Agripino descarta candidatura de Caiado

O presidente nacional do Democratas, senador José Agripino Maia (RN), descarta a possibilidade de o partido lançar candidatura para a presidência do Senado. “O DEM não cogita candidatura própria à presidência da Casa”, garante.Nas últimas semanas, foi ventilada a provável candidatura do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO). O Democratas, no entanto, deve apoiar a candidatura do líder do PMDB, senador Eunício Oliveira (CE), favorito na corrida pela sucessão de Renan Calheiros (PMDB-AL).

PSDB cobra que Maia oficialize candidatura

Da Folha de São Paulo

Em plena campanha pela reeleição à presidência da Câmara – apesar de não admitir que é candidato –, Rodrigo Maia (DEM-RJ) passou toda o dia de hoje em reuniões para costuras políticas em busca de apoio.

Pela manhã, encontrou-se rapidamente com o presidente Michel Temer no Palácio do Planalto. Depois, recebeu na residência oficial da presidência da Câmara os deputados Antonio Imbassahy (BA) e Ricardo Tripoli (SP), respectivamente líder atual e líder eleito do PSDB.

Oficialmente, os dois encontros foram para tratar de pautas que preocupam o governo como reforma da Previdência e uma solução para a dívida dos Estados.

Os tucanos disseram que a tendência é que os 46 deputados do PSDB apoiem a candidatura de Maia, mas que, para isso, é preciso que ele oficialize sua intenção de disputar a reeleição.

“Disse a ele que seria importante [oficializar a candidatura]. Com certeza ele registrou minha sugestão e fará isso o mais breve possível”, disse Tripoli, segundo quem Maia não estabeleceu uma data para se lançar candidato.

Tripoli disse ser “natural” o PSDB caminhar com o DEM. De volta a Brasília, o líder eleito disse que começará a conversar com seus deputados e quer ter uma posição oficial até o dia 15 de janeiro.

Em julho do ano passado, quando houve eleição suplementar para ocupar o lugar deixado por Eduardo Cunha (PMDB-RJ), os dois partidos fizeram acordo para que os tucanos apoiassem os democratas à época e o contrário ocorresse agora.

Para garantir a candidatura de Maia, o Planalto ofereceu a Imbassahy a Secretaria de Governo, vaga desde que Geddel Vieira Lima deixou o cargo, em novembro passado.

Uma rebelião no centrão – grupo de cerca de 200 deputados de partidos médios e atualmente desunidos –, no entanto, postergou a nomeação de Imbassahy, que só deve ocorrer após a eleição, marcada para 2 de fevereiro.

Tripoli negou que o apoio a Maia esteja condicionado à oferta do cargo. “O Imbassahy é um dos melhores quadros que temos, tem perfil conciliador”, afirmou.

QUESTÃO JURÍDICA

Maia tenta segurar o máximo possível a oficialização de sua candidatura. Além de contar votos, ele se preocupa com uma questão jurídica.

Admitir que é candidato criaria um fato concreto para que os adversários de Maia na disputa cobrem do STF (Supremo Tribunal Federal) um posicionamento sobre o caso.

O regimento da Câmara veda que o presidente da Casa dispute a reeleição em uma mesma legislatura. Maia entende que, como foi eleito para um mandato tampão após a cassação de Eduardo Cunha, a regra não se aplica a ele.

Tripoli disse que o PSDB não tem em mente uma estratégia para o caso de Maia não poder disputar a reeleição.

“Não tem plano B. Você para tudo e recomeça [caso a candidatura de Maia seja inviabilizada juridicamente]”, afirmou, salientando que “particularmente, não vejo problema”.

Candidatura de Maia está “bem amarrada”, diz deputado

Na corrida para presidente da Câmara, cuja eleição será realizada em fevereiro, o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS) acredita que a candidatura à reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) está “muito bem amarrada”. Segundo ele, as outras candidaturas são fracas.

“Rodrigo amarrou muito bem o bastidor da candidatura. Não que ele seja um líder forte, mas os outros candidatos são fracos (Rogério Rosso, Jovair Arantes e André Figueiredo)”, disse.

Candidato da esquerda, Figueiredo (PDT-CE) teria entre 120 e 150 votos, na avaliação de Goergen. Rogério Rosso (PSD-DF) e Jovair Arantes (PTB-GO), ambos do chamado centrão, “não teriam sustentação das candidaturas”.

Antônio Campos retira candidatura na ABL

Nota oficial

Senti-me profundamente honrado pela admissibilidade e a forma generosa que recebi mensagens de diversos acadêmicos da ABL.

O processo eleitoral em Olinda não me permitiu fazer as visitas protocolares que fazem parte de um processo de candidatura à vaga na Academia Brasileira de Letras.

Por outro lado, retiro a minha candidatura para apoiar a postulação do grande escritor pernambucano e meu amigo Raimundo Carrero, a quem desejo sucesso na pretensão, num gesto de união de Pernambuco.

 Antônio Campos

31 de outubro de 2016

Manifesto defende candidatura de João Paulo

Artistas, intelectuais e nomes de grande expressão em Pernambuco e no Brasil externaram apoio à candidatura de João Paulo (PT) como prefeito do Recife. O “Manifesto por João Paulo e pela Democracia” foi lançado na noite de ontem, no comitê de campanha do petista, na Boa Vista, centro da cidade.

Nomes como Chico Buarque, Sérgio Mamberti, Fernando Morais, Irandhir Santos, Leonardo Boff, Kleber Mendonça Filho, Gregório Duvivier, Isaar e Fred Zero Quatro assinam o documento. Representantes do mundo acadêmico, das áreas de saúde e educação; sindicalistas, profissionais liberais e jornalistas também endossaram a corrente.

Mais de 800 pessoas aderiram ao manifesto, alegando “defesa da democracia” e que a candidatura do petista é “um contraponto local ao avanço das forças conservadoras no país”. Ainda segundo os signatários, o projeto político de João Paulo “representa a retomada da maior série de conquistas e avanços populares que o Recife já vivenciou”.

“Assinaram este manifesto aqueles que estão preocupados com o futuro do nosso País e com o legado que nós conseguimos construir, com tantos avanços sociais jamais vistos ao longo de 12 anos”, avalia João Paulo.

O postulante foi prefeito do Recife entre 2001 e 2008 e, durante o ato, ressaltou algumas marcas de sua gestão, como o Carnaval Multicultural. Ele observou que sua candidatura é um contraponto à do atual prefeito, Geraldo Julio (PSB), e provocou ao dizer que era uma das poucas de esquerda que seguem no segundo turno das capitais.

“Vamos dar uma resposta ao povo brasileiro, contra o golpe, pela democracia do Brasil e por nenhum direito a menos!”, conclui.

Prefeito de Belo Jardim tem candidatura indeferida

O prefeito de Belo Jardim, João Mendonça (PSB), sofreu um grande revés em sua campanha à reeleição. Nesta segunda-feira, o juiz eleitoral Renato Dibachti Inácio de Oliveira indeferiu o pedido de registro de candidatura da coligação Belo Jardim em Boas Mãos, composta por Mendonça e por seu vice, Luiz Carlos Bezerra (PSB).

O magistrado levou em consideração as contas da gestão de João Mendonça de 2012, rejeitadas pela Câmara Municipal, além de uma ação de improbidade administrativa contra o socialista, que foi derrotado na primeira instância, no Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) e, por duas vezes, no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Embora tenha indeferido o registro da chapa, as irregularidades avaliadas pelo juiz eleitoral dizem respeito unicamente a João Mendonça. Ou seja, Luiz Carlos poderia ser alçado à cabeça de chapa, desde que seu correligionário renunciasse. O prefeito, todavia, tem três dias para apresentar recurso ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), embora as chances sejam reduzidas. A decisão certamente mudará os rumos da eleição municipal.

2018: Temer diz a empresários que não será candidato

Da Folha de São Paulo

Em encontro com um grupo de pesos-pesados do empresariado, o presidente interino, Michel Temer, prometeu que não será candidato à reeleição e dará prioridade ao ajuste fiscal para garantir a retomada do crescimento da economia brasileira.

“Eu disse a eles que não vou ser candidato e que informações deste tipo só prejudicam meu objetivo, que é recuperar a economia do Brasil e voltar a gerar empregos”, disse Temer à Folha.

O presidente interino recebeu, nesta quarta-feira (10), oito grandes empresários no Palácio do Planalto, que manifestaram sua preocupação com o andamento da agenda econômica do governo no Congresso Nacional e apoio às reformas propostas pelo peemedebista.

Estavam presentes Carlos Alberto Sicupira (Ambev/Inbev), Carlos Jereissati (Grupo Jereissati), Edson de Godoy Bueno (Grupo Amil), Josué Gomes da Silva (Coteminas), Jorge Gerdau Johannpeter (Grupo Gerdau), Luiz Carlos Trabuco (Bradesco), Pedro Moreira Salles (Itaú Unibanco) e Pedro Passos (Natura).

Recentemente, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), lançou a candidatura de Temer à reeleição caso o peemedebista venha a ser confirmado e termine o atual mandato com aprovação acima de 50%.

“As declarações do Rodrigo foram dadas com boas intenções, mas eu afirmei aos empresários que elas acabam não ajudando na tarefa de governar porque geram incômodos. Por isto reiterei minha posição de não ser candidato à reeleição”, afirmou.

Durante o encontro com Temer, os empresários manifestaram a preocupação com as dificuldades do governo em aprovar medidas de ajuste fiscal, como a renegociação das dívidas estaduais.

Em conversas antes da reunião com o presidente, alguns dos presentes comentaram com a Folha que a avaliação é que “a ficha ainda não caiu” para boa parte do Congresso, que não estaria compreendendo que os governos estão “quebrados” e, mesmos assim, “são aprovados mais gastos”.

O peemedebista disse aos empresários que não irá recuar de sua determinação de adotar medidas para reequilibrar as contas públicas e justificou recentes medidas, como o aumento dos servidores públicos –criticado por analistas de mercado como uma concessão do governo prejudicial ao ajuste fiscal.

Temer disse que ele tinha de cumprir um acordo que havia sido assinado com os servidores pelo governo anterior e destacou que os reajustes foram todos abaixo da inflação do período.

Ele disse ainda que não houve recuo na votação da renegociação das dívidas dos Estados, argumentando que foi mantido o mecanismo essencial, que é a obrigação de os governadores seguirem o teto dos gastos públicos.

Aos empresários, o presidente afirmou que adotará medidas para recuperar a confiança dos investidores no país e que, assim que forem aprovados os projetos do ajuste fiscal no Congresso, serão criadas as condições para a volta dos investimentos e a queda dos juros.

/**/

PCdoB lança Luciana à Prefeitura de Olinda

Hoje, a partir das 18h30, no convento de Santa Tereza, em Olinda, o Partido Comunista do Brasil (PCdoB) realiza o lançamento da pré-candidatura de Luciana Santos a prefeita de Olinda. O evento é aberto ao público e pretende reunir apoiadores e entusiastas de um retorno da atual deputada e presidente nacional do PCdoB ao Palácio dos Governadores.

A intenção é que, a partir do lançamento da pré-candidatura, se instaure um amplo campo de debates sobre a cidade, com o objetivo de apontar soluções inovadoras e capazes de apontar perspectivas para um novo ciclo de desenvolvimento. “Nessa fase queremos ouvir as pessoas, conversar sobre o que foi feito e, principalmente, sobre as perspectivas de futuro. Por isso estamos organizando várias alternativas de mobilização para que as pessoas possam participar e contribuir com a construção do nosso diagnóstico sobre a cidade e de um programa de gestão”, explica Luciana.

Com foco na participação estão previstas brigadas de debates nos bairros, caminhadas e grupos temáticos sobre os mais diversos temas. As agendas e formas de engajamento serão apresentadas durante a plenária de lançamento.

Entre as confirmações de presença está a deputada Jandira Feghali, líder da oposição na Câmara dos Deputados e pré-candidata a prefeita do Rio de Janeiro, que fez questão de participar do evento e abraçar a colega de bancada.

Antônio Campos lança candidatura à vaga na ABL

O advogado e escritor pernambucano Antônio Campos vai concorrer à vaga do jurista Evaristo de Moraes Filho na Academia Brasileira de Letras. Autor de obras como Portal de Sonhos e Diálogos, ele havia anunciado que concorreria ao posto do jornalista e crítico teatral Sábato Magaldi. Entretanto, com a inesperada notícia do falecimento de Evaristo, Antônio decidiu concorrer à vaga de um imortal de sua mesma área de atuação profissional.

Presidente da Fliporto, reconhecida como uma das três principais festas literárias internacionais do Brasil, Antônio Campos é integrante da Academia Pernambucana de Letras, onde tornou-se o mais jovem imortal da Casa de Carneiro Vilela e o que reúne maior número de livros publicados nos mais diversos gêneros da criação literária. Além disso, acumula as funções de presidente dos institutos Miguel Arraes e Maximiano Campos, ambos sediados no Recife.

“Na Academia Brasileira de Letras quero resgatar a tradição pernambucana de grandes vultos literários que, no passado recente, e no presente, muito contribuíram para o engrandecimento da instituição e para a cultura do País”, destacou Antônio Campos.

PT de Olinda reafirma pré-candidatura de Teresa Leitão

O Partido dos Trabalhadores (PT) em Olinda referendou a pré-candidatura da deputada Teresa Leitão à prefeita de Olinda neste domingo (24), em encontro partidário, realizado no auditório do Hotel Samburá com a presença de delegados e lideranças. A reunião, prevista no Estatuto do PT, também consolidou pontos do programa de governo, definiu a política de alianças que será afirmada na convenção partidária e a chapa de vereadores do PT.

O encontro foi realizado exclusivamente com filiados ao PT, entre delegados eleitos com direito a voto, filiados com direito a participar dos debates e lideranças petistas convidadas como o presidente estadual da legenda, Bruno Ribeiro; o pré-candidato a prefeito do Recife, João Paulo; o vereador do PT do Recife Jurandir Liberal; a membro da direção nacional do PT Sheila Oliveira e o ex-secretário de Cultura do Recife João Roberto Peixe.

A pré-candidata a prefeita, Teresa Leitão, ressaltou o fato de o PT sair em faixa própria foi uma “construção coletiva”. A parlamentar relatou que a primeira etapa foi o convencimento interno, do diretório municipal, depois estadual, passando pela aval da presidenta Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula. “Somos uma alternativa em Olinda e precisamos convencer a população de que esta é a melhor alternativa”, disse.