Em alta, Eduardo só tem uma saída: ser candidato

Do Portal 247

Nada melhor para um político do que estar em alta quando a maioria à sua volta sofre de baixa popularidade. Nessas condições, ele se distingue e aumenta seu próprio cacife para experimentar voos maiores. É o que está acontecendo neste momento com o governador em segundo mandato de Pernambuco, Eduardo Campos. Na esteira das manifestações estudantis que varreram o País no mês passado, quando a classe política foi rechaçada como um todo, ele saboreia uma pequisa da Confederação Nacional da Indústria/Ibope na qual emerge como o governador mais popular entre 11 chefes de Executivo dos Estados mais populosos.

Com um índice de 59% de conceitos ótimo e bom, Campos, que também é presidente do PSB, vai encontrando, com números desse porte, as condições naturais para seguir sua trajetória. Ele foi reeleito em primeiro turno, em 2010, com 82% dos votos. Agora, começa a deixar a discrição de lado para preparar seu voo presidencial para 2014. Campos não tem outra alternativa. É o que seu partido deseja, contando com ele como puxador nacional de votos. É o que ele parece estar em ótimas condições para realizar, exatamente por apresentar diferenças em relação aos demais presidenciáveis: fala pouco, o que o protege de errar muito, está numa legenda considerada de esquerda, que o blinda da pecha de conservador, tem um passado limpo e uma obra para mostrar. De quebra, é neto de um político mítico, Miguel Arraes. Não é pouco.

Sem escândalos para explicar e com realizações que se refletem na economia de Pernambuco, a de maior expansão entre os Estados do Nordeste nos últimos anos, Campos pode exibir como sua a espetacular ampliação do Complexo Portuário de Suape — hoje com 105 empresas instaladas em 13,5 hectares de área — e extrair dividendos de ações de resultado contra a histórica seca de sua região. Campos tem como uma das principais realizações a interiorização dos investimentos, o que tem causado um impacto significativo no crescimento econômico do Estado.

Dados da Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco (Condepe/Fidem) apontaram que o Produto Interno Bruto (PIB) estadual cravou R$ 115 bilhões em 2012, alta de 2,3% em relação ao ano anterior, enquanto que o PIB nacional cresceu 0,9%. Outros dados recentes também mostram o planejamento do governador também em relação a áreas que demandam investimentos cujos resultados são sentidos a longo prazo, mas já causam efeito. Campos tem como um dos principais programas da sua gestão o Pacto Pela Vida, que visa reduzir a criminalidade do estado, e, novamente, os dados mostram eficiência.

Conforme levantamento da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (Cabela) e divulgado no Mapa da Violência 2013, na semana passada, em 2001, Pernambuco tinha uma taxa de 58,7 homicídios para cada 100 mil habitantes, a maior do Brasil. Em 2011, a taxa caiu para 39/100 mil hab., um declínio de 39%.

PALANQUES

Com essa bagagem, o governador já começa a se movimentar com mais ênfase na montagem de palanques para sua candidatura nos Estados estratégicos. Em Minas, ele acabou de pilotar a substituição do comando local da legenda de modo a aumentar a segurança do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, em concorrer ao governo. Em São Paulo, onde ainda é considerado pouco conhecido, aumenta o número de visitas e firma uma aliança com a central Força Sindical, que tem boa estrutura e a marca de ser uma entidade anti-PT.

No início do ano, muitos petistas se irritaram com algumas críticas de Campos ao governo da presidente Dilma Rousseff, procurando enquadrá-lo. Aliado de primeira hora do ex-presidente Lula, Campos não se dobrou às pressões, mas recuou seu time, fugindo das primeiras páginas do noticiário político. Daqui para a frente, porém, dadas as novas condições – da rejeição ao PT nas manifestações de rua ao apoio que ele próprio recebeu na pesquisa da CNI –, se verá um Campos mais crítico, posicionando-se mais pontualmente sobre os grandes temas nacionais

A alta aprovação de suas duas gestões também conferem a Campos uma nova autoridade em suas costumeiras conversas com o tucano Aécio Neves, presidente do PSDB. Com ele, poderá fechar um acordo de não agressão para a disputa em primeiro turno, em troca de uma aliança aberta na hipótese de um deles alcançar o segundo turno. Ambos, nesse caso, seriam parceiros de primeira hora nas críticas ao governo do PT. Uma tarefa que, para Campos, será tanto mais fácil se se confirmar a ausência do ex-presidente Lula na disputa.

A queda de Dilma nas pesquisas também tem influenciado a mudança de postura de parte da ala contrária à postulação presidencial, o que inclui governadores como Ricardo Coutinho (PB) e Renato Casagrande (ES). A exceção fica por conta do governador do Ceará, Cid Gomes, e do irmão Ciro Gomes, que defendem abertamente o apoio à reeleição da presidente Dilma. O governador, afinal, sempre deixou claro que sua lealdade ao ex-presidente não se transformou em apoio irrevogável à presidente Dilma. Para enfrentá-la, o governador estará, como se diz, a cavaleiro.

PSB vê no eleitorado de Lula caminho para crescimento de Campos

Do Poder Online

Os líderes do PSB na Câmara dos Deputados pregam que o partido tenha cuidado ao lidar com os eleitores de Lula quando da disputa da eleição de 2014.

Os socialistas creem que é em cima deste eleitorado que Eduardo Campos (PSB-PE) deverá trabalhar para expandir sua votação.

Por isso, pregam que Campos deve ter um carinho especial com o eleitor lulista ao criticar a gestão de Dilma Rousseff (PT).

/**/

Governo inaugura escola técnica em Bezerros

Pernambuco ganhou, nesta quarta-feira (24), a 15ª unidade de ensino técnico profissionalizante. O governador Eduardo Campos (PSB) esteve em Bezerros para inaugurar a Escola Técnica Estadual Maria José Vasconcelos, que vai disponibilizar 1.200 vagas à região. Foram investidos R$ 8,2 milhões na estrutura, que deve atrair estudantes de outros 12 municípios vizinhos, como Bonito, Gravatá e Vitória.

Para Eduardo, a educação é o único caminho para a construção de um país mais justo e equilibrado. “Por trás dessa entrega, há um planejamento estratégico, um pensamento de como construir um Pernambuco melhor para gente trabalhar e viver. Não se faz a construção de uma sociedade mais justa se a gente não entender que educação é estratégica, não se faz nada que não se apoie no conhecimento. Só há um caminho: educação de qualidade”, frisou.

Com uma área total de 12 mil metros quadrados – sendo aproximadamente seis mil de área construída -, a ETE Maria José Vasconcelos vai oferecer inicialmente o curso de administração, com a previsão de implantação de outros nas áreas de informação e comunicação.

Assim como as outras unidades técnicas, a escola oferece educação profissional nas formas de ensino médio integrado (para jovens entre 15 e 17 anos) e subsequente (para os que já concluíram o ensino médio).

Deixa o papa passar, diz líder do PSB sobre corrida presidencial

Do Poder Online

As movimentações do governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) para viabilizar seu nome para a Presidência da República deverão ser retomadas em agosto. Desde que eclodiu a onda de protestos que atingiu o país, Campos optou por uma postura mais discreta, até porque queria evitar ao máximo virar alvo dos manifestantes em Pernambuco.

“Deixa o papa Francisco andar por aí nesta semana e dominar os noticiários. Depois a gente retoma”, disse o líder do PSB na Câmara, deputado Beto Albuquerque (RS), um dos principais articuladores da candidatura.

Eduardo Campos inaugura nova escola técnica em Bezerros

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), inaugura amanhã, às 10h, a Escola Estadual de Educação Profissional Maria José Vasconcelos, em Bezerros. O prédio fica localizado no bairro Santo Amaro I e vai oferecer ensino técnico e de nível médio.

A estrutura conta com 12 salas de aulas e nove laboratórios, além de biblioteca digital. A proposta, de acordo com a Secretaria Estadual de Educação, é unificar o ensino integrado ao técnico. Para 2014, está prevista a abertura de nove cursos profissionalizantes.

Em Buíque, governador dá início à construção de ETE

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), deu início nesta segunda-feira (22) à construção da Escola Técnica Estadual Jornalista Cyl Galindo, em Buíque (Agreste). Com entrega prevista para 12 meses, a obra custará cerca de R$ 7,6 milhões. Atualmente, 25 unidades técnicas já estão funcionando no Estado. Na ocasião, Eduardo também inaugurou a Academia das Cidades do município, além de entregar 213 tablets aos alunos do ensino médio da rede estadual.

Eduardo destacou o ganho tanto quantitativo como qualitativo na educação do Estado. “Nas unidades técnicas, saímos da oferta anual de 1,2 mil em 2006, quando haviam apenas seis escolas, para alcançarmos 60 mil vagas até 2014”, afirmou.

A decisão de ampliar o modelo de ensino integral e semi-integral das escolas de referência, para o governador, “faz parte do planejamento estratégico”. “As ETEs Duque de Caxias e de Buíque serão transformadas em unidades de ensino integral e a Escola São Félix de Cantalice vai virar semi-integral”, anunciou.

Laura vai a evento comemorativo da Comissão da Verdade

comissão da verdade

Secretária acompanhou, ao lado do governador, balanço feito pela comissão (Foto: Paulo Maciel)

A secretária de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos de Pernambuco, Laura Gomes, participou de um ato na tarde de hoje, no Centro de Convenções, sede provisória do Governo do Estado, que comemorou um ano dos trabalhos realizados pela Comissão Estadual da Memória e Verdade Dom Hélder Câmara. A solenidade foi presidida pelo governador Eduardo Campos.

O evento apresentou um relatório com os resultados alcançados neste primeiro ano de trabalho. O balanço feito pela Comissão da Verdade consta 51 casos de mortes e desaparecidos investigados; 26 audiências; 43 depoimentos colhidos; e 18.839 páginas de documentos digitalizadas.

Para Laura, esse é um momento de grande importância para Pernambuco. “A comissão tem a missão de tornar públicas as graves violações de direitos humanos ocorridas entre os anos de 1946 e 1988 por questão política. Hoje, poder mostrarmos esse relatório para a sociedade pernambucana assegura o direito à memória e à verdade histórica ocorrida no estado e no país”, declarou.

Dilma precisa dialogar mais, diz governador

Saudado aos gritos de “presidente” no encontro nacional de militantes e parlamentares do PSB, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, disse ontem que o governo Dilma Rousseff precisa “dialogar mais” se quiser retomar o crescimento econômico do país.

“A gente tem, nos últimos três anos, um crescimento muito baixo. A sociedade está sentindo o impacto do crescimento da inflação, principalmente no que diz respeito ao preço dos alimentos. O Brasil precisa retomar o padrão que tinha antes deste período”, afirmou Campos.

Apontado como possível candidato na disputa presidencial de 2014, Campos também comentou a queda de popularidade da presidente Dilma. “Considero que isso é conjuntural. O importante é que ela não perca o rumo estratégico que todos nós desejamos”.

DEM e PSB preparam palanque para Eduardo Campos em Goiás

Do Poder Online

Ronaldo Caiado, líder do DEM na Câmara dos Deputados, afirma que uma pesquisa interna a ser realizada em maio de 2014 definirá a cabeça de chapa para a disputa do governo goiano no ano que vem.

Caiado está fechado com Vanderlan Cardozo (PSB) para a dobradinha que disputará em Goiás e assegurará o palanque para Eduardo Campos (PSB) no Estado em 2014.

É a pesquisa interna que definirá qual dos dois será o cabeça da chapa. Enquanto isso, o deputado vem conversando para tentar atrair PDT e PSC para a aliança. O pequeno PRP também está na mira do líder do DEM.

Ao falar  sobre a viabilidade de derrotar Marconi Perillo (PSDB) e a força de Júnior Friboi, provável candidato do PMDB, Caiado usa o exemplo da cidade de Nazario, no interior de Goiás, para sustentar a viabilidade do pleito.

O candidato apoiado por Caiado, Adalcino da Silva (DEM), derrotou os nomes apoiados pelo governador tucano, Jussara Porto Machado (PSDB), e pelo PMDB, Anderson Ferreira (PMDB).

A eleição foi realizada no último final de semana para definir a situação da cidade, que teve o prefeito eleito em 2012 cassado por suposta compra de votos.