FUTEBOL: Fracassos antecipam férias de clubes

Por Pedro Augusto

O segundo semestre mal começou e a torcida caruaruense já teve de ser despedir das partidas profissionais disputadas ao vivo. Se for tomada como parâmetro essa antecipação obrigatória no encerramento das atividades pode-se concluir que os desempenhos dos clubes locais na temporada 2016, que por sinal ainda está longe de acabar, ficou muito aquém do esperado. Ao pé da letra catastróficos haja vista que o Porto foi rebaixado para a 2ª Divisão do Campeonato Pernambucano e o Central acabou jogando fora mais uma oportunidade de retornar à Série C. Único time local a disputar a 4ª Divisão 2016, a Patativa acabou sendo desclassificada ainda na primeira fase da competição.

Se não bastasse a saída precoce, a torcida centralina ainda teve de empurrar por “goela abaixo” a desclassificação da forma como ela se concretizou. Presente em pequeno número, mas incentivando durante os poucos mais de 90 minutos, a massa alvinegra não conseguiu evitar mais um vexame proporcionado pelos os seus representantes dentro de campo. Com o dever de apenas conquistar a vitória por um placar simples diante do lanterna e já eliminado do grupo A5, Guarani de Juazeiro, os jogadores acabaram esbarrando mais uma vez em suas limitações e ficaram apenas no empate por 1 a 1, com o adversário da vez, no último domingo (17), no Luiz Lacerda.

Resultado este que manteve a equipe caruaruense na terceira colocação final da chave deixando-a também sem qualquer chance de retornar à 3ª Divisão. Sem querer papo com os microfones da imprensa local, agora, a diretoria centralina se encontra direcionada para tentar resolver os problemas, que não são poucos, do setor administrativo do clube. Já a LM 03 Sports e Marketing, que fechou contrato com a Patativa e acabou sendo a responsável pela montagem do elenco, até que tentou fazer uma coletiva para anunciar o planejamento para a próxima temporada, porém supostamente foi impedida de realizá-la na Sala de Imprensa Jornalista Souza Pepeu.

Até o fechamento desta matéria, o encontro com os jornalistas não havia sido feito. Se os refletores do Estádio Lacerdão foram apagados em julho para a equipe profissional do Central, os mesmo equipamentos, mas instalados no Estádio Antônio Inácio, acabaram sendo desligados para o elenco principal do Porto ainda em março. Titubeando nas 10 rodadas disputadas, o Gavião do Agreste acabou ficando apenas na vice-lanterna do hexagonal da permanência, atuação esta que o rebaixou para a Série A2 do Estadual. Hoje, assim como o arquirrival, o tricolor da Rua Preta só entrará em campo neste restante de temporada, através do elenco de juniores. Tanto a Patativa como Gavião já se encontram disputando o PE Sub20.

Pedro Augusto é jornalista e repórter do Jornal VANGUARDA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.