Inadimplência do consumidor cresce 6,03% em novembro, apontam CNDL/SPC Brasil

O encerramento do ano se aproxima e a inadimplência do consumidor segue em patamares recordes. Dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) apontam que o volume de consumidores com contas em atraso e registrados em listas de inadimplentes cresceu 6,03% no último mês de novembro na comparação com igual mês do ano passado. Trata-se do crescimento mais acentuado para os meses de novembro desde 2011, quando a alta observada fora de 8,10%. Nos demais anos as altas haviam sido de 0,2% em 2017; 0,7% em 2016; 4,4% em 2015; 3,4% em 2014; 4,0% em 2013 e 3,9% em 2012.

Na variação mensal, isto é, na passagem de outubro para novembro, sem ajuste sazonal, também houve uma aceleração no volume de atrasos, com crescimento de 1,9% no período. O país encerrou novembro com aproximadamente 63,1 milhões de brasileiros com o CPF negativado em virtude de atrasos no pagamento de contas. Isso faz com todo esse contingente de consumidores enfrente dificuldades para obter crédito, seja por meio de financiamentos e empréstimos em instituições financeiras ou compras a prazo no comércio, por exemplo.

Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, apesar de a recessão ter chegado ao seu fim, a inadimplência do consumidor continua elevada, pois a recuperação econômica segue lenta e não se refletiu em melhora nos níveis de renda e nem em queda considerável do desemprego. “Os dois pilares fundamentais, que são emprego e renda, ainda enfrentam percalços. Por isso que o fim da recessão não foi o suficiente para melhorar as finanças do brasileiro. O ambiente econômico vem esboçando uma retomada gradual e bastante lenta e frustrou as expectativas de que o ano de 2018 seria o da consolidação dessa recuperação”, explica o presidente

Norte tem a população mais inadimplente do país: 47% dos adultos da região não conseguem quitar compromissos

A região que mais contribuiu para a alta da inadimplência em novembro foi o Sudeste, cujo crescimento foi de 12,5% no período. No Sul, a alta foi de 2,1%, seguido do Nordeste (1,6%) e do Norte (1,4%). A única região a ter queda na quantidade de brasileiros inadimplentes foi o Centro-Oeste, cuja recuo verificado foi de -2,7%.

No geral, a região brasileira em que há mais consumidores com contas em atraso, de modo proporcional à população, é o Norte: são mais de 5,65 milhões de pessoas adultas com o nome inseridos em cadastros de devedores, o que representa 47% da população de seus Estados. Em segundo lugar está o Centro-Oeste, onde 43% dos adultos estão inadimplentes, formando um contingente de 5,09 milhões de consumidores com atraso nas contas. No Nordeste são 17,22 milhões de inadimplentes, ou 42% de sua população adulta negativada. O Sudeste possui, numericamente, a maior população de inadimplentes no país: 26,72 milhões. No entanto, esse número representa 40% dos consumidores. No Sul, 37% da população de adultos estão inadimplentes ou 8,41 milhões de pessoas com o CPF restrito.

Inadimplência cresce mais entre população mais velha e cai 22% entre os que têm de 18 a 24 anos

Dados do indicador também revelam que o crescimento da inadimplência é mais expressivo conforme aumenta a idade do consumidor. Em novembro, aumentou em 11,8% o volume de idosos com idade entre 65 e 84 registrados como inadimplentes. As altas também foram elevadas em outras faixas etárias como a que vai dos 50 aos 64 anos (8,5%), acima de 85 anos (7,7%) e dos 40 aos 49 anos (7,1%). Considerando as pessoas de 30 a 39 anos, houve um aumento de 3,9% no volume de inadimplentes.

Entre a população mais jovem, a inadimplência apresentou retração em novembro, como a queda de -22,3% entre devedores de 18 a 24 anos e a de -4,0% levando em conta os consumidores de 25 a 29 anos.

Dívidas em nome de pessoas físicas crescem 4,77% em um ano. De todas as pendências, dívidas com instituições financeiras respondem por 51%

Outro dado do indicador é o volume de dívidas em nome de pessoas dívidas. Nesse caso, houve uma alta de 4,77% em novembro frente o mesmo mês de 2017. O dado representa uma forte aceleração do crescimento das dívidas, uma vez que em novembro do ano passado, a quantidade de dívidas havia caído 3,8%.

A abertura do indicador por setor da economia revela que as dívidas bancárias, que englobam cartão de crédito, cheque especial, financiamentos e empréstimos, foi a líder no ranking de crescimento, com alta de 10% no período. Em seguida surgem os atrasos com serviços de internet, TV por assinatura e telefonia, cuja alta foi de 9%. Já as contas básicas para o funcionamento da residência, como água e luz, cresceram 7,1% no volume de atrasos. O único setor a apresentar queda na quantidade de dívidas não pagas foi o comércio, que teve recuo de 6,6%.

De modo geral, as dívidas com instituições financeiras continuam ocupando a maior fatia do total de dívidas que estão em atraso no país: 51% das pendências são devidas a essas empresas. Logo depois vem os serviços de comunicação (15%), crediário no comércio (17%) e contas de água e luz (9%).

Metodologia

O indicador de inadimplência do consumidor sumariza todas as informações disponíveis nas bases de dados às quais o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) têm acesso. As informações disponíveis referem-se a capitais e interior das 27 unidades da federação. A estimativa do número de inadimplentes apresenta erro aproximado de 4 p.p., a um intervalo de confiança de 95%. Baixe a íntegra do indicador e a série histórica em https://www.spcbrasil.org.br/imprensa/indices-economicos

Adolescentes de duas unidades da Funase ganham a liberdade em audiências da Justiça

Adolescentes de duas unidades da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) foram beneficiados por audiências concentradas da Justiça. Os mutirões têm o objetivo de dar celeridade à avaliação dos processos, além de viabilizar o contato direto entre o juiz e o socioeducando, o que permite a percepção mais próxima dos avanços no cumprimento da medida socioeducativa.

No Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Caruaru, no Agreste do Estado, 21 adolescentes tiveram os casos avaliados ao longo de dois dias. Quatro deles receberam extinção da medida socioeducativa e puderam deixar a unidade. Outros quatro foram contemplados com a liberdade assistida, ou seja, também puderam voltar para casa, mas terão que se apresentar periodicamente à Justiça. Ainda houve quatro adolescentes que passaram para o regime de semiliberdade e nove que tiveram a internação mantida.

Já na Casa de Semiliberdade (Casem) Casa Amarela, no Recife, 22 socioeducandos foram avaliados. Sete foram liberados por meio de extinção de medida, e dois receberam liberdade assistida. Ainda houve a revisão de prazos nos processos de três socioeducandos, duas sanções e oito casos em que foi concedido aos adolescentes passar o Natal e o Ano-Novo em casa.

Em dezembro, outras unidades da Funase estão sendo contempladas por audiências concentradas. No Case Abreu e Lima, 43 socioeducandos ganharam a liberdade após terem seus processos analisados pelo Judiciário. No Case Jaboatão, foram oito. Na Casem Rosarinho, adolescentes terão seus casos avaliados na próxima quinta-feira (13), e na Casem Caruaru, na sexta (14).

Imagem: Divulgação/Funase

Artigo – Professores e alunos: uma nova geração de entusiastas da tecnologia

Claudio Sassaki

Um tema educacional recorrente é que os millenniunstêm demandado mais tecnologia dentro da sala de aula. Em contrapartida, que os professores resistem às inovações educacionais. Ouso discordar. Em sete anos de atuação da Geekie – que alia tecnologia de ponta às metodologias pedagógicas inovadoras que potencializam o aprendizado – comprovamos com mais de 12 milhões alunos e 5 mil escolas que o entusiasmo com a tecnologia é compartilhado por alunos e docentes. Claro que por motivos distintos, mas igualmente relevantes no universo educacional. A Geekie responde à demanda de atuar para auxiliar professores e alunos no objetivo comum de ressignificar o processo de aprender por meio a união da tecnologia e metodologia.

E como a tecnologia impacta a vida do educador? Em uma sociedade de múltiplas exigências simultâneas, caracterizada pelo avanço tecnológico e o amplo acesso à informação, o professor está diante de novos desafios para atender à demanda de pais e estudantes. Entre os desafios mais presentes no cotidiano está a gestão do tempo. No Brasil, os docentes utilizam 12% do tempo administrando tarefas; 20% mantendo a ordem na sala de aula; e 67% dedicando-se ao ensino e aprendizagem – de acordo com pesquisa da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Quando lançamos uma lupa nesses dados, vemos que grande parte do tempo é dedicado a atividades operacionais como corrigir exercícios e provas; preencher listas e tabelas; elaborar e revisar planejamento; calcular notas; e uma infinidade de ações que embora importantes podem ser revistas com o apoio da tecnologia.

OGeekie Oneé um exemplo de que – quando acolhida com intencionalidade pedagógica – a tecnologia possibilita que os professores tenham mais tempo para interações pessoais e de aprendizagem significativa com os alunos. A personalização trazida pela tecnologia representa um ganho para professores e alunos; ambos recebem feedback constantemente por meio do uso de plataformas tecnológicas. Os alunos têm, individualmente, mais tempo com os professores – o que resulta em muito mais protagonismo, entusiasmo e orgulho dos próprios resultados. O professor, por sua vez, associa o feedbackque recebe sobre o próprio trabalho como algo extremante produtivo.

Quando pensamos no desafio da motivação do aluno também enxergamos a tecnologia como uma aliada. No Brasil, de acordo com a PNAD, 50% dos jovens brasileiros não conseguem concluir o Ensino Médio até os 19 anos. A necessidade de trabalhar, que pode vir à mente como principal fator da evasão escolar, não é o primeiro motivo: 40% dos jovens que abandonaram os estudos apontam o desinteresse – de acordo com a pesquisa da Fundação Getulio Vargas.

Citando apenas esses desafios, vemos que a inserção da tecnologia na educação não se limita a deixar o conteúdo mais atrativo: ela permite que os professores conheçam as necessidades de cada aluno em tempo real, de forma personalizada; e possam ajudá-los antes que eles travem, fiquem desmotivados e que desistam por não estarem aprendendo.

Os avanços tecnológicos são exponenciais. Hoje, o desafio é direcionar esses avanços para levarmos a educação a um novo patamar. Não se trata de automatização, mas da possibilidade inovadora de personalizar, canalizar o tempo dos educadores e gestores para o que realmente importa e utilizar os recursos e metodologias capazes de apoiar uma educação coerente com as necessidades dos nossos alunos. Na sala de aula, os ganhos do uso da tecnologia são indiscutíveis: ajuda a individualizar o aprendizado, auxilia professores no planejamento de aulas e habilita os alunos com as capacidades digitais. As tecnologias digitais também trazem benefícios quando voltadas aos professores. Um computador nas mãos dos professores, por exemplo, elevou a notas no PISA em 2,7 pontos.

Em suma, usar a tecnologia em sala de aula extrapola a visão sobre a capacitação de professores para o uso da ferramenta. Estamos falando de como os recursos tecnológicos ajudam a tornar a aula uma experiência mais dinâmica e completa. Algo que é almejado por alunos, professores, pais e toda a comunidade educacional.

*Claudio Sassaki é mestre em Educação pela Stanford University e cofundador da Geekie, empresa referência em educação com apoio de inovação no Brasil e no mundo.

Professor destaca necessidade de fidelização do doador de sangue

Apesar das diversas campanhas durante o ano, os estoques de alguns tipos de sangue estão zerando em alguns hemocentros. É o caso de Caruaru, que, no último mês de novembro, esteve com o estoque de sangue dos tipos “O” negativo e “A” negativo zerados. Por isso, cada vez mais, se faz necessário fidelizar o doador para que situações como esta deixem de acontecer.

O professor do curso de Biomedicina da Faculdade UNINASSAU Caruaru e Mestre em Saúde Pública, Willians Melo, explica que o Brasil figura como um país que ainda tem muito a avançar em termos de fidelização do doador de sangue. ‘’Um estudo da Organização Pan-Americana de Saúde – OPAS, evidenciou que, entre 2012 e 2013, apenas seis em cada dez doadores brasileiros (59,52%) são voluntários (ou espontâneos, aqueles que doam com frequência)”, ressalta.

“A meta do Ministério da Saúde é fidelizar os doadores, ou seja, que eles doem diversas vezes por ano, por exemplo, tornando essa doação fidelizada durante esse ciclo de tempo’’, explica o professor, que lembra ainda que pessoas do sexo masculino podem doar até quatro vezes por ano e do sexo feminino, três vezes.

Willians também alerta que as campanhas de doação são eficazes, mas que nem sempre conseguem abastecer o estoque de alguns tipos de sangue. “As campanhas de doação de sangue são eficazes para situações críticas, porém além de captar doadores ocasionais, que possivelmente não serão fidelizados, acaba recebendo todos os grupos sanguíneos, inclusive os que estão com estoque regular, sobrecarregando os estoques. Promover campanhas direcionadas para captar os tipos sanguíneos em estado mais crítico deve ser o objetivo’’, alerta.

Requisitos para doar

Os requisitos para doação de sangue são: estar em boas condições de saúde; ter entre 16 e 69 anos (pessoas acima de 60 anos só podem doar se já tiverem doado sangue alguma vez antes dessa idade); pesar no mínimo 50kg; estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas); estar bem alimentado; apresentar documento original com foto, que permita o reconhecimento do doador.

O Hemope Caruaru fica na Avenida Osvaldo Cruz, bairro Maurício de Massau, e funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h30, e 13h30 às 17h.

MEC libera R$ 21,9 milhões para instituições federais vinculadas a Pernambuco

O Ministério da Educação liberou R$ 21,9 milhões para o estado de Pernambuco. Os recursos são destinados às instituições federais de ensino vinculadas à pasta. No total, foi autorizado o repasse de R$ 375,54 milhões em todo o país, valores que deverão ser aplicados na manutenção, custeio e pagamento de assistência estudantil, entre outras destinações.

“É muito importante garantir os repasses necessários para que as instituições federais tenham autonomia para realizar ações que permitam a continuidade do ensino, assim como a permanência de muitos estudantes que dependem desses valores para concluir seus estudos”, frisou o ministro Rossieli Soares.

A maior parte dos valores, R$ 260,53 milhões, foi repassada às universidades federais, incluindo hospitais universitários. Já a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica recebeu R$ 114,34 milhões. O restante, R$ 664,4 mil, foi repassado ao Instituto Benjamin Constant (IBC) e à Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj).

Este ano, o MEC repassou cerca de R$ 7,1 bilhões para as instituições federais vinculadas à pasta, incluindo o que foi destinado ao pagamento de despesas das universidades e institutos federais, do Instituto Nacional de Surdos, do Instituto Benjamin Constant e da Fundação Joaquim Nabuco.

Com o repasse desta semana, o MEC mantém em 100% a liberação de recursos financeiros das despesas liquidadas de obras, equipamentos, serviços e outras despesas de funcionamento. Em outubro, o ministério já havia liberado 100% da dotação orçamentária para empenho.

Banda Labaredas anima pré-réveillon na Zona Oeste do Recife

Os amantes do brega romântico dos anos 1980 vão ter a oportunidade de reviver esse período áureo com um show especial de fim de ano, na Associação dos Servidores da Sudene, na quarta-feira, 26 de dezembro, a partir das 18h. A Banda Labaredas é a grande atração da noite, que conta com abertura das bandas Mega Love e Ritmos do Brasil.

A banda labaredas surgiu em meados da década de 80 e é considerada uma das principais representantes da música brega pernambucana. No set lista, estão alguns dos principais sucessos são “Garotinha Linda”, “Kelly”, “Só Eu e Você”, “Minha Paixão” e “Eu Ainda Estou Chorando”. Os irmãos José Carlos, conhecido como Mittó, e José Edson, o Orelha, líderes da Banda Labaredas, lançaram recentemente um tributo para “Kelly”, música que consagrou o grupo na década de 1990. Em 2017, a banda gravou seu primeiro DVD, momento que marcou a inclusão da banda no mercado digital.

A noite conta, ainda, com uma tradicional queima de fogos. O Clube fica localizado na Rua Lindolfo Color, s/n – Engenho do Meio, Recife. Os ingressos estão à venda no local.

SERVIÇO

Pré-Réveillon no Clube da Sudene com Labaredas

Quando: quarta-feira, 26 de dezembro Onde: Associação dos Servidores da Sudene – Rua Lindolfo Color, s/n – Engenho do Meio, Recife – PE.

Horário: A partir das 18h

Contato: (81) 3271-1994

Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia), à venda no dia do evento no local

Crédito da foto: Paulo Paiva

3ª edição do ‘Fé, menina’ está com inscrições abertas

As inscrições para o 3ª ‘Fé, menina’, que acontece na próxima quinta-feira (13), já estão abertas. Para participar do ciclo de palestras, que acontecerá das 18h às 22h, na loja Plural Colaborativa, os interessados devem se inscrever através do site https://www.even3.com.br/femeninamesas. O valor da inscrição é R$ 10.

O ‘Fé, menina’ pretende debater a importância da mulher no mundo dos negócios e como ela pode se tornar uma empreendedora de sucesso, a partir de ciclo de palestras e também de uma feirinha para exposição de produtos. Serão duas mesas redondas. A primeira receberá Hilda Leite da Eleve Arquitetura, Rosângela Augusto do Salão Rosa Bonita e Vanderli Paes da ERG Consultoria em Gestão para falar sobre “Empreendedorismo e Gestão: Estratégias de gerenciamento e crescimento profissional da mulher empreendedora em Caruaru”.

A segunda mesa sobre “Economia criativa, posicionamento e propósito: O cenário empreendedor feminino na economia criativa local” contará com a participação de Aline Paiva, de Las Lobas Ateliê; Girlaynne Farias, da Fundação Estudar; Joyce Noelly, da Fábula Itinerante, e Penha Ferreira, do Estúdio Casa Amarela.

Serviço

Evento: ‘Fé, menina’
Local: Local Plural Colaborativa
Data: 13 de dezembro de 2018
Horário: 18h
Valor da inscrição: R$ 10

/**/

Faculdade Senac Pernambuco seleciona professores para a unidade de Caruaru

A Faculdade Senac Pernambuco abriu, em Caruaru, processo seletivo destinado à contratação de professores para lecionarem nos Cursos Superiores de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos e Tecnologia em Design de Moda. Os interessados devem enviar o currículo lattes para o e-mail: selecaocaruaru@faculdadesenacpe.edu.br, no período de 06 a 09 de dezembro de 2018, informando a área de interesse. A seleção visa preencher vagas para três disciplinas: duas para Design de Moda (Modelagem computadorizada e Design de Superfície) e uma para Recursos Humanos (Higiene e Saúde), que serão ministradas no turno da noite.

Os candidatos para as disciplinas de Modelagem computadorizada e Design de Superfície devem ter pós-graduação, preferencialmente, mestrado ou doutorado; graduação ou pós-graduação em Design de Moda ou áreas afins; ter experiência mínima de dois anos em docência no ensino superior e experiência na área de formação.

Para a disciplina de Higiene e Saúde o candidato precisa ter graduação ou pós-graduação em Gestão de Recursos Humanos ou área afim; ser pós-graduado, preferencialmente, mestre ou doutor; ter experiência mínima de dois anos em docência no ensino superior e experiência na área de formação.

Mais informações sobre todo o processo seletivo em: http://faculdadesenacpe.edu.br/faculdade-senac-pernambuco-seleciona-professores-para-caruaru/

Câmara homenageia centenário de Nelson Barbalho

Em sessão solene, na noite da sexta (7), a Câmara de Vereadores homenageou o centenário de nascimento de Nelson Barbalho, criador da expressão País de Caruaru. O jornalista, historiador e compositor escreveu mais de 50 livros falando da história, dos costumes, da política e da sociedade da maior cidade do interior de Pernambuco. A proposta foi do vereador Marcelo Gomes, PSB, e teve votação unânime na Casa Legislativa.

Além dos parlamentares, convidados e pessoas ligadas à cultura local, compareceu ao ato Valéria Barbalho, filha do homenageado, hoje uma ativa divulgadora da obra do pai, que também envolveu a documentação histórica de outras comunidades pernambucanas, num total superior a cem publicações, com destaque especial para aquela cujo título é, justamente, País de Caruaru.

“Qualquer homenagem a Nelson Barbalho estará sempre abaixo do valor da sua obra de resgate da nossa história, do espírito social do nosso povo. Ao longo dos próximos anos a expectativa é de que sua memória continue preservada. Ele tem o valor inestimável de nos trazer de volta nossas origens artísticas, culturais e humanas”, avaliou o socialista Marcelo Gomes.

Fundador do movimento Endireita Brasil será ministro do Meio Ambiente

Último ministro do próximo governo a ser anunciado, Ricardo de Aquino Salles será o titular da pasta do Meio Ambiente. O anúncio foi feito pelo presidente eleito Jair Bolsonaro pelo Twitter na tarde do domingo (9).

O atual ministro da pasta, Edson Duarte, afirmou por meio de nota que está à disposição da equipe de transição, e que Salles assumirá “o enorme desafio de promover o desenvolvimento sustentável e a proteção do maior patrimônio natural do Planeta”.

Salles é fundador do Movimento Endireita Brasil e foi secretário do Meio Ambiente de São Paulo entre 2016 e 2017. Ele se candidatou ao cargo de deputado federal pelo Novo nas eleições de outubro, mas com 36.603 votos, não foi eleito.

Com o slogan “Seguranca no Campo”, o advogado causou polêmica durante a campanha ao se declarar contra a esquerda e o MST, contra “a praga do javali” e “a bandidagem no campo”.

O Ministério Público de São Paulo instaurou em janeiro deste ano um inquérito civil por improbidade administrativa contra Salles. Em agosto de 2017 ele mandou retirar o busto de Carlos Lamarca do Parque Estadual do Rio Turvo, em Cajati (SP).

Lamarca foi líder da Vanguarda Popular Revolucionária, grupo da luta armada que lutou contra a Ditadura Militar. O ex-guerrilheiro realizou treinamentos na Mata Atlântica, no início da década de 70, onde hoje fica o parque.

Salles alegou na época que Lamarca foi responsável por várias mortes e que a presença do busto no parque, custeada com dinheiro público, seria “inadmissível”.

Fonte: Congresso em Foco
Crédito: Pedro Calado/Secretaria do Meio Ambiente do estado de São Paulo