Hemope: Almir Rouche e quadrilha Lumiar animam doadores

Desde o início do mês, a Fundação Hemope está em campanha para reforçar os estoques de sangue durante o período junino. Com o mote “Neste São João, transforme a solidariedade num momento arretado de bom. Doe Sangue no Hemope”, o objetivo é ampliar em 30% o número de doações. Para chamar a atenção do público, nesta quinta (13.06), às 10h, o cantor Almir Rouche e representantes da quadrilha Lumiar estarão no Hemocentro Recife, nas Graças, levando conscientização ao público no ritmo da festa mais tradicional do Estado.

“Precisamos estar abastecidos para atender as demandas dos hospitais públicos e privados para os atendimentos de vítimas de acidente de trânsito e de queimadura durante este período”, afirma a diretora-presidente da Fundação Hemope, Gessyanne Paulino. Atualmente, oito unidades do Hemope fazem coleta de sangue. Além do Hemocentro Recife, a população pode procurar os serviços localizados em Caruaru, Garanhuns, Arcoverde, Salgueiro, Petrolina, Ouricuri e Serra Talhada para fazer a doação. Há, ainda, uma unidade coleta no Hospital da Restauração (HR).

Para doar, é preciso ter entre 16 e 69 anos e ter mais de 50 kg. Para os menores de 18 anos, é necessário autorização e acompanhamento de um responsável durante a doação. No caso de maiores de 60 anos que queiram realizar a doação pela primeira vez, a iniciativa deve ser aprovada por um médico. É importante que o doador faça uma refeição leve antes do ato. Não pode doar quem estiver em jejum prolongado (mais de 12 horas).

DATA COMEMORATIVA – Além de celebrar os festejos juninos, que também contará com a participação do cantor, compositor e sanfoneiro Paulinho do Acordeon e do trio Pé de Serra, a ação desta quinta (13.06) lembra, ainda, o Dia Mundial do Doador de Sangue, comemorado na sexta (14.06). “Estamos na campanha de São João, mas precisamos sensibilizar os doadores sobre a importância do ato, que pode ser repetido a cada três meses, no caso dos homens, e quatro no das mulheres”, ressalta Gessyanne Paulino.

Em 2018, os hemocentros pernambucanos realizaram 127.307 coletas de sangue. Isso significa uma queda de 4% em relação a 2017, com 132.732 coletas. “Vem sendo notado nos últimos anos uma oscilação no quantitativo de doações, por isso nossa busca constante por doadores regulares e permanentes para assegurar os estoques estratégicos e continuar atendendo em torno de 90% da demanda de sangue do SUS em Pernambuco”, pontua a diretora-presidente da Fundação.

Pedro Augusto é jornalista e repórter do Jornal VANGUARDA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.