Políticos repercutem prisões de Michel Temer e Moreira Franco

A prisão preventiva do ex-presidente Michel Temer e do ex-ministro Moreira Franco foi o assunto mais comentado no Congresso Nacional nesta quinta-feira (21). Os caciques do MDB são acusados de receber propina de obras relacionadas à Usina Nuclear Angra 3, no Rio de Janeiro.

De acordo com os investigadores, Temer estaria envolvido em um esquema de corrupção que movimentou um bilhão e 800 milhões de reais nos últimos 40 anos. O presidente Jair Bolsonaro, que está no Chile, afirmou que cada um deve responder pelos seus atos.

“A justiça nasceu para todos e que cada um responda pelos seus atos. E o que levou a esta situação, pelo que parece, são os acordos políticos dizendo-se em nome da governabilidade. A governabilidade você não faz com este tipo de acordo no meu entender. Se faz indicando pessoas sérias e competentes ao integrar o seu governo. É assim que eu fiz no meu governo: sem acordo político, respeitando a Câmara e o Senado brasileiro”, afirmou Bolsonaro.

O deputado Daniel Coelho (PPS-PE) defende que o país tem um erro na cultura política e que esse cenário só vai mudar se o povo defender a autonomia da Lava Jato, do Ministério Público e da Polícia Federal.

“Nós temos governadores, ex-presidentes da Câmara, dois ex-presidentes da República, todos investigados, sendo punidos, cada um pelos crimes que cometeu. Se a gente quer limpar o Brasil, a gente vai agir desta forma. É evidente que tem um erro na cultura política brasileira. Não é a toa que dois ex-presidentes de posições antagônicas estão presos hoje no Brasil. Então há um erro na cultura política. Só vai consertar, se a gente defender a autonomia da Lava Jato, a autonomia do Ministério Público e da Polícia Federal para que eles façam o seu trabalho”, ressaltou o parlamentar.

De acordo com o deputado Alessandro Molon (PSB-RJ), apesar de ser uma vergonha para o país ter outro ex-presidente da República preso, isso mostra que a justiça está sendo feita.

“O desejo da população brasileira é de que as investigações, os processos criminais contra quem desviou o dinheiro público, prossigam. Portanto, certamente, é uma boa notícia essa prisão para o país, é um sinal de que a justiça está sendo feita e começam a responder, perante os tribunais e atrás das grades, àqueles que já deveriam estar presos há muito tempo. Certamente, um ex-presidente da República que é preso é, de um lado, uma vergonha para um país, mas, de outro lado, é um sinal de que a justiça está sendo feita, não importa contra quem”, comentou o deputado.

As prisões preventivas realizadas nesta quinta-feira (21) foram pedidas pelo Ministério Público Federal e determinadas pelo juiz da 7ª Vara Federal Criminal, Marcelo Bretas. Este é mais um desdobramento da Lava Jato, que investiga os pagamentos ilegais direcionados para políticos durante a construção da usina nuclear. Na investigação, são apurados crimes de corrupção, peculato e lavagem de dinheiro.

A defesa do ex-presidente Michel Temer entrou com pedido de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) na tarde desta quinta-feira (21). O recurso já está nas mãos do desembargador federal Ivan Athié, e, até o término desta edição, estava sob análise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.