Contra Sinop-MT, Santa Cruz tenta acabar com jejum em jogos eliminatórios

Ricardo Fernandes/DP

Além do seu adversário pela primeira fase da Copa do Brasil, o Santa Cruz lutará para melhorar o retrospecto ruim em fases eliminatórias dos últimos dois anos. Contra o Sinop (MT), o Tricolor terá a chance de quebrar a escrita de não superar uma fase de mata-mata, que dura desde abril de 2017, quando o Mais Querido eliminou o Itabaiana nas quartas de final da competição regional e acabou caindo para o Sport na etapa seguinte.

Desde então, o Santa Cruz coleciona eliminações. Ainda em 2017, o clube foi eliminado pelo Salgueiro, no Campeonato Pernambucano; pelo Sport, na Copa do Nordeste e pelo Athletico-PR, nas oitavas de final da Copa do Brasil.

VEJA AQUI A TABELA DA COPA DO BRASIL

E a sina continuou em 2018, quando o Tricolor saiu derrotado em todas as fase eliminatórias que disputou. Começou com a vexatória eliminação para o ABC, na Copa do Nordeste – com direito a uma goleada por 4 a 1, em pleno Arruda -, a queda para o Sport, nas quartas de finais do Campeonato Pernambucano por 3 a 0; saiu da Copa do Brasil após ser derrotado pelo Fluminense de Feira-BA, por 2 a 0, na primeira fase da competição e não conseguiu o sonhado acesso à Série B, após ser eliminado pelo clube que viria a se sagrar campeão do torneio, o Operário-PR.

Entre as derrotas em 2017, o Santa Cruz conseguiu conquistar o terceiro lugar do Campeonato Pernambucano, em decisão contra o Náutico. Porém, como os dois clubes acabaram classificando para a Copa do Nordeste, a vitória, em tese, foi apenas classificatória, uma vez que, os dois clubes já haviam sido eliminados da competição por Salgueiro e Sport, respectivamente.

O último time bem sucedido em um mata-mata foi o que se classificou contra o Itabaiana. A equipe era muito diferente da que entrará em campo contra o Sinop, no estádio Massami Uriu, na próxima quinta-feira, às 20h30 (horário do Recife). Dos onze titulares daquela partida, em 2017, não há remanescentes no atual elenco tricolor. O time era comandado pelo técnico Vinícius Eutrópio e foi escalado com Julio Cesar; Vitor, Anderson Salles, Bruno Silva e Tiago Costa; Federico Gino, David, Thomás, André Luís e Everton Santos (Pereira); Halef Pitbull.

Diário de Pernambuco

Natural do Rio de Janeiro, é jornalista formado pela Favip. Desde 1990 é repórter do Jornal VANGUARDA, onde atua na editoria de política. Já foi correspondente do Jornal do Commercio, Jornal do Brasil, Folha de S. Paulo e Portal Terra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.