Tudo ou nada para o Central

Pedro Augusto

A derrota para o Maranhão por 4 a 3, no domingo passado (2), no Estádio Castelão, complicou a vida do Central na Série D, entretanto, a equipe caruaruense ainda tem chances de passar para a segunda fase. Para isso, terá de ganhar do Atlético Cearense, neste domingo (9), a partir das 18h, no Estádio Luiz Lacerda, secar o Altos contra o Maranhão, no mesmo dia e horário, no Lindolfo Monteiro, e também garantir a sua presença no seleto grupo dos 15 melhores segundos colocados das 17 chaves em disputa pela competição.

Isso porque o Atlético não só está na liderança do grupo A5, mas, de quebra, já se encontra com a vaga garantida para a próxima etapa, haja vista que tem 15 pontos e não pode ser mais alcançado matematicamente nem por Central (2º colocado com seis pontos), Altos (3º com os mesmos seis pontos, mas com o saldo de seis gols a menos em relação à Patativa), tampouco pelo Maranhão, com apenas três pontos somados, na lanterna da chave.

Mesmo com os placares adversos nos dois últimos compromissos válidos pela 4ª Divisão, Celso Teixeira, que por muito pouco não foi demitido esta semana do comando técnico do Central, mantém o discurso de otimismo quanto à classificação. “Torcedor tem toda razão de ter ficado chateado com as últimas derrotas, porém precisamos de seu apoio para conseguirmos passar de fase. Só a vitória interessa diante do Atlético. Será uma partida bastante difícil, mas possuímos condições de alcançarmos o resultado positivo”, disse Celso.

Até o fechamento desta editoria, o treinador alvinegro não havia dado pistas quanto à formação da equipe diante do Atlético.

No próximo sábado (15), data que marcará o aniversário de 100 anos do Central, o Jornal VANGUARDA veiculará um caderno especial recontando jogos memoráveis da história centralina. Nele, os torcedores alvinegros poderão conferir a partida em que a Patativa se sagrou pela primeira vez campeã da LDC, a que marcou a transferência do craque Tcháu para o Botafogo-RJ, as vitórias espetaculares sobre o Flamengo e o Santa Cruz, respectivamente, pelo Brasileirão da Série A e B, além de tantas outras inesquecíveis na trajetória de muitas emoções do maior time do Interior de Pernambuco.

Pedro Augusto é jornalista e repórter do Jornal VANGUARDA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.