Falcão pede apoio para lançar Lula candidato em abril

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou em artigo publicado no site da legenda, hoje, que os militantes petistas devem opinar publicamente sobre a possibilidade de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser novamente candidato à Presidência da República. A expectativa é que com as manifestações públicas de apoio ao ex-presidente, Lula possa ser lançado candidato no Congresso Nacional do PT, programado para ocorrer de 7 a 9 de abril, afirmou Falcão.

“Acho que chegou a hora de a militância começar a opinar publicamente. Quem sabe, assim, possamos, durante o 6º Congresso, torná-lo nosso candidato”, disse Falcão.

Na semana passada, Lula participou de duas agendas públicas, em Salvador e Brasília, para reiterar que vai andar pelo País em 2017 e que está preparado para ser candidato. Rui Falcão, que acompanhou Lula durante os atos, reforçou que o partido ainda não tomou uma decisão oficial de lançar o ex-presidente como candidato, mas que o PT não cogita “plano B” para a “aspiração nacional”, que seria a volta de Lula ao comando do País.

“Tanto quanto em outras ocasiões que tenho presenciado, Lula ainda não admite ser candidato, mas reitera, com muita convicção, que está preparado e sabe exatamente o que é preciso fazer para tirar o Brasil da crise, criar empregos, distribuir renda, reacender o ânimo e a confiança da população”, escreveu Falcão.

A partir do lançamento da candidatura, o presidente do PT disse que é possível construir uma forte aliança com movimentos sociais e partidos populares, em torno de um programa de “reformas e transformações estruturais”.

“Se necessário, eu serei candidato”, diz Lula

Agência Estado

Em seu primeiro ato público do ano, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que se necessário vai ser candidato a presidente da República. A declaração foi dada durante o 29º Encontro Estadual do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), em Salvador, na Bahia.

”Se preparem, porque, se necessário, eu serei candidato à Presidência. Se eu for candidato, é para a gente ganhar as eleições desse país”, disse Lula, a uma plateia que usava bonés vermelhos com a inscrição ”Estamos com Lula”.

Mais cedo, no mesmo evento, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou que o partido ainda não tomou a decisão sobre uma eventual candidatura do ex-presidente, mas que ele é ”aspiração nacional”.

Gritos de apoio

Durante o discurso, Lula era interrompido pelo público com o grito ”Brasil pra frente, Lula presidente”. O ex-presidente da República disse ainda que durante este ano vai andar pelo País para recuperar a imagem do PT e sua própria imagem. Ele voltou a afirmar que a legenda está sendo criminalizada pela mídia e pela Justiça.

Lula defendeu que todos que queiram ser candidatos tenham esse direito. ”Se o Temer quer ser, ótimo, se o Serra quer ser, ótimo, se o Moro quer ser, ótimo, se os delegados querem ser, todo mudo que quer ser candidato tem direito, entre num partido e vá para as ruas”, afirmou.

Defesa do crescimento

O ex-presidente fez um discurso defendendo que o País volte a crescer através de investimentos do governo. ”O único jeito desse país voltar a crescer é o Estado investir, pode mexer no compulsório, pode aumentar a dívida. A melhor forma de diminuir a dívida com proporção do PIB, é fazer o PIB crescer”, afirmou.

Lula destacou que o Brasil precisa fazer a reforma agrária e voltar a usar os bancos públicos para financiar a agricultura familiar, os pequenos empresários e os consumidores.

Nesta quinta-feira, Lula vai a Brasília para participar do Congresso Nacional da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE).

Parte do PT quer lançar Lula-2018 hoje na Bahia

Parte do PT está impaciente com a demora do partido em oficializar a candidatura de Lula ao Planalto. A informação é de Natuza Nery, na sua coluna desta quarta-feira na Folha de S.Paulo.

Seegundo a colunista, um grupo queria tratar do assunto já na reunião do Diretório Nacional no dia 20, mas a proposta não vingou.

Os mais afoitos falam em usar o ato do MST na Bahia, nesta quarta (11), para o lançamento.

Parte do partido, — coclui Natuza – no entanto, teme que a antecipação do debate exponha ainda mais o petista a investidas da Lava Jato e o jogue “na cova dos leões”.

Lula retoma hoje a agenda de viagens pelo país

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva retoma hoje a agenda pública com encontro organizado pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra). Sua primeira atividade política de 2017 acontecerá em Salvador (BA).

Segundo participantes, a expectativa é que ele seja recebido ao som de “Brasil, urgente, Lula, presidente”.

Amanhã, Lula participará de um encontro de professores da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, em Brasília. Aliados afirmam que o petista já prepara um discurso para cada ato.

Nos dois defenderá, publicamente, eleições diretas para a Presidência da República ainda neste ano. Em Salvador, pretende apresentar propostas para a economia.

Coordenador do MST e defensor do lançamento imediato da candidatura de Lula, João Pedro Stédile participará do encontro. (Folhapress)

PT espera que STF garanta a Lula disputar presidência

O PT tem esperança de que o STF (Supremo Tribunal Federal) garanta a Lula o direito de disputar a eleição presidencial de 2018, ainda que ele vire ficha suja, caso seja condenado em segunda instância. O ex-presidente é réu em cinco ações.

A informação é de Mônica Bergamo, na Folha de S.Paulo desta terça-feira. Segundo a colunista, dirigentes do partido trabalham com o seguinte cenário: Lula, condenado, recorreria ao STF apontando vícios do processo que hoje já são repisados por sua defesa. Tirá-lo da disputa seria ferir um direito de forma extrema, e irreversível, por causa de uma condenação que poderia no futuro inclusive ser anulada.

Diante da repercussão nacional e internacional esperada com um eventual impedimento de Lula de disputar a Presidência, – diz Mônica -, o STF poderia conceder uma liminar garantindo o direito do petista de aparecer na urna eletrônica.

“Esse é o cenário cor-de-rosa considerado por dirigentes do PT. Outra possibilidade, também tida como concreta, é a da inviabilização da candidatura por uma condenação na Justiça que o Supremo acabe respaldando.”

Jarbas diz que Lula vai ser preso

Em entrevista numa emissora de rádio, o deputado Jarbas Vasconcelos (PMDB) afirmou que o ex-presidente Lula será preso mais cedo ou mais tarde. “O problema de Lula não é hoje com o PSDB, PMDB ou outro partido que esteja no campo de oposição a ele. O problema de Lula é com a justiça. Ele responde a vários processos, dentre os quais virou réu em três. Sua condenação tende a levá-lo à prisão”, disse.

No comando do PT, Lula planeja evitar a debandada

Pressionado a assumir o comando do PT para evitar uma diáspora de insatisfeitos rumo a outros redutos de esquerda, o ex-presidente Lula já esboça um plano de reestruturação da sigla. Nos bastidores, fala em criar cinco vice-presidências regionais para ajudá-lo na inglória tarefa de resgatar o petismo das cinzas. Lula pretende tocar a máquina partidária de forma colegiada, com vices fortes a seu lado. Entre os cotados, Lindbergh Farias (RJ), Jaques Wagner (BA) e Luiz Marinho (SP).

Embora a bandeira das eleições diretas esteja consolidada no PT, o partido ainda tenta atrair os movimentos de esquerda. Parte dos líderes da Frente Brasil Popular acredita que protestos agora devem ser só contra as reformas de Temer.

Já os grupos que atuaram ativamente pelo impeachment de Dilma Rousseff estão céticos quanto à capacidade de sobrevivência do peemedebista. Preveem estrago grande da Lava Jato quando o Judiciário voltar à ativa em fevereiro.

Organizações como o MBL (Movimento Brasil Livre) devem engrossar os protestos de rua caso as acusações firam ainda mais a cúpula do Palácio do Planalto.  (Painel – Folha de S.Paulo)

Lula vai desistir de ser candidato, aposta Carlos Lupi

Folha de S.Paulo

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi diz duvidar do lançamento da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nas próximas eleições. Segundo Lupi, Lula “não quererá se expor após as denúncias” de que é alvo. Para o presidente do PDT, Lula apresenta a candidatura como “autodefesa no processo da Justiça” e como “palco para se defender”.

Ex-ministro de Dilma Rousseff e defensor da candidatura de Ciro Gomes (PDT) a presidente, Lupi afirmou nesta segunda-feira (2) que não acredita que o petista tenha seus direitos políticos cassados em decorrência da Operação Lava Jato, até porque “esses processos na Justiça demoram”. Mas, na sua opinião, o próprio Lula não se lançará para a disputa. Segundo Lupi, “depois de toda essa exposição, a liderança do Lula nas pesquisas é um milagre que ele não vai jogar fora”.

“Lula não ganha nada com isso. Ele já está na história como o maior presidente do Brasil no campo social. Ele vai destruir isso a troco de quê?”

Ao comentar a afirmação do ex-prefeito de São Bernardo do Campo Luiz Marinho (PT) de que a chance de aliança petista com Ciro Gomes é “quase zero”, Lupi diz que a candidatura de seu partido hoje é “a mais viável” entre partidos de centro-esquerda e que espera contar com o PT. Em 2017, Lupi buscará um vice para Ciro na região Sudeste. Sem isso, diz, a campanha do PDT seria inviável. Um dos nomes cobiçados para vice de Ciro é o do ex-prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda, do PSB.

Lupi aposta na realização de eleições presidenciais ainda em 2017, como fruto de um grande acordo nacional. Mas duvida da possibilidade de o presidente Michel Temer liderar essa articulação. ”Como presidente do Brasil, Temer continua presidente da Câmara. Cheio de jantares e salamaleques. Vai tentar um malabarismo de circo para levar o mandato até o final. Mas não vai conseguir.”

Para Lupi, esse acordo acontecerá independentemente do desejo de Temer. O pedetista diz que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso “alimenta o sonho de ser o maestro de uma transição, mas falta-lhe a batuta”. Sobre a hipótese de Fernando Henrique convidar Lula para um diálogo, ironiza: “FHC propor isso é o mesmo que o diabo propor a Deus que ache o clima do inferno melhor que do céu”.

Lula Tôrres é o novo presidente da Câmara de Caruaru

Do G1 Caruaru

O vereador Lula Tôrres (PDT) é o novo presidente da Câmara de Veradores de Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Ele foi eleito presidente da Mesa Diretora da Casa na tarde deste domingo (1º) durante a cerimônia de posse na casa Jornalista José Carlos Florêncio. Torrês obteve 14 votos contra 9 de Alberes Lopes (PRP).

Também compõem a mesa diretora Marcelo Gomes (PSB), 1º vice-presidente, e Edmilson do Salgado (PCdoB), o 2º Vice-presidente. O primeiro secretário será Leonardo Chaves (PDT), o 2º secretário Presbítero Andrey Gouveia (PRP), o 3º secretário Edjailson do Caru Forró (PRTB) e o 4º secretário: Ricardo Liberato (PDT).

Veja como ficou a composição da Mesa Diretora:

Presidente: Lula Tôrres (PDT)
1º Vice-presidente: Marcelo Gomes (PSB)
2º Vice-presidente: Edmilson do Salgado (PCdoB)
1º secretário: Leonardo Chaves (PDT)
2º secretário: Presbítero Andrey Gouveia (PRP)
3º secretário: Edjailson do Caru Forró (PRTB)
4º secretário: Ricardo Liberato (PDT)

Lula diz no PT que volta a presidir o partido em 2017

O ex-presidente Lula já não resiste à ideia de presidir o PT a partir de 2017. Ele comunicou a integrantes do partido que deve aceitar voltar ao cargo. A informação é de Mônica Bergamo, hoje na Folha de S.Paulo.

Lembra a colunista da Folha que Lula dizia há alguns meses que a legenda precisava de renovação. E que por isso seu nome não deveria ser considerado para o comando do PT.

“Houve forte pressão de grupos do partido, que argumentaram que a agremiação precisa de unidade que só o ex-presidente poderia assegurar.”

O petista, segundo um interlocutor, já estaria até fazendo planos de renovar a direção partidária, convidando quadros relativamente jovens para integrá-la.