ARTIGO – Mobilidade elétrica: a nova realidade global

Por Ricardo Takahira

Diante de algumas definições internacionais para o impedimento da comercialização de veículos diesel, com repercussões no aumento de vendas dos veículos híbridos e elétricos no mundo, vale a pena o Brasil refletir sobre o que realmente tem acontecido no planeta e analisar como tem reagido e se preparado frente ao novo cenário mundial, sobretudo, alguns meses depois da publicação do programa Rota 2030 (MP843).

Parece que o País finalmente acordou para o que acontece internacionalmente, embora o mundo não esteja mudando tão a passos largos como se esperava, em vista das projeções dos especialistas de mercado de veículos movidos à eletricidade. Os brasileiros já testemunham o aumento da oferta e do uso de ônibus e caminhões elétricos, cenário que já aponta por onde certa massificação pode acontecer.

Os desafios são grandes em toda a parte principalmente ao se tratar da frota puramente elétrica, que necessita de infraestrutura de recarga. Com subsídios em vários países, veículos leves crescem também à medida que as condições são criadas para modelos de negócios de uso compartilhado, situação normalmente relacionada a veículos elétricos mais caros, porém com vantagens em emissões e, principalmente, em uso contínuo com o menor custo por quilometro rodado.

Especialistas da indústria já se preocupam com a capacitação da mão de obra para esta transição, outros apostam que a mudança já começou com primeiros resultados de faturamento. Somado a isto, o hidrogênio e outras formas de produção de energia elétrica também começam a sair do papel.

No cenário nacional, um plano de eletromobilidade poderia ter o mesmo efeito que o RenovaBio ou plano de energia? Os patamares de pesquisa e desenvolvimento podem crescer com chamadas temáticas como as da ANEEL? Ou a comparação com políticas públicas europeias podem ajudar o Brasil a entender o processo de popularização dos veículos elétricos pelo mundo? Não somos a Noruega, nem tampouco a China, então qual receita serve para o Brasil?

A boa notícia é que modelos lançados no Exterior não demoram tanto para vir ao Brasil. Resta somente saber quando a cadeia será verticalizada com volumes maiores e quais são esses volumes para viabilizar uma localização com investimentos. Veículos elétricos americanos ou asiáticos, quais sistemistas têm a melhor estratégia para a introdução dos veículos elétricos no País? Ainda não se pode esquecer dos biocombustíveis.

Existem ainda muitas dúvidas, mas algo é certo: o Brasil tem quem faça, como Lucas Di Grassi, piloto de Formula-E e Stock Car, além de CEO da Roborace, a primeira plataforma de motorsport autônoma do planeta. Um exemplo para os universitários que também constroem veículos elétricos do zero com orçamentos bem curtos, mas que já conquistaram prêmios valiosos no Exterior, em preparação para a era da eletromobilidade.

Quem tiver interesse em discutir o assunto está convidado para o 7º Simpósio SAE BRASIL de Veículos Elétricos e Híbridos, que reunirá lideranças de montadoras, sistemistas, centros de pesquisa, distribuidores de energia, universidades e órgãos do poder público para palestras e debates. O encontro será realizado em duas manhãs, dias 12 e 13 de novembro, no São Paulo Expo, em paralelo ao 30º Salão Internacional do Automóvel.

* Ricardo Takahira é engenheiro eletricista, consultor sênior da GFA Consulting Group alocado no Promob-e GIZ e chairperson do 7º Simpósio SAE BRASIL de Veículos Elétricos e Híbridos

Leão luta para fugir de degola, já Timbu e Cobra miram reforços

Único integrante do trio de ferro da capital a ter permanecido com calendário neste segundo semestre, o Sport se despede da temporada atual em clima de decisão. Com chances matemáticas de escapar do rebaixamento à Série B, o Leão não pode pensar em outro resultado a não ser na vitória diante do Santos, neste domingo (2), a partir das 16h (horário de Pernambuco), na Ilha do Retiro. O confronto será válido pela última rodada do Campeonato Brasileiro da Série A. Para fugir da degola, além de ter de vencer o Peixe, o time da Praça da Bandeira, que está na 18ª posição com 39 pontos, ainda precisa torcer pelos tropeços de pelo menos dois dos também ameaçadíssimos de queda: América-MG (17º colocado, com 40), Chapecoense (16º colocado, com 41) e Vasco (15º, com 42 pontos).

Náutico

Diferentemente do arquirrival Sport, que ainda se encontra disputando a temporada 2018, o Náutico já iniciou os preparativos dentro de campo visando às competições do próximo ano. Em paralelo às atividades físicas e com bola que estão sendo realizadas no Centro de Treinamento Wilson Campos, o time de Rosa e Silva também está voltando as suas atenções para a contratação de reforços. De acordo com o gerente de futebol, Ítalo Rodrigues, a intenção do Timbu está sendo investir na vinda por empréstimo de atletas sem espaço em clubes das duas primeiras divisões, além de apostar em jogadores jovens sem mercado nas equipes das Séries A e B do Brasileiro.

Santa Cruz

Assim como o Náutico, o Santa Cruz foi obrigado a encerrar as suas atuações dentro de campo bem mais cedo em relação ao Sport, devido à eliminação na fase mata-mata da Série C 2018. Neste momento, o time das Repúblicas Independentes do Arruda também se encontra inclinado para trazer reforços para 2019. “Temos que ter criatividade e conhecimento de mercado. Usando a bagagem de todas as pessoas envolvidas. Da direção, de Luciano (Sorriso, executivo de futebol) que chegou recentemente e vai agregar muito, e do departamento de análise de desempenho do clube”, declarou o novo técnico coral, Leston Júnior.

Intervalo violento com o registro de cinco homicídios

Pedro Augusto

O número de homicídios registrados na Capital do Agreste segue aumentando nesta reta final de 2018. Para se ter ideia, no período de apenas quatro dias, cinco crimes de morte foram computados na cidade. Os assassinatos ocorreram tanto na zona urbana como na rural e os corpos das vítimas foram encaminhados ao Instituto de Medicina Legal local. Até o fechamento desta matéria, ninguém havia sido preso.

Um homem identificado, posteriormente, como Pedro Henrique Bezerra da Silva, de 21 anos, o “Ratinho”, foi encontrado morto na manhã do sábado (24), na Vila Lajes, na zona rural de Caruaru. De acordo com o levantamento cadavérico do Instituto de Criminalística, a vítima teria sido morta à bala durante as primeiras horas do dia. Moradores informaram à Polícia Civil que chegaram a ouvir disparos, mas não visualizaram a dinâmica do crime. Sem documentos, “Ratinho” só foi identificado já no IML local por familiares.
Por volta das 20h30 do sábado, o ex-presidiário Josicleydson Alves dos Santos, de 41 anos, o “Grilo”, foi assassinado a tiros na Rua R-05, no Bairro Cidade Jardim. De acordo com informações repassadas pela Polícia Civil, a vítima, que atualmente trabalhava como mototaxista, teria parado a sua motocicleta em frente de casa e, ao perceber a chegada de um desafeto, teria tentado fugir, mas acabou sendo alcançada e baleada. Josicleydson já havia sido preso duas vezes e era usuário de drogas.

A semana violenta em Caruaru prosseguiu com a morte de Israel Gaspar, de 35 anos. De acordo com informações repassadas pela Polícia Civil, a vítima encontrava-se no final da noite do domingo (25), no Loteamento Novo Mundo, quando acabou sendo assassinada a facadas pelo próprio companheiro de nome não informado. Israel chegou a ser socorrido para a UPA da Boa Vista, porém não resistiu aos ferimentos. A vítima, que atualmente trabalhava como cabeleireira, tinha passagem pela polícia.

Já na manhã da segunda-feira (26), o autônomo José Aureliano da Silva Filho, de 36 anos, foi assassinado a facadas na Vila Canaã, na zona rural da cidade. De acordo com informações repassadas pela Polícia Militar, o corpo da vítima foi encontrado às margens da BR-104. José Aureliano, de acordo com as investigações preliminares da polícia, teria entrado em luta corporal com o assassino, porém teria levado a pior.

A onda de homicídios praticados, neste ano, na Capital do Agreste, teve sequência na tarde da terça-feira (27), quando o autônomo Veronilson Pereira da Silva, de 30 anos, foi assassinado à bala, nas imediações do Sítio Alagoinha, na zona rural. De acordo com informações repassadas pela Polícia Civil, a vítima estava trafegando em uma bicicleta, quando acabou sendo atingida com três tiros de revólver. Veronilson havia saído da pedreira onde trabalhava com destino até a sua casa, que ficava localizada no distrito de Encruzilhada de São João, em Bezerros, no Agreste do Estado.

Tentativa

O dono de mercadinho, Gerôncio de Souza José da Silva, de 28 anos, sofreu tentativa de homicídio na manhã da terça, na Rua Barão de Caruaru, no Bairro do Salgado. De acordo com informações repassadas pela Polícia Civil, a vítima encontrava-se no local, quando acabou sendo surpreendida com a chegada de criminosos que efetuaram três disparos, sendo um no tórax, um no braço e outro na mão. Bastante ferido, Gerôncio acabou sendo socorrido, de início, para a UPA do Salgado, e, em seguida, foi transferido para o Hospital Regional do Agreste.

Programa beneficia população caruaruense

O Ilumina Caruaru tem trazido mais qualidade de vida para os caruaruenses. A emoção toma conta dos moradores que agora podem ver suas ruas iluminadas e mais seguras. Veja como está o Loteamento Moura Brasil, onde a população vivia na escuridão #IluminaCaruaru #PrefeituraQueFaz

/**/

Presentes, mas sem esquecer de pagar os débitos

Um levantamento realizado, na semana passada, em todas as capitais pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) revelou que dois (23%) em cada dez trabalhadores que recebem o 13º salário devem utilizar ao menos parte desse dinheiro extra para comprar presentes de Natal. Na lista dos principais destinos quem encabeça é a intenção de poupar ou investir a quantia recebida, com 27% de menções.

O recebimento do décimo também é visto pelos consumidores como uma oportunidade para organizar a vida financeira. De acordo com a pesquisa, 17% dos trabalhadores pretendem utilizar o dinheiro extra para quitar dívidas que estão em atraso. Há ainda 16% que vão gastar o recurso durante as festividades de Natal e Ano Novo e 13% que vão pagar despesas essenciais da casa, como contas de água e luz. Outra alternativa que aparece com menos força (11%) é guardar o dinheiro extra para cobrir tributos e impostos típicos de início de ano, como IPTU e IPVA, por exemplo.

Na avaliação do educador financeiro do SPC Brasil, José Vignoli, antes de decidir o que fazer com o dinheiro do 13º salário, o ideal é que o consumidor faça uma análise de sua situação financeira e estabeleça prioridades. “O dinheiro deveria ser primeiramente pensado para pagar dívidas atrasadas, empréstimos ou para investir. Se o consumidor tem apenas uma dívida em aberto, é mais fácil resolver o problema. Caso exista mais de uma, o ideal é escolher aquela que está atrasada ou optar pela que possui o valor com juros mais altos como, por exemplo, cheque especial e cartão de crédito”, afirma Vignoli.

Vignoli ainda alertou que é importante considerar os gastos que costumam aparecer no começo do ano, como o IPTU, as mensalidades escolares e o IPVA, por exemplo. “Assim como a quitação de dívidas atrasadas, a formação de uma reserva para saldar compromissos típicos de início de ano também deve ser uma prioridade do consumidor. Todos os anos elas aparecem, mas muitos só deixam para pensar nessas despesas quando elas chegam”, alerta Vignoli.

Bicos

A pesquisa ainda mostrou que 44% dos entrevistados pretendem fazer bicos, ou seja, atividades que possam gerar uma renda extra, para comprar mais presentes para o Natal, principalmente os mais jovens (54%) e as pessoas das classes C, D e E (51%).

“Muitos consumidores costumam recorrer aos trabalhos informais e temporários para comprar presentes melhores ou em maior quantidade. O Natal é uma data comercial de grande apelo e tem uma importância simbólica para as pessoas. Portanto, se a pessoa quer investir um pouco mais na festa e nos presentes, por que não procurar uma atividade que possa gerar mais recursos? Outra dica é não dividir o pagamento dos presentes em muitas parcelas para não sobrecarregar o orçamento com as contas de início de ano e pesquisar bastante para conseguir bons descontos e condições vantajosas”, orientou Vignoli.

Um período propenso para deixar a inadimplência

Pedro Augusto

O intervalo mais aguardado pela economia local chegou! Também pudera! É justamente nesta época de fim de ano em que os trabalhadores com carteira assinada, tradicionalmente, recebem o 13º salário, quitando débitos antigos e ainda consumindo bastante, quando, claro, possuem oportunidade. Para os que planejam fechar 2018 sem dívidas na “praça”, a gratificação extra exerce um papel crucial na peleja pela condição de adimplente. De acordo com avaliação da Câmara de Dirigentes Lojistas de Caruaru (CDL de Caruaru), ao longo deste ano, o percentual de devedores no mercado local tem sofrido sucessivas quedas em comparação com os mesmos intervalos de 2017.

A justificativa, segundo a entidade, se deve a tão já falada crise financeira, que ainda tem provocado os seus efeitos no país. “Como a recessão não acabou, milhares de pessoas ficaram ainda mais receosas em esticar os seus prazos de pagamento, diminuindo, significativamente, os seus consumos. Desta forma, a inadimplência vem caindo de forma contínua em Caruaru, haja vista que o quantitativo de compras diminuiu em relação ao ano anterior. Para se ter ideia, de acordo com os levantamentos dos sistemas SPC e Serasa, se em setembro de 2017 o número de inadimplentes no âmbito local correspondeu a 122.843, neste ano o volume específico e referente ao mesmo mês foi de 113.584, totalizando uma queda de 7,5%”, destacou o gerente operacional da CDL de Caruaru, Zezinho Borba.

Conforme ressaltou o representante da entidade, a época de fim de ano é uma das mais propensas para que o devedor volte a ter crédito na praça. “As empresas credoras estão cansadas de saber que o 13º salário é repassado nesta época de fim de ano, sendo assim, facilitam bastante para que haja acordos e os consumidores voltem a comprar a prazo. É recomendável que esses devedores tentem negociar as suas dívidas agora, ou seja, não deixem para depois, haja vista que quanto maior o período de inadimplência, mais difícil ficará para quitá-las”, acrescentou Zezinho.

De acordo ainda com o gerente da CDL de Caruaru, grande parte dos registros presentes nos sistemas SPC e Serasa, relativa a débitos contraídos por consumidores locais, se refere às compras não pagas nos cartões de crédito. “Isso mesmo! O cartão de crédito continua sendo o grande vilão do consumidor caruaruense. Em seguida, vêm os chamados serviços públicos como a água (Compesa) e a energia (Celpe), que continuam tirando o sono de muito consumidor. Débitos contraídos com os serviços de plano de saúde também têm levado milhares de usuários a se tornarem inadimplentes. Mas, conforme já ressaltamos, o momento é ideal para quitar boa parte das dívidas com o repasse do 13º salário”, complementou Zezinho Borba.

Devido à grande demanda pelos seus serviços nesta época de fim de ano, a CDL de Caruaru passará a funcionar, a partir do segundo fim de semana de dezembro, também em sistema de plantão. “Ao se dirigir até a nossa unidade apresentando os seus documentos de identificação, o consumidor tem a possibilidade de verificar os locais onde está devendo, e até participar, aqui mesmo, de negociações, haja vista que intermediamos o acordo entre o credor e o devedor. Como a procura pelos nossos serviços costuma ser intensa a cada dezembro do ano, a partir do próximo dia 8, também estaremos funcionando aos sábados, sempre das 9h até as 13h”, finalizou o gerente da entidade.

Executiva Estadual do PSB avalia atuação do partido em 2018 e traça planejamento para próximo ano

A Executiva estadual do Partido Socialista Brasileiro reuniu, esta semana, no Recife Praia Hotel, seus membros para avaliar o desempenho da legenda em 2018 e fazer um planejamento de atividades para o próximo ano. A importância de encontros permanentes entre a militância somada à formação política dos socialistas foi um dos temas abordados durante o encontro.

Além da avaliação do resultado das eleições para o PSB de Pernambuco, o presidente estadual do PSB, Sileno Guedes, destacou as atividades partidárias realizadas durante o ano de 2018. Os encontros do Prosa Política, que abordaram temas diversos, como o espaço da negritude na política e os avanços e desafios para as mulheres nas gestões socialistas, foram destacados. Os cursos realizados na área de militância digital e outro voltado para os vereadores do PSB de Pernambuco também foram enfatizados.

O presidente ainda destacou o trabalho desempenhado pela militância na construção de propostas de governo, que foram entregues ao então candidato à reeleição, o governador Paulo Câmara. Durante os meses que antecederam a eleição, os sete segmentos do PSB se reuniram para avaliar os avanços de cada área e propor novas iniciativas. O conjunto desse trabalho foi entregue a Paulo durante o pleito.

O presidente ainda falou sobre as expectativas para o próximo ano. Sileno destacou que o PSB vai continuar investindo na formação política dos seus militantes em 2019, ano que não tem calendário eleitoral. “Teremos um ano em que vamos nos dedicar ainda mais à formação política. Através da preparação da nossa militância é possível consolidar o trabalho feito pelo PSB em Pernambuco. Em 2020, teremos uma eleição diferente, que não contará com coligações, e precisamos estar prontos para este momento”, avaliou Sileno Guedes. A expectativa é realizar novos cursos de formação com os segmentos sociais e com os futuros gestores estaduais.

Presente no encontro, o deputado estadual Aluísio Lessa fez uma avaliação sobre a vitória do PSB no Estado. Ele enfatizou a capacidade de articulação política do governador Paulo Câmara, que conseguiu fazer a maior coligação para o governo estadual no país, além de ter reunificado a esquerda com a presença do PT na chapa majoritária. “Não vencemos sozinhos e eu quero destacar a coragem do governador Paulo Câmara, que fez a aliança com o PT e a manutenção do PMDB na coligação”, pontuou. O parlamentar também destacou a importância de manter sempre o diálogo da bancada do PSB na Alepe com a Executiva estadual.

Líder do governo na Assembleia Legislativa, o deputado Isaltino Nascimento fez uma avaliação sobre o cenário político nacional, destacando a importância do papel da esquerda no novo momento vivido no país. “Reunir é sempre bom. Sempre bom a gente conversar e discutir porque cada um tem sua avaliação. Quanto mais a gente conversa, mais a gente acerta. É bom esse exercício em 2019. Nosso partido nacionalmente tem um desafio muito grande, porque a ideia colocada é desconstruir a imagem de quem é militante de esquerda. Precisamos nos alinhar politicamente e ideologicamente para fazer contraponto ao que está posto”, disse. Na ocasião, o socialista propôs a criação de um fórum nacional de parlamentares socialistas, de uma reunião do diretório nacional no início do próximo ano para avaliação do cenário nacional e também fez uma avaliação da liderança do governador Paulo Câmara nas eleições, desde 2016, quando o PSB elegeu 70 prefeitos.

Em Pernambuco, micro e pequenas empresas tiveram crédito de R$ 26 milhões até outubro

De Janeiro a outubro deste ano a Agência de Fomento do Estado de Pernambuco – Agefepe financiou um total de R$ 26 milhões para Microempreendedores Individuais (MEIs), Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (EPPs).

Desse total, 41% são referentes a 495 operações de microcrédito para capital de giro, com destaque para os setores de confecções e de alimentos (pequenas mercearias e lanchonetes). Outro segmento que se destacou foi o de artesanato com 220 operações, as quais beneficiaram expositores da Fenearte que obtiveram crédito para compra de estande e capital de giro.

Uma das beneficiadas foi Viviane Locatelli, que produz assessórios como brincos, colares e pulseiras com fibras de coco em Porto de Galinhas. Segundo ela, o acesso à linhas de financiamento é fundamental para o artesão. “Quando estamos no período de ‘entressafra’ o crédito viabiliza capital de giro para manter o negócio”, disse.

No mesmo período do ano passado, o total de financiamentos realizados foi de R$ 16 milhões. Segundo o presidente da Agefepe, Emanuel Rocha, houve um aumento na demanda por crédito este ano, o que pode estar relacionado ao início da retomada de crescimento da economia do Estado.

“Com base no que registramos até agora, o ano de 2019 se mostra promissor com relação às perspectivas de consolidação da curva de crescimento econômico. Por isso, esperamos ampliar ainda mais as nossas operações de financiamento dos empreendedores que planejam abrir ou ampliar os seus negócios no próximo ano”, afirmou.

Em 2018, a Agefepe desenvolveu um plano de ação com objetivo de atender a demanda crescente do polo de confecções de Pernambuco, que abrange principalmente os municípios de Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe e Toritama. Empregando mais de 100 mil pessoas, o polo é a principal atividade econômica do Agreste e um ambiente fértil para a geração de novos negócios.

Além disso, a Agência também criou uma linha de crédito específica para atender o segmento de Transporte Escolar, que reúne cerca de 2 mil veículos no Estado, dos quais 1.247 estão na Região Metropolitana do Recife. “As condições oferecidas pela Agefepe em relação a prazo, taxas de juros e carência não têm igual no mercado por isso resolvi fazer o financiamento para trocar a minha Van”, afirmou Márcio José Marques, que atua há 20 anos no setor de transporte de estudantes.

Varejo ampliado deve crescer 0,49% em novembro, desconsiderada a sazonalidade

Segundo “Projeção de Vendas”, do IBEVAR – Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo, o varejo ampliado, que inclui material de construção e automóveis, deve crescer, desconsiderada a sazonalidade natural do mês em razão da Black Friday, 0,49% em novembro, em relação ao mês anterior. O estudo indicou que as categorias de “artigos pessoais e domésticos” e “artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, perfumaria e cosméticos” devem ter um desempenho mais significativo diante de outros segmentos contemplados. De acordo com os executivos do IBEVAR, a economia segue em crescimento e o mercado está otimista para 2019, mas o setor varejista ainda sente os impactos do crescimento lento da renda e a desconfiança da estabilidade de emprego.

Sobre o IBEVAR
O IBEVAR – Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo – é uma instituição sem fins lucrativos, que se propõe a produzir conteúdo no setor de Varejo & Consumo, promover networking entre executivos que atuam nessa área e gerar negócios entre os participantes. O IBEVAR conta com o apoio de conteúdo do PROVAR/FIA, que auxilia na construção de conhecimento dos associados. www.ibevar.org.br