Dados do PIB mostram fim da recessão, diz pesquisador da FGV

Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil

O crescimento de 0,6% do Produto Interno Bruto (PIB) no trimestre encerrado em julho deste ano, na comparação com o trimestre encerrado em abril, e outros dados calculados pelo Monitor do PIB, da Fundação Getulio Vargas (FGV), mostram que a recessão econômica do país chegou ao fim. A avaliação é do coordenador do estudo, Claudio Considera.

Segundo os dados da pesquisa, divulgada hoje (18), a alta do PIB chegou a 1,1% na comparação com julho de 2016.

“O Monitor do PIB mostra mais um mês na direção positiva. Eu destaco os desempenhos da agropecuária, da extrativa mineral e da própria indústria da transformação, que teve o primeiro resultado positivo desde março de 2014”, disse Considera.

Por outro lado, no entanto, há resultados negativos, como a queda de 4,5% na formação bruta de capital fixo, isto é, os investimentos, na comparação do trimestre encerrado em julho deste ano com o mesmo período do ano passado. A queda foi puxada principalmente pelo desempenho negativo da construção (-9,7%).

“Pelo lado da demanda, as famílias estão ainda endividadas, receosas de perder o emprego, para pegar um empréstimo [para compra de imóveis] e os estados e municípios, os contratantes das grandes obras, estão quebrados. Então, a construção ficará negativa por muito tempo”, afirma Considera.

Alepe debate situação dos bancos públicos

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) debate, nesta segunda-feira (18), no auditório Sérgio Guerra, a situação dos bancos públicos do País. A audiência pública foi proposta pela deputada estadual Teresa Leitão (PT) e acontece no âmbito da Comissão de Administração Pública. A deputada deve assinar requerimento para a criação da Frente Parlamentar em Defesa dos Bancos Públicos em Pernambuco.

A reunião tem a intenção de ressaltar a importância das instituições financeiras estatais, como o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, o Banco do Nordeste, e deve contar com a presença de representantes do Sindicato dos Bancários de Pernambuco, da Confederação Nacional dos Bancários e outras entidades da sociedade civil.

Polícia divulga retratos falados de suspeitos de atirar em jornalista

page

Do G1 Caruaru

A Polícia Civil de Pernambuco divulgou na manhã desta segunda-feira (18) os retratos falados de dois suspeitos de atirar no jornalista Alexandre Farias. O fato aconteceu no último sábado (16) em Caruaru, no Agreste, e após troca de tiros da Polícia com os bandidos, o jornalista foi atingido por uma bala perdida na cabeça e segue internado em coma induzido no Hospital da Unimed.

De acordo com o chefe da Polícia Civil em Pernambuco, Joselito Amaral, cinco pessoas participaram da ação, sendo que dois foram reconhecidos por testemunhas.

“As investigações avançaram e hoje estamos apresentando dois retratos falados dos assaltantes que participaram da ação. Os crimes são tentativa de homicídio, no caso do jornalista Alexandre Farias. Eles tentaram atirar nos policiais a atingiram o jornalista. Os demais crimes são por roubo qualificado e lesão corporal grave. Testemunhas estão nos ajudando e ajudaram a fazer os retratos falados”, disse.

Ainda de acordo com o chefe da Polícia Civil, os números 994887099 e 994887527 serão usados para ajudar a polícia com informações via WhatsAPP. O delegado informou ainda que os dois suspeitos têm entre 18 e 35 anos e estavam encapuzados no momento da ação e ambos têm estatura mediana e mais três envolvidos, que não foram identificados, estão envolvidos no crime.

“A gente sabe que foi um caso lamentável. O governo não aceita os números que aí estão e a cidade de Caruaru é uma das que mais recebeu investimentos. No último trimestre tivemos a menor taxa de homicídios no estado de Pernambuco. Se compararmos aos três meses anteriores, a redução mostra a realidade de um plano de ação do governo para conter a violência”, disse.

O chefe da Polícia Civil disse ainda que começa hoje em Caruaru mais uma etapa da Operação Força no Foco. “Temos as Polícias Miitar e Civil, Bombeiros, Detran, todos juntos para garantir com a Força Foco melhorar a segurança aqui na cidade. Vamos hoje para mais uma etapa, mas não por causa desse fato. O dia de hoje já estava programado no cronograma de planejamento da SDS”, disse.

Estado de saúde de jornalista atingido por bala perdida é grave

alexandre

Da Folhape

É grave o estado de saúde do jornalista Alexandre Farias, de 39 anos, que foi vítima de bala perdida no último sábado (16), em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Ele permanece internado no Hospital Unimed do município, onde passou por uma cirurgia de mais de quatro horas. Alexandre sofreu perda de massa encefálica.

O jornalista segue em coma induzido e, até o momento, a bala – que está alojada na parte de trás da cabeça – não foi retirada. O projétil não foi retirado por decisão dos médicos, que preferiram não estender a cirurgia. O último boletim, que foi divulgado na noite do último domingo (17), apontava que o quadro era estável, mas muito grave.

O apresentador do telejornal ABTV 2ª edição, da TV Asa Branca, afiliada da TV Globo, foi atingido na testa por um disparo efetuado durante uma perseguição policial. Ele largava do trabalho e seguia para casa quando foi atingido no Alto do Moura. De acordo com nota divulgada pela Secretaria de Defesa Social (SDS), “a polícia perseguia suspeitos de um roubo à residência e a um veículo, mas os suspeitos atiraram no efetivo e atropelaram dois socorristas do Samu e o apresentador de TV”.

Além de Alexandre, também foram vítimas a socorrista Josimere do Nascimento e o motorista do Samu Valderir Antônio do Nascimento. Alexandre, no entanto, é o que apresenta o quadro mais grave. Após a perseguição policial, o Corolla em que estariam os criminosos capotou perto do local do tiroteio.

A SDS informou que “designou o delegado Bruno Vital para estar à frente da investigação da Polícia Civil, que já realiza oitivas. Imagens das câmeras de monitoramento da região também foram solicitadas pela autoridade policial, e a Polícia Científica já trabalha na elaboração do retrato falado dos suspeitos.”

Ainda segundo a SDS, “as polícias de Pernambuco estão trabalhando de maneira integrada, empenhadas na busca pelos suspeitos e que a Polícia Científica já trabalha na elaboração do retrato falado”. Até o momento, ninguém foi preso. Denúncias anônimas que auxiliem o trabalho dos investigadores podem ser feitas no Disque-Denúncia, no telefone (81) 3719-4545.

41% dos inadimplentes têm pouco conhecimento sobre suas contas básicas

Será que um consumidor com nome inscrito em cadastros de inadimplência tem noção de seus gastos, dívidas e possui algum comportamento adequado de educação financeira? O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) tentou buscar essas respostas através de uma pesquisa nacional e revela que o conhecimento dos rendimentos e das contas entre os inadimplentes não é expressivo para a grande maioria. O levantamento mostra que mais de um quarto dos entrevistados negativados declararam pouco ou nenhum controle de suas finanças: 47% sabem muito pouco ou nada sobre seus rendimentos e 41% sobre as contas básicas.

Além disso, 59% dos inadimplentes têm pouco conhecimento sobre os valores dos produtos e serviços comprados no crédito que seriam pagos no mês seguinte à pesquisa e sobre quais são eles (55%). O número de parcelas das compras feitas no crédito também é bastante desconhecido: 40% dos inadimplentes sabem muito pouco ou nada a respeito.

“As contas básicas são justamente os gastos fixos, compromissos mensais e com valores normalmente pré-definidos como contas de água e luz, telefone, plano de saúde, aluguel, condomínio, parcelas do carro e escola dos filhos. Esses tipos de gastos são muito sensíveis a uma redução de receita, ocasionada, por exemplo, por uma situação de desemprego ou por outro imprevisto ― já que as despesas vão continuar existindo, mas não haverá caixa para supri-las”, afirma a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. “Dessa forma, é extremamente importante que o consumidor tenha controle sobre suas próprias contas e conheça o tamanho do próprio bolso”, pondera.

Assim, a pesquisa revela que uma consequência de negligenciar o conhecimento de seus próprios rendimentos e contas é o fato de 35% dos inadimplentes nunca ou na minoria das vezes conseguirem fechar o mês com todas as contas pagas, sem se endividar.

Por outro lado, a compra de alimentos, produtos de higiene e limpeza (31%), seguido por pagar no prazo as contas básicas mensais (24%) e pagar as contas em atraso que geraram a negativação do nome do entrevistado (20%) são as prioridades de pagamento deste público.

38% dos inadimplentes vivem fora do padrão de renda

A pesquisa do SPC Brasil e da CNDL investiga a fundo alguns padrões de comportamento financeiro dos inadimplentes e revela também que 38% vivem fora do padrão de renda, comprando além do que podem pagar e somente 23% conseguem juntar dinheiro na medida que desejam. Outros três em cada dez (29%) não se preocupam muito com o futuro e por isso compram sem pensar, 29% não planejam as compras e 23% não pesquisam todos os preços.

“O ideal é que o consumidor consiga poupar pelo menos seis vezes o valor de suas despesas básicas. Dessa forma, consegue manter o padrão de vida por seis meses em situações de emergência como desemprego ou problemas de saúde”, orienta Marcela Kawauti

Porém nem tudo está perdido: 64% fazem planejamento financeiro mensal e sabem quanto têm para gastar no orçamento, 38% guardam dinheiro pensando no futuro e 30% têm reservas para a realização de algum sonho futuro, seja ele ter um carro, casa própria ou fazer uma viagem.

A grande maioria também considera ter o nome limpo um bem precioso (85%). Já 83% consideram importante administrar o próprio dinheiro, 79% que honrar compromissos financeiros vem sempre em primeiro lugar, 78% acreditam que o controle das finanças pessoais é necessário para se sentirem bem e 74% se preocupam com o volume de compromissos financeiros que possuem.

Bares e restaurantes: 35% já perderam a noção dos gastos

De acordo com o levantamento, na média, 38% dos inadimplentes têm comportamentos impulsivos e não controlados com relação ao consumo, dado que não apresentou variação significativa de 2017 para 2016. Esta média é o resultado do percentual em que os inadimplentes concordam com algumas afirmativas, entre elas:

- 58% gastam consigo mesmos por considerarem que merecem;

- 44% costumam fazer compras para comemorar coisas boas;

- desejos quando querem muito comprar algo;

- 35% gastam mais dinheiro do que podem para aproveitar a vida;

- 35% às vezes compram algo não planejado para se valorizar e sentirem melhor quando não estão bem;

- 32% às vezes deixam de honrar compromissos para comprar algo que desejam muito;

- 31% gastam mais dinheiro do que podem para se sentirem bonitos;

- 22% compram algumas coisas para impressionar terceiros.

Esta necessidade de constantemente se satisfazer possivelmente explica o motivo de 46% gastarem sem perceber, 35% às vezes perderem a noção em saídas para bares e restaurantes e extrapolarem o orçamento, 39% terem o costume de comprar mais do que o planejado, 37% não conseguirem controlar seus gastos e 35% não terem uma atitude proativa, demorando para realizar mudanças favoráveis ao controle financeiro, como cancelar pacotes de serviços ou assinatura, por exemplo. Outra possível razão para um consumo não planejado também pode ser a influência dos círculos familiares e de amizade: 39% declararam que se sentem pressionado(a) a gastar mais dinheiro quando estão com amigos e família.

A consequência não poderia ser diferente: 37% dos inadimplentes são vistos como pessoas que compram demais pelos conhecidos. Além disso, 28% dos inadimplentes já esconderam compras para evitar brigas dentro de casa e 33% têm brigas frequentes com pais ou o cônjuge pela forma com que gastam seu dinheiro.

O educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli, alerta para que os consumidores tenham plena consciência e controlem o valor total de seus gastos. “O absoluto conhecimento das contas permite que ele saiba frear o consumo não planejado e por impulso, administre novos gastos, saiba onde precisa cortar nas despesas, além de possibilitar a adequação do orçamento à realidade financeira”, explica Vignoli.

Secretaria de Políticas para Mulheres leva mais qualidade de vida para área rural

Para sair do sedentarismo e garantir mais qualidade de vida para as mulheres do campo, a Secretaria de Políticas para Mulheres promoverá nesta quarta-feira, 20, às 15h, na Academia da Cidade, localizada no Assentamento Normandia, uma tarde diferente e de bem estar.

Atividades físicas, aulas de zumba e alongamento ajudarão as mulheres a incluírem no seu dia a dia, exercícios físicos leves e que ajudarão a melhorar a saúde.

O evento será realizado em parceria professores e estudantes de Educação Física, da UNINASSAU.

Caruaru lança Plano Municipal Juntos pela Segurança

A Prefeita Raquel Lyra, junto com a Secretaria de Ordem Pública e o poder público federal e estadual, convida toda a imprensa e a população caruaruense para o lançamento do Plano Municipal Juntos pela Segurança, que será, nesta terça-feira (19), às 9h, no Shopping Difusora. “Ninguém faz nada sozinho. Sabemos que a segurança pública é uma questão de todos, compreendemos o papel que o município pode exercer, conhecemos as restrições constitucionais que o município tem, mas decidimos que vamos fazer a nossa parte sim”. Foi com essas palavras que Raquel começou o fórum municipal, no início da sua gestão, onde a segurança em Caruaru sempre foi pautada e discutida em consonância com as ações e atribuições constitucionais dos diversos órgãos da esfera do poder público federal e estadual, que atuam na preservação da ordem pública, trazendo, assim, projetos que resultem na prevenção à violência em Caruaru.

A segurança pública é, e sempre será, prioridade no cotidiano das pessoas. Diante disso, a solução deve ser conjunta. A principal responsabilidade é do Governo Estadual e da União, mas, como executivo municipal, a prefeitura sabe e está fazendo a sua parte, criando a Secretaria de Ordem Pública e construindo o Plano Municipal Juntos Pela Segurança. O plano começou a ser efetivado com o Comitê Permanente Municipal (CPMJPS) e os Conselhos de Segurança Cidadã dos Bairros e Zona Rural (CONSECs).

O Comitê veio com uma nova e forte visão de governança, de ações integradas e de monitoramento, em conjunto, da Secretaria de Ordem Pública e demais secretarias municipais, em esforço articulado com entes como o Ministério Público, Defensoria Pública, Ordem dos Advogados do Brasil, Polícias Militar, Civil, Científica, Federal, Rodoviária Federal, Bombeiro Militar, Câmara Municipal, Judiciário, Conselho Tutelar, Penitenciária Juiz Plácido de Souza, Fundação de Atendimento Socioeducativo, Governo Presente, e, ainda, com organizações que representam a sociedade civil e os CONSECs abrangendo especialmente todos os territórios de gestão, tanto na zona urbana como na rural.

A interatividade social é a premissa maior do plano. Dialogar diretamente com a comunidade, como nas sistemáticas reuniões realizadas nos CONSECs, resultará na captura mais próxima da realidade vivida e nas necessidades locais quanto ao aspecto da segurança. Outro ponto importante do Plano é a interlocução com poderes, órgãos e entidades, encaminhando e resolvendo as demandas de forma mais célere. Outros fundamentos do Plano, como respeito à dignidade da pessoa humana, requalificação dos espaços públicos, reestruturação das posturas municipais voltadas para a ordem pública, são elementos fundamentais na preservação da ordem pública, trazendo, assim, resultados positivos na prevenção à violência em nosso município.

Prefeitura de Belo Jardim promove ações de combate à violência

20637954_1187916347979043_3458275094771346629_n

A Prefeitura de Belo Jardim, através da Secretaria Especial da Mulher, oferece atendimento especializado às mulheres em situação de violência, com acolhimento, triagem e atendimento psicossocial. Os serviços são gratuitos e o atendimento é sigiloso.

A Secretaria Especial da Mulher foi criada com objetivo de garantir um espaço de discussão e articulação de políticas públicas voltadas à proteção e ao atendimento de mulheres. A secretaria trabalha em conjunto com a Rede de Proteção, com Ministério Público, Secretaria de Saúde, Polícia Militar, Conselho Tutelar, Secretaria de Ação e Desenvolvimento Social, Defensoria Pública e Delegacia.

Atualmente, a secretaria conta com profissionais nas áreas de Assistência Social, Psicologia e Jurídica. “Estamos desenvolvendo um trabalho muito importante para as mulheres de Belo Jardim, com objetivo de, não somente enfrentar as diversas formas de violência contra a mulher, mas também estamos incentivando, através capacitações profissionais, que a mulher tenha seu espaço no mercado de trabalho”, explica a secretária, Zuleide Oliveira.

A secretaria realiza, ainda ações educativas. “Também estamos realizando palestras nas escolas, panfletagens nas feiras livres, comércio, e principais ruas, para de forma educativa, orientar a população, e informar sobre os serviços de proteção, e pedir que sejam parceiros na denúncia de casos de violência contra mulher”, disse a secretária.

Revista IstoÉ Dinheiro premia a Compesa pela 2ª vez

A filosofia de gestão adotada pela Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) iniciada no Governo Eduardo Campos e reforçada no Governo Paulo Câmara, tem trazido reconhecimento nacional e resultados concretos. Depois de ganhar o título da Revista Época no mês de agosto passado, a Compesa foi eleita a melhor empresa de Saneamento do país pela Revista IstoÉ Dinheiro, na 15ª edição do anuário As Melhores da Dinheiro 2017. O presidente da companhia, Roberto Tavares, recebeu o prêmio na noite do dia 14, durante cerimônia realizada no Espaço Tom Brasil, em São Paulo, que ainda revelou a Compesa como a melhor nos quesitos Sustentabilidade Financeira e Responsabilidade Social. Essa foi a segunda vez que a Compesa ganhou esse prêmio. No ano de 2015 a empresa também foi a vencedora do setor, disputando com todas as empresas de saneamento do país, públicas e privadas.

Mesmo num cenário extremamente adverso, com as crises hídrica, política e econômica, a companhia tem se mantido fiel na estratégia estabelecida e encontra-se sólida para enfrentar os desafios que lhe são impostos. Para garantir o alto volume de investimentos e o equilíbrio financeiro da companhia, Roberto Tavares lembra que foi preciso a Compesa ter muita disciplina. “Em 2016 enfrentamos um ano dificílimo. Diante da seca prolongada, perdemos receita em muitos municípios que entraram em situação de colapso e ainda tivemos que gastar mais para não deixar a população dessas cidades sem atendimento”, lembra.

Pernambuco é um Estado com um dos piores balanços hídricos do país, tendo a disponibilidade de água por habitante num valor menor que o considerado crítico pela ONU. A estratégia adotada pela companhia tem sido a integração e o investimento em tecnologia. Cada vez mais são necessárias intervenções para transpor água por centenas de quilômetros de uma região para outra, aumentando custos de energia elétrica para bombear a água e exigindo mais eficiência na operação. “Nesse contexto, foi preciso rever os contratos de serviços terceirizados e implantar mais tecnologia, acelerando nosso programa de automação das unidades, tornando o sistema mais eficiente. Para operar 24 horas por dia, uma unidade pequena necessita de um esquema de plantão que envolve, pelo menos, quatro funcionários e um supervisor. Com a automação, podemos ter operação volante e supervisionar à distância, usando a telemetria”, informa Tavares. Das 700 estações de bombeamento em operação da companhia, mais de 200 já estão automatizadas. A meta é chegar a 500 unidades, tendo em vista que para as unidades de grande porte é necessário manter funcionários atuando na operação.

Na área de esgotamento sanitário o programa de expansão da companhia é bastante audacioso, mais que triplicar a cobertura em todo o Estado nas duas próximas décadas. “Nos últimos dez anos fizemos um alto volume de investimentos em expansão e melhorias no saneamento em Pernambuco, já passamos dos R$ 6 bilhões investidos. Em 2013, iniciamos a nossa Parceria Público-Privada (PPP), a maior da área do saneamento, para ampliar o esgotamento sanitário na Região Metropolitana e Goiana, saindo de 30% para 90% de cobertura, em 12 anos, com 100% de tratamento. Estamos falando de um investimento adicional da ordem de R$ 5 bilhões”, contextualiza Roberto Tavares, informando que a Compesa tem a concessão de 172 dos 184 municípios de Pernambuco. Só em 2016, os investimentos feitos pela companhia, foram de R$ 491 milhões. No mesmo período (2016), o faturamento da companhia passou de R$ 1,4 bilhão e o lucro líquido alcançou R$ 146 milhões.

Responsabilidade Social

A Compesa também lidera o ranking de Responsabilidade Social no setor de Saneamento do anuário As Melhores da Dinheiro 2017. “Estamos mantendo um diálogo muito franco com a população no nosso estado, que possui um balanço hídrico muito ruim. Pernambuco é um estado de contrastes. As chuvas ocorrem de forma desequilibrada, tanto na distribuição ao longo do ano, como nas regiões do estado. Esse contraste nos obriga a ter um plano estratégico de interconexão dos sistemas, para que a gente dependa menos dos regimes de chuvas”, observa Roberto Tavares.

Há alguns anos, a companhia fez mudanças na filosofia de execução de obras para interagir e se comunicar melhor a sociedade civil sobre essas intervenções. “Muitas vezes as pessoas não têm ideia para que uma determinada obra serve. Só conseguem enxergar o transtorno provocado pela obra, como quebrar a rua e abrir buracos. As obras de saneamento dialogam com a saúde pública, com a valorização imobiliária, com o bem-estar da sociedade, e a preservação do meio ambiente. Buscamos mostrar isso a população e essa postura melhorou muito o nosso relacionamento com o cliente”, explica Tavares, informando que a empresa criou a Diretoria de Articulação e Meio Ambiente, conduzida por Aldo Santos, para cuidar dos programas de responsabilidade social e educação ambiental.

Em 2010, a Compesa iniciou o atendimento à população também pelas redes sociais. A companhia mantém perfis oficiais no Twitter, Facebook e Instagram que, além de informações sobre os serviços de água e esgoto, responde também as demandas registradas pelos clientes. A Compesa, inclusive, é a companhia de saneamento que possui o maior número de seguidores no Twitter, mais de 65 mil. A empresa foi a primeira a disponibilizar um aplicativo, o Compesa Mobile, para a população solicitar serviços de vazamentos, enviando uma foto georrefereciada e em tempo real para a companhia.

Simples incentivou a criação de empresas

Entre os anos de 2007 e 2016, o número de empreendimentos de pequeno porte no Brasil passou de 2,5 milhões para 11,6 milhões, ou seja, uma média de crescimento de quase um milhão de pequenos negócios por ano. De acordo com estudo do Sebrae, a expectativa é que o empreendedorismo continue em ascensão, e que, em 2022, existam no país 17,7 milhões de microempreendedores individuais (MEI) e de micro e pequenas empresas.

O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, explica que a criação do Simples Nacional, que completa dez anos de implementação em julho, foi fator essencial para o aumento do empreendedorismo no Brasil. “A desburocratização e a redução da carga tributária estimularam a formalização de empreendimentos que já existiam e fez com o que brasileiro pudesse tornar realidade o sonho de ser dono do seu próprio negócio”, ressalta o presidente.

O estudo realizado pelo Sebrae detectou que a proporção de donos de negócios não formalizados em relação aos formalizados tem diminuído ano a ano, desde que o Simples Nacional foi implantado. Em dezembro de 2007, o Brasil possuía 22,7 milhões de donos de negócios, mas só 11% (2,5 milhões) tinham um negócio formal. Até o final deste ano, o número de empreendedores formalizados corresponderá a 50% dos 26,1 milhões de donos de negócios, e até 2022, esse número irá saltar para 63% de um universo de 28 milhões.

Afif também destaca que o aumento de formalizações gera um impacto direto nos cofres públicos. A participação do Simples Nacional na arrecadação total dos tributos federais quase que dobrou no período de 2007 e 2016, passando de 4,2% para 7,9%. “Desconheço qualquer outro segmento da economia que tenham dobrado a participação na arrecadação. Quando o Simples foi criado, houve muita gente alegando que os governos iriam perder receita. Hoje, temos a prova de que quanto mais simplificamos e diminuímos a carga tributária, mais arrecada-se e formaliza-se”, realça o presidente do Sebrae. Em 2008, o Simples arrecadou R$ 41 bilhões, já no ano passado, esse valor saltou para R$ 73 bilhões.

Simples Nacional

O Simples Nacional surgiu com a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, aprovada em 2006, e entrou em vigor em julho de 2007. Esse sistema tributário é um regime unificado (União, estados e municípios) de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos, destinado às micro e pequenas empresas, que pagam em um único boleto oito impostos: ICMS, ISS, Imposto de Renda de Pessoa Jurídica, IPI, Contribuição Social de Lucro Líquido (CSLL), Cofins, PIS/PASEP e a Contribuição Patronal Previdenciária.

SEBRAE 45 ANOS

O Sebrae comemora este ano quatro décadas e meia de atuação em defesa dos pequenos negócios. As micro e pequenas empresas representam 98,5/% do total de empreendedores no Brasil, respondem por 27% do PIB nacional e geram mais da metade dos empregos no país. Formalização, inovação, redução da burocracia, ampliação do acesso ao crédito e melhoria do ambiente legal fazem parte do compromisso do Sebrae com os pequenos negócios. Conheça no portal Sebrae os números e a história do empreendedorismo no Brasil: https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae