Morre ex-deputado Almany Sampaio

Morreu, ontem, no Recife, aos 92 anos, o ex-deputado Almany Sampaio, irmão do presidente de honra do PMDB de Pernambuco, Dorany Sampaio. Almany foi prefeito de Paudalho e marcou sua passagem na Assembleia Legislativa como um aguerrido parlamentar no combate ao regime militar. Seu corpo foi cremado ontem, numa solenidade restrita aos familiares.

Aos 81 anos, morre o radialista Walter Lins

Portal FolhaPE

O radialista Walter Lins morreu na manhã desta segunda-feira (9), aos 81 anos. Ele estava internado no Hospital Unimed Recife, na Ilha do Leite, área central da capital pernambucana. Ele morreu em virtude de complicações provocadas por um câncer de fígado.

Em Pernambuco, Walter comandou o Programa Carrossel e a Caixinha de Pedidos, aos sábados, na Rádio Olinda, Pernambuco. O Velório está marcado para as 16h, no Cemitério Morada da Paz.

/**/

Viúva ofereceu 80 mil reais pela morte do embaixador

VEJA 

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) reuniu um conjunto de evidências de que o assassinato do embaixador da Grécia, Kyriakos Amiridis, de 59 anos, foi tramado em detalhes pela viúva.   Uma delas está no depoimento de um dos envolvidos. Eduardo Moreira Tedeschi de Melo, sobrinho do policial militar e assassino confesso Sérgio Moreira Filho, contou à polícia que na manhã da última segunda-feira, dia 26, ou seja, horas antes do assassinato, a embaixatriz Françoise Amiridis ofereceu 80 000 reais para que ele ajudasse o tio a executar o plano.

Sérgio é apontado como executor do assassinato e está preso temporariamente, junto com seu primo, Eduardo Moreira Tedeschi de Melo, e Françoise, de quem era amante.

Em depoimento, Sérgio contou que foi até a casa deles, em Nova Iguaçu, para tomar satisfações do diplomata, já que Kyriakos teria agredido a esposa dias antes. Ela estaria no shopping naquela noite. Os dois teriam brigado e o policial teria matado o grego em legítima defesa, de acordo com suas declarações.

“O depoimento do Eduardo não deixa dúvidas de que foi tudo tramado. Tanto que naquela manhã ela ofereceu 80 000 para que ele ajudasse o tio no plano”, explica um investigador.

Apesar das confissões parciais de Sérgio e do sobrinho Eduardo, a Policia Civil tenta montar um quebra-cabeça intrigante de um macabro triângulo amoroso. A DHBF já sabe, por exemplo, que Françoise chegou à casa no dia 18 de dezembro, enquanto Kyriakos só veio de Brasília no dia 21. Nesses três dias, Sergio e Françoise dormiram juntos na casa. Aos policiais, o PM chegou a contar  que frequentava a casa da amante até mesmo quando o embaixador estava em casa dormindo.

Até agora, Françoise nega qualquer participação no plano para matar o marido. Ela contou, no entanto, que constantemente era agredida pelo marido, a quem descreveu como agressivo, arrogante e que “estava sempre bêbado”. Os investigadores sabem que, naquela noite de segunda-feira, ela saiu de casa até que Sérgio matasse o embaixador e tirasse o corpo de lá para desovar em outro local. A causa da morte ainda não foi definida. Sabe-se apenas que os vizinhos não ouviram qualquer disparo de arma de fogo.

No sofá havia marcas de sangue e, mesmo tendo o local do crime sido lavado, a perícia com luminol também detectou vários pontos com vestígios de sangue. Dentro da casa o PM enrolou o corpo de Kyriakos num lençol e colocou dentro do carro que o grego havia alugado. Depois, atirou-o debaixo do Arco Metropolitano e ateou fogo ao veículo com a gasolina que havia comprado mais cedo.

Morre ex-deputado Augustinho Rufino

Faleceu na manhã deste sábado, aos 75 anos, em Recife após complicações decorrentes de uma cirurgia, o ex-deputado estadual Augustinho Rufino. Com mais de 50 anos de vida pública, Rufino já foi prefeito de Santa Cruz do Capibaribe, deputado estadual em 1990, ficou na primeira suplência em 1994, e foi novamente eleito em 1998.

Augustinho Rufino de Melo deixa quatro filhos e esposa Salete Jordão, tem como genro o vereador Junior Gomes (PSB), que já exerceu a presidência da Câmara de Santa Cruz do Capibaribe.

Rufino será velado no clube Ypiranga, onde atuou como jogador, o sepultamento está marcado para 16h deste domingo no Cemitério São Judas Tadeu, em Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste.

Opinião: Vida, morte e ressurreição

Por Rafael Gomes

Estamos entrando em uma nova fase no Brasil que talvez melhore a ansiedade sobre as incertezas políticas e econômicas que vivemos nos últimos meses.

É fato que nos últimos anos acreditamos no crescimento e nas promessas de agentes políticos que utilizaram de populismo e expansionismo para promover o tão sonhado desenvolvimento do Brasil, porém sem cuidar dos lastros econômicos para a sua perpetuidade. Por instantes vivemos o deslumbre do “sonho americano” de sucesso e prosperidade e esquecemos de nos preocupar com o amanhã.

E o que aconteceu? O amanhã virou o hoje e nos demos conta de que não fizemos a lição de casa!

Se analisarmos o comportamento das empresas é fácil constatar que elas, em sua maioria, performaram seus lucros somente pela ótica de caixa sem dar a devida importância e para a ótica econômica, ou seja, nos últimos anos as empresas brasileiras viveram como se nunca fossem morrer e morreram como se nunca tivessem vividos. Muitos quebraram sem saber, antes mesmo da crise chegar, pois aumentaram suas dívidas e não se preocuparam em renovar suas estratégias (longo prazo).

A lição aprendida é que precisamos mudar, buscar melhorias constantes, mesmo com o vento a favor, pois o que vemos hoje é reflexo de uma alavancagem e estímulo de crédito sem a devida responsabilidade de planejar o futuro.

No fundo fomos penalizados por um comportamento sistêmico de aumentar o nível de endividamento pela empolgação do “agora chegou a nossa vez”.

Tudo bem que hoje existe uma expectativa de que a mudança de governo tornará as políticas econômicas mais responsáveis, e já sabemos que em mercados emergentes como o nosso “qualquer movimento financeiro tende a ser amplificado”, mas o mais importante é não esquecermos de que ainda existe muita dívida a ser paga, e que a expectativa em relação a economia brasileira já vem sofrendo uma transformação considerável.

No começo do ano, vimos que agências de risco, como a Fitch Rating, retirar o grau de investimento do Brasil atribuindo uma perspectiva negativa para 53% das empresas, onde apenas 6% têm perspectiva positiva. Segundo eles, o fluxo de caixa das companhias neste ano deve cair para níveis inferiores aos verificados na última década. A Fitch considera que apenas 19% das empresas emissoras de papéis, com ratings internacionais, têm forte capacidade de enfrentar os desafios de 2016 sem danos a seus perfis de crédito.

Sentimos uma mudança também no comportamento dos bancos que retraíram crédito em um cenário de incertezas, um exemplo é o Itaú BBA que já criou uma superintendência de reestruturaçãoque vem atuando diretamente na análise de indicadores de seus clientes com o objetivo de precaver operações desastrosas. Ou seja, até mesmo eles tiveram que sair da simples análise de Rating de Risco, prática mandatória nos últimos anos, para voltar à análises de crédito mais estreitas e próximas de seus clientes.

Porém, já é possível sentir uma onda de reação econômica após o impedimento da ex-presidente Dilma relacionado a agentes externos que voltaram a colocar os países emergente na mira do capital financeiro.

Não será fácil o renascimento do mercado, pois temos uma dura missão de administrar um cenário de retração da economiacombinado com o aumento de impostos e incerteza de investidores.

Nos próximos anos o aumento de “lucro” será um esporte para poucos, porém a lição de casa precisa ser feita, precisamos de uma boa base política, econômica e social para sairmos desse cenário.

A boa notícia é o aumento das apostas dos fundos de Private Equity no Brasil, que renderam mais do que a bolsa de 2006 a 2014. Isso significa que existe uma melhor aceitação de investimentos de fundos privados em empresas de médio porte podendo ser uma boa opção para os empresários que precisam captar investimentos para o crescimento dos seus negócios.

Temos todos os ingredientes para a ressureição da economia brasileira, porém, teremos que nos atentar na ordem em que cada um deles será colocado, na forma com que serão misturados e no tempo certo que esse pão irá crescer para ser dividido.

Como disse Adam Smith no clássico livro A Riqueza das Nações: “Não é da benevolência do açougueiro, do cervejeiro ou do padeiro que esperarmos nosso jantar, mas da consideração que eles têm pelo seu próprio interesse.” Então teremos que trabalhar arduamente sem esquecer da lição do crescimento sem responsabilidade, do comodismo de não nos preocuparmos com a economia, do medo de competir e cooperar com o mercado e da ampliação de negócios com paços maiores que as pernas.

Agora, o que nos resta é somente o trabalho árduo e a fé na ressurreição da economia brasileira. Como dizem, orar e vigiar, eu digo, trabalhar e acreditar.

* Rafael Gomes é diretor da Ucon Advisors. Atua há mais de 15 anos na gestão e reestruturação de empresas de médio e grande porte com foco na aplicação das principais ferramentas e metodologias de gestão empresarial. Formado Administração de Empresas com MBA em Gestão Financeira, Auditoria e Controladoria é especialista em M&A.

Aécio recebe ameaça de morte após interrogar Dilma

Da Folha de São Paulo

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) recebeu uma ameaça de morte em seu endereço de e-mail funcional instantes após iniciar seu questionamento à presidente afastada, Dilma Rousseff, durante a sessão de julgamento do impeachment desta segunda-feira (29).

Na mensagem, recebida às 14h14, Aécio é chamado de “canalha asqueroso”. O remetente afirma ainda que, se o tucano não renunciar ao mandato, vai “matar você e toda a sua família”.

Anexa ao e-mail, intitulado “Aviso”, veio a imagem do cadáver um jovem, coberto de sangue.

A assessoria do senador disse que ele vai solicitar à Polícia Federal que investigue a autoria da mensagem. Aécio também comunicou o episódio à Mesa Diretora do Senado.

Não é a primeira vez que o senador tucano recebe ameaças.

Há alguns meses, um denunciante anônimo procurou o serviço de atendimento ao público do Senado e relatou que havia um plano para um atentado contra o senador.

Na época, a segurança de Aécio foi reforçada por uma escolta policial.

Morre o jornalista pernambucano Geneton Moraes Neto

JC Online

geneton

Uma marca do jornalismo brasileiro, o pernambucano Geneton Moraes Neto não resistiu a complicações causadas por um aneurisma da artéria aorta e morreu nesta segunda-feira (22), aos 60 anos.

O jornalista estava internado num leito da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) da Clínica São Vicente, no Rio de Janeiro. Há alguns meses, familiares e amigos haviam usado as redes sociais para pedir doação de sangue.

Geneton, que estava no quadro de funcionários da Rede Globo desde 1985, iniciou a trajetória na profissão como repórter do Diário de Pernambuco, na década de 1970.

Logo depois, entre 1975 e 1980, foi repórter da sucursal no Nordeste do jornal O Estado de S.Paulo. Entrou para a Rede Globo Nordeste e seguiu para o Rio em 1985.

Abreu e Lima: morto em centro de ressocialização

Do G1 – PE

Um adolescente de 17 anos foi morto na noite de sábado (20), na Fundação de Atendimento Socioeducativo, em Abreu e Lima, no Grande Recife. O rapaz se envolveu em uma confusão no pátio da unidade. A Polícia Militar informou que equipes do 17° Batalhão e do Batalhão de Choque atuaram para conter o tumulto, encerrado por volta da meia-noite.

Os parentes do jovem estiveram, na manhã deste domingo (21), no Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro, na área central do Recife, para liberar o  corpo. Bastante emocionado, o irmão da vítima informou apenas que a família foi chamada no início da manhã para reconhecer o cadáver.

Os parentes disseram que o rapaz morava em Paudalho, na Zona da Mata Norte  pernambucana.  Não informaram os motivos pelos quais o adolescente foi levado, há oito meses, para a unidade de ressocialização de infratores. Ainda não há informações sobre a autoria do crime.

No dia 25 de julho, a unidade de Abreu e Lima foi palco de um tumulto. Segundo funcionários da Funase, dois adolescentes ficaram gravemente feridos. No dia 13 de maio, um motim deixou seis feridos após uma tentativa de fuga. Já no dia 31 de março, internos que haviam participado de uma briga nos pavilhões 9 e 14 chegaram a atear fogo no local.

Morre Elke Maravilha

ce0636dfa9

Morreu no Rio de Janeiro, no início da madrugada desta terça-feira (16), a atriz Elke Maravilha. Ela estava internada na Casa de Saúde Pinheiro Machado, em Laranjeiras, na Zona Sul, desde o dia 20 de junho.

De acordo com seu irmão, Frederico, Elke, de 71 anos, foi operada de uma úlcera e ficou em coma induzido. A atriz morreu por volta de 1h. A família ainda não definiu data e local do sepultamento.

Antes de ser internada Elke vinha se apresentando pelo país com o espetáculo “Elke canta e conta”, onde falava de passagens de sua vida desde a infância na Rússia, os casamentos, a vida como modelo e apresentadora. Elke Grunnupp nasceu na Rússia, em 1945. Chegou ao Brasil ainda criança com os pais, para morar em Minas Gerais.Começou como modelo e manequim, aos 24 anos.

A carreira em televisão começou na “Discoteca do Chacrinha”. Depois fez novelas, filmes e peças. Passou seis dias presa durante o regime militar por desacato após rasgar um cartaz de procurado com a foto do filho da estilista Zuzu Angel, para quem desfilava.
Foi também secretária, bibliotecária, bancária, professora, tradutora. Casou-se várias vezes, já disse ter feito aborto, foi rainha de associação de prostitutas no Rio, estrela do cinema e viveu a vida intensamente.

Em entrevista ao G1, em junho de 2015, afirmou que ainda tinha muito o que fazer e muito o que aprender. No seu perfil no Facebook foi postada a seguinte mensagem pelo administrador da página: “Avisamos que nossa Elke já não esta por aqui, conosco. Como ela mesma dizia, foi brincar de outra coisa. Que todos os deuses, que ela tanto amava, estejam com ela nessa viagem. ‘Eros anikate mahan’ (O amor é invencível nas batalhas). Crianças: conviver é o grande barato da vida,aproveitem e convivam'”.

SDS diz que houve “falha de comunicação”

Do Portal Folha/PE

Já foi liberado pela Polícia o quarto de motel onde Paulo Cesar Morato – investigado na Operação Turbulência, da Polícia Federal (PF) – foi encontrado morto. Depois de muita polêmica envolvendo a investigação, a Secretaria de Defesa Social (SDS) convocou uma coletiva de imprensa, na tarde desta segunda-feira (27), que expôs contradições entre os envolvidos na investigação. Participaram o secretário-executivo da pasta, Alexandre Lucena, a delegada Gleide Ângelo, que assumiu o caso, e o perito papiloscopista Lauro Macena, que esteve no motel Tititi na noite em que o corpo foi encontrado.

Quanto ao pedido de perícia feito pela delegada Gleide Ângelo e não executado, a SDS reconheceu que “houve uma falha de comunicação”. Um dia depois do corpo ser encontrado, três peritos foram ao motel, mas não tiveram nem acesso ao quarto, pois receberam ordens para suspender o procedimento. Segundo o secretário-executivo, todos os exames necessários, inclusive o papiloscópico, já haviam sido feitos, ainda na noite da quarta-feira (22), quando o corpo foi encontrado.

Na coletiva, a delegada explicou que redigiu o pedido de continuidade da perícia apenas por volta das 3h da quinta-feira (23), após ter atendido a outras ocorrências, pois ela não sabia que os exames já tinham sido feitos. Ela reforçou que a emissão do pedido foi um erro de comunicação.

O perito Lauro Macena confirma que realizou a papiloscopia no local naquela noite, mas que, achando necessário dar continuidade aos trabalhos, teria solicitado apenas verbalmente a Gleide Ângelo que houvesse nova perícia no dia seguinte. No entanto, documento obtido pelo Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco e pela Associação dos Peritos Papiloscopistas de Pernambuco (ASPPAPE) traz ofício formal emitido pelo perito solicitando a nova perícia.

O presidente do Sinpol, Áureo Cisneiros, afirmou que as explicações dadas na coletiva não foram satisfatórias. Segundo ele, o procedimento adotado no caso fugiu aos padrões normais.