Recife recebe primeira edição do Workshop de Música de Câmara

Capacitar músicos e aprofundar o conhecimento sobre a música de câmara produzida no Brasil, transformando a capital pernambucana em um grande palco. Esse é o objetivo do 1º Workshop de Música de Câmara do Recife, que acontece a partir desta segunda-feira até a quinta-feira (8 a 11/11).

Dividida entre o Conservatório Pernambucano de Música, a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e a Concatedral de São Pedro dos Clérigos, no Pátio de São Pedro, a programação contará com palestras, masterclasses e recitais, todos gratuitos. A abertura, no dia 8, às 19h, levará ao Auditório Cussy de Almeida, do Conservatório, palestra e recital do Trio da Muléstia e do Trio Brasilianas.

O workshop foi idealizado pelos professores Rinaldo Fonseca e Arthur Ortenblad, do Departamento de Música da UFPE, e é realizado em parceria com o Laboratório de Educação Musical Especial e Inclusiva (Lemei) e o Núcleo de Acessibilidade (Nace) da universidade. Fazendo jus ao conceito de acessibilidade e inclusão, os programas terão versão em Braille e as apresentações e palestras contarão com intérpretes e tradutores de Libras, a Língua Brasileira de Sinais.

As aulas serão ministradas por instrumentistas que se dedicam ao estudo da música de câmara brasileira de concerto e participarão das orientações, divididas em dois níveis: o técnico-instrumental, que acontece nas aulas, quando o aluno toca o mesmo instrumento que o professor, e o nível interpretativo e artístico, durante as masterclasses, quando o aluno aprende mesmo sem tocar instrumento igual ao do professor.

Além de divulgar a música instrumental brasileira composta para diferentes formações instrumentais, o projeto pretende contribuir para a formação de novas plateias, por meio dos recitais gratuitos. Além da abertura, no Conservatório, a Concatedral de São Pedro dos Clérigos, no Pátio de São Pedro, receberá recitais do Quinteto Sopro Brasil, Grupo Instrumental Brasil, Maria Di Cavalcanti e do Quinteto Uirapuru.

“Sentia a necessidade de trazer um evento específico sobre a música de câmara para o Recife, com foco no que é feito no Brasil. Para isso, teremos a honra de receber grupos como o Trio Brasilianas, o Quinteto Uirapuru, o Trio da Muléstia, o Quinteto Sopro Brasil e o Grupo Instrumental Brasil, que estão entre os mais respeitados do País’’, comenta o professor Rinaldo Fonseca.

“O coração bate forte, estamos otimistas e esperando por algo bem enérgico e radiante, que chame as pessoas a apreciarem esse tipo de trabalho. Quando converso com os alunos em relação a carreira e espaço, deixo claro que precisamos procurar alternativas e eventos assim, que auxiliam a expandir o olhar para outros caminhos profissionais’’, encerra Fonseca.

A inscrição para participar das aulas é gratuita e pode ser feita através do site da UFPE.

PROGRAMAÇÃO

DIA 8/10 (SEGUNDA-FEIRA)

9h às 12h – Masterclass do Trio Brasilianas (CPM – salas 2 e 3)

14h às 16h – Palestra de Ravi Shankar (CPM – Auditório Cussy de Almeida)

19h – Palestra e recital do Trio da Muléstia e o Trio Brasilianas (CPM – Auditório Cussy de Almeida)

DIA 9/10 (TERÇA-FEIRA)

9h às 12h – Masterclass do Trio da Muléstia (CPM salas 2 e 3)

14h às 16h – Masterclass de Rucker Bezerra e Paulo França

19h – Palestra Pré-Recital (Igreja de São Pedro dos Clérigos)

19h30 – Recital do Quinteto Sopro Brasil, Grupo Instrumental Brasil e Maria Di Cavalcanti

DIA 10/10 (QUARTA-FEIRA)

9h às 12h – Masterclass Rinaldo Fonseca e Artur Ortenblad (CPM – salas 2 e 3)

14h às 16h – Masterclass Quinteto Uirapuru (UFPE)

19h – Palestra pré-recital (Igreja de São Pedro dos Clérigos)

19h30 – Recital Quinteto Uirapuru

Dia 11/10 (quinta-feira)

9h às 12h – Palestra Música brasileira para instrumentos de Madeiras (CPM – salas 2 e 3)

Palestrante: Artur Ortenblad

14h às 16h – Mesa-redonda: Composições Para Grupos de Música de Câmara

Convidados: Dierson Torres, José Urcisino da Silva e Paulo Lima (UFPE)

Mediador: Artur Ortenblad

16h30 – Recital dos grupos dos alunos do Workshop (UFPE)

18h – Premiação dos grupos e encerramento do Workshop (UFPE)

SERVIÇO:

1º Workshop de Música de Câmara do Recife – De 8 a 11 de outubro, no Conservatório Pernambucano de Música, Universidade Federal de Pernambuco e Concatedral de São Pedro dos Clérigos. Gratuito. Informações: www.ufpe.br.

Pequenos negócios contribuem com inclusão e desenvolvimento tecnológico

A importância crescente dos pequenos negócios para a economia brasileira, seja na arrecadação tributária, na geração de empregos, no número de empresas ou na sua participação no PIB é uma evidência incontestável, nas últimas décadas. Entretanto, o fato é que as micro e as pequenas empresas, além dos microempreendedores individuais, também desempenham um papel cada vez mais relevante, especialmente quando promovem a inclusão produtiva e social, aumento da produtividade e difusão da inovação. Projetos desenvolvidos pelo Sebrae nessas diferentes áreas mostram a capacidade de transformação dos pequenos negócios sobre o contexto em que atuam. Uma prova da força dos pequenos negócios está nas comunidades de periferia e nas favelas de todo o país. Projetos do Sebrae nessas regiões confirmam o poder de inclusão social dos pequenos negócios, principalmente nos setores de alimentação, comércio varejista e beleza.

Apesar da crise, os dados econômicos dessas comunidades mostram que existe demanda e renda que justificam a abertura de novos negócios. E, nesse universo, a participação das mulheres é extremamente relevante, confirmando que o empreendedorismo se tornou opção para aquelas que buscam conciliar a atividade profissional com as responsabilidades domésticas e – em muitos casos – a emancipação de situações de violência vivenciada no ambiente familiar. Um exemplo voltado para as comunidades é o Programa Brasil Mais Simples, que busca regularizar a posse dos imóveis onde essas pequenas empresas estão instaladas. O projeto-piloto começou a ser desenvolvido em uma comunidade de Manguinhos, no Rio de Janeiro, e a proposta é beneficiar inicialmente 10 mil pessoas, que, com suas propriedades legalizadas podem formalizar seus negócios e se integrar à economia formal.

Junto às comunidades de baixa renda, outros projetos do Sebrae impulsionam o empreendedorismo tendo em vista a inclusão produtiva e social. Os negócios de impacto social e ambiental estão entre as prioridades da instituição, que mantém parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, órgão da Organização das Nações Unidas (ONU), por meio da Iniciativa Incluir. Além de um propósito transformador, visando à melhoria das condições de vida das populações da base da pirâmide social, os negócios de impacto socioambiental não prescindem de lucro e ajudam a reduzir as desigualdades e a pobreza nas comunidades onde estão inseridos. Com foco em produtividade, mercado e desenvolvimento local, em 2017, o Sebrae atendeu mais 6,7 mil negócios de impacto social e ambiental.

“Esses modelos de negócios também são empreendimentos inovadores que vêm conquistando cada vez mais espaço na nossa sociedade em virtude dos benefícios coletivos que proporcionam. Um dos grandes desafios é tirar esses pequenos negócios da invisibilidade, tornando-os mais conhecidos e valorizados”, disse a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes. Além do atendimento direto, o Sebrae atua no sentido de aproximar empresários e empreendedores do ecossistema de finanças sociais e negócios de impacto em todos o país.

Casos exemplares de negócios de impacto socioambiental apoiados pelo Sebrae se destacam em várias regiões do país. O engenheiro Hamilton Santos e a nutricionista Mariana Fernandes estão à frente da Saladorama, que busca democratizar o acesso à alimentação saudável e ao mesmo tempo ser uma fonte de renda para moradores de favelas, no Rio de Janeiro. Também na linha da alimentação saudável, as cearenses Priscila e Déborah Veras conduzem a Muda Meu Mundo, que vende alimentos sem agrotóxicos a preços acessíveis, por meio da agricultura familiar. E a Firgun, startup financeira que atua com microcrédito, apoia empreendimentos de baixa renda na captação de fundos. Segundo o CEO da Firgun, Fábio Takara, no site da fintech, o objetivo é facilitar o acesso ao microcrédito, que hoje nas instituições bancários envolve “altas taxas de juros e muita burocracia”, além das dificuldades com prazos e garantias.

Simples Nacional

O Simples é um regime tributário facilitado e simplificado para micro e pequenas empresas, que permite o recolhimento de todos os tributos federais, estaduais e municipais em uma única guia. O modelo de tributação garante aos pequenos negócios o tratamento diferenciado previsto na Constituição. Além da unificação dos tributos, o sistema destaca-se ainda como fator de desempate para empresas que concorrem a licitações do governo e facilita o cumprimento de obrigações trabalhistas e previdenciárias por parte do contribuinte. Para optar pelo Simples Nacional, as microempresas e empresas de pequeno porte devem estar isentas de débitos da Dívida Ativa da União ou do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Cresce número de crianças e adolescentes que buscam informações na internet

É cada vez maior o número de crianças e adolescentes que buscam informações na internet. Este é o resultado da pesquisa TIC Kids Online Brasil divulgada no mês de setembro com a análise do cenário digital do último ano. Realizado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), por meio do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), o estudo aponta um crescimento relevante no consumo de informações online por crianças e adolescentes brasileiros de 9 a 17 anos, mostrando que 51% dos que estão conectados leem e/ou assistem notícias pela web.

De acordo com a pesquisa, as atividades escolares mobilizam o acesso de 76% deste público. Mas, as atividades ligadas à comunicação e ao entretenimento ainda são predominantes com 79% de representação. Com a infância e a juventude mais conectadas à tecnologia, é fundamental encurtar a distância entre o meio digital e o ambiente escolar. O Colégio GGE tem incentivado essa relação com diversos projetos educacionais. Entre eles, destaca-se a Mostra de Iniciação Científica (MIC) que este ano tem como tema: “O uso da tecnologia para o desenvolvimento humano”.

A exposição de projetos científicos dos alunos do Ensino Fundamental será realizada pela primeira vez em Caruaru. Promovida a cada dois anos, a MIC tem como objetivo estimular o interesse dos alunos pela pesquisa e pelo conhecimento científico. A iniciativa pedagógica envolve os alunos na criação de projetos científicos que contam com o apoio da equipe do GGE em todo o processo de construção da pesquisa e desenvolvimento dos trabalhos.

Os projetos foram desenvolvidos com base em variáveis do tema principal: tecnologias da informação, inovações tecnológicas, biotecnologia, desenvolvimento sustentável, entre outros. Cada equipe contará com um stand no pavilhão. Além disso, o GGE preparou para alunos, visitantes, pais e familiares espaços de convivência e um auditório climatizado, onde será realizada uma programação de palestras com especialistas de áreas relacionadas à tecnologia em uma formação que irá contemplar toda a comunidade escolar.

Sertânia e Custódia recebem investimentos em Abastecimento de Água

Durante visita realizada esta semana ao municipio de Sertânia, no Sertão, o presidente da Compesa, Roberto Tavares, juntamente com os diretores Aldo Santos e Rômulo Aurélio, apresentou aos prefeitos de Sertânia, Ângelo Ferreira, e de Custódia, Manuca, os recentes empreendimentos hídricos em execução e planejados para as duas cidades.

Uma das obras é a implantação do Sistema de Abastecimento de Água de Rio da Barra, distrito desse município, que irá beneifciar quatro mil habitantes com água tratada e de qualidade de 10 localidades pertencentes a Sertânia e Custódia. A ordem de serviço para início da obra foi assinada hoje pelo presidente Roberto Tavares. “Continuamos avançando na linha de atuação do Governador Paulo Câmara, em acelerar obras de abastecimento de água que atendam a população mais necessitada. Essas pessoas veem a água da transposição passando e agora terão o tratamento e água nas torneiras”, afirmou Roberto Tavares.

Nessa ação, estão sendo investidos R$ 6 milhões e a obra prevê a construção de uma captação flutuante direta no canal da Transposição do Rio São Francisco. Desse ponto, a Compesa irá retirar 15 litros de água por segundo, e levar para uma estação de tratamento, a ser construida próxima ao local. Também serão construidas duas estações elevatórias (sistema de bombeamento) e dois reservatórios com capacidade para armazenar 100 m3 cada um, além de uma adutora de 13 quilômetros de extensão. “Temos muita satisfação de receber mais esse investimento do Governo do Estado, através da Compesa, que melhorará muito a condição de vida de milhares de pessoas”, afirmou o Prefeito de Sertânia, Ângelo Ferreira.

Além da ordem de serviço, os Diretores visitaram uma obra em parceria com a Prefeitura, para expansão da rede de distribuição que irá beneficiar os bairros Nova Sertânia, Ferro Novo, Alto do Rio Branco, Mário Melo e Travessa Heleno Quintino, atendendo mais de mil pessoas.

Projeto Quartas Musicais une Hamilton de Holanda a SaGRAMA no palco do Teatro de Santa Isabel

Um dos shows mais aplaudidos do 28º Festival de Inverno de Garanhuns foi resultado do encontro entre o aclamado bandolinista carioca Hamilton de Holanda e o grupo recifense SaGRAMA. Por isso, o Conservatório Pernambucano de Música promove mais uma edição da apresentação, dessa vez, no Teatro de Santa Isabel, no Centro do Recife. Os músicos sobem ao palco na quarta-feira (10), às 20h, como parte do projeto Quartas Musicais.

Aos 41 anos de idade e 36 anos de carreira, Hamilton de Holanda traz na bagagem um misto do incentivo familiar e do aprendizado adquirido no bacharelado em Composição pela Universidade de Brasília. O conhecimento formal, unido à prática em rodas de choro e samba, resultou na maestria que rendeu ao músico o apelido de “Jimi Hendrix do bandolim”.

Ao adicionar duas cordas extras ao instrumento, Holanda ampliou os limites do bandolim e inspirou uma nova geração de intérpretes. O choro é sua primeira referência e, a partir de sua iniciativa, no ano 2000, foi criado o Dia Nacional do Choro, comemorado em 23 de abril, data de nascimento de Pixinguinha. Além do choro e do samba, aglutina em sua obra outras tantas tradições culturais brasileiras, como o frevo e a bossa nova.

Já o SaGRAMA, em 23 anos de trajetória, reúne experiências com nomes como Alceu Valença, Nação Zumbi, Naná Vasconcellos, Yamandu Costa e Quinteto Violado. O grupo também gravou trilhas sonoras, a exemplo da feita para O Auto da Compadecida, filme dirigido por Guel Arraes e baseado na obra original do escritor Ariano Suassuna. Formado no Conservatório Pernambucano de Música, o SaGRAMA acumula nove álbuns e premiações como o especial do júri Apacepe de Teatro e Dança 2004 pela trilha do espetáculo Fernando e Isaura.

Para o Quartas Musicais, os artistas prepararam um repertório com muita música autoral, entre elas, Capricho do Carmo e A Saudade Vai Passar, de Hamilton de Holanda, e Cores Rurais e Cuscuz, do SaGRAMA. Somam-se a elas faixas de grandes como Sivuca (Feira de Mangaio), Pixinguinha (Carinhoso) e Geraldo Vandré (Disparada).

O ingresso para o show é gratuito, mas precisa ser retirado na bilheteria do teatro uma hora antes do início da apresentação. O Teatro de Santa Isabel fica na Praça da República, s/n, no bairro de Santo Antônio.

SERVIÇO:

Projeto Quartas Musicais – Edição especial com Hamilton De Holanda e SaGRAMA – Quarta-feira (10), a partir das 20h, no Teatro de Santa Isabel (Praça da República, s/n, Santo Antônio). Ingressos: gratuitos, com retirada na bilheteria uma hora antes do início da apresentação. Informações: (81) 3183-3400 e conservatorio.pe.gov.br.

Dia das Crianças deve movimentar R$ 9,4 bilhões no varejo

Apesar da lenta retomada da economia refletir no ânimo dos brasileiros, a maioria dos consumidores (72%) deve ir às compras este ano no Dia das Crianças — em especial as mulheres (77%). É o que revela pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais. No ano passado, 67% compraram presentes na data. Para 2018, a expectativa é de que o varejo movimente cerca de R$ 9,4 bilhões.

Diante de um cenário com alto índice de desemprego e renda achatada, os gastos do consumidor também prometem ser ponderados. De acordo com o levantamento, (39%) dos entrevistados que presentearão, principalmente filhos, sobrinhos, netos ou afilhados, pretendem gastar o mesmo valor que o ano assado, enquanto 24% planejam comprar menos. No total, cada consumidor deve desembolsar, em média, R$ 187 com presentes.

O Dia das Crianças representa a última festa comemorativa antes do Natal e dará sinais de como será o desempenho das vendas no final do ano. “As intenções de compra da data servirão de termômetro para o fim de ano, ao trazer as primeiras impressões do que deve acontecer no Natal, principalmente em um momento que o poder de compra das famílias continua sendo afetado pelas dificuldades econômicas”, explica a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

Orçamento apertado é principal motivo para 34% dos consumidores segurarem gastos. Seis em cada dez entrevistados afirmam que presentes estão mais caros

Os impactos da crise ainda estão presentes no dia a dia das pessoas e contribuem para que boa parte gaste menos na data. A principal razão para que haja um freio no consumo daqueles que pretendem gastar menos este ano deve-se ao orçamento apertado (34%), enquanto 24% desejam economizar, 18% estão desempregados e por essa razão se veem impossibilitados de comprar e 9% têm outras prioridades de aquisição (9%), como carro e casa. Há ainda os que precisam pagar dívidas em atraso (8%).

Embora os consumidores estejam cautelosos, a pesquisa mostra que cerca de um terço (30%) pretende comprar dois presentes e 25% apenas um. A maioria (66%) espera pagar os produtos à vista e o dinheiro será a opção de 51% dos entrevistados. Em segundo lugar, aparece o cartão de crédito parcelado (34%) e em terceiro, o cartão de débito (28%). Entre os que planejam parcelar as compras, a média de prestações é de quatro parcelas.

Os shopping centers são o lugar preferido dos consumidores para fazer suas compras (42%), embora 35% optem pela internet, provavelmente motivados pela comodidade e praticidade de encontrar seus presentes. Já 28% mencionaram que buscarão o tradicional comércio de rua. Mesmo com uma inflação menor se comparada ao auge da crise, a maioria dos entrevistados (59%) avalia que os preços dos presentes estão mais caros do que em 2017. Para 31%, os preços estão na mesma faixa e apenam 6% dizem estar mais baratos.

Confira o funcionamento do Shopping Difusora no domingo de Eleições

No próximo domingo, 07 de outubro, acontece a votação para escolha dos candidatos no primeiro turno das Eleições 2018. Nesse dia, a população vai às urnas para escolher os representantes que ocuparão os cargos de deputado Federal e Estadual, Senador, Governador e Presidente da República nos próximos anos. Para tanto, o Shopping Difusora estará funcionando em horário especial.

As lojas e quiosques abrirão as portas das 11h às 20h. Já as Praças de Alimentação do primeiro, segundo e terceiro pisos funcionarão das 11h às 21h. Para quem quiser aproveitar o dia para assistir a um filme, depois de exercer o papel de cidadão, o cinema segue funcionando de acordo com os horários das sessões. Para conferir, basta entrar no site do Shopping Difusora (www.shoppingdifusora.com.br).

/**/

Desistência de buscar empregos é maior entre as mulheres

Em pleno cenário de crise, o Brasil atingiu número recorde de desalentados, conforme dados divulgados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o estudo, o Brasil já conta com 4,8 milhões de pessoas que abandonaram a busca por emprego por acreditarem que não vão encontrar vagas disponíveis, referentes ao segundo trimestre de 2018, os dados mostram também que a recessão atinge as mulheres com maior intensidade. Dentre os desalentados, 54% são do sexo feminino.

Apesar das mudanças culturais, o cenário do mercado de trabalho para as mulheres persiste. Elas continuam tendo menos oportunidades do que os homens. A situação, muitas vezes, força a tomada de novas atitudes. “É muito comum que, diante dessas situações, elas acabem optando por retornar ao lar para cuidar da casa e dos filhos”, explica Ana Paula Escorsin, psicoterapeuta e docente do curso de Gestão de Pessoas do Centro Universitário Internacional Uninter.

Além da opção financeira por corte de gastos, a professora explica que o fator cultural ainda representa um forte impedimento para a entrada da mulher no mercado de trabalho. Alguns empregadores desconsideram contratar uma mulher por considerá-la menos capaz ou disponível do que um homem, principalmente quando tem filhos. “A empresa tende a pensar logo em faltas e baixa produtividade, mas não em ampliar sua carteira de benefícios com creche, flexibilidade de horário, entre outros benefícios para o funcionário”, pontua a professora.

Outra forma de desmerecimento do trabalho das mulheres é demonstrada pelos salários. Também segundo dados do IBGE, entre 2012 e 2016 as mulheres ganhavam 75% do salário dos homens pela mesma função exercida (Estatísticas de Gênero – Indicadores sociais das mulheres no Brasil).

Para mudar esse cenário, a professora sugere uma mudança na cultura empresarial brasileira. “É necessário melhorar a capacitação dos dirigentes para que compreendam que seus estabelecimentos são constituídos por pessoas e não apenas por máquinas”, defende.

Mulheres chefiam os lares

Mesmo com mais empecilhos na busca por emprego, o contingente de lares em que as mulheres tomam as principais decisões mais do que dobrou em 14 anos. Passou de 14,1 milhões, em 2001, para 28,9 milhões, em 2015, o que representa alta de 105%, segundo estudo coordenado pela Escola Nacional de Seguros. Por isso, é importante a mudança no cenário empregatício.

“Para as mulheres que estão desempregadas, recomendo que persistam na procura de espaços de trabalho que valorizem seus currículos e enxerguem seu potencial a partir de suas experiências e competências”, incentiva Ana Paula. “Mesmo em menor escala, espaços de trabalho existem”.

Estudante de Timbaúba conquista a oitava edição do Ler Bem

São de Timbaúba, Santa Cruz do Capibaribe e Lajedo os três primeiros lugares do concurso de incentivo à leitura, Ler Bem, promovido pela Associação Pernambucana de Atacadistas e Distribuidores. Em primeiro lugar, campeoníssima da disputa que envolveu 130 mil estudantes pernambucanos, ficou a aluna do Centro Educacional Maria Emília Dutra Ferreira Lima, Maria Eduarda Soares Fernandes do Nascimento, 10 anos. Na segunda colocação, veio Jálysson Rafael da Silva Cruz, 9 anos, estudante da Escola municipal João Maria Neto. Em terceiro, ficou Raquel Silva do Amaral, de 9 anos, da Escola Municipal José Braga da Silva. A final da disputa literária aconteceu na tarde desta quarta-feira (3), no Teatro Eva Hertz, na Livraria Cultura do RioMar Shopping.

O presidente da entidade, José Luiz Torres, destacou a emoção de acompanhar a evolução das crianças, que mostraram bastante desenvoltura no palco e emocionaram a plateia. “É gratificante ver um projeto como este, apenas no oitavo ano, ser reconhecido como um dos melhores projetos educacionais do Estado. Quero agradecer aos professores, Secretarias de Educação e todos os demais envolvidos, pois, se não fossem vocês, não teríamos aqui, hoje, crianças tão preparadas, seguras e dando um show de leitura.” Torres ainda falou da expectativa para que o concurso cresça cada vez mais, atingindo todo o território nacional.

A disputa final envolve duas etapas. Na primeira, os 15 finalistas leem trechos sorteados do livro adotado para a disputa, no caso, a obra Gente de Estimação, do escritor Pedro Bandeira, da Editora Moderna. A segunda etapa chamou novamente ao palco os estudantes, dessa vez, seis alunos, para, novamente, lerem outros trechos selecionados da publicação. “Quando eu fui selecionada entre os seis alunos que leriam novamente, eu já não acreditei e pensei: como vou subir ao palco e ler de novo?”, confessou Maria Eduarda, que arrancou risadas da plateia.

Os alunos de Bezerros, Casinhas, Lajedo, Quipapá, Santa Cruz do Capibaribe e Timbaúba foram os escolhidos. O vencedor da última edição, Erick Cordeiro, do município de Tabira, subiu ao palco para fazer uma poesia e pontuou o que mudou em sua vida depois que ganhou o Ler Bem. “A minha irmã, Bela, já disse que vai participar no ano que vem. Nós lemos juntos e eu a ajudo a se preparar”, explicou o menino.

“Quero agradecer a todos, meus pais, minhas professoras e à Aspa por me darem a oportunidade de ler novamente para vocês”, finalizou a vencedora. Maria Eduarda ganhou, assim com os outros dois vencedores, um fim de semana no Enotel, em Porto de Galinhas, com familiares e o diretor da escola. Eles vão participar do Encontro Aspa marcado para 23 a 25 de novembro, com shows e apresentações culturais, entre outras atividades.

A final do Ler Bem contou ainda com uma homenagem aos professores dos alunos selecionados para a última etapa do projeto. Docentes da Secretaria de Educação do Recife formaram o júri do concurso. A coordenadora da iniciativa, Nélia Azevedo, anunciou que as inscrições para o nono Ler Bem começam no dia 2 de janeiro de 2019. Este ano, o concurso bateu recorde de inscrições, envolvendo mais de 130 mil estudantes do 4º ano da rede municipal de ensino de mais de três mil escolas de 118 cidades de Pernambuco.