Dilma diz que Armando e Humberto são sustentáculo do governo

A presidenta Dilma Rousseff afirmou esta tarde (14), durante discurso na solenidade de entrega do último trecho da primeira etapa da Adutora do Pajeú e da assinatura da ordem de serviço para a segunda etapa da obra, em Serra Talhada (PE), que os senadores Armando Monteiro (PTB-PE) e Humberto Costa (PT-PE) são a sustentação do governo federal no Senado.

“Gostaria de dirigir um cumprimento todo especial a eles que são o sustentáculo do meu governo no Senado Federal: o senador Armando Monteiro Neto e o senador Humberto Costa”, disse a presidenta. A declaração foi dada no início do discurso de Dilma.

Humberto foi um dos articuladores do apoio do PT de Pernambuco à candidatura de Amando Monteiro ao governo do Estado. “Nossa chapa é a única em Pernambuco que pode garantir as grandes transformações iniciadas por Lula e continuadas por Dilma para o Brasil seguir mudando” avalia Humberto Costa, líder do PT no Senado. “Junto com Lula e Dilma, Armando e João Paulo seguirão fazendo as mudanças de que Pernambuco e o Brasil precisam”, afirma Humberto.

/**/

Armando exalta contribuição de Dilma e Lula para as microempresas

O senador Armando Monteiro comemorou, na tribuna do Senado, a aprovação de relatório de sua autoria que disciplina o uso da substituição tributária na cobrança do ICMS sobre as micro e pequenas empresas optantes do Simples. Isso significa que 1 milhão de empresas serão beneficiadas pagando menos impostos e contando com mais recursos para a ampliação dos negócios. A proposta aguarda votação pelo plenário da Casa.

Em seu discurso, Armando criticou os estados que usam, de forma indiscriminada e abusiva, o instrumento da substituição tributária no ICMS, o que está anulando os benefícios proporcionados pelo Simples Nacional.

Ele destacou que o Simples é uma conquista do pequeno empreendedor brasileiro e lembrou da grande contribuição dada pelos governos da presidenta Dilma e do ex-presidente Lula para a melhoria do ambiente dos negócios para este segmento.

Humberto diz que Dilma vem aprofundar parcerias com o Estado

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), afirmou que a visita da
presidenta Dilma Rousseff a Pernambuco, na próxima segunda-feira (14),
servirá para manter e aprofundar os laços entre o Governo Federal e o
Estado.

“Ela vem para dizer a Pernambuco que o Governo Federal manterá todas as
parcerias que têm com o Governo do Estado e que espera que essas parcerias
se aprofundem”, afirmou o líder do PT, que passou a tarde da quarta-feira
(9) em contato permanente com o Palácio do Planalto.

De acordo com Humberto, a visita de Dilma para a entrega do navio suezmax
Dragão do Mar representa, ainda, “a posição republicana que ela e o seu
governo têm” nas relações com Pernambuco.

O navio suezmax Dragão do Mar, terceiro petroleiro construído em Pernambuco
pelo Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef), da Transpetro,
será entregue pela presidenta no Complexo Portuário de Suape, em Ipojuca,
às 11h da próxima segunda.

Lei relatada por Humberto Costa é sancionada

A Presidência da República sancionou o projeto de lei que determina a incineração imediata de plantações ilícitas e de drogas apreendidas e estabelece prazo de 30 dias para que as apreendidas em flagrante sejam destruídas. A Lei 12.961, relatada pelo líder do PT no Senado, Humberto Costa, foi aprovada por unanimidade no plenário da Casa no último dia 12. O texto publicado ontem (7) no Diário Oficial da União não sofreu qualquer veto do Poder Executivo.

Para o senador, a medida vai evitar, por exemplo, que drogas acondicionadas em delegacias de polícia de forma totalmente inadequadas estimulem ataques de facções criminosas ou sirvam para a atuação de policiais corruptos, que, muitas vezes, negociam as vendas dessas drogas com traficantes.

A nova lei prevê expressamente a manutenção das amostras do material para efeito de prova da materialidade do crime e para os chamados exames de contraprova. Para a incineração da plantação ilícita será necessária autorização judicial, após a coleta de amostras para perícia, e da delimitação da área, com a presença do Ministério Público.

A mesma autorização para incineração imediata será necessária para a destruição de drogas apreendidas sem flagrante. Havendo flagrante, a destruição das drogas deve ocorrer, por ordem judicial, em até um mês.

Dilma quer diálogo com Lyra, diz PT

Do Jornal do Commercio

O vice-governador João Lyra (PSB), que assume a cadeira do Executivo estadual em 4 de abril, estaria sendo cortejado pela presidente Dilma Rousseff (PT). Com um visível desconforto gerado entre Lyra e Eduardo Campos (PSB), o cenário é favorável para a aproximação entre Dilma e Lyra, atraindo um aliado para a presidente. Petistas asseguram que o vice-governador já solictou uma audiência com Dilma e que a presidente se mostrou disposta a recebê-lo.

Segundo o senador Humberto Costa (PT), Pernambuco continuará sendo uma prioridade para Dilma, mesmo diante do rompimento político com Eduardo Campos. “Ela (Dilma) já deixou claro que pretende ter a melhor relação possível com o governador João Lyra quando ele assumir. A presidente está plenamente disposta a continuar fazendo todas as parcerias que já fez com Pernambuco. O Estado vai continuar tendo o apoio maciço e integral do governo Dilma para esses oito meses de governo de João Lyra”, disse o parlamentar.

Um encontro entre Dilma e João Lyra está sendo articulado. “Ela inclusive tem interesse de poder se encontrar com ele o mais rapidamente possível e poder dizer isso, que fique tranquilo, as parcerias vão continuar sendo feitas na mesma proporção”, acrescentou Humberto Costa.

Ainda segundo o senador, mesmo tendo feito parte dos oito anos do governo Eduardo Campos, antes um aliado e agora um opositor, a presidente Dilma deixará de lado as atuais desavenças políticas. “Qualquer coisa que Pernambuco precise vai ter nela uma presidente preocupada em priorizar as questões nossas, independente do partido a qual pertença o governador ou a posição do PSB à candidatura dela”, completou Humberto Costa.

Há a expectativa que Dilma venha a Pernambuco em abril para cumprir uma agenda administrativa, de inaugurações e assinaturas de ordens de serviço. Essa semana, a presidente já esteve no Ceará e recentemente foi a Alagoas. Mas a visita a Pernambuco pode ter sido adiada para evitar um encontro com Eduardo Campos e, eventualmente, a presença dos dois no mesmo palanque.

Do lado do vice-governador, pessoas ligadas a ele afirmaram desconhecer a aproximação com a presidente, mas que, do lado administrativo, não consideram improvável um encontro entre os dois. Afinal, Lyra irá assumir o governo e precisa tomar conhecimento de projetos que estão sendo tocados em parceria, inteirando-se de repasses do governo federal. Tais interlocutores não enxergam o encontro como uma aliança política.

A aproximação com Dilma Rousseff pode ser a salvação para João Lyra conseguir mais recursos e dar a sua cara à curta gestão que terá pela frente, já que Eduardo Campos irá lhe passar um estado livre de dívidas complicadas, mas com um orçamento enxuto para novos investimentos.

Armando Monteiro se reúne com a presidente Dilma Rousseff

O senador Armando Monteiro (PTB) foi recebido pela presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto, no início da noite de ontem. Na pauta da audiência, que durou mais de uma hora, foram tratados temas como infraestrutura, mobilidade urbana e educação.

“Foi um encontro extremamente produtivo. A presidente Dilma está muito atenta aos investimentos do governo federal nas mais diversas regiões de Pernambuco”, disse Armando Monteiro, após a reunião.

O senador aproveitou o encontro para levar o prefeito de Petrolina, Júlio Lóssio (PMDB), para também despachar com a presidente projetos que serão implantados no município do Sertão do São Francisco.

O prefeito sugeriu à presidente a criação de um curso de qualificação, por meio do Pronatec, para profissionais da área de educação infantil.

‘Não poderíamos abandonar Dilma, dar as costas a Lula’, afirma Armando

Recebido por dezenas de lideranças políticas e representantes de entidades da sociedade civil na visita que fez a dez municípios do Sertão neste fim de semana, o senador Armando Monteiro (PTB-PE) foi enfático ao defender e justificar o apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) no próximo ano.

Na opinião dele, “não há uma única obra, uma grande obra em Pernambuco que não tenha a marca do governo federal”. E, para que o Estado continue crescendo e possa concluir os investimentos que estão sendo realizados, será preciso “manter e ampliar parcerias com o governo federal”.

Entre a tarde de sexta-feira (22) e domingo (24), Armando esteve em Petrolina, Afrânio, Dormentes, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista, Orocó, Cabrobó, Salgueiro, Custódia e Arcoverde, onde reuniu-se com mais de 150 lideranças políticas e de entidades da sociedade civil.

Em entrevistas para blogueiros e radialistas da região, o senador explicou que sua posição em favor de Dilma é coerente com as posições que assumiu nos últimos anos, quando esteve ao lado do ex-presidente Lula. “Não seria próprio, a meu ver, que no meio do caminho pudéssemos pular do barco, abandonar a presidente Dilma e dar as costas ao ex-presidente Lula”, afirmou o petebista.