equipamentos, sem prejuízo, contudo, para que os eleitores pernambucanos pudessem exercer o direito ao voto.

“As eleições deste ano foram extremamente tranquilas e estivemos de prontidão e plantão durante todo o dia, acompanhando o trabalho dos promotores eleitorais em todas as cidades do Estado. Mantivemos toda a equipe do Ministério Público atuando em todas as cidades, com visitas em todos os colégios eleitorais, com segurança e prudência, a partir de uma atuação orientativa ao cidadão pernambucano. Procuramos fazer prisões em último caso, sempre buscando explicar, orientar e sanar dúvidas”, disse o procurador-geral de Justiça de Pernambuco, Francisco Dirceu Barros.

Ao longo do dia, o número de crimes eleitorais cometidos foi menor que o saldo registrado em todo o Brasil e 340 atendimentos foram realizados para verificar possíveis defeitos técnicos nos equipamentos. “O Ministério Público atuou com muita eficiência e estou orgulhoso do trabalho desenvolvido. Atuamos em prol da manutenção da normalidade e da legitimidade do pleito. Avalio claramente, que conseguimos assegurar o direito ao voto do pernambucano, fortalecendo a democracia brasileira!”, asseverou Dirceu Barros.

No Recife, a promotora eleitoral, Helena Capela, deu voz de prisão para duas mulheres que estavam realizando boca de urna na 9ª Zona Eleitoral do Estado, no bairro do Alto do Pascoal, na Região Metropolitana do Recife (RMR). “Ao chegar colégio eleitoral do bairro, flagramos duas mulheres fazendo a distribuição de material de campanha. Demos de pronto a voz de prisão. É vedada a captação de eleitores no dia da votação, isso impede o exercício do sulfragio neste dia que é tão importante o exercício da livre escolha”, relatou a promotora.

Em Cabrobó, no Sertão do São Francisco, cinco pessoas e um menor também foram detidos. Todos foram flagrados pelo promotor eleitoral, Tiago Sales Bulhosa, praticando o transporte ilegal de pessoas e a compra de votos com a distribuição de alimentos. “É vedada a qualquer pessoa a realização ou fornecimento de transporte ou refeições e alimento à eleitores em zonas urbanas, conforme preconiza o artigo 10 da Lei Federal n.º 6.091. O menor de idade já foi solto e vamos realizar as audiências de custódia dos maiores de idade”, afirmou o promotor.

Uma mulher também foi detida em Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste, por fotografar o voto na urna eletrônica. Ela foi levada para a delegacia local e prestou depoimento sobre o caso. Caso semelhante ocorreu em Caruaru, quando uma mulher foi detida na Em Caruaru, ainda no Agreste, o vereador da cidade também foi detido por boca de urna em um colégio eleitoral. O parlamentar estava distribuindo materiais de candidatos, quando foi flagrado por um dos fiscais de uma coligação de sua oposição.

No Distrito Estadual de Fernando de Noronha, uma mulher foi detida pelo promotor Eleitoral, Alfredo Pinheiro Martins Neto. A acusada estava indicando os números dos candidatos na frente da Escola Arquipélago, local de votação. “É flagrante de captação ilegal e irregular de sufrágio, promovida por uma pessoa que se diz trabalhar para uma coligação e estava ensinando o eleitor, número a número, senador, deputados. O fato foi presenciado por mim e na hora eu acionei os policiais federais”, afirmou o promotor.

Banda Liberdade faz pré-lançamento do primeiro CD

A Banda Liberdade, composta por 12 adolescentes do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Abreu e Lima, fez o pré-lançamento de seu primeiro CD durante apresentação realizada na última sexta-feira (5), na Faculdade Facigma, no Recife. O álbum, de cunho social e sem fins lucrativos, está na fase de pós-produção. O CD contém a interpretação de 12 músicas de artistas e grupos consagrados, como “Evidências” (Chitãozinho & Xororó, 1990), “Espumas ao Vento” (Fagner, 1997) e “Xote dos Milagres” (Falamansa, 2000). O trabalho é um convite para que o público conheça mais uma iniciativa desenvolvida nas unidades socioeducativas.

As gravações ocorreram no Studio 855, no bairro do Ibura. Usando um uniforme com a frase “Alguém acreditou em mim”, os socioeducandos se revezaram no vocal, na zabumba, no triângulo, no ganzá e na pandeirola. O agente socioeducativo Artur Silva, idealizador do projeto, toca teclado e canta. O professor de matemática Clóvis Benvindo toca o contrabaixo. Ambos são funcionários do Case Abreu e Lima e conduzem a iniciativa voluntariamente. A ação surgiu em agosto de 2016, no formato de oficinas de música ministradas na unidade. Com o tempo, os socioeducandos aprenderam a tocar os instrumentos, o que viabilizou a criação da banda.

“A grande virtude é conseguir melhorar o progresso dos adolescentes. A gente nota que isso reflete no comportamento nas alas da unidade, no respeito que eles têm e obtêm dos outros”, avalia Artur, que se dedica aos ensaios com os socioeducandos nos dias de folga. Do mesmo modo, o professor Clóvis Benvindo concilia a participação na banda com os dias em que leciona na Escola Estadual Pastor Amaro de Sena, que tem uma unidade anexa no Case. “A sociedade, por vezes, empurra esses meninos para a rejeição, mas quando você convive com eles, vê que há um futuro. Eles aprendem a ter disciplina, compromisso e parceria”, diz o professor.

A atual composição da banda é de adolescentes e jovens entre 16 e 18 anos. Um deles, T.N., de 17 anos, saiu do Case Abreu e Lima há um mês, mas continua frequentando os ensaios e se apresentando com o grupo. Outro integrante é D.M.S., de 16 anos, que ainda está na unidade. “Tem gente que passa e diz: Esse menino é da Funase. Quase ninguém acredita na gente. Mas Artur e o pessoal da unidade acreditaram”, relata. Outro colega de grupo, E.A., de 17 anos, diz estar se surpreendendo com o aprendizado que vem obtendo dentro da Funase. “Eu faço cursos lá na unidade e estou na banda. Tem sido tranquilo. Tenho consciência de que é uma oportunidade que a gente está abraçando, algo que apareceu e que não pode ser jogado fora”, afirma o adolescente, que toca ganzá.

Para o coordenador geral do Case Abreu e Lima, Abinoan Barboza, ver que um projeto como esse está se desenvolvendo dentro da unidade é um reflexo das ações transformadoras que têm sido realizadas no local. “Somos pessoas como qualquer um desses meninos. Estamos cuidando de pessoas. A banda é um grande suporte. Vários meninos que já passaram pelo grupo saem em progressão de medida concedida pela Justiça e estão caminhando de uma maneira honrada lá fora”, avalia.