Autônomo é executado com golpes de muleta

Flávio foi morto em frente à Rodoviária de Caruaru. Foto: Pedro Augusto

Pedro Augusto

O expediente mal havia começado e a população de Caruaru teve de presenciar mais uma cena de terror provocada pela violência. Sem hora nem local para acontecer, um crime de morte acabou sendo registrado em plena 8h da última quarta-feira (27), na BR-104, mais precisamente na travessia de pedestre que fica em frente ao Terminal Rodoviário de Caruaru. Desta vez, a vítima foi o autônomo Flávio Dias Araújo, de 36 anos, o “Neguinho”.

De acordo com informações repassadas pela Polícia Civil, ele foi morto com golpes de muleta pelo suspeito Guaris Alves de Oliveira, de 52 anos. Este último é portador de necessidades especiais e teria assassinado brutalmente a vítima sem qualquer motivo aparente. Pelo menos foi o que confirmou, na cena do crime, o comissário da Civil, Marcílio Farias.

“Ele matou a vítima não só em frente ao Terminal Rodoviário, mas também nas imediações do 4º Batalhão da Polícia Militar. Não a conhecia e provavelmente teve um surto psicótico. Conduzido até a 20ª Delegacia de Homicídios, ele alegou na sua ouvida que o Flávio teria matado o seu filho na noite anterior, o que não foi confirmado. A princípio foi autuado em flagrante, mas passará por audiência de custódia, bem como por perícia médica para ficar comprovada, ou não, a sua debilidade também mental.”

Segundo o ambulante José Justino, que comercializa lanches às margens da Rodoviária de Caruaru, tanto o Flávio como o Guaris são conhecidos na sua área de atuação. “O primeiro vendia acessórios para celular, já o segundo era pedinte. Desconheço qualquer desavença que tenha havido entre eles. Escutei as pancadas e quando olhei para frente, vi o Flávio já morto. Um policial militar acabou prendendo de imediato o Guaris”, comentou.

Segundo o levantamento cadavérico do Instituto de Criminalística, os golpes de muleta atingiram principalmente o rosto da vítima. “O detalhe é que mesmo já caída no asfalto, a vítima continuou sendo atingida com os golpes de maneira brutal”, acrescentou Marcílio. O corpo de Flávio Dias foi encaminhado ao IML de Caruaru.

Desempregado

Na noite anterior (26) à morte do autônomo Flávio Dias, a Polícia Civil de Pernambuco computou o homicídio do desempregado Marcelo Pereira Silva, de 25 anos, o “Germe”. De acordo com as primeiras investigações da polícia, ele estava dentro de casa, quando foi atender a um chamado de uma mulher. Assim que abriu a porta, acabou sendo atingido à bala por criminosos.

Na tentativa de escapar, a vítima ainda chegou a correr para o quintal, porém não resistiu aos ferimentos. Marcelo, segundo confirmou a irmã Jéssica Silva, era envolvido com o tráfico de drogas. Usuário de maconha e cocaína, a suspeita é de que ele tenha sido morto devido ao não pagamento de dívidas com traficantes. O corpo dele foi encaminhado ao IML local.

Pedro Augusto é jornalista e repórter do Jornal VANGUARDA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.