Secretaria de Saúde realiza mutirões contra o Aedes Aegipty

O Departamento de Vigilância em Saúde promoveu neste ano, 27 Mutirões de Mobilização Social para o combate do Aedes Aegipty, somadas às ações de controle do vetor, sendo 17 em áreas urbanas e 10 nas áreas rurais. Estes mutirões contaram com a participação de várias secretarias da Prefeitura Municipal de Caruaru e de diversos parceiros como: Ministério da Saúde, Forças Armadas, Imprensa local, Bombeiro Civil, Organizações não Governamentais (ONGs) e sociedade civil.

Sabendo que o combate ao vetor transmissor da dengue, zika e chikungunya depende do esforço de todos, e em integrando à Campanha Nacional do Ministério da Saúde, toda sexta-feira será dia de combate ao Aedes Aegipty. O Dia “D” será realizado na próxima sexta-feira, 25 de novembro, com cerca de 150 colaboradores entre profissionais da Vigilância e Saúde e parceiros.

Além da presença dos arte-educadores orientando a população sobre a prevenção das arboviroses, as ações contarão com as visitas rotineiras as casas; Equipes “difícil acesso” para inspeção em depósitos elevados; Equipe de recolhimento de pneus; Inspeção em borracharias e depósitos de materiais de construção; Equipe motorizada para atendimento imediato; Distribuição de peixes; Limpeza de córregos e canais;

O Departamento de Vigilância em Saúde informa que realizará mais três mobilizações Sociais nas seguintes datas:

SANTA ROSA

Data: 25/11/2016

Local: Praça Monte Urais

Horário: 8 às 12 horas

VASSOURAL

Data: 02/12/2016

Local: Policlínica do Vassoural

Horário: 8 às 12 horas

JOSÉ CARLOS DE OLIVEIRA

Data: 09/12/2016

Local: Praça Academia da Cidade

Horário: 8 às 12 horas

CENTENÁRIO E MONTE BOM JESUS

Data: 16/12/2016

Local: Praça do Centenário

Horário: 8 às 12 horas

Terceiro ciclo do Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti é divulgado‏ em Garanhuns

IMG_0378

O terceiro ciclo do Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) de Garanhuns, foi divulgado esta semana. O percentual, que se refere às casas que apresentaram larvas do mosquito responsável pela transmissão da dengue, febre chikungunya e do Zika vírus, aumentou 0,7% em relação ao índice do levantamento anterior, totalizando um índice geral de 10,8%. Apesar da maioria dos bairros terem registrado um aumento em seu índice, algumas localidades conseguiram uma queda nesse percentual.

Além das ações de combate ao mosquito, realizadas pela Secretaria de Saúde, somando-se a própria rotina dos agentes de endemias de realizar visitas domiciliares e fiscalizar os reservatórios de água das casas, a atenção da população em suas próprias casas é fundamental para combater o Aedes aegypti. “Nós sabemos que mais de 90% dos focos do mosquito estão nas residências, por isso enfatizamos a importância de cada cidadão estar envolvido nessa luta, mantendo o nosso município seguro contra esse perigo”, comenta o titular da pasta, Alfredo de Góis.

No bairro Magano, o índice registrou uma queda de 8,0% para 7,6%. Outras localidades que alcançaram uma diminuição em seu percentual foram a Brasília, que reduziu de 8,4% para 7,4%; e a Cohab III, que reduziu significativamente de 18,0% para 8,1%. Entretanto, a maioria dos bairros de Garanhuns registrou um índice mais alto que no levantamento passado. A exemplo disso temos o Aloísio Pinto, que aumentou de 10,5% para 11,6%; a Vila Lacerdópolis que aumentou de 2,9% para 4,5% e o bairro Francisco Figueira, conhecido popularmente como Cohab II, registrando um aumento de 10,2% para 13,3% em relação ao ciclo anterior.

Um dos coordenadores do Programa de Combate ao Aedes aegypti de Garanhuns, Anilson Leite, reforça os cuidados que a população deve tomar para evitar a proliferação do mosquito. “É importante que a população mantenha o seu quintal sempre limpo, coloque areia nos vasinhos de plantas e não junte objetos que possam acumular água. Alguns cuidados básicos como esses, realizados pelos próprios moradores, são imprescindíveis para mantermos o nosso bairro e a nossa cidade protegidos contra o mosquito. O apoio da população é fundamental nessa luta”, afirma o coordenador.

Brasil priorizará Olimpíadas e combate ao Aedes em Assembleia Mundial da Saúde‏

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, participa, a partir desta segunda-feira (23), da 69° Assembleia Mundial da Saúde, realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em Genebra, na Suíça. O evento, realizado anualmente, reúne 194 países-membros e tem como objetivo estabelecer metas conjuntas, diretrizes e acordos nas mais variadas áreas da saúde. Um das prioridades no Brasil no encontro é tranquilizar as demais nações no que diz respeito às medidas de segurança na área da saúde a serem executadas nos Jogos Olímpicos, em agosto, no Rio de Janeiro (RJ).

“Na assembleia, vou deixar claro que turistas e atletas podem vir ao Brasil. As condições propostas quando nos candidatamos para receber as Olimpíadas estarão garantidas. Esse é um dos compromissos assumidos pelo presidente Michel Temer e cada pasta tomará as providências necessárias para cumprir o que foi acordado”, explica o ministro Barros. “Não há dúvida que os visitantes possam vir ao Rio de Janeiro sem nenhuma preocupação com as questões de saúde e, especialmente, com o vírus Zika, pois nós estamos desenvolvendo um trabalho de controle e avançando no combate ao mosquito”, completou.

Aedes aegypti também será prioridade nos diálogos estabelecidos pelo Brasil durante o evento. O objetivo é buscar experiências exitosas no combate, de modo a avaliar alternativas para o caso brasileiro, com foco em novas tecnologias. “Esse mosquito transmite a dengue, chikungunya, o vírus Zika. Vou aproveitar a reunião em Genebra para conversar com os gestores de países que já conseguiram controlar o vetor, e, a partir daí, colocar em prática aqui no Brasil essas experiências bem sucedidas”, esclarece o ministro.

O encontro tem como tema central a Agenda 2030 para Desenvolvimento Sustentável – pactuada mundialmente em 2015, em substituição aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio – que é objeto de uma resolução a ser discutida e votada. Também serão tratados assuntos relacionados à obesidade infantil, aleitamento materno, doenças transmissíveis como HIV, DSTs e hepatites virais, resistência microbiana (a antibióticos) e emergências em saúde (entre as quais se destaca a epidemia de Zika e microcefalia). Além do evento principal, a assembleia contará com reuniões bilaterais e multilaterais, bem como eventos paralelos.

EDIÇÃO ANTERIOR – Durante a 68ª Assembleia Mundial da Saúde, realizada no ano passado, o Brasil participou de encontros bilaterais e reuniões paralelas para o estabelecimento de diálogo e cooperação com outras nações, como Argentina, Suriname, Estados Unidos, Bélgica e os integrantes dos BRICS (Rússia, Índia, China e África do Sul). Também foi realizado evento paralelo com a Unitaid, organização transnacional, criada pelos governos do Brasil, Chile, França, Noruega e Reino Unido, voltada para o acesso a medicamentos de HIV/AIDS, Malária e Tuberculose em países em desenvolvimento.

/**/

Lajedo realiza ação em combate ao Aedes Aegypti em áreas descobertas

DSC00405

Sendo uma área descoberta, que não possui agentes epidemiológicos para cobrir, o povoado de Santa Luzia na zona rural de Lajedo foi totalmente pulverizado. O serviço foi realizado em horário adequado pela incidência dos mosquitos, no fim desta tarde de sexta-feira, 1º de abril.

Segundo a coordenação da Epidemiologia ligada à Secretaria de Saúde, a bomba de pulverizador alcança um raio de aproximadamente 100 metros. Para isso, foram tomadas precauções como afastar animais e pessoas no momento, e foram mantidas portas e janelas abertas para matar os mosquitos dentro das residências.

Com todo o equipamento necessário e as bombas costais motorizadas, a Vigilância Epidemiológica enviou os agentes para aplicar o UBV e sanar um problema que tem acentuado nesse período de chuva e calor como consequência de vários fatores como acúmulo de água parada, lixo e reservatórios não tratados.

Paralelo a este trabalho, é feito diariamente o tratamento da água em reservatórios nas casas dos lajedenses.

Localidades de Garanhuns registram queda no índice do Aedes aegypti‏

A adoção de hábitos simples de impedimento à proliferação do mosquito Aedes aegypti, pela população de Garanhuns, contribui significativamente para que algumas localidades do município apresentassem uma queda em seu índice de infestação predial. A coordenação do Programa Municipal de Combate ao Aedes aegypti divulgou, nesta quinta-feira (17), o segundo ciclo do Levantamento de índice Rápido de Infestação Predial do Aedes aegypti (LIRAa). O índice geral do município aumentou 0,8% em relação ao ciclo anterior, chegando a 10,1%.

A maioria das localidades apresentou um índice mais alto em relação ao levantamento anterior. O percentual refere-se às casas que apresentaram larvas do mosquito. No bairro Santo Antônio, por exemplo, aumentou de 0,3% para 3,4%. No levantamento passado, a Cohab II tinha registrado um índice de 9,8%, aumentando, neste ciclo, para 18,0%.  O Magano (11,1% – 8,0%), Manoel Xéu (10,8% – 0,0%) e Lacerdópolis (7,0% – 2,9%) foram algumas das localidades que apresentaram uma queda em seu índice. De acordo com a coordenadora do Programa de Combate ao Aedes aegypti de Garanhuns, Cilene Espinhara, a contribuição da população nesse resultado foi fundamental.

“Devido à situação que o Brasil vem enfrentando em relação ao aumento dos casos de dengue, febre chikungunya e Zika vírus, causados pelo Aedes aegypti, desde o ano passado nós temos intensificado diversas ações de combate ao mosquito. Fizemos ações em parceria com o Exército, disponibilizamos carro fumacê, criamos diversas mobilizações nos bairros, estamos utilizando drone para identificação de focos em locais de difícil acesso, entre outras atividades. Porém mesmo assim sabemos que se fizermos isso tudo e a população não fizer sua parte não teremos êxito. Por isso, sabemos que a diminuição do índice nessas localidades é, também, mérito da conscientização da população”, afirmou a coordenadora.

O secretário municipal de Saúde, Alfredo de Góis, parabeniza a população dos bairros que registraram uma diminuição do índice e pede que essa colaboração continue. “Todos sabem que estamos vivendo em um momento delicado da saúde do nosso País. A colaboração da população nessa luta é imprescindível. Agradeço e parabenizo os moradores dessas localidades, onde o índice foi reduzido e continuamos alertando a população para que mantenham o seu quintal limpo e não permitam que objetos acumulem água e tornem-se criadouro do mosquito. A parceria com vocês é a chave para o êxito nessa luta”, ressaltou o titular da pasta.

De acordo com dados do Programa de Combate ao Aedes aegypti, até o dia 15 deste mês, 50 casos de dengue foram confirmados. Em relação à febre chikungunya, 343 casos foram notificados, dos quais 44 foram confirmados. A respeito do Zika vírus, 21 casos estão em investigação. Até o momento nenhum foi confirmado.

Motos darão reforço operacional às equipes no combate ao Aedes

_MG_2902
A Prefeitura de Caruaru vem investindo pesado na luta contra o mosquito Aedes Aegypti, que é o transmissor da dengue, vírus zica e chikungunya. Além de mutirões de limpeza, vistorias diárias nas residências, trabalhos educativos, entrega de peixes e contratação de médicos para auxiliar no suporte às unidades, foi realizado um investimento na compra de quatro motos para a Secretaria de Saúde do município.
 
Essas motos serão usadas por agentes de endemias para atender às denúncias que a população faz ao departamento, especialmente pelo whatsapp. O Diretor de Vigilância Sanitária e Saúde, Paulo Florêncio destacou: “Vamos conseguir melhorar a agilidade para checarmos as denúncias feitas pela população de focos do mosquito nas residências e estabelecimentos comerciais”, disse.
As denúncias podem ser feitas pelo telefone (81) 3719-4545, pelo WhatsApp (81) 9 9119-3015 ou pelo site www.disquedenunciape.com.br A prefeitura também dispõe do Disque Dengue que foi implantado no início desse ano. O fone é 0800 095-0962.