Nove petistas votaram por mudança no fator previdenciário

Nove deputados do PT contrariaram o governo e votaram a favor das mudanças no fator previdenciário durante análise do destaque do PTB à medida provisória 664/14 que endureceu as regras para concessão de pensão por morte. Entre os petistas que votaram contra o governo, está o deputado federal Carlos Zarattini (SP), relator do texto-base da MP 664/14. As medidas aprovadas pela Câmara ainda vão para discussão no Senado.

A mudança na regra do fator previdenciário teve um total de 232 votos a favor, 210 contra e 2 abstenções e representou a primeira grande derrota do governo nas votações sobre o ajuste fiscal. Além de Zarattini, votaram contra o governo os petistas Ana Perugini (SP), Erika Kokay (DF), Marco Maia (RS), Marcon (RS), Pedro Uczai (SC), Valmir Prascidelli (SP), Vicentinho (SP), Weliton Prado (MG). Os líderes do PT sugeriram retirar o texto da pauta para que fosse apresentada uma proposta alternativa ao projeto do PTB em um prazo de 180 dias.

A alteração aprovada pela Câmara permite que a mulher se aposente de forma integral quando a sua idade e tempo de contribuição somados cheguem a 85 anos. No caso dos homens, a soma entre idade e tempo de contribuição deve ser de 95 anos. Com essa regra, a aposentadoria seria integral em relação ao salário-de-contribuição.

Além disso, a proposta também teve o apoio de outros partidos da base aliada como o PDT e PCdoB. AS duas bancadas, por exemplo, votaram de forma unânime contra o governo. Foram 30 votos contrários ao governo.

 

Empreiteiras envolvidas na Lava Jato doaram R$ 20 milhões ao PT

O PT recebeu, durante o ano passado, R$ 20,4 milhões de seis empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato, segundo revela prestação de contas apresentada pela legenda ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). As informações são do jornal O Globo.

Segundo o jornal, fazem parte da lista de doadoras as empreiteiras OAS, Queiroz Galvão, Galvão Engenharia, Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez e UTC. No total, o PT obteve R$ 56,3 milhões de doações de empresas. O PSDB, do outro lado, arrecadou R$ 52,1 milhões.

De acordo com a prestação de contas do partido, a Camargo Corrêa foi a que mais financiou o PT no ano passado. Suas doações chegaram a R$ 5,5 milhões. A Queiroz Galvão doou R$ 3,9 milhões; a Galvão Engenharia, R$ 3,8 milhões; a OAS, R$ 3,6 milhões; a UTC, R$ 2,6 milhões, e a Andrade Gutierrez, R$ 1 milhão.

João Santana, marqueteiro do PT, é novo alvo da Polícia Federal

Do Brasil 247

O cerco ao Partido dos Trabalhadores agora atinge seu principal marqueteiro: o jornalista João Santana. Segundo reportagem de Mario Cesar Carvalho, publicada na edição deste domingo da Folha de S. Paulo, a Polícia Federal abriu inquérito para apurar a origem de US$ 16 milhões trazidos de Angola por ele, em 2012.

Os policiais federais suspeitam que os recursos foram pagos por empreiteiras que atuam no país africano, como a Odebrecht. De acordo com a taxa de câmbio da época, seriam cerca de R$ 33 milhões, pagos ao jornalista que fez as últimas campanhas presidenciais do PT e também atuou em disputas municipais vitoriosas, como a do prefeito Fernando Haddad, em 2012.

Em depoimento ao jornalista Mario Cesar Carvalho, João Santana defende a licitude das operações, uma vez que também atuou em campanhas políticas em Angola, como a do próprio presidente do país, José Eduardo dos Santos. “Trata-se de uma operação legal e totalmente transparente”, afirmou.

Os policiais federais apuram se os recursos transferidos a ele seriam repasses indiretos ao PT, num momento em que vêm sendo questionados financiamentos do BNDES a obras no exterior. Na semana passada, a oposição conseguiu derrubar o sigilo sobre essas operações.

Opinião: Dois atrasos: PT e PMDB (e todos os outros)

Por Tiê Felix

Por ser muito radical durante o fim da década de 80 e os anos 90, o PT não conseguiu o tão sonhado posto de presidente em suas disputas, através de Lula. Sem os conchavos malignos e retirando um pouco da utopia comunista, jamais Lula teria sido presidente. Existem esquerdistas radicais que até hoje acreditam na isenção moral do PT e defendem ferrenhamente as posturas tomadas por um governo dos Trabalhadores que somente prejudica os trabalhadores.

Se voltarmos a época das eleições indiretas entre Neves e Maluf, as palavras de Lula absolutamente voltadas para os interesses dos trabalhadores negava qualquer proposta que não fosse em favor dos desfavorecidos: isso ficou no passado. Hoje aquele PT teórico faliu e com ele todos os que ainda acreditam nos seus princípios. Basta ver os esquemas montados pelo Partido para se manter no poder; suas alianças por exemplo.

Já o PMDB é um partido de centro, único de oposição durante a ditadura, que aglomera em seu interior todo tipo de interesses (o famoso catch all party), desde capitalistas até esquerdistas, que é a cara dos esquemas políticos brasileiros para se manter no poder. O PT aprendeu muito com o PMDB, chegando a se unir a ele porque se não se ajuntasse jamais estaria ocupando a presidência em Brasília.

Antes ambos estes partidos se colocavam como vitimas da ditadura, como pobres coitados que somente sofreram as perseguições e, por consequência, deveriam ter a  cara do Brasil democrático que estava sendo inaugurado na década de 80.Vã ignorância de quem acredita neles. A população que pede uma intervenção militar chega a conclusão de que o Brasil é o mesmo da ditadura em termos de injustiça e de má administração, só que com cara de democracia. Chegou-se a conclusão de que nosso pais é muito pouco democrático  – quem não sabe disso – e que as vozes das ruas não serão ouvidas, porque os políticos pouco se importam com tais clamores ,assim como na ditadura.

Diante de um contexto tão difícil por ser tão cansativo temos apenas que assistir a desmoralização geral e o descaramento.

Os esquerdistas radicais criticam quem exprobra o governo, porque acreditam que a democracia tem de estar consolidada. Numa democracia como a nossa sua consolidação é apenas a manutenção do legado que a ditadura deixou. A democracia brasileira somente é um papel assinado.

Há quem acredite em ideologia e em partidos. Deve-se acreditar em canalhas mentirosos então?

Tiê Felix é professor

FHC não concorda com extinção do PT

Fernando Henrique, foi enfático no Forum de Comandaatuba ao dizer que discorda da proposta de extinção do PT, defendida por oposicionistas mais radicais como Ronaldo Caiado, senador e líder do DEM:

— Eu sou contra. O PT é um partido importante, que contribuiu em muitos momentos da vida brasileira. Como se faz democracia extinguindo partido? O PT tem que coibir os abusos que ele próprio fez, a sociedade tem que ser contra esses abusos, mas não tem sentido fechar o PT.

Sem citar diretamente a presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente afirmou que o Brasil se encolheu na diplomacia durante a gestão da petista e deixou de ser grande “até na América Latina”.

— Posteriormente ao governo Lula houve uma espécie de encolhimento da visão que o Brasil tem de suas responsabilidades perante o mundo. E é importante que nós nos situemos — defendeu FH, durante sua palestra no fórum para líderes empresariais.

Fernando Henrique disse que o governo não tem investido em acordos bilaterais que seriam fundamentais para o crescimento da economia, e que o país tem ficado “isolado”.

— Só temos três acordos comerciais bilaterais, enquanto o México tem trinta.  (De O Globo)

/**/

PT em festa: Lula sexta-feira no Recife

Do Blog do Magno

O ex-presidente Lula (PT) deve desembarcar em Pernambuco na próxima sexta-feira para a inauguração da fábrica da cervejaria Itaipava, localizada no município de Itapissuma, na Região Metropolitana do Recife. Além de prestigiar o evento, há a possibilidade de o líder petista participar de um encontro reservado com representantes do PT estadual e com lideranças locais. O delicado momento político pelo qual o governo da presidente Dilma Rousseff (PT) vem passando desde o início do ano deve ser o principal assunto.

A vinda de Lula foi confirmada pela presidente estadual do PT, Teresa Leitão. Ela solicitou um encontro com o ex-presidente, mas afirmou que ainda estava aguardando confirmação. Teresa negou que a situação dos petistas pernambucanos que não conseguiram se reeleger será debatida. “Isso não é com Lula. É com os ministros e com o PT nacional. O assunto já está sendo cuidado.”

O ex-deputado federal e ex-prefeito do Recife João Paulo (PT) também confirmou a vinda de Lula. De acordo com ele, a visita ao estado já estava sendo programada desde o fim de janeiro. Segundo o ex-prefeito, o encontro deve acontecer após a inauguração da fábrica, provavelmente em um jantar reservado. O encontro deve contar com a presença de Humberto, do ex-deputado federal Fernando Ferro e de vereadores do partido.

Opinião: Para o PT

Tiê Felix

Trabalhador é aquele que paga impostos, altos inclusive.

Trabalhador é aquele que vai ao SUS quando precisa de médico e se depara com aproveitadores.

Trabalhador é aquele que precisa de justiça e quando faz uso dela somente enxerga um túnel sem fim.

Trabalhador de verdade é aquele que acorda cedo, porque sua função é realmente importante e não se limita a alguns dias da semana. Ele é quem sustenta tudo inclusive os beneficiários e programas sociais.

Na verdade o trabalhador mesmo não está nem um pouco preocupado com a política. Ela não foi feita para ele e não o escuta, porque aquilo que o trabalhador quer é por demais revolucionário.

Trabalhador não tem tempo de pensar muito. Nem sequer pode estudar obviamente. Seu corpo foi feito para o trabalho. Talvez não tenha condições de se limitar a questionar o mundo corrupto que o cerca e de zelar por uma doutrina.

Infelizmente o PT e todos os outros partidos fazem de conta que sabem disso, mas somente cria beneficiários e aproveitadores.

Hoje o Brasil não valoriza o trabalhador, simplesmente porque o que ele tem a dizer é por demais perigoso e é melhor cultivar beneficiários.

São beneficiários tanto aqueles que vivem da coisa pública quanto aqueles que recebem uma mísera quantia pra se manter vivo na ferocidade desse país.

O PT e todos os outros partidos são apenas aproveitadores ocos que se fazem de representantes. Não sabem de nada porque governam por teorias ou por eles mesmos, não por um país.

Tiê Felix é professor

Nota da bancada do PT no Senado

Os senadores da bancada do Partido dos Trabalhadores vêm a público manifestar sua inteira solidariedade à senadora Gleisi Hoffmann e aos senadores Humberto Costa e Lindbergh Farias por terem seus nomes incluídos na chamada “Lista Janot”, enviada ao Supremo Tribunal Federal na última sexta-feira (06/03).

Os parlamentares que assinam essa nota também enfatizam que compartilham o mesmo estranhamento e a mesma indignação por eles sentida, ao deparar com seus nomes em uma relação obtida sob o regime de delação premiada, na qual são mencionados sempre de forma indireta, muito diferente de outros nomes incluídos na chamada lista que tiveram participação direta nos atos agora colocados sob suspeição.

A bancada também constata com tristeza que nomes de pessoas públicas honradas venham a ser pré-julgadas e condenadas pela chamada opinião divulgada, sem qualquer culpa formalizada, e pede mais responsabilidade e equidade dos meios de comunicação na divulgação dos futuros passos dos processos em trâmite no Supremo Tribunal Federal (STF).

A bancada do PT no Senado também manifesta que respeita as decisões no âmbito da Justiça anunciadas, e reforça a convicção de que todos têm o direito de ser ouvidos, por meio de instrumentos que garantam amplo direito de defesa, sem a introdução de teses ou conceitos jurídicos não utilizados comumente nos tribunais brasileiros.

Por fim, os senadores do PT também apelam aos agentes responsáveis pela condução dos processos para que o veredicto das ações contra nossos três companheiros seja anunciado no mais breve tempo possível – evitando-se, dessa forma, o linchamento público a que vários deles já estão sendo submetidos.

Brasília, 11 de março de 2015

Senado Federal

 

 

 

Senador do PT reconhece que foi à sede da Petrobras pedir doações

Por BERNARDO MELLO FRANCO
COLUNISTA DA FOLHA DE S. PAULO

Alvo de um dos inquéritos da Operação Lava Jato, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) confirma ter recebido R$ 2 milhões por intermédio do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa em 2010, mas nega ter participado do esquema de corrupção na estatal.

Ele diz que o dinheiro foi doado legalmente pela empreiteira Andrade Gutierrez, também investigada. Costa foi preso em 2014, quando colaborava com a campanha derrotada do petista ao governo do Rio.

Lindbergh reconhece que foi à sede da Petrobras para pedir doações. “De fato, você pode até dizer que é impróprio. Só que não é ilegal.”

O senador diz que conheceu Costa ao participar de inaugurações da estatal no Rio, com a presença do então presidente Lula. Ao se candidatar, decidiu procurá-lo.

“Eu sabia que ele era uma pessoa muito bem relacionada na Petrobras e perguntei se ele conhecia alguma empresa que pudesse me receber. Ele ligou para alguém da Andrade Gutierrez e pediu para me receber”, conta.

O petista diz ter falado “algumas vezes” com Otavio Azevedo, presidente da construtora.

“Eu fui na Andrade Gutierrez, falei da minha campanha. Ninguém falou mais de Paulo Roberto. Ninguém falou de propina, muito pelo contrário”, afirma.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sustenta que Lindbergh “tinha conhecimento do caráter ilícito dos valores recebidos, pois não haveria qualquer justificativa lícita razoável” para recorrer a Costa.

O senador contesta a acusação e diz que o Ministério Público não tem provas. “Você acha que alguém disse: ‘Olha, esse dinheiro aqui que eu vou te ajudar é de uma propina?’ Isso não existe”.

Os investigadores afirmam que havia conexão entre as doações feitas a políticos pelas empreiteiras e as propinas que elas pagavam para fechar contratos com a estatal.

“Como eu poderia saber que o dinheiro de uma empresa grande estava saindo para a minha campanha de um processo como esse? Eu não sabia. Ninguém sabia disso aí”, rebate Lindbergh.

O senador acusa o Ministério Público de “criminalizar doações legais”: “Do jeito que a lista foi lançada, estão misturando gente que recebia mesada de propina com doação legal de campanha”.

“Essas empreiteiras ligadas à Lava Jato fizeram mais de 60% das doações nas últimas campanhas. Se eu recebo dinheiro de uma grande empresa, nunca passou pela minha cabeça saber se era ilícito ou não era”, afirma.

CARA-PINTADA

Ex-líder estudantil, Lindbergh despontou como cara-pintada nos atos pelo impeachment de Fernando Collor, em 1992. Agora está citado num escândalo com o ex-presidente.

“É horrível. O Collor tem uma acusação real, concreta. O meu caso é diferente”, diz ele, que ficou emocionado ao falar do impacto do caso sobre sua família.

“Estou numa lista que é praticamente uma condenação. Nunca sofri tanto. Pedi doação legal e entrei na lista com gente que fez atos bárbaros de corrupção. Isso pode estar destruindo a minha carreira política”.

Humberto reafirma apoio do PT a ajuste de Dilma

Líder do PT no Senado Federal, Humberto Costa (PE) foi à tribuna nesta terça-feira (3) para assegurar que a bancada de 14 senadores do partido está perfilada com o ajuste fiscal proposto pela presidenta Dilma Rousseff.
O discurso duro do petista teve como alvo as insinuações de que o PT estaria dividido em relação à aprovação das Medidas Provisórias (MPs) 664 e 665 propostas pelo Governo Federal para ajustar as contas públicas do país.
O parlamentar avalia que há uma visão torta de alguns setores que disseminaram, nos últimos dias, a ideia de que o PT está na oposição ao governo.
“Isso é falso. Esse argumento falacioso de que somos oposição ao ajuste fiscal tem o viés de querer nos emparedar e nos constranger e, com isso, enfraquecer tanto o partido, quanto os seus parlamentares e o próprio governo”, declarou.
“Os que pensam que vão colocar o PT contra o governo ou o governo contra o PT podem tirar os respectivos cavalos da chuva. Nossa unidade é o que garante o nosso sucesso e força”, afirmou.
Humberto disse que, em que pese a presidenta Dilma ser do PT, é absolutamente claro e republicano que o partido é uma coisa e o governo é outra. “Mas o partido nunca faltou à presidenta Dilma, do mesmo jeito que jamais faltou ao presidente Lula”, observou.
O parlamentar ressaltou ainda que o Congresso Nacional é a Casa em que o debate sobre as MPs encaminhadas pelo Poder Executivo deve ocorrer. Ele lembrou que várias divergências registradas durante a tramitação de medidas provisórias passadas, como a dos portos, do Mais Médicos e do setor elétrico, foram superadas.
“Mesmo com as divergências, ao final não só a base do governo, mas especialmente o PT, votou fechado com aquilo que foi devidamente acordado com o governo”, comentou.
De acordo com o congressista, é preciso que as pessoas se acostumem com o fato de que divergências não significam oposição. Isso porque, segundo Humberto, é muito ruim para a democracia quando se observa o processo político dessa forma.
“Não tenham dúvidas: os parlamentares do PT vão propor todas as modificações que julgarem necessárias, após muito diálogo com a sociedade, às medidas provisórias 664 e 665. Mas, acima de tudo, essas propostas terão responsabilidade”, afirmou.
O líder do Partido dos Trabalhadores concluiu o discurso reiterando que a bancada da sigla apoia e confia integralmente no governo da presidenta Dilma e nas medidas propostas em favor do equilíbrio econômico e do desenvolvimento inclusivo do país.