Pernambuco conquista único ouro da OBM

Pernambuco ganha uma medalha de ouro no nível 1 da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), depois de 16 anos. O autor desse feito é Gabriel Bastos Duarte, um menino de 12 anos, que está longe do perfil do nerd tradicional.

Gabriel sempre foi um bom aluno. Mas nunca chamou a atenção nem mesmo do pai, que é professor de matemática. “Ele gosta de videogame, de lutar judô e estar com os amigos. Sempre foi curioso. Mas nunca um aluno prodígio”, avaliou Gustavo Duarte.
Este ano, o estudante do sexto ano participou de seis olimpíadas de matemática e conquistou medalhas em cinco. Na Olimpíadas Brasileira de Matemática de Escolas Públicas e Privadas (OBMEP) foi um dos 20 milhões de inscritos em todo país. Passou na primeira fase e ficou entre os 1,2 milhão que passaram para a segunda etapa. Competindo com alunos dos sexto e do sétimo ano, ficou entre os 300 melhores, o que garantiu a ele uma vaga para a OBM.

“Na primeira sondagem que fiz com Gabriel, vi que ele tinha potencial. Mas conquistar essa medalha foi algo que nunca imaginei. A OBM é a maior prova de matemática do mundo. Tem três vezes o número de inscritos do Enem. Gabriel concorreu com alunos do sétimo ano que já avançaram no conteúdo e, por isso, teriam mais vantagem”, contou o professor de matemática, Márcio, que ajudou na preparação do estudante.

Além de trazer a medalha do nível 1 da OBM depois de 16 anos, a primeira do Recife em 40 anos da olimpíada, Gabriel foi o único medalhista do Norte, Nordeste e Centro-oeste.

Religioso é assassinado a facadas em Caruaru

Pedro Augusto

O primeiro homicídio registrado, neste ano, em Caruaru, pegou toda a população local de surpresa. Isso porque não se tratou de uma morte proveniente do tráfico de drogas tampouco de uma discussão banal, casos esses rotineiramente contabilizados na cidade, mas, sim, de um possível desentendimento entre um frei e suspeitos. De acordo com informações levantadas pelo VANGUARDA, o religioso Anderson da Silva Sobral, de 32 anos, encontrava-se, na noite da última terça-feira (1º), nas imediações da Feira do Troca, no Parque 18 de Maio, no Centro, quando teria sido brutalmente assassinado com seis facadas pelo casal Felipe Martiniano Ferreira, de 25 anos, e Elisângela Lins da Paixão, de 33.

Estes últimos chegaram a ser encaminhados até a delegacia, onde foram ouvidos e submetidos a coletas de materiais para exames de DNA, e, em seguida, acabaram sendo liberados por falta de provas suficientes. As investigações do caso estão a cargo do delegado Márcio George Martins. “Quando chegamos ao local do crime, a vítima encontrava-se sem nenhuma identificação, tampouco com dinheiro. Os vestígios identificados deram conta que possivelmente houve luta corporal. O jovem (Anderson) teria tirado satisfação com alguém. Provavelmente foi vítima de latrocínio (assalto seguido de morte).”

Outra linha de investigação surgida, mas não confirmada de forma oficial pela polícia, seria a de que o Anderson teria contratado os serviços sexuais de Elisângela, que é garota de programa, e não teria pagado após o ato sexual. Furiosa, a suspeita teria chamado o Felipe, que é o seu companheiro, e durante a luta corporal, o suspeito teria desferido os golpes de faca no frei. Inclusive, ao lado do corpo da vítima, o Instituto de Criminalística acabou identificando preservativos.

Como foi localizado sem identificação, Anderson só foi reconhecido já na tarde da última quarta-feira (2), no IML de Caruaru. Lá, familiares confirmaram que a vítima teria saído da casa onde se encontrava hospedado, por volta das 20h do dia anterior, e não foi mais visto. Ele era estudante da Universidade Católica de Pernambuco e estava de férias.

O sepultamento do frei Anderson Sobral ocorreu já na manhã da quinta-feira (3), no Cemitério Parque dos Arcos, em Caruaru. Antes, familiares e amigos do religioso participaram de uma missa de corpo presente.

Por meio de nota, a Diocese de Caruaru lamentou o ocorrido, informando ainda que recebeu a notícia da morte do frei com “surpresa” e “pesar”. Nas redes sociais, amigos e colegas de faculdade também se mostraram chocados com o assassinato do religioso, que era bastante conhecido na capital pernambucana. Quanto ao casal suspeito, ele pode ser preso a qualquer momento, mesmo negando a autoria.