Para 60% dos empresários, Reforma da Previdência sai do papel e clima é de otimismo

Com a perspectiva das medidas econômicas e a reforma da previdência aprovada este ano, o Brasil vai crescer em 2019. É o que mostra pesquisa da Câmara Americana de Comércio (Amcham Brasil) realizada com 550 presidentes e diretores de empresas brasileiras de todos os portes e segmentos. O otimismo do setor privado na aprovação de reformas econômicas está alto. A área que os executivos mais sentem confiança em relação ao novo governo é na economia (61%), com expectativa de aprovação de reformas como a previdenciária e tributária.

A maioria dos empresários acreditam que a reforma da Previdência vai ser aprovada esse ano, mas com ressalvas. Essa é a reforma possível para 63% deles, que responderam a pesquisa “Plano de Voo Amcham: perspectivas e análises Brasil 2019”. Para eles, a expectativa é de aprovação de um projeto que não consiga abarcar todos os setores da sociedade, mas que ainda assim terá um impacto positivo nas contas do governo.

“O clima é de otimismo. Detectamos que os empresários brasileiros estão confiante na capacidade do governo de conduzir o comunicar os motivos da reforma e os efeitos que pretendem ser alcançados”, comenta Devorah Vieitas, CEO da Amcham Brasil. A Câmara Americana de Comércio reúne no Brasil 5 mil empresas, em 15 cidades, sendo 85% delas de origem brasileira.

A aprovação de uma reforma estrutural e ampla, que consiga abarcar todos os setores – incluindo militares e todos os servidores públicos – até o final do ano, foi votada por 20% do público. O otimismo do setor privado é grande. Só 16% acham que a reforma ainda enfrentará certa resistência para ser aprovada, provavelmente não sendo aprovada até o fim do ano. E só 2% não acreditam que ela sairá em 2019.

Articulação com o Congresso

Mas, para a reforma sair esse ano, vai ser preciso uma grande capacidade de articulação do governo com o Congresso. Para os empresários, o tema demanda três focos de trabalho do novo governo. O fator crucial para o Governo Bolsonaro endereçar seu texto, pelo menos para 32%, é manter a defesa e o debate da proposta, assumindo a condução da disputa sobre pontos com menores concessões (ex: militares e servidores públicos).

Mas 30% responderam que o fator decisivo será o protagonismo do Presidente na discussão, direcionando seu capital popular para essa pauta estratégica e abrindo mão temporariamente de temas de grande popularidade. Outros 29% acham que é importante dialogar mais com o Congresso, com envolvimento de todas as lideranças partidárias para aprovação da reforma no Congresso, pausando temporariamente o discurso bélico contra opositores.

Só 9% responderam que, antes do grande teste da Previdência, o governo deve priorizar a aprovação de outras pautas, testando e mapeando as alianças costuradas e números de votos conquistados.

Os primeiros 40 dias e outras reformas

A avaliação do governo nos primeiros 40 dias é bem positiva. 60% respondeu que os anúncios de medidas econômicas é positiva, com perspectivas de melhora da economia, geração de empregos e aumento de competitividade. Pouco mais de um terço (36%) achou neutro, uma vez que não houve tempo ou marcos suficientes para avaliação da gestão. E 4% acharam que o começo foi negativo, com pouca perspectiva de crescimento da economia.

Além da Previdência, o governo terá algum folego para aprovar outras reformas. A que tem mais chances de acontecer, para 41%, é um ambicioso programa de privatização e prestação de serviços de infraestrutura. Em seguida, vêm a mudança do sistema tributário (15%), reforma administrativa e liberação comercial (com 13% cada), redução e racionalização dos subsídios concedidos da União, e autonomia do Banco Central (9% cada).

Baixa confiança

Por outro lado, o público está pessimista em relação à atenção que o governo vai dedicar a algumas áreas importantes. 37% dos respondentes estão menos confiantes em medidas para as áreas social e cultural. Em seguida, vêm a área ambiental (24%), educação e saúde (23%) e relações exteriores (10%).

Das reformas com menos chance de acontecer nos próximos 4 anos, a mudança do sistema tributário foi a mais votada, com 37%. Também há baixa expectativa de reforma administrativa (19%), redução e racionalização dos subsídios concedidos da União (17%) e autonomia do Banco Central (15%).

No tema da competividade, os empresários entrevistados pela Amcham esperam medidas importantes. Quase metade (48%) votou na simplificação e redução de carga tributária. O restante ficou dividido entre atração de investimentos (20%), desburocratização (15%), ajuste fiscal (10%) e combate à corrupção (6%).

A PESQUISA

A pesquisa “Plano de Voo Amcham: perspectivas e análises Brasil 2019” foi realizada nesta quinta-feira (7/2) envolvendo 550 presidentes e diretores de empresas brasileiras de todos os portes e segmentos econômicos.

Sesc realiza aos domingos programação de lazer de fevereiro

O Sesc Ler Belo Jardim deu início às atividades de lazer de fevereiro para adultos e crianças. Neste domingo (10/02), das 9h às 16h, a Unidade vai oferecer atividades recreativas com jogos de salão, práticas aquáticas, gincanas e oficinas culturais. A entrada custa R$ 8 para o público geral e R$ 4 para os trabalhadores do comércio e seus dependentes.

No dia 24/02, o dia será transformado em uma prévia carnavalesca. Haverá música ao vivo com orquestra de frevo e o cantor Ramon Angel, concurso de fantasia, concurso de máscaras para a Terceira Idade e futebol de sabão para as crianças. Para este dia, a entrada vai custar R$ 10 para o público geral e R$ 5 para os trabalhadores do comércio e seus dependentes. “Apesar de Belo Jardim não ter tradição de Carnaval, vamos preparar a cidade para a folia de momo”, afirma a gerente do Sesc Ler Belo Jardim, Adriana Perboire.

Sesc – O Serviço Social do Comércio (Sesc) foi criado em 1946. Em Pernambuco, iniciou suas atividades em 1947. Oferece para os funcionários do comércio de bens, serviços e turismo, bem como para o público geral, a preços módicos ou gratuitamente, atividades nas áreas de educação, saúde, cultura, recreação, esporte, turismo e assistência social. Atualmente, existem 20 unidades do Sesc do Litoral ao Sertão do estado, incluindo dois hotéis, em Garanhuns e Triunfo. Essas unidades dispõem de escolas, equipamentos culturais (como teatros e galerias de arte), restaurantes, academias, quadras poliesportivas, campos de futebol, entre outros espaços e projetos. Para conhecer cada unidade, os projetos ou acessar a programação do mês do Sesc em Pernambuco, basta acessar www.sescpe.org.br

Serviço: Sesc Lazer

Local: Sesc Ler Belo Jardim – Rua Pedro Leite Cavalcanti, s/n, bairro Cohab II

Informações: (81) 3726-1576

Sesc Lazer

Datas: 10 e 17 de fevereiro de 2019

Horário: das 9h às 16h

Entrada: R$ 4 (trabalhadores do comércio e dependentes) e R$ 8 (público geral)

Sesc Lazer Especial de Carnaval

Data: 24 de fevereiro de 2019

Horário: das 9h às 16h

Entrada: R$ 10 (público geral) e de R$ 5 (trabalhadores do comércio e seus dependentes)

/**/

Saiba como viajar gastando cerca de R$ 500 no feriado de Carnaval

Tendo em vista o Carnaval de 2019, marcado para o dia 5 de março e vai garantir 5 dias de folga seguidos para muitas pessoas, o Cuponation, plataforma de descontos online pertencente à alemã Global Savings Group, realizou um estudo com os destinos mais procurados para quem quer curtir ou descansar, além de dar dicas de como economizar viajando durante os dias de um dos eventos mais esperados do ano.

Com dados de uma pesquisa produzida em 2018 pela plataforma de pesquisa Opinion Box, o Cuponation descobriu que 34% dos entrevistados pretendem curtir o feriado de Carnaval. Deste grupo, 26% vão viajar para aproveitar festas, além de dizer que os melhores destinos para passar o Carnaval são Rio de Janeiro, Salvador, Recife e São Paulo.

Para os 66% que desejam descansar e os 26% que visam uma viagem sossegada, o destino mais procurado para o descanso prolongado em 2019 é o Nordeste, como Ceará, Pernambuco e Bahia, conforme o buscador de viagens Skyscanner apontou. O buscador ainda mostrou que 70% dos entrevistados buscam por passeios nacionais.

Segundo uma Pesquisa de Carnaval do Groupon, a turma que irá passar o Carnaval na própria cidade pretende gastar no máximo R$300. Para os grupos que pretendem viajar, a pretensão orçamental é de cerca de R$500, incluindo passagens, hospedagens e passeios – conforme a pesquisa realizada pela ClickBus, portal de vendas de passagens rodoviárias, em conjunto com SurveyMonkey, empresa líder global em plataforma de questionários e pesquisas online. Confira mais dados específicos no infográfico interativo.

Economizar é sempre um desafio quando se trata de viajar, seja sozinho ou em grupo. De acordo com dados divulgados em 2018 pelo IBGE, mais da metade dos brasileiros vivem com um salário mínimo ou menos. Para aqueles que se enquadram neste grupo, o Cuponation compilou algumas dicas de como fazer economia durante as folgas.

Hospedagem

Uma boa ideia seria trocar sua hospedagem em hotel por um hostel ou um camping, principalmente em viagens em grupo, fazendo as despesas nesse quesito caírem até mais da metade do preço. Para quem deseja economizar ainda mais, é possível se hospedar em casas de moradores locais gratuitamente, agendando uma reserva por sites e aplicativos próprios para esse sistema de estalagem, como CouchSurfing, Airbnb e Warm Showers. Fechar a reserva antecipadamente ou no local pode sair mais barato também. Caso opte pelo conforto que um hotel oferece, busque por opções como ofertas fora de temporada ou tente usar cupons de desconto próprios para pagar menos na hora de fechar a reserva.

Alimentação

Comer em restaurantes locais e experimentar especiarias não tem preço. Entretanto, para quem deseja economizar uma ótima solução seria hospedagens com “cozinha liberada”, ou seja, um espaço para que você possa fazer sua própria comida durante a viagem ou uma hospedagem que ofereça refeições com o valor já incluso na reserva. Levar aperitivos e bebidas durante os passeios evita gastos adicionais também.

Deslocamento

Deslocamento é um dos casos com que mais se gasta, portanto é sempre necessário conhecer opções locais que podem sair mais baratas. Além do uso comum de ônibus e vans, uma prática famosa é pedir carona de graça para o seu destino, ou usar aplicativos como BlablaCar e Uber para dividir os custos da corrida com outras pessoas. Nessas opções o uso de cupons de desconto também é válida, assim como em companhia aéreas que permitem o uso do sistema de milhas para pagar a passagem. Outra opção é o uso de bicicletas, entre os passeios – e para quem deseja economizar ainda mais, considere caminhar até o local desejado.

Passeios

A melhor forma de economizar em passeios é fazer uma boa pesquisa antes e realizá-los por conta própria, não precisando gastar com agências de viagem. Caso prefira um guia no seu passeio, opte por escolher uma agência na cidade em que estará ao invés de contratar um guia de uma agência de uma cidade vizinha. Quanto mais perto do passeio essa agência ficar, mais caro ela cobrará. Uma boa dica é não fechar os passeios com antecedência, pois assim como a hospedagem, há mais chances de pechinchar e conseguir um desconto fechando na hora da excursão. Lembre-se também de sempre perguntar sobre descontos, como meia entrada para estudantes, crianças e idosos na hora de realizar a visita às atrações turísticas, que podem ficar mais caras durante período de férias e feriados.

Tenha em mente o quanto pretende gastar

Muitas vezes o melhor jeito de não gastar mais do que pode é levando uma quantia exata ou aproximada a qual se pretende gastar na viagem. Não levar cartão de crédito também ajuda na hora de economizar, pois não haverá a possibilidade de fazer gastos adicionais e pagar no mês seguinte. Além disso, é sempre bom perguntar a si mesmo se “realmente precisa disso”. Assim, as chances de comprar algo desnecessário serão menores.

Ainda na pesquisa feita pela Opinion Box, quanto maior a idade, maiores as chances de a viagem ser planejada para um destino em que consiga fugir do Carnaval, sendo 74% das pessoas com mais de 50 anos, diminuindo para 69% no grupo de pessoas com idade entre 30 e 49 e caindo para 59% no caso de jovens entre 16 e 29 anos.

https://www.cuponation.com.br/insights/carna-no-mundo