Projeto de Lei que institui Conselho Municipal de Esportes e Lazer será votado nesta terça-feira em Gravatá

Em Gravatá, será votado nesta terça-feira (29/11), na Câmara Municipal de Vereadores, o projeto de Lei que cria o Conselho Municipal de Esportes e Lazer. A Prefeitura, através da Secretaria de Turismo, Cultura, Esportes e Lazer em conjunto com professores de educação física, técnicos esportivos e agentes sociais, elaboraram o Projeto de Lei que institui o Conselho.

A criação do Conselho tem como objetivo formular políticas públicas e, assim, implementar ações destinadas ao fortalecimento das atividades esportivas, paradesportivas e de lazer no município.

O Conselho será formado por membros representantes do poder público, representantes da classe profissional da área esportiva e representantes de entidades não governamentais que, desenvolvem atividades esportivas no município. A iniciativa representa um importante passo para estruturar as ações esportivas no município.

/**/

Inscrições para o Conselho Municipal de Saúde estão abertas

Estão abertas as inscrições para as entidades representativas da sociedade civil, segmentos dos usuários e dos trabalhadores da saúde que desejam participar do Conselho Municipal de Saúde de Caruaru, durante o biênio 2014/2016.

As organizações que desejam participar devem se dirigir até a Secretaria Executiva do Conselho Municipal de Saúde de Caruaru, localizada na avenida Vera Cruz, 654, bairro São Francisco, de segunda a sexta-feira, no horário das 8h às 12h, até o dia 14, munidos de cópia do estatuto da entidade ou organização registrada em cartório; cópia da ata de eleição de diretoria atual com firma reconhecida em cartório; termo de indicação do delegado que representará a entidade ou organização na eleição, subscrito pelo representante legal da entidade ou organização; cópia da cédula de identidade do delegado e cópia do CNPJ.

É através do conselho que são discutidas, de acordo com as necessidades do município as questões de saúde municipal. “É de fundamental importância que os cidadãos participem das decisões públicas, o conselho é um dos canais democráticos, onde a população pode ser ouvida e decidir juntamente com a gestão”, enfatizou a secretária executiva do CMS de Caruaru, Cristiane Dayse.

Em Gravatá, produtos da merenda escolar serão apresentados ao conselho municipal

Nesta quarta-feira (06) às 15h, acontece no auditório da Secretaria de Educação de Gravatá, a apresentação e degustação dos mais de 50 itens contidos na merenda da rede municipal de ensino.

As associações de agricultura familiar vencedoras do fornecimento dos produtos estarão presentes mostrando cada alimento, entre eles: Inhame, Macaxeira, Polpas de Frutas, Verduras, Frutas, Legumes, Hortaliças, Massa de Mandioca entre outros que servem tanto para o consumo in natura, como para o preparo de outras refeições.

A Cooperativa Regional dos Agricultores Familiares do Vale do Ipojuca e Associação dos Trabalhadores Rurais do Assentamento Várzea Grande são as fornecedoras.

 

Eleição para nova formação do Conselho Municipal da Mulher é realizada neste sábado

O Conselho Municipal da Mulher, a Secretaria Especial da Mulher e de Direitos Humanos e a Secretaria de Participação Social realizam, no próximo dia 7 de junho, às 14h, na Câmara de Vereadores de Caruaru, Assembleia de Eleição para a nova formação do Conselho Municipal da Mulher (CMM) de Caruaru.

Na ocasião, serão eleitas as representantes das mulheres caruaruenses no controle social das políticas públicas do município, para o biênio 2014-2016. O conselho será composto por 40 mulheres, sendo 20 titulares e 20 suplentes. Integrantes da sociedade civil, servidoras públicas municipais (concursadas) e integrantes do poder público irão ocupar espaço neste órgão participativo e fiscalizador.

A nova composição do conselho tem como objetivo promover assento para as mulheres em sua diversidade. Mulheres negras, jovens, trabalhadoras rurais, lésbicas, bissexuais, travestis, transexuais, com deficiência, idosas, da zona urbana e rural da cidade podem participar. Para que assim possam ser pautadas as demandas coletivas destes grupos, contribuindo para a construção de uma sociedade não sexista e com políticas públicas de gênero cada vez mais efetivas.