Projeto leva estudantes brasileiros à Europa

Vivenciar um intercâmbio cultural de dez dias em Lisboa – Portugal, percorrendo os caminhos da corte portuguesa antes da chegada ao Brasil. Esta será a oportunidade dada a cem dos mais de dez mil alunos participantes do ‘Era uma Vez… Brasil’, projeto de arte-educação voltado para adolescentes do oitavo ano da rede pública municipal de ensino que será realizado nas cidades de Belo Jardim (PE), Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Novo Horizonte (SP).

Criado pela Origem Produções, o ‘Era uma Vez… Brasil’ será lançado nesta quarta-feira, 2 de março, no município de Belo Jardim, no Agreste pernambucano, no Cine Teatro Cultura, às 19h30. Já no dia 4 de março será a vez de Salvador receber o lançamento do projeto, que é patrocinado pela Baterias Moura. Em Belo Jardim, o Projeto é realizado pelo Instituto Conceição Mouro (ICM) que atua no município com um trabalho de alto alcance social, voltado ao desenvolvimento de crianças e jovens do município, atuando em três áreas: Educação e Transformação Social, Arte e Cultura e Meio Ambiente. “O Projeto Era uma Vez o Brasil foi incorporado à programação do ICM por estar alinhado ao seu propósito maior e ao seu objetivo de contribuir para a melhoria da qualidade da educação pública no município”, explica Brenda Braga, coordenadora executiva do ICM.

Trata-se de um programa de atividades que tem o objetivo de colaborar com o desenvolvimento da cultura nacional, promovendo o enriquecimento dos alunos envolvidos por meio do contato com diferentes linguagens artístico-culturais. Nesta edição, traz como tema a transferência da família real e da corte portuguesa para o Brasil, tendo como base o livro 1808, do escritor Laurentino Gomes, que também participa de algumas atividades no projeto.

Estimular a compreensão dos alunos sobre a história do Brasil e seus reflexos atuais é um dos pontos fundamentais do projeto. “Pretendemos despertar o lado crítico desses adolescentes para que entendam a sua própria história e passem a ver o seu país sob outra perspectiva. Como Marc Bloch diz ‘a incompreensão do presente nasce fatalmente da ignorância do passado’ e é exatamente isso que o projeto visa mudar”, exalta Marici Vila, diretora executiva da Origem Produções.

Em Salvador, o lançamento nacional acontecerá na sede da Associação Comercial da Bahia – ACB, prédio datado de 1811, doado pelo próprio D. João VI e que abriga uma tela gigantesca, com mais de cinco metros de largura, de Cândido Portinari, retratando a chegada da família real à Bahia. O evento, para convidados, contará com a presença do escritor Laurentino Gomes que também participa de algumas atividades no projeto. A partir do lançamento, serão mais nove meses intensos de atividades, que compreendem desde a preparação do corpo docente, com material didático específico, até a seleção final dos alunos que farão o intercâmbio. As inscrições estarão abertas até o dia 30 de março, para estudantes das escolas parcerias indicadas pelas secretarias de Educação de cada cidade, e o regulamento disponível no site oficial:www.eraumavezbrasil.com.br.

Com três etapas, o projeto vai contemplar até novembro mais de dez mil estudantes nas cinco cidades em que será realizado. Além do propor a pesquisa sobre história e cultura do Brasil, o programa estimula também a escrita e a leitura, além do conhecimento mais aprofundado sobre capoeira, teatro, música, história em quadrinhos (HQ) e audiovisual.

Projeto de lei que reduz salários tem votação adiada

Foi adiada para a próxima quarta-feira, dia 3 de março, a votação da proposta de lei 3.123/2015, que prevê a regulamentação do teto salarial dos funcionários públicos, entre eles a classe médica. O projeto tramita na Câmara dos Deputados desde o ano passado e seria votado na última quarta-feira (24), mas membros da Federação Nacional dos Médicos (FENAM) solicitaram uma reunião com deputados da Casa para discutir as implicações da PL para os profissionais da saúde.

Segundo a FENAM, é imprescindível dissociar os médicos desse projeto para promover um melhor funcionamento do Sistema Único de Saúde (SUS). Na prática, a lei sujeita o teto do salário médico a uma proporção direta com o do governador do estado, abrindo a possibilidade de redução e manipulação desse valor, além de somar os ganhos dos médicos que tenham dois vínculos de trabalho e comprometer o valor recebido na aposentadoria.

Após a reunião de ontem, ficou estabelecida uma audiência para a próxima semana entre a FENAM e a bancada de deputados favorável à causa médica e que rejeita a PL 3.123/2015 para discussão e exposição dos problemas desse projeto de lei.

Projeto permite acesso forçado às casas para combate ao Aedes

Exército

Da Agência o Globo

A votação de um projeto de lei que permite o acesso forçado a imóveis para inspeção de focos do mosquito Aedes aegypti, que transmite zika vírus, dengue e chikungunya, será acelerada na Câmara dos Deputados.

Em conversa entre o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o autor da proposta, deputado Osmar Terra (PMDB-RS), ficou acertado que a matéria deve ir ao plenário ainda em fevereiro.

Terra, que é presidente da Frente Parlamentar em defesa da Saúde, começará a recolher as assinaturas dos líderes necessárias para agilizar o projeto. O único empecilho, segundo ele, são três medidas provisórias que trancarão a pauta do plenário assim que a Câmara voltar do recesso. Mas a expectativa é que até o fim de fevereiro o projeto possa ser votado em regime de urgência.

Apresentada em dezembro do ano passado na Comissão de Seguridade Social e Família, onde nem chegou a ter relator designado, a proposta terá tempo recorde de tramitação em virtude da epidemia de microcefalia relacionada ao vírus zika, com mais de 4 mil casos suspeitos no país, segundo os dados oficiais.

— Ninguém vai se negar a apoiar essa proposta, de levar o tema ao plenário em regime de urgência, porque é gravíssimo o que estamos passando. Muitos estados ou municípios tentam fazer leis para facilitar o acesso a casas abandonadas, terrenos baldios e outros focos do mosquito, mas é preciso uma lei federal neste momento — afirma Terra.

/**/

Shopping Costa Doura incentiva empreendedorismo e cultura através de projeto

O Shopping Costa Dourada recebeu o projeto Atelier Massangana. O espaço cedido à nova operação do shopping, desde o último dia 23, tem o objetivo de apoiar a geração de renda, além de desenvolver ainda mais a arte, a cultura e o empreendedorismo social pernambucano. Entre os produtos comercializados pela loja estão artigos de cama, mesa e banho, produzidos por mulheres do Cabo, que passaram por capacitação profissional e cidadã.

Durante processo de capacitação para a geração de renda, com duração de dois anos, o projeto Atelier Massangana proferiu cursos de Corte e Costura e Gestão de Empreendimentos Coletivos, no salão da comunidade Vila Dois Irmãos, no Engenho Serraria, no Cabo.

No local, foi estruturada uma unidade de produção e comercialização em confecção artesanal para a geração de renda de 40 mulheres em situação de vulnerabilidade socioeconômica. “Elas receberam capacitação profissional e empreendedora para confecção de produtos em corte e costura, promovendo a formação e desenvolvimento profissional em cursos como corte, costura, customização e modelagem, além da participarão de seminários para discussão de temas como economia solidária, associativismo, empreendedorismo e relações de gênero”, explica a coordenadora do projeto, Ana Cristiana.

Entre os vários artesanatos, ainda é produzido o artesanato com material reciclado, onde as garrafas de vidro, retalhos de tecidos e papelão, por exemplo, são reaproveitamos com muita qualidade.

Além de promover produtos de valor cultural, o propósito do projeto também é de promover a inclusão social, através de capacitação profissional, geração de renda e incentivo ao exercício da cidadania. “Mas sem a ajuda dos parceiros que acreditam no projeto, não haveria a possibilidade de mostramos a iniciativa do nosso empreendedorismo social e cultural. As ações sociais como essa, promovida pelo Shopping Costa Dourada, são reconhecidas como uma importante contribuição para o bem-estar social da população do Cabo”, destaca a coordenadora do projeto Atelier Massangana.

Com atuação na geração de renda e oportunidades de trabalho, o projeto do Atelier Massangana é desenvolvido pela Associação das Mulheres Guerreiras de Camaragibe, sendo realizado no Cabo. Fundada em 2010, a Associação das Mulheres Guerreiras de Camaragibe tem por finalidade o fortalecimento das mulheres para uma vida digna, além de promover o protagonismo, enquanto agentes transformadoras de sua história e da sociedade.

De acordo com a presidente da Associação das Mulheres Guerreiras de Camaragibe, Conceição Santos, a entidade participou de um edital do projeto Integração Petrobrás Comunidades (IPC) Suape 2013 e foi selecionado pela empresa para executar o Atelier Massangana. “Tínhamos um perfil e vimos que as comunidades de Massangana e Serraria eram as mais indicadas para receber o projeto. Para nós será um prazer ajudar essas mulheres a desenvolver o empreendedorismo através da confecção artesanal”, expressa.

Inaugurado há seis anos, o Shopping Costa Dourada se tornou um importante equipamento de compras, lazer e serviços para os moradores da região. Com crescimento recorde de 19%, nos últimos dois anos, bem acima da média nacional, que foi de 10%, o centro de compras continua recebendo novas lojas. Conheça mais sobre o centro de compras através do site www.shoppingcostadourada.com.br

Garanhuns realiza encerramento do projeto Maria da Penha vai à Escola

A Secretaria da Mulher de Garanhuns (Secmul) realiza, na próxima quinta-feira (10), das 9h às 12h, no auditório da Escola Professor Letácio Brito Pessoa, o encerramento das atividades do projeto “Maria da Penha vai à Escola 2015”. O momento contará com a apresentação das atividades realizadas pelas instituições que participaram ao longo do ano e com a palestra “Quem tem medo da Maria da Penha”, ministrada pelo professor doutorando em Literatura, Severino do Ramo Correia.

A iniciativa contará, ainda, com a participação de professores, gestores, coordenadores e alunos das Escolas Municipais Jaime Luna, Professora Gabriela Mistral, Silvino Almeida de Oliveira, José Ferreira Sobrinho e Virgília Garcia Bessa. Cada escola contará com 20 minutos para apresentar um resumo das ações que foram vivenciadas.

Sobre o projeto – O projeto Maria da Penha vai à Escola é uma realização da Secmul, em parceria com a Secretaria de Educação e Esportes e tem o intuito de trabalhar os temas que envolvem questões de gênero, raça e etnia, dentro das salas de aula. A ação também apresenta reflexões acerca do tema para prevenir possíveis atos de violência, mudando o comportamento dos estudantes. Em 2016 – incluindo as escolas que já participaram -, todas as instituições de Ensino da Rede Municipal contarão com o projeto.

Ministro lança projeto para fomentar exportação

Pedro Augusto

Durante evento, na capital pernambucana, o ministro do Desenvolvimento, da Indústria e do Comércio Exterior, Armando Monteiro, lançou oficialmente o PNCE (Plano Nacional de Cultura Exportadora no Estado). Este último tem como objetivo principal aumentar o número de empresas pernambucanas exportadoras e integra o Plano Nacional de Exportações, lançado pelo Governo Federal, em junho deste ano. O PNCE, que também atenderá a outros estados brasileiros, vai trabalhar inicialmente com 250 empresas de pequeno e médio portes em Pernambuco.

Elas terão acesso ao diagnóstico de produtos e serviços, consultoria de inteligência comercial (que avalia em quais mercados aquele produto ou serviço tem potencial de venda), rodadas de negócios com compradores estrangeiros e participação em missões comerciais. “O PNCE é uma ferramenta importante no fomento da cultura exportadora no Estado. Pernambuco já é um importante entreposto regional e pode aumentar, e muito, as vendas para outros países, bem como dobrar o número de empresas exportadoras”, acrescentou Armando.

O projeto é desenvolvido em cinco etapas – sensibilização, inteligência comercial, adequação de produtos e processos, promoção comercial e comercialização – e já foi lançado em São Paulo e Minas Gerais. Os setores contemplados pelo PNCE em Pernambuco abrangem artefatos de couro, gesso, bebidas, joias e biojoias, metalmecânico, higiene e limpeza, alimentos, borracha e plástico, farmoquímicos (dermocosméticos), biotecnológicos, vestuários e acessórios, TI e economia criativa.

“Há um espaço que o comércio exterior nos oferece para o Brasil ampliar as exportações e, com isso, gerar mais empregos e oportunidades aqui. E Pernambuco pode muito bem aproveitar esta oportunidade e ampliar muito as exportações. Vamos mobilizar as empresas, informar, capacitar, treinar e mostrar que esse canal externo não é tão inacessível como alguns pensam. Muitos acham que é complicado exportar. O PNCE vai mostrar que não é complicado e que a exportação traz muitos benefícios”, explicou o ministro.

Neste primeiro momento, o programa já conta em Pernambuco com o apoio de 20 parceiros – entre regionais e nacionais –, como os ministérios do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; das Relações Exteriores; da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e da Ciência, Tecnologia e Inovação, bem como da Fiepe; do Governo do Estado (Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco – Addiper); Apex-Brasil; Sebrae, ABDI; Correios; Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

Oficina Trade Brasil

No Estado, o lançamento do PNCE fez parte do conjunto de ações da Oficina Brasil Trade. Promovido na semana passada, no Recife, o evento superou com folga a sua estimativa inicial de US$ 3 milhões em exportações. Ao final da ação, as empresas negociaram mais de US$ 12,8 milhões. Ao todo, na oficina, foram realizadas 223 reuniões com 60 empresas pernambucanas, oito comerciais exportadoras e quatro compradores internacionais. “Este resultado expressivo demonstra a força das empresas de Pernambuco. Com a vigoração do PNCE não tenho dúvidas de que agora as nossas companhias locais passarão a obter resultados ainda mais expressivos”, finalizou Armando Monteiro.

Projeto valoriza vinhos brasileiros

Num ano de ajustes na economia e retração de vários segmentos, o setor vitivinícola brasileiro pode comemorar o aumento na comercialização de vinhos finos e espumantes no primeiro semestre, em relação ao mesmo período de 2014. O incremento foi de 4,3% e 22,7%, respectivamente, e a comercialização superou a marca de 14 milhões de litros. Enquanto isso, a importação caiu 1,9%.

Esses resultados refletem, dentre outras iniciativas, os esforços do projeto Valorização dos Vinhos do Brasil, uma parceria entre o Sebrae, o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) e a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) que, desde 2014, vem aperfeiçoando o serviço do vinhos e espumantes brasileiros em bares e restaurantes, com o objetivo de promover e ampliar a comercialização do  produto nacional, estimulando a cultura do vinho no país.

“Com a capacitação dos profissionais de restaurantes, estamos conseguindo mudar a visão que o consumidor tem dos nossos produtos. Diferentemente das grandes empresas da área, que possuem canais próprios de distribuição, as pequenas vinícolas têm mais dificuldade em chegar a um grande número de estabelecimentos. Esse convênio tem justamente o objetivo de preencher essa lacuna, ampliando a capilaridade das vendas”, afirma o gerente de Agronegócios do Sebrae Nacional, Enio Queijada de Souza.

De acordo com ele, ao escolher um vinho brasileiro na carta do restaurante ou na prateleira do supermercado, o consumidor contribui para o desenvolvimento da vitivinicultura do país, que conta com 1,2 mil vinícolas, sendo 90% micro e pequenas.

Em 2013, antes da realização do projeto, foram vendidos pouco mais de 13 milhões de litros de vinhos finos e espumantes brasileiros no primeiro semestre. Em 2015, com muitos dos profissionais já treinados atuando junto aos pontos de venda, foram comercializados mais de 14 milhões de litros, um aumento de 8,47%. “Esse esforço para aumentar a venda de vinhos a partir do serviço tem surtido efeito. A expectativa é melhorar ainda mais estes números no segundo semestre e chegar em 2016 com um incremento de até 15% nas vendas”, projeta o presidente do Instituto Brasileiro do Vinho, Moacir Mazzarollo.

Capacitação

A meta do projeto Valorização dos Vinhos Brasileiros, que inclui o Workshop Qualidade na Taça, é capacitar 3 mil profissionais de mil estabelecimentos de 16 cidades, em 14 estados brasileiros. Até agora, foram realizadas 378 visitas individuais de sensibilização, 39 turmas realizadas, 253 empresas atingidas e 578 profissionais capacitados.

A próxima fase presencial começa em outubro, na cidade do Rio de Janeiro. Também estão na lista Recife, Salvador, Gramado, São Paulo, Florianópolis, Campinas, Natal, Curitiba, Belo Horizonte, Fortaleza, Porto Alegre, Brasília, Manaus, Goiânia e Cuiabá. Além das de aulas presenciais, os participantes têm 8 horas de aulas à distância, onde são abordados assuntos como: condições de armazenamento das bebidas, forma de leitura do rótulo, harmonização e hospitalidade.

 

Projeto Estradas do Desenvolvimento chega ao Murici

1d2f7e35-6ba4-44ba-8597-f89bfbc5cc38

O deputado federal, Wolney Queiroz, esteve ontem (23), na zona rural de Caruaru, com o secretário de Desenvolvimento Rural, Zé Ailton, e o secretário de Infraestrutura, Bruno Lagos, durante visita à obra de estruturação do asfalto na estrada do Murici. A obra está na fase final, chamada de imprimação, que consiste na aplicação de uma camada de material asfáltico sobre a superfície de uma base concluída, antes da execução de um revestimento definitivo, que terá 3,7 km de extensão, ligando a BR-232 à Vila do Murici.

A iniciativa faz parte do projeto Estradas do Desenvolvimento, que foi idealizado por Wolney e pelo prefeito José Queiroz, com apoio do Ministro da Integração, na época, Fernando Bezerra Coelho.

“Esse trecho também conta com o apoio e a participação do governo do Estado. A estrada do Murici é a primeira de muitas outras que serão asfaltadas e sinalizadas, mudando profundamente a vida na zona rural de Caruaru. Nada que tenha sido feito até aqui teve a importância desse projeto para a vida do homem do campo”, afirma Wolney Queiroz.

Pernambuco de Verdade chega ao Sertão do Moxotó

Os deputados estaduais da Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa (Alepe) realizam, nesta sexta-feira (20), mais uma edição do projeto Pernambuco de Verdade. Agora, a região visitada será o Sertão do Moxotó, onde os parlamentares vistoriam obras que estão sob responsabilidade do Governo do Estado e que apresentam problemas de paralisação, atrasos ou baixa qualidade de prestação de serviços à população.

As ações do programa Pernambuco de Verdade já levaram os parlamentares às Matas Sul e Norte e ao Agreste do Estado, com o principal objetivo de promover uma agenda de fiscalizações, identificar problemas e cobrar as soluções ao Governo do Estado.

No roteiro dos parlamentares estão obras paradas e atrasadas, como a Estrada do Catimbau, Campus da UPE, sede do Corpo de Bombeiros, Escola Técnica e o Aeródromo de Arcoverde. Também será visitado o Hospital Regional de Arcoverde, que vem acumulando denuncias de falta de material para atendimento e deficiência de pessoal para atender à demanda.

​Projetos levam mais água para distritos de Bezerros

Três distritos do município de Bezerros, no Agreste do Estado, a 105 km do Recife, deverão ganhar, em breve, novos sistemas que melhorarão o abastecimento de água. Nesta quarta-feira (18), o gerente da Regional da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), Ricardo Malta, o gerente de Projetos da companhia, Flávio Coutinho e o prefeito de Bezerros, Severino Otávio, assinaram a ordem de serviço para o início da elaboração de dois projetos de abastecimento para as localidades de Encruzilhada de São João, Sapucarana e Serra Negra, em Bezerros. Ao todo, 15 mil pessoas deverão ser beneficiadas. A assinatura ocorreu na sede da prefeitura do município.

Na ocasião, o prefeito de Bezerros, Severino Otávio (Branquinho) agradeceu ao governador Paulo Câmara e ao presidente da Compesa, Roberto Tavares pelo atendimento ao pleito dos moradores das três localidades, um sonho de mais de 20 anos. “Em breve essas pessoas terão água encanada em casa, um benefício que irá melhorar a qualidade de vida dessas pessoas”, afirmou o prefeito.

Em Encruzilhada de São João e Sapucarana, a proposta é construir uma nova rede de distribuição nos dois distritos e interligá-la à Adutora do Agreste, que está em execução. Atualmente, o abastecimento das duas localidades é gerenciado pela prefeitura do município a partir do sistema do Poço da Areia, que está em colapso. A população tem recebido água por meio de carros-pipa também administrados pela prefeitura. Para elaborar o projeto, a Compesa está investindo R$ 330 mil com recursos próprios. A expectativa é que em até 7 meses o projeto esteja concluído.

Já em Serra Negra, há uma preocupação tanto da prefeitura quanto da Compesa em atender melhor essa região turística. Hoje, a localidade não é cliente da Compesa. O projeto em questão vai permitir que Serra Negra receba água do Sistema Brejão, o mesmo que atende o município de Bezerros, a partir da expansão e integração do sistema. O prazo para execução do projeto também é de 7 meses e o valor do contrato é de R$ 332 mil com recursos da Compesa.