Mendonça anuncia novo piso dos professores

O ministro da Educação, Mendonça Filho, informou, há pouco, que o novo piso salarial dos professores terá um reajuste de 7,64% a partir de janeiro de 2017. Com o aumento, o salário-base passa dos atuais R$ 2.135,64 para R$ 2.298,80. O valor deve ser pago para docentes com formação de nível médio com atuação em escolas públicas com 40 horas de trabalho semanais. Segundo a pasta, o reajuste ficou 1,35% acima da inflação medida em 2016, que fechou o ano em 6,29%.

Em 2016, o aumento foi de 11,36%, o que significou um ganho salarial de 0,69% acima da inflação. Segundo o Ministério da Educação, a portaria com o novo piso salarial será publicada na edição desta sexta-feira do “Diário Oficial da União”. Pela regra atual, a correção do piso reflete a variação ocorrida no valor anual mínimo por aluno definido nacionalmente pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

De acordo com o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Roberto Franklin de Leão, 14 estados não cumprem o piso nacional da categoria estabelecido por lei. Para contribuir com o cumprimento do piso, o governo federal repassa 10% do Fundeb para estados e municípios.

O ministro da Educação informou que, a partir deste ano, o pagamento será feito mensalmente. Antes, o governo tinha até abril do ano seguinte para fazer o repasse.“Vamos pagar mês a mês aquilo que seria pago só até abril de 2018”, disse.
O ministro disse que há uma demanda de prefeitos e governadores para que seja alterada a lei que define o cálculo do reajuste. Ele ponderou, porém, que não há no momento uma discussão sobre o assunto no ministério. “O Brasil vive há algum tempo a recessão e a queda de receita de estados e municípios, mas nossa obrigação é cumprir a lei federal”, disse. “Vivemos um dilema. Limitações financeiras de estados e municípios de um lado e, de outro, a necessidade de que os professores sejam valorizados”, complementou.

Segundo a Confederação Nacional de Municípios (CNM), o impacto do reajuste anunciado para este ano será de R$ 5 bilhões aos cofres municipais. A entidade ressalta que, atualmente, os prefeitos comprometem, em média, 78,4% dos recursos do Fundeb apenas com salários dos professores.

MP recomenda reajuste para professores de Cumaru

Do G1 Caruaru

O Ministério Público de Pernambuco recomendou que os salários dos professores de Cumaru, no Agreste do Estado, sejam compatibilizados com os vencimentos dos profissionais do magistério público da educação básica. A recomendação foi publicada no Diário Oficial do dia 3 de janeiro à prefeita Mariana Medeiros. O prazo de reajuste é de 60 dias.

Os professores que trabalham 40 horas por semana deverão receber o salário estabelecido como piso nacional, conforme a assessoria. De acordo com o MPPE, a prefeitura deverá quitar os valores retroativos desde o mês de janeiro de 2012. O pagamento deve ser efetuado no prazo de 90 dias e em até três parcelas.

“Ao final dos 90 dias referentes ao pagamento do reajuste retroativo, a prefeita também terá mais dez dias úteis para comprovar o cumprimento dos termos da recomendação do MPPE”, conforme informou a assessoria.

Ao final do pagamento, caso seja parcelado, caberá a Mariana Medeiros comprovar todos os valores devidos, de modo a assegurar o cumprimento da recomendação.

UFPE apura agressão de estudantes a professores

Do G1 PE

A Reitoria da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) determinou, na sexta-feira (23), a abertura de um inquérito administrativo para apurar agressões sofridas por dois professores. O caso ocorreu durante sessão do Conselho Coordenador de Ensino, Pesquisa e Extensão (CCEPE) que tratou do ajuste do calendário acadêmico.

A informação sobre a iniciativa da reitoria está no site da UFPE. De acordo com a instituição de ensino superior, 13 estudantes que participaram das ocupações em prédios da instituição, encerradas na tarde de sexta, compareceram como convidados à reunião. Após o debate, foi aprovado, em votação, o reinício das aulas do segundo semestre de 2016 para o dia 9 de janeiro de 2017.

Os alunos, de acordo com a UFPE, discordaram do resultado do encontro. A universidade informou que eles se postaram na porta do auditório da reitoria, onde ocorria a reunião, para evitar a saída dos conselheiros.

Um dos professores tentou sair acabou sendo fisicamente agredido pelos estudantes. Segundo a UFPE, o fato provocou um tumulto. Outro docente interferiu e também sofreu agressão.

Além dos procedimentos administrativos, a Reitoria vai tomar as medidas judiciais cabíveis para evitar novos casos de ocupação de prédios da universidade.

Fim das ocupações
Os estudantes que ocupavam oito prédios da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) deixaram as unidades na sexta-feira. Segundo a assessoria da UFPE, os manifestantes cumpriram o acordo firmado com a reitoria da instituição na última quarta-feira (21). Segundo a assessoria da UFPE, uma vistoria está sendo feita nos prédios ao longo da tarde.

Professores alfabetizadores participarão do Seminário de Abertura do PNAIC/2016

A Secretaria de Educação, em parceria com MEC – Ministério da Educação e Cultura, promove nesta sexta-feira, 28, no auditório da Fafica, o Seminário de Abertura do PNAIC/2016 – Pacto Nacional pela Educação na Idade Certa.

A formação continuada abordará temáticas envolvendo todas as áreas do conhecimento e tem como público alvo professores alfabetizadores das séries iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 3º ano), da cidade e do campo.

A formação acontecerá das 7h30 às 13h.

Professores lutam contra salários atrasados em Carpina

Os professores da rede pública de ensino em Carpina, na Zona da Mata Norte, protestaram, na tarde desta quinta, em frente à Prefeitura para reivindicar o pagamento dos salários da categoria. Representantes do Sindicato dos Professores de Pernambuco (SINPRO) também participaram do ato.

Devido ao atraso no repasse dos vencimentos, os profissionais de educação da cidade solicitaram à Justiça o bloqueio dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Pelo impasse, a expectativa é de que a categoria deflagre greve amanhã, quando farão uma nova assembleia.

/**/

Educação de Águas Belas realiza formação para professores da zona rural‏

Formação zona rural_Imprensa PMAB

No dia 1º de agosto, a Secretaria de Educação de Águas Belas promoveu uma formação para os professores que lecionam no campo. No primeiro momento, foi realizada uma palestra com a fonoaudióloga Ana Claudia  Mendonça, que tratou sobre os principais problemas que acometem a voz da maioria dos professores.

Em seguida, a equipe de coordenação do campo da Secretaria de Educação abordou a questão da obrigatoriedade do ensino da cultura afrodescendente e indígena.

Com essa finalidade, tomou-se como norte as Leis: 10.639, de 09 de janeiro de 2008 e a Lei 11.645, de 10 de março de 2008. Essas, abordam a questão da obrigatoriedade do referido ensino em todas as  escolas do país. “Foi uma manhã o muito proveitosa, pois ela deu dicas de como prevenir-se, bem como, trabalhou exercícios práticos de fonoterapia que ajudarão ao professor a tratar melhor os órgãos que promovem sua voz. Para aqueles que apresentam problemas diagnosticados  deu  orientações de como reverter ou tratar as situações”, explica a secretária Roseane Pereira.

Professores de Gravatá são capacitados para o Alfabetizar com Sucesso‏

Os 120 professores do Ensino Fundamental I, da rede municipal de Gravatá, participaram de uma formação realizada pelo Programa Alfabetizar com Sucesso – desenvolvido por meio do Governo do Estado por meio de uma parceria firmada com o Instituto Ayrton Senna. O treinamento, realizado no auditório da Secretaria Municipal de Educação, localizada na Rua Régis Velho, também contou com a formação de 16 coordenadores, divididos em duas turmas. Com a carga horária de 8h, a formação foi realizada pela Gerência Regional de Educação (GRE) Mata-Centro, nesta terça-feira (12). Na próxima quinta-feira (14), haverá o encerramento da capacitação.

O interventor de Gravatá, Mário Cavalcanti, participou da abertura do evento e falou sobre a importância do investimento na Educação do município. “O objetivo é realizar com eficiência o Programa Alfabetizar com Sucesso. Com ele, vamos garantir uma melhoria no aprendizado dos estudantes da rede municipal de ensino. Para complementar o trabalho pedagógico das nossas unidades de ensino, hoje, também estamos realizando a entrega de lousas digitais. Elas oferecem aos alunos a oportunidade de interagir diretamente com o conhecimento. Por meio de uma tela projetada por um computador, conseguimos levar mais tecnologia às salas de aula”, destacou.

A coordenadora da Gerência Regional de Educação Mata-Centro, Maria do Carmo, explicou como funciona o programa Alfabetizar com Sucesso. “Com o Programa Alfabetizar com Sucesso, os professores trabalham atividades durante o ano letivo. As turmas do 1º ao 3º ano correspondem ao primeiro ciclo, já as turmas de 4º e 5º ano, formam o segundo ciclo do Programa”, disse a coordenadora, ao explicar que, o aluno tem três anos para estar alfabetizado no primeiro ciclo. “Quando passamos os estudantes para as turmas de 4º e 5º ano, eles já estão desenvolvendo atividades que atendem as expectativas para estas turmas e, assim, estão prontos para iniciar os estudos na turma correspondente ao Ensino Fundamental II”, explicou.

LOUSAS DIGITAIS: Dando continuidade à entrega das lousas digitais, ainda nesta terça-feira (12), o interventor Mário Cavalcanti acompanhou a entrega das lousas digitais nas Escolas Municipais Capitão José Primo e Amenayde Farias, ambas localizadas no Centro.

Os equipamentos foram concebidos e desenvolvidos pelas universidades federais de Santa Catarina e de Pernambuco. A lousa facilita a interatividade. Elaborada como um dispositivo leve e portátil, pode ser transportada pelos professores para as salas de aula. O equipamento, interligado aos laboratórios ProInfo, é composto por teclado, mouse, portas USB, porta para rede wireless e rede PLC, unidade leitora de DVD e um projetor multimídia.

O dispositivo permite apresentar conteúdos digitais armazenados no servidor da escola, além de um sistema operacional com código-fonte aberto. Ele pode ainda operar como uma lousa digital. Para isso, a superfície de projeção é transformada em um quadro interativo e com uma caneta especial os professores e estudantes interagem com a imagem projetada.

Formação continuada para professores de matemática acontece em Garanhuns‏

A Secretaria de Educação e Esportes (Seduce) de Garanhuns realizou, nesta segunda(11), a primeira formação continuada dos professores de matemática do Ensino Fundamental – Anos finais. O momento aconteceu no auditório da Seduce e apresentou, entre outras coisas, os princípios fundamentais para o sucesso da aprendizagem da matemática com base nos parâmetros curriculares do Estado de Pernambuco.

Na ocasião, foram expostas questões sobre a fundamentação legal do Ensino Fundamental – Anos finais, além das atribuições da supervisão educacional e da coordenação pedagógica. A formação também serviu para apresentar a Proposta Curricular do nível de ensino em questão e refletir sobre os conceitos de competência e habilidade.

Ao longo dessa semana, mais formações continuadas serão realizadas pela Seduce.

UPE recebe novos professores convocados do Concurso Público‏‎

O Reitor da Universidade de Pernambuco (UPE), prof. Pedro Falcão deu posse a novos professores, no início deste mês, que passam a compor o quadro docente da instituição. Eles foram aprovados no Concurso Público do ano passado, e já iniciaram as atividades profissionais nas unidades.

Ao todo, foram convocados 45 servidores das áreas de humanas, saúde e exatas, que irão atuar nos campi da UPE em Garanhuns, Petrolina, Arcoverde, Serra Talhada, Politécnica, e Camaragibe. Os cargos são para professores adjuntos, auxiliares e assistentes.

O Concurso Público, com a convocação dos docentes, foi um dos pontos principais pontos da campanha do então candidato à reitoria, Pedro Falcão, objeto também de cobranças da Comunidade Acadêmica, que chegou a ver aulas paralisadas no início de 2015 por falta de professores.

“Ainda não chegamos no quadro desejado, mas esta convocação mostra que o Governo do Estado e a UPE compreendem a necessidade do investimento humano, além da infraestrutura, que ganha novo impulso no interior do estado. Já estamos programando novo concurso, agora para convocação de 76 novos professores” – Afirma o Reitor.

Aumento de 11,36% para os professores desagrada a estados e municípios

20160115075539678471i

Do Correio Brasiliense

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciou, ontem, o novo piso salarial dos professores da rede pública de educação básica. O valor passa de R$ 1.917,78 para R$ 2.135,64 — reajuste de 11,36% — e já está valendo. A mudança está prevista em lei, mas desagrada a representantes dos estados e municípios, que temem não conseguir cumprir a norma. Nesta semana, durante reunião com a pasta, eles pediram o adiamento do aumento até agosto e sugeriram a redução do índice para 7,41%. Mercadante, no entanto, disse que não haverá alterações em relação ao que prevê a legislação.

“O índice é este, a lei é esta e nós estamos cumprindo o que ela estabelece”, atestou o ministro. Ele reconheceu que, apesar de o aumento real do piso desde que a lei entrou em vigor, em 2009, ter sido de 46%, esse percentual não foi acompanhado pelo crescimento da receita dos municípios. “Isso tem gerado conflitos sindicais, greves prolongadas, disputas judiciais, o que, evidentemente, não contribui para a qualidade da educação no Brasil”, disse. O ministro pediu que sindicatos e governos locais e estaduais entrem em acordo para encontrar uma política de pagamento do piso que seja compatível com a situação fiscal de cada região. “Não é com greve prolongada que a gente melhora a educação. Então, é preciso diálogo.”

Só no ano passado, o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) registrou paralisações em 14 unidades da Federação, muitas delas com duração de 40 a 70 dias. “Já temos relatos de estados e de municípios que estão atrasando e parcelando salários”, afirma o presidente da entidade, Eduardo Deschamps, secretário de Educação de Santa Catarina. Segundo ele, os gestores que estão à frente das pastas de Planejamento, Administração e Orçamento nos estados têm sinalizado que, diante da queda de arrecadação, será difícil aplicar o reajuste e, mesmo que consigam, há a possibilidade de faltar verbas para outras ações ligadas à educação, como compra de equipamento, de material de didático e serviços necessários para o funcionamento das unidades escolares. Outro efeito possível, de acordo com Deschamps, é o achatamento da carreira, uma vez que aumento semelhante não poderá ser dado aos profissionais que não se encontram mais no nível inicial do magistério público.

O piso salarial dos docentes é reajustado anualmente de acordo com a variação no valor anual mínimo por aluno definido no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). O cálculo do índice de reajuste anual fica a cargo da Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda. O vencimento inicial é pago a profissionais com formação de nível médio e jornada de 40 horas semanais.