PE registra 6.776 ataques de animais peçonhentos

Pernambuco registrou 6.776 vítimas de acidentes com animais peçonhentos do mês de janeiro ao mês de abril deste ano. Desse total, 5.354 foram com escorpião.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), o agravo no número de casos entrou na Lista de Notificação Compulsória do Estado, que alertou sobre a necessidade de comunicação imediata dos casos aos serviços de vigilância e controle de zoonoses com o intuito de que estratégias e ações de prevenção sejam elaboradas.

Dos 6.776 casos registrados até o mês de abril deste ano, 5.354 foram com escorpião, 878 com abelhas, 425 com serpentes e 119 com aranha. Em 2018, foram notificados 17.501 acidentes com escorpião, 2.621 com abelhas, 967 com serpentes e 308 com aranhas.

Leia também:
São Paulo tem maior número de acidentes com escorpiões em 30 anos
Secretaria de Saúde divulga aumento de ataques de escorpiões em PE
Ataques de animais peçonhentos crescem em Pernambuco

Para debater sobre a incidência dos acidentes com animais peçonhentos, a SES reúne na manhã desta nesta segunda-feira (3), no bairro do Bongi, na Zona Oeste do Recife, médicos e enfermeiros das urgências e emergências de hospitais públicos do Estado, além de profissionais das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e da atenção primária e regulação médica de Pernambuco.

De acordo com a gerente do Centro de Assistência Toxicológica de Pernambuco (Ceatox), Lucineide Porto, se o paciente atacado não for tratado da forma correta, o quadro pode evoluir para óbito ou desencadear até mesmo uma doença crônica. ”Promover a atualização dos profissionais de saúde é importante para proporcionar maior brevidade nos atendimentos das pessoas envolvidas em acidentes com animais peçonhentos”, afirmou.

Segundo a SES, os grupos com maior exposição aos ataques de escorpião são as crianças, idosos, trabalhadores da construção civil e donas de casa. A secretaria alerta que entulhos armazenados em residências e vias públicas podem atrair não somente os animais, mas também baratas e insetos, que são presas deles.

“Se picado por escorpião, o indicado é lavar a área com água e sabão e procurar uma unidade de saúde. Uma observação importante é manter o local da picada em repouso e não fazer uso de qualquer medicação sem prescrição médica”, acrescentou a gerente do Ceatox.

Hospitais de referência para Tratamento de Acidentes com Animais Peçonhentos em Pernambuco:

Hospital da Restauração – Recife (cobra e escorpião)
Hospital Jaboatão Prazeres – Jaboatão dos Guararapes (escorpião)
Hospital João Murilo – Vitória de Santo Antão (escorpião)
Hospital Belarmino Correia – Goiana (escorpião)
Hospital Mestre Vitalino – Caruaru (cobra e escorpião)
Hospital Regional Ruy de Barros Correia – Arcoverde (cobra e escorpião)
Hospital Professor Agamenon Magalhães – Serra Talhada (cobra e escorpião)
Hospital Regional Inácio de Sá – Salgueiro (cobra e escorpião)
Hospital Regional Fernando Bezerra – Ouricuri (cobra e escorpião)
Hospital Universitário – Petrolina (cobra e escorpião)

Folhape

Pedro Augusto é jornalista e repórter do Jornal VANGUARDA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.