Jornal investe US$ 5 milhões na cobertura de Trump

O “New York Times” anunciou, ao divulgar nesta terça (17) um estudo estratégico sobre o futuro do jornal, que separou US$ 5 milhões (cerca de R$ 16 milhões) adicionais para a cobertura do governo de Donald Trump, que toma posse como presidente americano nesta sexta-feira (20). “Nossos leitores têm vindo até nós em quantidades recordes porque sabem que somos uma das poucas organizações de informação com poder e força moral para cobrir todos os aspectos dessa mudança histórica no poder americano”, escreveram em nota o editor-executivo, Dean Baquet, e o secretário de Redação Joe Kahn.

A cobertura “de forma agressiva, justa e implacável” será prioritária —daí os US$ 5 milhões, que vão permitir retratar “com ainda mais ambição a era Trump, em Washington, Nova York, o país e o mundo”, em áreas como impostos, imigração, educação e clima. O projeto é “cobrir Trump e a nova ordem global”, ou seja, além do governo, será “também sobre a estabilidade da ordem global que prevaleceu desde a Segunda Guerra Mundial e sobre o lugar dos Estados Unidos nesse mundo”.

Baquet e Kahn admitem, por outro lado, que serão feitos novos cortes no jornal. “Nada pode disfarçar o fato de que a mudança contínua do impresso para o digital exige uma Redação um pouco menor e mais focada”, afirma a nota. “Haverá cortes de orçamento este ano. Apresentaremos os detalhes nas próximas semanas e meses. Não podemos fingir que estamos imunes às pressões financeiras, mas vemos este momento como um reposicionamento necessário da Redação do ‘NYT’, não como um rebaixamento.”

O “plano de ação” de Baquet e de Kahn prevê desde já a redução nos níveis hierárquicos da Redação, com menos editores, a separação da edição dedicada ao impresso e a contratação de mais 12 jornalistas para vídeo, arte e interação. Parte das ações anunciadas tem relação direta com o estudo estratégico também divulgado nesta terça-feira, intitulado “Jornalismo que se destaca”.

Foi elaborado ao longo de um ano por um grupo de sete jornalistas encabeçado por David Leonhardt, colunista do “NYT”. O estudo diz que o jornal se adaptou ao ambiente digital, com “inovação significativa nos últimos dois anos”, mas “o ritmo tem que ser acelerado”. Entre as recomendações, reportagens mais visuais e com maior participação dos leitores.

Ministro apresenta investimentos em Davos, na Suíça

Para apresentar as oportunidades de investimento no setor energético-mineral, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, participa nesta semana da comitiva brasileira a Davos, na Suíça, durante o Fórum Econômico Mundial.

Coelho Filho participará, nos dias 17 e 18 de janeiro, de eventos com as maiores autoridades mundiais do setor de infraestrutura, além de investidores, bancos e representantes dos governos. O ministro também terá reuniões com presidentes de grandes indústrias e empresas de energia, mineração e petróleo.

No dia 17, após cumprir agenda de reuniões, o ministro participa do jantar “Agentes de Mudança no Sistema Energético”, quando serão debatidos os fatores de mudanças tecnológicas, econômicas e geopolíticas que estão mudando e impactando o sistema energético mundial.

No dia 18, Coelho Filho é um dos debatedores da mesa redonda “Desencadeando o Poder da Quarta Revolução Industrial no Sistema Energético”, exclusiva para ministros de energia e CEOs de empresas desse segmento. No evento, os participantes debatedores irão analisar as mudanças como a descentralização da geração elétrica, a digitalização e modernizações na operação do sistema energético e como essas novidades devem ensejar mudanças regulatórias e no perfil de atuação das empresas.

Em seguida, o ministro será um dos facilitadores da reunião de Governantes para Mineração e Metais: Panorama Político. Fernando Coelho Filho é uma das autoridades convidadas a comentar o assunto. Na pauta, estarão as formas de se potencializar o setor mineral, em um cenário de redução do preço das commodities.

Como orador, Fernando Coelho participa da sessão interativa “Catalisando infraestrutura de energia internacional para melhorar a segurança energética”. A sessão tem o objetivo de aprofundar em pontos como as melhores práticas de impulsionar investimentos, como aprimorar os planejamentos nacionais e ampliar interconexões regionais, e formas de atrair financiamento.

Integração Nacional ampliou em mais de 245% os investimentos na Adutora do Agreste

Desde o início do governo Temer, o Ministério da Integração Nacional ampliou em 245% a média mensal de repasses financeiros para a Adutora do Agreste, em Pernambuco. Só entre os meses de junho e dezembro do ano passado, os investimentos federais em uma das maiores obras hídricas em execução no Brasil somaram R$ 113,2 milhões. No período de janeiro a maio, R$ 23,4 milhões foram destinados ao governo estadual, executor das obras. O último repasse da União, no valor de R$ 42 milhões, foi depositado na conta do Estado na última semana de dezembro, cumprindo a decisão de antecipar R$ 230 milhões para obras de combate aos efeitos da seca em estados do Nordeste.

A ampliação de recursos e o novo ritmo das obras vão possibilitar, segundo o Estado de Pernambuco, a chegada da água do rio São Francisco no município de Toritama em maio deste ano e, em setembro, Capibaribe. Quatro mil empregos diretos e indiretos serão criados em canteiros de obras em Caruaru, Toritama, Santa Cruz do Capibaribe, Itaíba, Águas Belas e São Caetano, em 15 frentes de trabalho ao longo das BRs 232 e 104. A expectativa é de que mais um trecho de 40 quilômetros da adutora comece a ser implantado também em maio, entre Belo Jardim, São Bento do Uma e Lajedo.

O início da Adutora está situado a 256 quilômetros da capital do Estado, na cidade de Arcoverde (PE). A primeira fase está organizada em cinco lotes que somam 571 quilômetros de extensão incluindo adutoras, reservatórios, estação de tratamento de água, entre outras estruturas de engenharia.

Garantia de água

A Adutora do Agreste é um dos empreendimentos estruturantes para garantir o fornecimento de água à população pernambucana que sente os impactos da irregularidade de chuvas no estado. Ao todo, o projeto completo da adutora terá cerca de 1.300 quilômetros de extensão, atenderá 68 municípios e beneficiará mais de dois milhões de habitantes em áreas urbanas e rurais. A obra também será conectada ao Ramal do Agreste do Projeto de Integração do Rio São Francisco – atualmente em fase de licitação pelo Governo Federal.

Miguel anuncia investimento de R$ 4 mi na Zona Rural

Blog da Folha

A primeira medida tomada pelo novo prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB), será o anúncio de um investimento de quatro milhões de reais na Zona Rural do município nesta segunda-feira (2). O recurso foi obtido em parceria com a Companhia de Desenvolvimento do Vale de São Francisco (Codevasf) e irá ajudar no abastecimento de água tanto para a população local.

Em discurso, durante a posse neste domingo (1º), Miguel citou algumas áreas que devem ser prioridades em sua gestão.

“Da porta de casa para dentro, emprego, renda, educação para crianças e jovens. De casa para fora, transporte público de qualidade, segurança, saúde bem cuidada, escolas adequadas e todas as oportunidades sendo bem aproveitadas. Essa é a casa cheia que quero ver e é por ela que iremos trabalhar a partir se hoje”, relatou.

Estado anuncia maior investimento privado do ano

Na contramão da crise econômica que acomete o País, o Governo de Pernambuco segue anunciando investimentos e parcerias com o setor privado para a geração de emprego e renda. Em uma solenidade no Palácio do Campo das Princesas, no Recife, na manhã de hoje, o governador Paulo Câmara e o presidente do Aché Laboratórios, Paulo Nigro, assinaram um acordo que assegura a implantação de uma planta industrial e uma central de distribuição do grupo no Complexo de Suape. Os dois empreendimentos vão gerar 500 postos de trabalhos diretos e outros 2,5 mil indiretos. O investimento inicial será de R$ 500 milhões – o maior confirmado pela iniciativa privada este ano no Estado.

“Pernambuco mostrou mais uma vez que vale a pena investir aqui. O grupo Aché confia em nós, confia no potencial do nosso Estado e do Nordeste. Mostrou que confia na nossa infraestrutura, na capacidade de qualificar pessoas e de realizar parcerias”, destacou o governador. Para Paulo, a fábrica, que será inaugurada em 24 meses, vai gerar novos oportunidades para o Estado. “Ela vai gerar emprego e renda em um segmento que é fundamental na vida das pessoas”, completou Câmara.

Ao destacar a importância desse novo empreendimento para o Estado, o chefe do Executivo pernambucano afirmou que as empresas percebem a estabilidade do Estado. “Com o que a gente se compromete, a gente faz”, disse o gestor. Paulo frisou ainda que o Estado se manteve organizado, mesmo em meio à crise que atinge o Brasil. “Em dois anos, nós conseguimos fazer os ajustes necessários para que Pernambuco pudesse enfrentar a perda de receita e, ao mesmo tempo, manter as despesas controladas, os serviços funcionando e com as obrigações sendo cumpridas com o povo pernambucano”, frisou Paulo.

A expectativa é de que a nova unidade, quando estiver em plena operação, em 2021, aumente a capacidade produtiva da Aché em cerca de 50%. A produção pernambucana abastecerá o mercado nordestino. A nova planta – primeira em solo nordestino – será um importante reforço para o polo Farmacoquímico do Estado, que já conta com 11 empresas.

O Aché é uma empresa 100% brasileira com 50 anos de atuação no mercado farmacêutico. Hoje, o grupo paulista, que emprega 4,5 mil pessoas, conta com quatro complexos industriais: em Guarulhos (SP), São Paulo (SP), Londrina (PR) e Anápolis (GO). Bastante animado com a parceria estabelecida com o governo, o presidente do Aché adiantou que as obras serão iniciadas já em 2017 e a inauguração será em dezembro de 2018. “Esse é o investimento da década para o grupo. A unidade será a nossa base para a internacionalização da empresa”, garantiu Paulo Nigro.

A ida da indústria de medicamentos Aché para o Complexo de Suape reforça a sua hegemonia no setor. A sua concepção de porto-indústria oferece condições ideais para a instalação de empreendimentos nos mais diversos segmentos. Com mais de 100 empresas, Suape é responsável pela manutenção de 25 mil empregos em Pernambuco. A localização estratégica do complexo o mantém conectado a mais de 160 portos em todos os continentes, com linhas diretas da Europa, América do Norte e África.

Empolgado com a chegada do novo empreendimento a Suape, o secretário de Desenvolvimento Econômico e também presidente de Suape, Thiago Norões, contou que a prospecção desse investimento teve início em dezembro de 2015 e que a equipe trabalhou duro para atrair essa nova empresa. “As licenças necessárias estão em andamento e tudo vai transcorrer dentro do combinado. Após a inauguração do prédio, o grupo terá três anos para começar a comercializar os medicamentos”, adiantou Norões.

IPSEG encaminha Políticas de Investimento dos anos 2015 e 2016 ao Ministério do Trabalho e Previdência Social

A Prefeitura de Gravatá, por meio do Instituto Previdenciário dos Servidores Municipais de Gravatá (IPSEG), sanou mais uma irregularidade junto ao Ministério do Trabalho e Previdência Social. As Políticas de Investimento do IPSEG foram encaminhadas ao MTPS, justamente, após a certificação da gestora do Instituto.

Desde o ano de 2015, o IPSEG não encaminhava a Política de Investimento para o Ministério da Previdência, em razão de o gestor anterior não possuir Certificação para isto. Em setembro deste ano, a presidente do IPSEG, Luci Lopes, e a diretora Financeira, Kellys Christine, conseguiram aprovação na prova da Associação dos Analistas e Profissionais de Investimentos de Mercado de Capitais (APIMEC) e, hoje, possuem a Certificação de Gestor de Regime Próprio de Previdência Social (CGRPPS). 

Com isso, o IPSEG conseguiu retirar mais uma irregularidade perante o Ministério do Trabalho e Previdência Social e encaminhou as Políticas de Investimento relativa aos anos de 2015 e 2016.

“Quando não acontece o envio da Política de Investimentos, o Ministério da Previdência não emite a Certidão de Regularidade Previdenciária (CRP) e, com isto, o município fica impossibilitado de receber recursos oriundos de convênios com os Governos Federal e Estadual, explicou Luci, ao destacar que, até então, este era um dos itens de irregularidade perante o Ministério da Previdência que impedia a emissão Certidão de Regularidade Previdenciária (CRP). Desde o início da Intervenção eu e o interventor empreendemos esforços para sanar todas as inadimplências possíveis”, concluiu.

/**/

Brasil exibe programa de investimentos a empresários

O governo brasileiro apresentará, nesta quarta-feira (21), o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), em encontro com empresários promovido pelo Conselho das Américas e da Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos.

Consultorias econômicas apostam que haverá “boa receptividade” por parte de empresários do programa. Caberá ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, fazer a apresentação do plano de investimento.

Será uma semana agitada para o presidente Michel Temer. Na terça-feira (20), Temer participa da cerimônia de abertura da 71ª Assembleia Geral da ONU. Hoje, está marcada reunião de alto nível sobre migrantes e refugiados convocada pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon.

Na quarta (21), Temer participa de reunião, também de alto nível, para ratificar o Acordo de Paris sobre mudança do clima. Ele se reúne ainda com um grupo de executivos e gestores de fundos institucionais para apresentar oportunidades de investimento no Brasil.

Temer terá encontros com os presidentes da Nigéria, Muhammadu Buhari, de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, e do Uruguai, Tabaré Vázquez. O presidente ainda receberá o chairman do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, que falará sobre a reunião de Davos, na Suíça.

Paulo sugere ao BNDES investir na Educação Integrada

O governador Paulo Câmara sugeriu, à presidente do BNDES, Maria Silvia Bastos Marques, que o setor da Educação passe a ser beneficiado pela parcela dos financiamentos do banco que as empresas têm de destinar à área social. No caso de Pernambuco, Paulo falou do Projeto Educação Integrada, pelo qual o Governo do Estado começou, em parceria com as prefeituras, a levar o Ensino em Tempo Integral para as escolas da rede municipal. Hoje, 0,5% dos financiamentos do banco são reservados para bancar ações na área social.

“A Educação é a infraestrutura mais importante para que a gente tenha um desenvolvimento sustentável e que mude verdadeiramente a vida das pessoas. É isso que estamos fazendo em Pernambuco. E essa parceria com o BNDES pode permitir que o Estado continue avançando nessa área”, explicou Paulo, que teve a sua primeira reunião de trabalho com a nova presidente do BNDES.

O governador também conversou com a presidente sobre novas operações de crédito do Estado com o BNDES, diante da perspectiva de que o Governo Federal vai autorizar novos financiamentos. De acordo com Paulo, os recursos seriam destinados a obras em andamento, que, inicialmente, receberiam recursos do Orçamento Geral da União. Nesse segmento, as obras hídricas têm uma presença importante.

Segundo Paulo, Maria Silvia foi receptiva às propostas do Governo de Pernambuco, que também incluiu um maior apoio do BNDES ao setor da tecnologia da informação no Estado.

Saúde investe R$ 133 milhões para qualificar atendimentos‏

Municípios de todos os estados brasileiros contam com mais R$ 133 milhões para a qualificação de seus   serviços e de equipes de saúde na Atenção Básica. O Ministério da Saúde liberou esse montante a 4.881 cidades credenciadas ao Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB). As transferências foram feitas na quarta-feira, 27 de julho.

O Ministério da Saúde define o incentivo aos municípios com base em avaliações próprias e de usuários sobre os serviços oferecidos pelas equipes e unidades de saúde. Além disso, a projeção considera os perfis sociais, econômicos e culturais de cada localidade, acrescidos ainda pelos recursos das equipes de Saúde Bucal e Agentes Comunitários de Saúde.

A Atenção Básica é considerada a porta de entrada dos serviços de saúde, sendo capaz de resolver cerca de 80% dos problemas da população, reduzindo a necessidade de procedimentos mais complexos e da hospitalização. A qualificação dos profissionais de saúde é uma ferramenta estratégica para fortalecer esses princípios da Atenção Básica e aperfeiçoar os atendimentos.

O PMAQ-AB é um incentivo aos gestores e equipes de atendimento para melhorar a qualidade dos serviços oferecidos à população na Atenção Básica. Os municípios credenciados devem promover um conjunto de estratégias de qualificação, acompanhamento e avaliação do trabalho das equipes de saúde. O programa eleva o repasse de recursos do incentivo federal para os municípios participantes que atingirem melhora no padrão de qualidade do atendimento.

O repasse de R$ 133 milhões alcança 45.880 equipes de saúde, sendo 28.177 de Saúde da Família (ESF), 16.067 de Saúde Bucal (SB) e 1.636 de Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF). Ao todo, há atualmente 71.568 equipes em 5.489 municípios brasileiros.

Em reunião com Armando Monteiro, Lockheed anuncia investimentos em Pernambuco‏

Em reunião com o senador Armando Monteiro (PTB), nesta terça-feira (21), em Brasília, representantes da empresa americana Lockheed Martin e de sua parceira Bravo Industries anunciaram a instalação de uma base de manutenção de turbinas aéreas em Recife. A Lockheed é uma das maiores indústrias da área de tecnologia e defesa do Mundo. Segundo os empresários, a capital pernambucana foi escolhida por ser um centro de logística e pela proximidade do Porto Digital, que agrega altíssima tecnologia ao projeto. A base de operações deve atender aeronaves de toda a América Latina e da África.

O anúncio coroa os esforços feitos desde 2015, quando o senador, então ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, e a então presidente Dilma Rousseff estiveram com os CEOs da companhia em Nova Iorque e convidaram formalmente a empresa para vir ao Brasil tratar de oportunidades de investimento e parcerias.

Para Armando, Pernambuco tem muito a ganhar com a instalação da unidade. “É um investimento importante, não só pelo valor aportado, mas também por ser uma planta de alta tecnologia, que gera empregos de grande qualificação e que vai reforçar a posição de Recife como hub de aviação”, destacou o senador.

O presidente da Bravo, JR Pereira, e o vice-presidente da Lockheed, Raymond Fajay, reafirmaram o papel de Armando na conquista dos investimentos para Pernambuco. “O senador é o patrono desse projeto, já que tudo começou quando ele estava no MDIC. Por isso, fizemos questão de vir aqui dar a boa notícia”, disse Pereira. Também participaram do encontro o vice-presidente da Bravo, Lourenço Cunha; o vice-diretor para Europa e Américas da Lockheed, John A. Lopes; e o representante da Height Securities, John Akridge.