Dezembro de chuvas no Sertão

O mês de dezembro começou com chuvas fortes no Sertão pernambucano. O Instituto Nacional de Meteorologia emitiu um alerta de chuvas intensas para a região do Araripe e do Pajeú, com possibilidade de ventanias, quedas de árvores e descargas elétricas. Embora os meteorologistas digam que é comum ocorrer grandes precipitações na região “de uma só vez”, há quem acredite que a abundância de água é sinal de fartura no fim de ano. De acordo com a Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac), a tendência é de que as nuvens se dissipem em três dias.

Em Petrolina, a 712 km do Recife, onde choveu 37,7mm em 24 horas mais do que toda a precipitação prevista para o mês, foram registradas diversas ocorrências, como alagamentos de ruas, queda de árvores sobre veículos e muitas pessoas desabrigadas. Em Moreilândia (região do Araripe) e Cabrobó, nos últimos cinco dias choveu 20% a mais do que o dobro previsto para dezembro.

“Dois sistemas meteorológicos estão provocando essas fortes chuvas no Sertão do estado. O primeiro é uma zona de convergência do Atlântico Sul, que forma um corredor de umidade da Amazônia até o oceano. Ele dura de seis a oito dias (o registro inicial de chuvas intensas foi no dia 1º de dezembro). O outro é o vórtice ciclônico de altos níveis formado em consequência do primeiro, que tem duração de cinco a sete dias. Uma das características deles é que as chuvas não são contínuas, mas em formato de pancadas. Também formam nuvens intensas (altas e escuras), que ficam bastante carregada no fim da tarde/início da noite”, explicou o meteorologista da Apac, Thiago do Vale.

Segundo ele, a maior precipitação se deu no município de Trindade, a 665 km do Recife, na região do Araripe, quando choveu 65mm entre as 9h da última terça e às de ontem. Em São José do Belmonte, caiu 50mm de água nessas mesmas 24 horas. No caso de Petrolina, o índice de 37,7mm registrado pela Apac é 5% maior que a média histórica do mês de dezembro. Ainda de acordo com a agência, 57 municípios do Sertão pernambucano foram atingidos pelas fortes chuvas, sobretudo região do Araripe.

“Por enquanto, não há alerta de chuva forte para nenhuma área de Pernambuco. A tendência agora é de que as precipitações continuem enquanto os sistemas estiverem ativos mas diminuam até que eles percam a força e se dissipem. É importante observar que, durante esses cinco dias, as chuvas aconteceram de forma de isolada. Ou seja, eram fortes mas pontuais, que podiam cair em um município e não em outro no mesmo horário e dia”, completou o meteorologista.

Segundo a Companhia Pernambucana de Saneamento, muitas cidades da região são abastecidas pelas adutoras do Rio São Francisco. Por isso, as chuvas que caíram nos últimos cinco dias não influenciaram o cenário hídrico local.

Diario de Pernambuco

Tia do estudante de medicina morto no Paraguai diz que laudo aponta morte súbita

O corpo do estudante de medicina Anderson Araújo, encontrado morto em um apartamento no Paraguai, deverá chegar ao Recife nesta quinta-feira (6) de acordo com informações repassadas por uma tia do rapaz. Ainda segundo ela, o laudo apontou para morte súbita, já que não houve ingestão de substâncias tóxicas ou álcool nas 48 horas que antecederam a morte.

O corpo será transportado de carro até a metade do percurso, por questão de custos. Ao passar da fronteira entre Paraguai e Brasil, a família vem de avião para o Recife. Velório e enterro devem ocorrer no Parque dos Arcos, em Caruaru, cidade do Agreste de Pernambuco onde a família do rapaz vive. O horário ainda não foi confirmado.

A família de Anderson recebe orientações – sobre liberação e repatriação do corpo – do consulado brasileiro em Salto do Guaíra, que foi notificado pelas autoridades do Paraguai.

As investigações do caso, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty), ficarão a cargo do governo e da polícia paraguaios. “Em atenção à Lei de Acesso à Informação e em respeito à privacidade do cidadão, esta assessoria não está autorizada a fornecer informações de cunho pessoal sobre o caso”, dizia a nota do Itamaraty.

Entenda o caso
O estudante de medicina pernambucano Anderson Araújo, 36 anos, foi encontrado morto na terça-feira (4) no condomínio Towers Residencial, localizado em Salto del Guairá, no Paraguai. Cursando o sexto período de medicina na Universidade Sudamericana, Anderson era do município de Caruaru, Agreste do Estado, e estava no Paraguai para estudar. Segundo a tia do rapaz, Thamar Lígia Barbosa, ele pretendia retornar ao país no dia 15 de dezembro para celebrar as festividades de fim de ano.

“Não conseguimos entender o que aconteceu. Ele era um rapaz muito tranquilo. Estamos muito abalados com tudo isso”, afirmou. “Uma colega tinha falado com ele na quarta-feira (28), no dia seguinte os colegas estranham a ausência dele. Dias depois os vizinhos notaram um mau cheiro vindo do apartamento e chamaram a polícia, que o encontrou morto”, comentou. Anderson tinha planos de transferir o curso de medicina para o Recife. Divorciado, ele deixa uma filha de 15 anos.

Folhape

Em Pernambuco, 1,2 milhão de pessoas vivem em extrema pobreza

Cinco pessoas em casa e uma renda de R$ 100 para todos. Essa é a realidade de Rúbia Ferreira da Silva, 33 anos, que vive juntamente com quatro filhos em uma casa de madeira no bairro dos Coelhos, área central do Recife. Rúbia está no contingente da população brasileira que é enquadrado em situação de extrema pobreza. Tanto no Brasil como em Pernambuco esse contingente aumentou – isso significa que mais pessoas estão vivendo com renda inferior a R$ 140 por mês de acordo com a linha proposta pelo Banco Mundial. Segundo a pesquisa divulgada pelo IBGE, no Brasil, 15,2 milhão de pessoas viveram em extrema pobreza no ano passado contra os 13,5 mi de pessoas em 2016. Em Pernambuco, 1,2 mi de pessoas viveram na situação em 2017 enquanto em 2016 foram 1,1 milhão de pessoas.

“A minha renda é das latinhas de lixo que eu fico catando durante a semana. Com as latinhas que eu recolho, consigo ganhar entre R$ 20 e R$ 30. O aluguel do barraco que eu vivo com meus quatro filhos custa R$ 100, mas meu ex-marido que manda o dinheiro pra eu pagar”, contou Rúbia, que ainda tem mais cinco filhos, mas que não moram com ela. “O dinheiro que pego eu compro comida porque roupa é de doação das pessoas”, disse.

De acordo com o economista da Fecomércio-PE Rafael Ramos, esse é um reflexo da crise econômica. “Com a crise, vem o desemprego. E o desemprego é um dos principais causadores desse cenário. Isso faz reduzir a renda, o que diminui o rendimento médio da família”, explicou Ramos, ao acrescentar que Pernambuco foi um dos estados em que o desemprego atingiu de forma mais intensa. Na última pesquisa do IBGE, referente ao terceiro trimestre de 2018, Pernambuco apresentou a quarta maior taxa de desocupação no Brasil, o equivalente a 703 mil pessoas. No País, 12,4 milhões de pessoas estão desempregadas.

Da mesma forma, o número da população que vive na pobreza cresceu. Esse cenário abrange as pessoas que têm rendimento de até R$ 406 por mês. No País, mais 2 milhões viveram nessa situação entre 2016 e 2017 – o contingente passou de 52,8 mi de pessoas para 54,8 mi de pessoas. Em Pernambuco, esse número passou de 3,7 mi de pessoas para 3,8 mi de pessoas. “A maior incidência está nos estados do Nordeste, região que apresenta os maiores índices de pobreza”, comentou o analista da pesquisa do IBGE, Leonardo Athias.

Esse resultado é estrutural no País, segundo a socióloga Maria Eduarda Rocha. “Isso é a extrema polarização no Brasil, uma concentração de renda. Ou seja, há uma diferença grande de quem ganha muito e de quem ganha pouco. A partir da crise econômica muitas pessoas migraram do trabalho formal para o informal ou perderam o emprego”, analisou a socióloga.

Folhape

Samu Agreste recebe novas ambulâncias

Ontem (05) foi realizada a cerimônia de entrega de duas novas ambulâncias para substituir as antigas da frota do Samu Agreste. Os veículos são fruto de uma solicitação da prefeita Raquel Lyra e da secretária de Saúde Ana Maria Albuquerque junto ao Ministério da Saúde.

“Fomos até Brasília lutar para trazer essas novas ambulâncias do SAMU. Conseguimos uma no início do ano e agora mais duas. É uma vitória pra gente e, principalmente, para quem precisar usar esses equipamentos, pois estão todos em ótimas condições de uso e serviço”, declarou a prefeita de Caruaru.

Atualmente, o Samu faz a regulação de 53 municípios da 2ª Macrorregião IV e V Região de Saúde. Em Caruaru existem quatro ambulâncias básicas e uma de suporte avançado, além de duas motolâncias.

Boteco Difusora conta com programação nesta quinta (06) e sexta (07)

O Boteco Difusora está fazendo o maior sucesso entre o público que quer aproveitar o fim do expediente para encontrar com os amigos e curtir aquela música bacana. Somado a isso tudo, ainda tem a variedade gastronômica que o Shopping Difusora oferece, já que o projeto acontece de quinta a sábado, nas Praças de Alimentação. Vale destacar que as apresentações são gratuitas.

Para quem quiser conferir os shows que estão sendo realizados nas Praças de Alimentação, basta ficar de olho na programação: Nesta quinta (06), a animação fica por conta da apresentação de Jessy Black. Já na sexta (07), é a vez do cantor Ângelo Loyo mostrar todo o seu talento. Lembrando que as apresentações são gratuitas e começam a partir das 18h30.

Serviço

Boteco Difusora

Onde: Praças de Alimentação do Shopping Difusora

Quando: Quinta (06) e sexta (07), às 18h30

Local: Praças de Alimentação do primeiro e segundo piso

O projeto é gratuito

Sexta tem mais uma edição do Projeto Colmeia

Com o intuito de promover o bem-estar à população, o Sesc Garanhuns realiza, nesta sexta-feira (7/12), mais uma edição do Projeto Colmeia. Das 9h às 14h, serão oferecidos serviços de saúde e cidadania gratuitamente, em frente ao ginásio da Unidade, na Rua Benigno Lira. A expectativa da organização é que sejam realizados mais de 10 mil atendimentos.

Na área da saúde, serão oferecidas consultas médicas, exames de tipagem sanguínea, teste de glicemia, teste rápido de HIV, atendimento psicológico, aplicação de flúor e avaliação bucal. Em relação à assistência social e cidadania, haverá cadastro e atualização cadastral de programas do Governo Federal como o NIS, o Cadastro Único e a Carteira do Idoso, além de serviços rápidos oferecidos pelo Detran-PE, como consultas, detalhamento de débito e marcação para emissão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Serão realizadas ainda atendimento jurídico, uma oficina de produtos naturais e exposição e orientação sobre animais peçonhentos.

“Ao realizar o Projeto Colmeia, o Sesc atinge um de seus objetivos, que é o de promover o bem-estar da população. Nossos parceiros sempre trazem serviços de qualidade que contribuem para o sucesso do evento”, ressalta Ivânia Barros, gerente do Sesc Garanhuns. Este ano o projeto é promovido em parceria com o Exército, Senac, Secretaria Municipal de Saúde e Assistência Social, Corpo de Bombeiros, Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), Universidade de Pernambuco (UPE), Detran, INSS, Uniodonto, Hinode, Laboratório Adolfo Lutz, Academia duo, Newts life, Unopar e Aesga.

Serviço: Projeto Colmeia

Data: 7 de dezembro

Horário: 9h às 14h

Local: Em frente ao ginásio da Unidade, na Rua Benigno Lira

Informações (87) 3761-2658

/**/

Sesc contribui para decoração de Natal de Pesqueira

Pesqueira está se enfeitando para as festas natalinas e se preparando para a chegada do Papai Noel, prevista para a tarde da próxima sexta-feira (07/12). E o Sesc é um dos parceiros que estão trabalhando na produção da decoração da Praça Dom José Lopes, localizada no Centro da cidade. Funcionários, alunos e usuários da Unidade, além de servidores da Secretaria de Cultura e Turismo do município se revezam na montagem das peças, que devem ficar prontas até quinta (06).

São bonecos de neve e velas, todos com dois metros de altura. Para a montagem dos bonecos, estão sendo utilizadas garrafas pet (cerca de 1.200 unidades), pneus usados e acrilon (espécie de algodão sintético para enchimento de almofadas). Já as velas são feitas com caixas de ovos. Todo o material foi coletado pela Secretaria de Cultura e Turismo. As estruturas são de metal cobertas com telas de arames para fixar as pecinhas que dão forma aos adereços.

“O viés sustentável da iniciativa versa no aproveitamento de materiais recicláveis, que poderiam ser descartados de modo sustentável, encaminhando para cooperativas de catadores, mas podendo ser destinado para aterro. O mais importante é utilizar esses adereços nos próximos anos, efetivando a ideologia do reuso e do aproveitamento de material reciclado para decorações sazonais”, ressalta Elisabete Lacerda, coordenadora regional de Sustentabilidade, Ciências e Humanidade do Sesc Pernambuco.

“A Prefeitura nos convidou, através do secretário de Cultura e Turismo Nilo Moraes, para participar desse processo e para nós está sendo muito importante, principalmente pelo envolvimento de toda a equipe, dos nossos alunos, de todos aqueles que vêm à Unidade para usufruir de nossos serviços. Tenho certeza de que a festa de Natal de Pesqueira será linda”, afirma Ticiana Prudêncio, gerente do Sesc Pesqueira.

Pesquisa inédita do Ipea revela que 56 mil jovens no Recife nem trabalham nem estudam

O estudo “Millennials na América e no Caribe: trabalhar ou estudar?”, lançado no Brasil na segunda-feira (03), na sede do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em Brasília, apresenta uma radiografia da juventude da região a partir de dados de 15 mil jovens de 15 e 24 anos, moradores de áreas urbanas de nove países: Brasil, Chile, Colômbia, El Salvador, Haiti, México, Paraguai, Peru e Uruguai.

A pesquisa revela que em média 21% dos jovens, o equivalente a 20 milhões de pessoas, não estudam nem trabalham. Enquanto isso, 41% se dedicam exclusivamente ao estudo e/ ou capacitação, 21% só trabalham, e 17% trabalham e estudam ao mesmo tempo. No Brasil, o estudo foi feito com 1.488 jovens do Recife e aponta que os indicadores educacionais do público jovem cresceram: 71% na faixa de 15 a 17 anos apenas estudam. Com isso, a taxa de alfabetismo é de apenas 1% entre jovens de 15 a 24 anos com ensino fundamental e consequentemente 53% na faixa dos 19 anos tem ensino médio, conforme dados de 2015.

Entre aqueles que só trabalham temos 25% entre os 23 e os 24 anos. Por outro lado, a tendência dos jovens que não estudam ou trabalham chegam a 10% em sua maioria entre a faixa dos 15 aos 17 anos. “Temos no Brasil 56 mil jovens que não estudam e não trabalham, mas são jovens que aspiram ter emprego e estudar. Eles querem alcançar o nível superior e acreditam ser possível alcançar o nível superior, além de terem confiança na possibilidade de alcançar o mercado de trabalho atuando na profissão que desejam. Esta nova geração é bastante otimista com relação a suas metas”, destaca a pesquisadora do Ipea, Joana Costa, uma das responsáveis pela condução do trabalho no Brasil.

Realizado pelo Ipea em parceria com a Fundación Espacio Público do Chile, o Centro de Pesquisa para o Desenvolvimento Internacional (IRDC) do Canadá, e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o trabalho mostra que, apesar das habilidades cognitivas, técnicas e socioemocionais dessa geração, as possibilidades educacionais e as oportunidades do mercado de trabalho limitam o seu desenvolvimento e sua posição na sociedade. Em todos os países pesquisados, há um contingente expressivo de jovens que não trabalham nem estudam, em sua maioria de famílias com menos recursos. As taxas são maiores no México (25%), em El Salvador (24%), no Brasil (23%) e no Haiti (19%), por razões como crise econômica, falta de políticas públicas, problemas de saúde ou de ordem médica, obrigações familiares com parentes e filhos, entre outros. O estudo revela assim que o Brasil tem um dos maiores percentuais de jovens que não trabalham e não estudam.

As diferenças entre homens e mulheres jovens são evidentes no levantamento. Entre aqueles que não trabalham e não estudam, o número de mulheres chega a ser o dobro de homens. Esse fenômeno quase triplica em países como El Salvador e Brasil, no qual Recife, capital pernambucana, foi escolhida como cidade referência para a coleta de dados. Temos uma média de 26,3% entre o público feminino contra 17,5% entre o masculino. E uma das curiosidades apontadas no levantamento é o índice elevados de nascimentos em mulheres jovens de 15 a 19 anos (68,4/1000), que é o quarto lugar da América do Sul, à frente apenas da Bolivia, Equador e Venezuela.

A pesquisa indica, ainda, que 70% dos jovens que trabalham são empregados em atividades informais. Entre aqueles que estão dentro do mercado formal há uma alta rotatividade de mão de obra. No Brasil, a rotação excessiva no mercado de trabalho é outro fator que compromete a trajetória de futuro da produtividade e de remuneração dos jovens. Nesse estudo internacional, realizado entre março e maio deste ano, em nove países, esse público costuma se desligar do trabalho após um ano, e com isso cresce o índice de desemprego: cerca de 16% entre aqueles que tem 23 e 24 anos; quase 24% entre a faixa de 18 a 22 anos; e aproximadamente 32% entre jovens com idade entre 15 e 17 anos. A baixa permanência no emprego e a informalidade são mais comuns que o desemprego de longa duração.

No mercado formal brasileiro, o investimento em treinamentos e no incentivo do capital humano está reduzindo, e com isso que o público jovem é o mais afetado em virtude de escolaridade e de formação. A qualificação ainda é um entrave para sua inserção no mercado de trabalho, segundo o levantamento, embora os indicadores educacionais estejam melhorando. O desemprego é elevado e alcança a média de 32,4% entre aqueles com 15 a 17 anos, 23,68% para aqueles com 18 a 22 anos, 15,51% para os de 23 e 24 anos, e 9,96 para aqueles entre 24 e 60. Desta forma, são também altas as taxas de informalidade e desemprego, chegando a 37% entre os jovens de 23 a 24 anos, 43% de 18 a 22 anos e 79% na faixa de 15 a 17 anos. Em relação ao público adulto, a informalidade é um pouco menor, ainda que crescente: cerca de 35% entre aqueles que estão com idade entre 25 e 60 anos.

Apesar da pesquisa observar que 40% dos entrevistados não são capazes de executar cálculos matemáticos muito simples e úteis para o seu dia a dia, há também resultados animadores: os jovens analisados, com exceção dos haitianos, têm muita facilidade de lidar com dispositivos tecnológicos, como também possuem altas habilidades socioemocionais. Os jovens da região apresentam altos níveis de autoestima e de autoeficácia (capacidade de se organizar para atingir seus próprios objetivos). Contudo, no Brasil, a proporção de alunos com baixo desempenho em matemática chega a 70,3% e é superior a todos os outros países da América Latina e do Brasil.

Nesse contexto, o estudo pontua a necessidade de investimentos em treinamento e educação dos jovens. Nas conclusões, os pesquisadores sugerem a adoção de políticas públicas que ajudem os jovens a fazer uma transição bem-sucedida de seus estudos para o mercado de trabalho. As autoras responsáveis pelo estudo com os jovens brasileiros, as pesquisadoras do Ipea Enid Rocha e Joana Costa, destacam que no Brasil há cerca de 563 mil de jovens com idade entre 15 e 24 anos, o que corresponde a cerca de 22% da população, em um levantamento realizado em Recife, escolhida estrategicamente para representar o Brasil no estudo. “Primeiramente, escolhemos fazer a pesquisa em um centro urbano e o Nordeste foi escolhido como área específica, pois observamos que o público da região estava sujeito a uma condição mais vulnerável. Então, comparando com a média nacional, o jovem do Nordeste tem menor nível de escolaridade, enfrenta uma taxa de desemprego maior, encara um maior índice de informalidade no mercado de trabalho. Então, Recife foi escolhida porque apresenta uma alta taxa de desemprego. Quando analisamos a proporção de jovens que não tem emprego e que não estudam, percebemos que Recife tinha uma média bem parecida com a média do Nordeste, como um todo”, comenta Joana.

Com o objetivo de identificar novos critérios de avaliação das vulnerabilidades dos jovens no mercado de trabalho, a pesquisa observou que cerca de 200 mil jovens, entre 16 e 18 anos, que estavam fora da escola, do trabalho e da formação, e que não figuravam nas estatísticas oficiais do desemprego. Chamados de “nem-nem” são os que mais identificam a violência, a insegurança e as drogas, como constantes ameaças que os afasta das aspirações educacionais e profissionais. Por isso, a categoria dos jovens que não trabalham e não estudam não podem ser categorizados de forma pejorativa, então, devem ser entendidos como aqueles que tentam evitar os riscos das ruas, já que se trata de um grupo que realizam suas atividades diárias principalmente no âmbito doméstico.

Prefeitura de Caruaru forma mais 16 turmas do Programa Qualifica Caruaru

Foi com muita festa e celebração que ocorreu a cerimônia de encerramento de 16 cursos do Programa Qualifica Caruaru. O evento promovido pela Prefeitura de Caruaru, através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SDSDH), aconteceu no Senac Caruaru, nesta quarta-feira (05) e reuniu 191 concluintes que receberam os certificados e os kits de iniciação profissional referentes aos cursos de qualificação promovidos pela SDSDH e Secretaria de Sustentabilidade e Desenvolvimento Rural de Caruaru (Suder).

A formatura contemplou os formandos dos cursos de cabeleireiro, corte e costura, desenvolvimento web, design de sobrancelhas, ecocondutor, espanhol básico, informática, informática básica, manicure/pedicuro, manutenção de computadores, marketing pessoal de elaboração de currículo, mundo do trabalho, photoshop, prezi, relação trabalho e cidadania e ultrassonografia natural.

Foi uma cerimônia pontuada por diversas apresentações que contou com o Coral Cantando a Vida (da Secretaria de Políticas para Mulheres), da Orquestra de Pífanos – Eita, Pifô!, da Orquestra de Violinos do SCFV, do Grupo de Dança de Salão da Terceira Idade e do Grupo de Pastoril da Terceira Idade do SCFV. A culminância ficou por conta de um desfile de moda onde as alunas de corte e costura trajaram as roupas produzidas por elas próprias durante as aulas.

O Programa Qualifica Caruaru é uma iniciativa da Prefeitura de Caruaru e já promoveu 21 cursos de diversas áreas em vários locais do município e formou 281 pessoas, desde o lançamento, em agosto de 2018. “O Qualifica é um sonho de todos nós, com a coordenação de um grupo de trabalho trazido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico / Economia Criativa (Sedeec) e a efetiva colaboração e execução da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. Cada aluno ou aluna aqui presente demonstra a determinação de se qualificar e nos mostra que o que a gente precisa fazer é dar oportunidade”, destacou a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra.

A secretária da SDSDH, Perpétua Dantas, citou a união formada por diversas pastas da prefeitura que possibilita a execução do programa e concentra todos os projetos voltados para a qualificação profissional desenvolvidos por cada secretaria, sendo elas: Suder, Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM), Educação, SDSDH e Sedeec. “Hoje, a prefeita Raquel Lyra cumpriu uma promessa de seu plano de governo que é dar início à essa grande qualificação profissional para quem precisa. O mercado de trabalho está muito seletivo, exigente, e o desemprego está reinando, então a gente tem, enquanto poder público, a responsabilidade cidadã de qualificar as pessoas para que elas tenham competitividade e oportunidade no mercado de trabalho”, destacou Perpétua.

Secretário Executivo de Esportes de Pernambuco participa do Lídercast Café Brasil

Em sua décima temporada, o Lidercast Café Brasil, podcast conduzido pelo escritor e cartunista, Luciano Pires, recebeu o Secretário Executivo de Esportes de Pernambuco, Diego Pérez. O programa, bastante conhecido nacionalmente, tem foco no debate sobre liderança e empreendedorismos.

Durante 90 minutos de entrevista, Diego Pérez, que é jornalista por formação, contou como deu uma guinada na carreira no auge do sucesso, destacando a sua transição para gestão pública. Dessa forma, ele destacou os expressivos resultados obtidos nos últimos quatro anos como secretário que, hoje, está impactando na comunidade esportiva pernambucana.

No ar desde 2005, o Lidercast Café Brasil atingiu 6,8 milhões de pessoas, em 2015, com uma média de 150 mil downloads por programa. No ano seguinte, chegou em 8 milhões, um número excepcional, que coloca o podcast em pé de igualdade com muitas revistas e programas de rádio que não têm esse número de ouvintes. Entre os convidados que já passaram elo programa, estão nomes como Max Gehringer e João Amoedo.