Assaltantes dão doze tiros em ônibus de Araripina

onib

Um ônibus oficial da Prefeitura de Araripina, lotado com 44 pessoas, foi objeto de uma tentativa de assalto na madrugada de hoje. Por volta de duas horas da madrugada, bandidos não identificados deram doze tiros no automóvel nas imediações do município de Belo Jardim, na BR-232, a 184 km do Recife.

As balas, felizmente, não atingiram nenhum dos passageiros, a maioria formada por portadores de doenças crônicas em busca de tratamento na capital.

Artigo: Corredor exclusivo para ônibus: 01 Ônibus para 40 Carros

A facilidade nos financiamentos de créditos para adquirir automóveis, oferecida nos últimos tempos, vem gerando o estímulo à utilização do transporte individualizado em detrimento do coletivo. Com isso, o acréscimo da frota de veículos, em todo país, veio seguido de uma queda no número de passageiros no transporte público.

Porém, segundo informações da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos – NTU, os carros que ocupam 70% das ruas realizam apenas 30% das viagens, ou seja, mais veículos nas vias urbanas, cidades mais congestionadas, o que resulta em menos qualidade de vida. Para técnicos e estudiosos da área de trânsito e transporte, uma das opções de sustentabilidade para a equação “mobilidade urbana x meio ambiente”, nas capitais e cidades metropolitanas, seria a implantação de corredores exclusivos para ônibus.

Um ônibus convencional comporta, aproximadamente, 70 a 80 passageiros, substituindo pelo menos 40 automóveis de passeio, levando em consideração que cada um transporta, em média, duas pessoas. Uma das vantagens da exploração de vias expressas é que esse espaço exclusivo para o transporte público, apartado dos demais veículos, permite a utilização de ônibus maiores, articulados e/ou biarticulados, aumentando a capacidade do transporte para até 270 pessoas de uma só vez. Outra vantagem do corredor exclusivo é a de permitir o aumento da velocidade operacional, contribuindo para a credibilidade do serviço, além da diminuição dos custos da atividade, que serão alcançados em curto prazo, uma vez que, quanto maior o tempo de viagem, mais combustíveis e peças são utilizados.

De acordo com o Presidente Executivo da NTU, Otávio Cunha, a medida de priorização de vias exclusivas “tem um custo de implantação relativamente baixo e traz melhorias significativas para os usuários”. E ainda segundo o Diretor Administrativo daquela entidade, Marcos Bicalho, “a implantação de sistemas BRT com serviços mais rápidos e de maior qualidade iria, sem dúvida, atrair usuários de carros e motos. Essa seria uma forma, relativamente rápida, de promover, com baixo custo, melhorias no trânsito e na qualidade do ar”.

Fazendo um comparativo do uso transporte coletivo com a moto, por exemplo, observa-se que o número de acidentes é 21 vezes menor, uma vez que esses veículos de duas rodas são mais favoráveis a colocarem seus condutores em situação de risco, além de serem mais poluentes, em virtude da baixa tecnologia no controle da emissão de gases.

A Lei de Mobilidade Urbana (12.587/2012) estabelece prioridade do espaço, hoje ocupado pelos veículos individual motorizado, para implantação dos corredores exclusivos para ônibus e ciclovias. Ou seja, a criação de faixas privativas para utilização pelo transporte coletivo de passageiros é o modo mais simples, célere e barato para obtermos melhorias no trânsito, e, consequentemente, na vida de milhões de pessoas, além da redução nos custos da operação, o que possibilitaria a redução no preço das tarifas.

Cabe apenas aos governantes impulsionarem a democratização das vias públicas, através dos corredores exclusivos para ônibus, no lugar de facilitar a compra de veículos individuais motorizados, pois, um país desenvolvido não é aquele onde todos utilizam carros, mas onde todos podem ter acesso a um transporte público de qualidade.

Adriana Leal é Advogada e Especialista em Transporte Público e Licitação e Contratos Administrativos. 

Duque de Caxias será aberta apenas para ônibus

Dando continuidade à fase de teste na rua Duque de Caxias, nesta sexta-feira, 5, a via será utilizada apenas por ônibus. De acordo com o presidente da Destra, Alex Monteiro, a avaliação inicial, com a rua totalmente bloqueada, pode ser concluída hoje, não havendo necessidade de estender até o sábado, 6. “Pudemos observar a fluidez do trânsito durante todo o dia de hoje. Desta forma, resolvemos antecipar o teste com o transporte público. Lembrando que os outros tipos de veículos devem seguir as orientações iniciais durante a sexta-feira”, explicou.

Os testes serão concluídos em dois dias e o trânsito volta ao normal a partir do sábado, 6.

/**/

Atendimento do Leva estará suspenso no feriado

A Associação das Empresas de Transportes de Passageiros de Caruaru – AETPC informa, que nesta terça-feira (15) não haverá atendimento do cartão Leva no terceiro piso do Shopping Difusora devido ao feriado da Padroeira de Caruaru, Nossa Senhora das Dores.

Os serviços de cadastro, emissão de vias e recarga voltam a funcionar normalmente na quarta (16) das 8h às 12h e das 14h às 18h. Vale lembrar, que os demais pontos de recarga espalhados pela cidade, seguem horário de funcionamento do comércio.

Tarifa Social do Leva passa a valer apenas com cartão comum

A partir deste domingo (06) a tarifa social cobrada no transporte público de Caruaru, só será válida com o cartão Leva Comum. O valor de R$1,15 não será aceito em dinheiro por decisão prevista no decreto da tarifa assinado pela Prefeitura Municipal.

Quem não possui o cartão Leva Comum, deve comparecer ao atendimento do Leva no Shopping Difusora para solicitar uma via do cartão, munido de RG, CPF e Comprovante de Residência. Aos usuários dos demais cartões (Estudante, Servidor, Vale Transporte), não há mudanças.

Com a iniciativa, menos dinheiro passa a circular dentro dos ônibus, proporcionando mais segurança para os funcionários como para os que utilizam o veículo.

Atendimento – O Leva funciona de segunda a sexta das 8h às 12h e das 14h às 18h e aos sábados das 10h às 14h.

Transitar no corredor de ônibus vira infração gravíssima

corredor1

Do G1

A presidente Dilma Roussef sancionou alterações no Código Brasileiro de Trânsito (CTB), que a partir desta sexta-feira (31) passa a considerar infração gravíssima transitar em faixas exclusivas de ônibus no Brasil.

Deste modo, o motorista que for pego dirigindo em corredores de transporte coletivo, nos horários proibidos, pode ter o veículo apreendido, além de perder 7 pontos na carteira de habilitação e pagar multa de R$ 574.

Até então, trafegar na faixa exclusiva à direita era considerado infração leve e nos corredores à esquerda da via, grave. Em nenhum dos casos estava prevista a apreensão do veículo.

A mudança no artigo 184 do CTB foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (31), com três artigos vetados pela presidente Dilma Rousseff. A lei entra em vigor a partir da publicação.

As multas por invasão às faixas exclusivas cresceram mais de 60% em São Paulo nos 5 primeiros meses de 2015, comparado ao mesmo período de 2014. Segundo a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), de janeiro a maio de 2015 foram aplicadas 702.540 multas contra 434.415 infrações cometidas no ano anterior.

Cobrança em movimento

Segundo o texto publicado no Diário Oficial, a partir de agora taxistas e motoristas que exercem atividade remunerada podem ser multados se forem pegos fazendo a cobrança da tarifa com o carro em movimento. A infração, que não estava prevista no CTB, é considerada média e rende multa.

Licitação vai melhorar transporte de ônibus em Caruaru, diz prefeitura

As empresas de ônibus de Caruaru terão que continuar a renovação da frota, ampliar a oferta de linhas e implantar a integração na forma de bilhete único. É o que está determinado na licitação do transporte público realizada pela prefeitura, seguindo recomendações do TCE (Tribunal de Contas do Estado) e do Ministério Público de Pernambuco.

As empresas vencedoras, Coletivo, Tabosa e Capital do Agreste, terão ainda outras obrigações como implantar padronização visual, operar com o sistema de bilhetagem eletrônica, promover o videomonitoramento, a telemetria e o controle da oferta por GPS. Todas as cláusulas do processo foram definidas pela prefeitura e serão fiscalizadas pela Destra.

O processo é composto de etapas, com prazos determinados pelo edital de licitação e pela Destra. Nos próximos dias, será anunciada a assinatura do contrato que vai oficializar o compromisso das empresas, na condição de concessionárias do serviço de transporte público municipal.

Para a prefeitura, as medidas determinadas pela licitação “fortalecerão a gestão pública”. Segundo a administração municipal, será possível “controlar de forma automatizada e eficaz a operação de bilhetagem eletrônica e a qualidade dos serviços, fazendo com que a população tenha um sistema de transporte mais moderno e satisfatório”.

Usuários criticam reajuste das passagens

O último fim de semana começou indigesto para os usuários de transporte público de Caruaru. Na tarde da sexta-feira (10), eles tomaram conhecimento sobre o reajuste no preço da passagem de ônibus de R$ 2,10 para R$ 2,30. A mudança foi publicada na mesma data, no “Diário Oficial do Município”, através de decreto elaborado pela prefeitura. Para tal procedimento, ela alegou tentar minimizar os custos elevados das empresas do setor para com a manutenção desse tipo de serviço. Já tendo de “rebolar” para não entrar no vermelho em tempos de crise, os passageiros caruaruenses criticaram bastante o novo valor do bilhete. Esse foi o caso da diarista Maria José da Silva.

“Para você ver que ultimamente o trabalhador brasileiro não vem recebendo nenhuma notícia agradável. Assim como em todos os anos, o salário mínimo aumentou uma merreca em 2015, mas as contas de luz, água, telefone e o preço da passagem de ônibus subiram de uma forma exorbitante. Agora vou ter de diminuir a utilização do transporte, porque não posso gastar mais do que recebo. Se a faxina não for tão longe, farei o percurso a pé”, comentou a diarista, que utiliza três vezes por semana esse tipo de transporte. A demanda pode até ser considerada pequena se comparada à do estudante Artur Leite.

Ele pega pelo menos quatro conduções por dia. “Apesar de ser estudante e pagar menos pela tarifa, esse reajuste também pesará no meu bolso, na medida em que agora desembolsarei mais dinheiro para recarregar o meu cartão Leva. Achei esse aumento um absurdo, até porque, se formos para a ponta do lápis, R$ 0,20 a mais em cada passagem não sai tão barato assim”, questionou. Outro a criticar bastante o reajuste nos bilhetes foi o vendedor Sebastião Silva. “Se a qualidade dos ônibus melhorasse com esse aumento, ficaríamos até um pouco mais conformados. Problema é que não deveremos ver mudança alguma”.

De acordo com o presidente do Comut (Conselho Municipal de Trânsito), Ricardo Henrique, o novo valor da tarifa já havia sido aprovado desde o mês de abril do ano passado, em reunião realizada na sede da Destra. “Naquele momento, quando o Comut e a Destra apresentaram as suas planilhas, chegamos à quantia de R$ 2,30. Entretanto, o preço que acabou sendo praticado por vários meses correspondeu aos R$ 2,10. Já no último mês de abril, esse primeiro valor foi respaldado novamente pelo conselho, desta vez, em caráter emergencial. Então, a população já sabia que haveria esse reajuste, até porque já vínhamos anunciando”, explicou.

O presidente do Comut ainda apontou os fatores que justificaram o aumento da passagem. “Desde 2014 que temos observado um desequilíbrio na manutenção do nosso sistema de transportes. É preciso deixar bem claro que esse reajuste colocado em prática se referiu à atualização da tarifa do ano passado. Ou seja, ainda não discutimos os insumos de 2015. Dentre eles estão o aumento dos combustíveis e a elevação de preços de peças e acessórios dos veículos utilizados”, finalizou Ricardo.

Em paralelo à correção do bilhete, outro ponto importante que os usuários precisam ficar atentos diz respeito à adoção da tarifa social aos domingos e feriados. A partir de 1º de setembro, ela só poderá será permitida através da apresentação do Leva. A determinação está no decreto nº 067 que foi publicado no Diário Oficial de 10 de julho de 2015.

Prefeituras podem ser obrigadas a oferecer ônibus escolar gratuito e seguro

Por AYRTON MACIEL
Do Jornal do Commercio

Todas as prefeituras do interior de Pernambuco podem ser obrigadas, por lei, a fornecer ônibus escolar “eficiente e seguro” para o transporte dos alunos das escolas municipais. A obrigatoriedade depende da aprovação, na Assembleia Legislativa, de projeto de lei (nº 302/2015) que está na Comissão de Constituição e Justiça (CCLJ), e posteriormente da sanção do governador Paulo Câmara (PSB).

De acordo com o projeto, além de ter que fornecer os ônibus escolares seguros e eficientes, os prefeitos terão de garantir a manutenção semestral dos veículos, com todas as inspeções para verificação dos equipamentos obrigatórios e de segurança exigidos pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran). As prefeituras ficam, ainda, responsáveis pela fiscalização e adequação dos ônibus às normas de segurança.

A proposta – apresentada pelo deputado Aluísio Lessa (PSB) – determina que o transporte escolar deve ser “gratuito, seguro e de qualidade” e, para isso, também os motoristas dos ônibus devem estar habilitados pelas normas do Código Brasileiro de Trânsito. Será responsabilidade das prefeituras municipais a fiscalização do cumprimento da exigência da lei.

Como medidas de segurança, o projeto acrescenta as exigências de cintos de segurança em número igual à lotação do veículo, o do número de crianças transportadas não ser maior do que o número de assentos, a de tacógrafo e a realização de inspeções semestrais para verificação dos equipamentos obrigatórios. Obriga, igualmente, que nos veículos sejam submetidos às vistorias regulares do Detran.

“Um dos grandes motivos que levam os alunos a faltarem às aulas e mesmo a abandonarem a escola é a dificuldade de chegar até ela. Os municípios pernambucanos estão com a frota escolar em situação precária, impossibilitando o transporte dos alunos de forma segura e adequada. Os veículos estão, na sua maioria, danificados, com peças, pneus e equipamentos faltando ou quebrados, sem a mínima manutenção para que os alunos sejam transportados em segurança, ocasionando assim uma incidência muito alta de acidentes, às vezes fatais”, afirma o deputado.

Passagens aumentam em Pernambuco

Pedro Augusto

Os usuários de ônibus intermunicipais passaram a desembolsar mais dinheiro para utilizarem o serviço. Desde a terça-feira (30) entrou em vigor em todo o Estado, o reajuste nos preços das passagens. O aumento médio correspondeu a 11,39% e foi autorizado pela Arpe (Agência Reguladora de Pernambuco). Esta última alegou a necessidade de recomposição dos efeitos da inflação de janeiro de 2013 a maio deste ano. Através da Resolução de nº 102, que foi publicada no Diário Oficial do sábado passado (27), a agência espera promover o “equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de permissão em vigor”.

Responsável pela divulgação do aumento, a EPTI (Empresa Pernambucana de Transporte Coletivo Intermunicipal) está recomendando aos passageiros a entrarem em contato com as operadoras de ônibus, caso queiram saber os novos valores dos bilhetes. Como o reajuste de 11,39% foi médio, os preços das passagens podem variar de uma empresa para outra. De posse dos telefones de algumas delas, a reportagem do Blog apurou os valores das viagens mais demandadas pelos usuários.

De Caruaru para Recife, por exemplo, agora, uma das operadoras consultadas está comercializando a passagem ao preço de R$ 25. Antes do reajuste, o mesmo bilhete não saía por mais de R$ 24,70. Da Capital do Agreste para Salgueiro, no Sertão do Estado, agora, o custo da viagem está girando na casa dos R$ 67. Até a última segunda-feira (29) – um dia anterior ao aumento – o preço da passagem não ultrapassava a casa dos R$ 64.

Devido ao reajuste, o bilhete de Recife para Gravatá passou a custar R$ 13,70 e não mais R$ 11,70 como era comercializado antigamente. Já a passagem do Recife para Vitória de Santo Antão aumentou de R$ 5,75 para R$ 6,10. Saindo também da capital pernambucana, mas com destino a Petrolina, no Sertão, o usuário agora desembolsará R$ 124,81 e não mais R$ 128,69. Os telefones das empresas de ônibus intermunicipais com atuação em Pernambuco estão disponíveis na fanpage da EPTI (www.facebook.com/pe.gov.br?fref=nf).