Barragem de Serro Azul recebe o nome de Eduardo Campos

Foi promulgada na Assembleia Legislativa de Pernambuco a Lei nº 15.615/2016 que batiza a barragem de Serro Azul, localizada no município de Palmares, de Barragem Governador Eduardo Henrique Accioly Campos. A proposta foi uma iniciativa do deputado estadual Lucas Ramos (PSB) e aprovada por unanimidade pela casa.

“É uma grande homenagem que fazemos a Eduardo colocando o seu nome nesta barragem que vai mudar a realidade da Mata Sul”, destacou Lucas. Além de fundamental para conter as cheias do Rio Una e trazer segurança para várias cidades da região, a Barragem servirá para o armazenamento de água e reforço no abastecimento do Agreste. “No futuro pode se transformar em uma grande atração turística para a comunidade”, afirmou o parlamentar.

A OBRA – Idealizada para conter as cheias do Rio Una após a enchente de 2010, a Barragem Governador Eduardo Campos tem 73 metros de altura e mais de um quilômetro de comprimento. Tem capacidade para armazenar 303 milhões de metros cúbicos e o lago do reservatório terá uma área de 907 hectares que se estende pelos municípios de Palmares, Catende e Bonito. Os recursos para construção vieram do Governo Estadual (R$ 300 milhões) e Federal (R$ 200 milhões) por meio do Programa de Aceleração do Crescimento, PAC.

Cintra propõe Serro Azul como opção à Adutora do Agreste

O senador Douglas Cintra (PTB-PE) analisou com o presidente da Compesa (Companhia Pernambucana de Saneamento), Roberto Tavares, como relator da Subcomissão de Fiscalização de Obras Inacabadas, a possibilidade de usar a futura Barragem de Serro Azul, no município de Palmares, como opção ao atraso do pleno funcionamento da Adutora do Agreste. O assunto foi discutido em reunião no gabinete do senador, em Brasília.

Cintra e Tavares concluíram ser viável fazer uma ligação de Serro Azul, que está com 80% das obras concluídas e custará cerca de R$ 500 milhões, com a Barragem do Prata, em São Joaquim do Monte, que já abastece Caruaru e outras cidades do agreste, como Altinho, Agrestina, Cachoeirinha e Ibirajuba.

Segundo Cintra, dessa forma seria ampliado, provisoriamente, sem a necessidade de se esperar três anos pela Adutora do Agreste, o abastecimento de água de parte do agreste, outra região de Pernambuco afetada pela estiagem.

O relator da Subcomissão de Fiscalização de Obras Inacabadas e o presidente da Compesa acertaram também a atualização de um relatório para a Subcomissão sobre o cronograma da Adutora do Agreste. A obra, de mais de mil quilômetros, um dos projetos atrasados do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) em Pernambuco, deverá constar do roteiro de visitas dos integrantes da Subcomissão.

A última previsão é de que a Adutora do Agreste, orçada em R$ 2 bilhões, embora deva estar concluída em dezembro próximo, só entrará em pleno funcionamento, atendendo 64 municípios pernambucanos, no segundo semestre de 2018. Este é o prazo para se concluir o Ramal do Agreste, que fornecerá à Adutora a água proveniente do Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco.

Marcelo Gomes comemora uso da água de Serro Azul

marcelo

Nesta terça-feira (07), o governo de Pernambuco anunciou a construção de duas adutoras para levar água da Zona da Mata Sul ao Agreste do Estado. A primeira adutora utilizada será para transportar a água da barragem de Serro Azul, no município de Palmares.

A segunda adutora será construída em Catende, que levará água até adutora do Prata. As obras estão orçadas em R$ 160 milhões e beneficiarão cerca de 30 cidades. Entre elas, Caruaru, comemora o vereador Marcelo Gomes.

“Já estamos falando há algum tempo que a solução para a seca que enfrentamos, principalmente em Caruaru, é a transposição da água da barragem de Serro Azul, que é grande e está melhor abastecida que as que utilizamos no momento, como Jucazinho. É uma grande conquista”, frisou o vereador.

/**/

Liberato solicita que Barragem de Serro Azul ajude no abastecimento de Caruaru

Liberato

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O vereador Ricardo Liberato (PSC) vai solicitar do Governo do Estado, através de propositura, que sejam realizadas obras hídricas na barragem de Serro Azul, em Palmares, para levar água até a barragem do Prata, que abastece alguns municípios do Agreste, ajudando assim o abastecimento de água em Caruaru.

No inicio de maio, a Compesa iniciou na cidade de Caruaru um rodízio de água em toda a cidade devido à situação de emergência dos mananciais que abastecem o município. A barragem de Jucazinho, que além de Caruaru abastece outras 14 cidades do Agreste, está só com 6% da capacidade total. “A região Agreste hoje é a que mais sofre com a seca em Pernambuco e Caruaru vem sentindo os efeitos desta situação. O prefeito José Queiroz já vem trabalhando também neste projeto e recebe o nosso apoio como Legislativo. Não podemos ficar esperando somente que a chuva caia, o Governo do Estado precisa agir logo para que este problema não se agrave ainda mais”, explica Ricardo Liberato.