Assassino de colunista é condenado a mais de 30 anos

Marcolino (2)aruaru.

O assassino do jornalista e colunista social Marcolino Júnior, de 46 anos, foi condenado a 30 anos e cinco meses de prisão, em sessão realizada na última quarta-feira (21), no Salão do Júri do Fórum de Justiça Demóstenes Batista Veras, no Bairro Universitário, em Caruaru. Apesar das várias apelações empregadas pela sua defesa durante todo o julgamento, Rafael Leite da Silva, de 32 anos, foi considerado culpado, de forma unânime, pelo corpo de jurados – ao todo, sete pessoas – que compôs o Júri Popular. A dura pena atribuída ao condenado se referiu à prática de homicídio triplamente qualificado, por motivo torpe, emprego de meio cruel e recuso que impossibilitou a defesa da vítima.

A sessão bastante aguardada por toda a sociedade caruaruense teve início por volta das 9h35. Os jurados bem como a juíza Priscila Vasconcelos, que ficou responsável por presidi-la, ouviu logo de início o delegado Márcio Cruz. Ele foi convocado pelo Ministério Público para ser uma das testemunhas de acusação. Durante as suas respostas, o policial reiterou a prática do crime cometida por Rafael. “Ficou combinado com o Davi, que foi o mandante, o repasse de R$ 14 mil, assim que ele executasse a vítima. O Rafael atraiu o Marcolino para o motel e acabou o assassinando com golpes de faca. De início, ele confessou a prática apontando ainda o Davi, mas depois entrou em contradição no segundo depoimento. Todos os processos promovidos pela investigação deixaram evidente que o Rafael matou o colunista”, disse o delegado.

Também como testemunhas de acusação foram ouvidos os peritos criminais Gilmário dos Anjos Lima e Antônio Carlos Tabosa. Responsável por realizar perícias no quarto do motel, onde Marcolino foi assassinado, bem como no aparelho celular, que estava sendo utilizado na época por Rafael, Gilmário dos Anjos confirmou em juízo os vários indícios que apontaram o condenado como realmente o autor do crime. “Identificamos que ele apagou a memória do celular na data da execução – dia 16 de abril de 2016 – e voltou a utilizá-lo somente dois dias depois. A impressão digital do Rafael foi identificada na fita adesiva que serviu para envolver o saco plástico que foi colocado na cabeça do Marcolino”.

O julgamento teve sequência com a ouvida da testemunha de defesa Fabiano Paulino da Silva. Ex-funcionário do motel, onde Marcolino Junior foi morto, logo quando foi ouvido de início, ele chegou a apontar Rafael como o autor do crime ao afirmar que viu um homem idêntico ao réu colocando um corpo no porta-malas de um carro. Entretanto, no decorrer das investigações, ele acabou mudando de depoimento ao dizer que se confundiu e que não se lembrava direito dos acontecimentos. Durante a sessão, Fabiano acabou entrando novamente em contradição e por pouco não foi indiciado por falso testemunho. Por quatro votos a favor contra três, o corpo de jurados decidiu não indiciá-lo.

Após as exibições de reportagens referentes ao caso que foram veiculadas na época do crime e que serviram para robustecer ainda mais as indagações do promotor Antonio Rolemberg, chegou à hora de Rafael Leite ser ouvido na sessão. Com feições irônicas e demonstrando frieza em suas palavras, ele negou a prática do crime, apesar de todas as provas apresentadas pelo MP. O veredicto só foi sair mesmo já por volta das 23h40. Apesar da solicitação da defesa, a juíza Priscila Vasconcelos decidiu manter o condenado recolhido à Penitenciária Juiz Plácido de Souza, em Caruaru, negando o seu retorno à liberdade durante a recorreção da decisão. Rafael regressou para a unidade prisional tão logo a sentença foi pronunciada.

Para o promotor do caso, agora o Ministério Público voltará as suas atenções para garantir o julgamento do suposto mandante do crime, Davi Fernando Ferreira Graciano, de 22 anos. Este último ainda não teve a sua sentença de pronúncia anunciada, haja vista que ainda restam alguns elementos a serem apresentados no tocante ao seu processo judicial. “Essa decisão favorável a respeito da condenação do Rafael acabou sendo a resposta que a nossa sociedade estava precisando e esperando. Nosso objetivo agora será colher e juntar mais provas que possam levar o Davi também a Júri Popular”, comentou após a sessão, Antônio Rolemberg.

Solto poucos meses depois ao assassinato, Davi Graciano atualmente encontra-se levando uma vida normal com trabalho fixo e gozando do apoio da família.

RELEMBRE O CASO

Bastante conhecido na região, o jornalista Marcolino Junior e de nome de batismo Antônio Marcolino Barros Filho, perdeu a vida no dia 16 de abril do ano passado. Seu corpo só foi localizado dois dias depois numa mata do distrito de Insurreição, na zona rural de Sairé, no Agreste do Estado. Em paralelo à localização do corpo, a Polícia Civil conseguiu prender, também no dia 18 de abril, os dois acusados de terem participação na morte do jornalista. Davi foi preso quando prestava solidariedade à mãe do jornalista, no Bairro São Francisco, já Rafael acabou sendo autuado em flagrante no momento em que oferecia o automóvel da vítima numa concessionária, no Bairro Maurício de Nassau.

De acordo com as investigações do delegado Márcio Cruz, o colunista do VANGUARDA teria sido vítima de latrocínio (assalto seguido de morte). “O Davi trabalhava e era a pessoa de confiança do Marcolino. Apuramos que ele se sentia injustiçado por conta da suposta má remuneração a que lhe era repassada semanalmente pelo colunista. Além disso, possuía interesse em se beneficiar de alguma forma dos bens e das quantias em dinheiro os quais a vítima possuía. Por isso, planejou o crime de forma antecipada contando com a participação do Rafael”, disse o delegado.

Mapa da flora vai orientar apicultores no Nordeste

Pesquisadores da Embrapa estão fazendo o mapeamento da flora apícola nos biomas da região Meio-Norte, que compreende os estados do Piauí e do Maranhão, para que os apicultores tenham informações mais precisas sobre espécies que favorecem a produção e épocas de florescimento, e possam então escolher os locais adequados à instalação de apiários. O trabalho científico vai contribuir para que produtos importantes como mel, propólis e pólen apícola cheguem mais facilmente e com menor preço ao consumidor.

A pesquisa contribuirá também para a conservação e incremento das plantas apícolas e das espécies de abelhas nativas nos biomas estudados, como Cerrado, Caatinga, regiões de transição e de manguezais. O estudo, que começou em 2004, vai possibilitar ainda a adoção de estratégias de manejo das colônias conforme os períodos de floração das plantas. O resultado dará segurança e eficiência ao apicultor.

Os trabalhos estão concentrados atualmente nos biomas Matas de Cocais, em Teresina (PI), em áreas de Cerrado do Piauí e do Maranhão e nas Vegetações Litorâneas, no Delta do Rio Parnaíba. O estudo será concluído em dois anos, segundo previsão da pesquisadora Fábia de Mello Pereira, da Embrapa Meio-Norte (PI). As informações chegarão aos apicultores por meio de um livro, com fotos e todo o detalhamento da flora apícola da região. Um artigo também será disponibilizado à comunidade científica.

Diversidade e riqueza da flora nos biomas
Com financiamento do Banco do Nordeste e do Tesouro Nacional, o projeto está identificando as espécies com maior potencial à produção de mel e pólen. A ação dos pesquisadores, sempre estruturada em equipes de quatro pessoas, envolvendo profissionais das universidades Estadual e Federal do Piauí, exige fôlego e muita dedicação.

Cada bioma é estudado por, no mínimo, um ano, período em que os pesquisadores percorrem, quinzenalmente, uma trilha de três quilômetros, em zigue-zague, no início da manhã e no final da tarde, coletando galhos com flor e folhas, que são prensados e secos em estufa para, em seguida, serem armazenados em herbário. A última fase de identificação ocorre em laboratório.

A pesquisa envolve ainda a coleta de abelhas para a identificação das espécies que estão utilizando as plantas no bioma. “Escolhemos as áreas mais representativas de cada região e bioma, e evitamos locais que são desmatados e que tenham criações de animais e plantio agrícola”, explica Fábia.

No bioma de transição Caatinga-Cerrado, no Município de Castelo do Piauí, a 184 quilômetros ao norte de Teresina, foram identificadas 138 espécies botânicas, distribuídas em 98 gêneros e 39 famílias. Nessa etapa, coordenada pela pesquisadora da Embrapa Meio-Norte Maria Teresa do Rêgo Lopes, foram observados também os períodos de florescimento de cada espécie, as abelhas visitantes e qual o recurso coletado – néctar, pólen ou resina.

Já no bioma Cerrado, no Município de São João dos Patos, a 540 quilômetros de São Luís, no leste maranhense, os pesquisadores identificaram 127 espécies, 93 gêneros e 40 famílias. No Município de Guadalupe, no sudoeste do Piauí, a 206 quilômetros da capital, os números saltaram: 167 espécies, 54 gêneros e 130 famílias, com 44% de potencial melífera.

A pesquisa avançou um pouco mais e identificou, de 2012 a 2013, no período de seca rigorosa, no bioma Caatinga, no município de São João do Piauí, 516 quilômetros a sudeste de Teresina, 67 espécies em floração, 47 gêneros e 21 famílias. “Esse estudo está permitindo identificar os vegetais que fornecem alimento às abelhas no período seco, quando poucas espécies estão florescendo e as colônias ficam fracas”, ressalta Fábia.

Maria Teresa destaca, no entanto, que o conhecimento das plantas visitadas pelas abelhas, seus períodos de florescimento e os recursos ofertados são informações importantes para que os apicultores entendam o relacionamento entre a flora apícola e suas colônias. No Nordeste brasileiro, seis espécies da flora apícola se destacam: marmeleiro (Croton sonderianus), angico-de-bezerro (Pityrocarpa moniliformis), Mofumbo (Combretum leprosum), sabiá (Mimosa caesalpiniifolia), jetirana (Ipomoea bahiensis), bamburral (Mesosphaerum suaveolens) e unha-de-gato preta (Albízia viridiflora).

Entre os pontos fortes do projeto, a bióloga e técnica de laboratório da Universidade Federal do Piauí Leudimar Aires Pereira destaca o equilíbrio ecológico que o estudo vai proporcionar aos biomas. Ela é responsável pela coleta e identificação das plantas, preparação das lâminas de pólen e de mel, para análises. Para a técnica, o maior desafio no trabalho é agregar o conhecimento teórico com a aplicação no campo.

Um marco para o avanço da produção

A maior cooperativa apícola do País, a Central de Cooperativas Apícolas do Semiárido Brasileiro (Casa Apis), sediada no Município de Picos, 307 quilômetros a sudeste de Teresina, entende o trabalho como um marco para o avanço da produção de mel. Antônio Leopoldino Dantas Filho, o Sitonho Filho, presidente da central, acredita que só um estudo como esse pode ajudar a ampliar as áreas de produção de mel e destacar a região, gerando empregos e renda.

“A pesquisa é necessária, pois existem regiões que nem sequer começaram a produzir mel. O mapeamento da flora apícola vai permitir o reflorestamento de áreas improdutivas, contribuindo para evitar a evasão e morte das abelhas por falta de alimentação nos períodos críticos de seca no Nordeste.”, destaca Sitonho Filho.

Para ele, a Ciência precisa avançar em duas frentes: aumento do número de colmeias, com técnicas de multiplicação dos enxames, e o melhoramento genético desses animais. “Com o melhoramento genético, seria possível selecionar colônias mais tolerantes à seca, que enfrentariam a estiagem sem abandonar as colmeias em busca de melhores condições,” acredita.

Na visão de Elísio Coelho, presidente da Cooperativa Mista dos Apicultores da Microrregião de Simplício Mendes (Comapia), a pesquisa com flora apícola pode dar um novo rumo à apicultura. “Um projeto com melhoramento genético e a sustentação dos enxames pode aumentar a produção de mel e de outros produtos no campo,” diz o dirigente da cooperativa que também fica no sudeste do Piauí e é uma das maiores do País.

Estudos financiados pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) revelam que as abelhas, insetos e aves são fundamentais para o aumento da produtividade em lavouras, pomares e matas. Em alguns casos de polinização com abelhas, a produtividade pode aumentar em até 70%. Por meio da polinização, cerca de 35% das lavouras e 94% das plantas silvestres dependem diretamente da ação das abelhas.

País é destaque nas exportações

Os números da produção de mel no Piauí e no Brasil são expressivos. Em 2016, a Casa Apis, que reúne 850 famílias em 56 municípios, produziu 983 toneladas. A produção foi toda exportada para os Estados Unidos, resultando em faturamento U$ 3,5 milhões. Para este ano, a expectativa é que a produção chegue a 1.100 toneladas. Em 2016, a Comapi, que tem 685 cooperados em dez municípios, produziu 412 toneladas e exportou tudo para o mercado norte-americano. A previsão para 2017 é de pelo menos 500 toneladas.

Segundo o IBGE, até 2015 o ranking da produção de mel no Brasil era o seguinte: Paraná, em primeiro, com 6,2 mil toneladas; Rio Grande do Sul, com 4,9 mil toneladas; Bahia, com 4,5 mil toneladas; Minas Gerais, com 4,3 mil toneladas; e Piauí, na quinta posição, com 3, 9 mil toneladas.

Em 2016, as exportações brasileiras alcançaram 24,2 milhões de toneladas de mel. O faturamento chegou a U$ 92 milhões. A informação é do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Os Estados Unidos foram os maiores importadores: 19,7 milhões de toneladas, seguido do Canadá, com 1,5 milhão de toneladas; e Alemanha, com 1,3 milhão de toneladas. O Brasil está hoje entre os dez maiores exportadores de mel. Até março deste ano, o País já exportou 5,3 milhões de toneladas, e faturou nada menos do que U$ 24 milhões.

STF: Sete ministros confirmam validade de delações da JBS; julgamento é suspenso

Sete ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) votaram hoje (22) pela permanência do ministro Edson Fachin como relator dos processos sobre as delações da JBS. A maioria também acompanhou o voto proferido pelo relator a favor da validade das delações já homologadas pela Corte. Apesar da maioria formada, a sessão foi suspensa e será retomada na próxima quarta-feira (28).

Até o momento, seguiram o relator os ministros Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. Para eles, na fase de homologação, cabe ao Judiciário verificar somente a legalidade do acordo, sem interferência nos benefícios da delação e nas declarações dos investigados ao Ministério Público. Na próxima sessão, vão proferir seus votos Gilmar Mendes, Marco Aurélio, Celso de Mello e a presidente, Cármen Lúcia.

O julgamento foi motivado por uma questão de ordem apresentada pelo ministro Edson Fachin, que teve origem nas delações da empresa. Os questionamentos sobre a legalidade dos acordos da JBS foram levantados pela defesa do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, um dos citados nos depoimentos dos executivos da empresa. A defesa contesta a remessa do processo a Fachin, além dos benefícios concedidos ao empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS.

Público recorde nesta quinta-feira no Pátio do Forró


A noite desta quinta-feira (22) registrou o maior público do São João 2017. Os portões foram fechados pela Polícia Militar. Quem entrou pode aproveitar as quatro atrações no Pátio do Forró. As cantoras Simone e Simaria abriram a noite acompanhadas em coro pelo público. “O povo ama o que Simone e Simaria faz. A gente veio do forró e gravou um DVD sertanejo. Depois disso, o sertanejo nos abraçou e o público abraçou junto. É muito bom estar aqui em Caruaru com esse público tão massa. Caruaru é mesmo o melhor São João”, disse Simaria, em entrevista coletiva.

A segunda atração da noite foi a cantora Marcia Fellipe, que trouxe forró estilizado para o público. “É a segunda vez do meu show solo em caruaruense e não poderia estar mais contente. Fiz o repertório com carinho e como sempre, Caruaru me recebeu de braços abertos. Fiquei muito feliz em saber que foi o maior público até agora. Só aumenta a nossa responsabilidade”, comentou.

Azulão e Azulinho, terceira atração desta quinta-feira, subiram ao palco com um repertório repleto de clássicos do forró tradicional. “Azulão se sente honrado de estar mais um ano no palco. Vamos mostrar a esse povo a pluralidade da música feita em Caruaru”, disse Azulinho. A noite foi encerrada por Mestrinho. O sanfoneiro trouxe, para uma participação especial, a cantora Mariana Aydar. “É uma satisfação cantar em Caruaru. Trazer o forró para uma festa desse tamanho. Eu ainda vou ter a honra de tocar duas vezes”. Mestrinho estará nesta sexta-feira (23) no São João nas Ruas no bairro Vassoural.

Polo Mestre Galdino - O São João de Caruaru teve, nesta quinta-feira, a estreia do Polo Mestre Galdino, no Alto do Moura, onde se apresentaram Trio Pedrinho do Acordeon, Boi Nelore e Boi Tira Teima. O polo reuniu manifestações culturais da região como Mazurca, Reisado, Maracatu e Bumba Meu Boi. A festa começou por volta das 19h com o Trio Pedrinho do Acordeon, que colocou os moradores para dançar com muito forró tradicional.

“Agradeço a Prefeitura a oportunidade de está iniciando esse novo projeto. Esperamos a continuidade da valorização de nossa cultura popular”, comentou Pedrinho. Na sequência foi a vez do Boi Nelore fazer sua apresentação. “É mais um bloco folclórico que Caruaru ganhou”, dizia a música do grupo que foi fundado este ano. Logo em seguida foi a vez da tradição. O boi Tira Teima,fundado há 95 anos, fez uma belíssima apresentação para encerrar esta primeira noite.

 Polo Azulão - A noite começou com o misticismo da Jurema Preta que trouxe um repertório cheio de Côco, Mazurca e Maracatu voltados aos Povos de Terreiro. “Fizemos questão de além de cantar, mostrar um pouco da nossa história, por isso, colocamos no palco atores e dançarinos apresentando um pouco da Jurema Sagrada”, disse Alexandre, vocalista da banda.

Em seguida O rock and roll tomou conta da Avenida Rui Barbosa e fez o público bater cabeça com as bandas Old Pack, Psych Acid e Alkymenia levaram o público ao delírio. “Esse espaço, sem dúvidas, é a garantia da pluralidade cultural de Caruaru.Viva o São João do rock, da MPB e da diversidade!”, comemorou o tatuador paulista Pitbull. Mas foram os Devotos que lacraram a noite do universo underground que vem caindo no gosto da galera.

A rapaziada do Alto do Zé do Pinho mandaram ver com muito Punk Rock. “Nosso tema é essencialmente social. A gente canta o que a gente vive e nossa mensagem chega muito forte pra galera! E hoje, pela primeira vez no São João de Caruaru botamos pra quebrar e levamos som e conscientização pros nossos fãs”, falou Canibal, vocalista da banda.

A programação segue durante todo o fim de semana e nomes como Lenine e Chico César passarão pelo palco do Polo Azulão.

Reunião para discussão do Conselho LGBTI foi realizada em Caruaru

Na tarde desta quinta (22), membros de movimentos ligados ao público LGBTI se reuniram com o secretário de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Fernando Silva e a secretaria de Políticas para Mulheres de Caruaru, Perpétua Dantas, e seus respectivos representantes, para mais um debate sobre o Conselho LBGTI no município. Na oportunidade foi discutida a minuta de lei para a criação do conselho e diversas observações foram acrescentadas, em relação às ideias e ao texto do documento.

O Encontro serviu também para definir a criação da comissão para formular o edital de um regimento eleitoral para eleição dos membros do conselho. “O intuito disso tudo é fazer com que a gente possa ter de fato a criação de um conselho municipal que venha ajudar a combater os preconceitos, bem como, a questão da LGBTIfobia no dia a dia. Para isso, a gente precisa de um conselho específico que trabalhe com isso”, declarou a coordenadora de Promoção à Diversidade Sexual LGBTI no município, Christianny Magalhães.

Após a revisão feita hoje no documento, pontuado com diversas sugestões dos presentes, a minuta será encaminhada à procuradoria do município, para a discussão jurídica. Depois desse procedimento, a minuta será entregue à prefeita, Raquel Lyra, para que ela possa fazer o envio à Câmara de Vereadores, onde será votada a provação dessa lei e o conselho possa ser criado de fato e de direito. A última reunião sobre o assunto aconteceu no dia 04 de abril deste ano, quando membros do movimento LGBTI de Caruaru se reuniram com representantes das secretarias municipais para a realização do I Fórum da População LGBTI do município.

Inscrições abertas para o vestibular programado FAFICA 2017.2

Estão abertas as inscrições para o vestibular programado 2017.2 da FAFICA. O período de inscrição é de 14 de junho a 24 de julho de 2017, as provas serão realizadas em quatro dias: 05, 12, 19 e 26 de julho de 2017.

A taxa de inscrição custa R$ 45,00 (quarenta e cinco reais) e deverá ser paga até o dia 26/07/2017. Ao todo, serão disponibilizadas 800 vagas para os cursos de licenciatura, bacharelado e tecnológicos. Os interessados devem se inscrever no link: http://fafica-pe.edu.br/vestibular-programado/

No site, é possível baixar o “Manual do Candidato”, documento no qual constam informações dos cursos, dias e horários disponíveis para a realização das provas.

O diretor da FAFICA, padre João Paulo Gomes, falou sobre a ampliação das áreas do conhecimento na faculdade. “Nossa instituição não para de criar serviços, trazer novidades e sempre avançar em novas conquistas. Com o novo curso de Engenharia de Produção e os cursos de Psicologia e Engenharia Civil que chegarão nos próximos meses, a FAFICA terá cursos nas áreas de tecnologia, educação, negócios, ciências da religião, engenharia e saúde; aumentando, assim, a possibilidade de escolhas e a oferta de novos espaços de atuação profissional”, destacou.

Temer enfrenta protestos em visita à Noruega

O presidente do Brasil enfrentou protestos sobre a destruição da floresta tropical e dos direitos indígenas durante sua visita à Noruega Durante o mandato do atual presidente o desmatamento da maior floresta tropical do mundo aumentou aproximadamente 30%. ‘O apoio econômico para o Fundo Amazônia precisa ser significativamente reduzido’, diz a Fundação Rainforest da Noruega.

Nesta sexta-feira, dia 23 de junho, várias organizações norueguesas que trabalham em defesa do meio ambiente e dos direitos humanos estarão presentes em frente a casa da primeira ministra norueguesa, fazendo protestos. O objetivo é passar um recado bem claro ao presidente Temer, que diz que a direção política que está seguindo é um desastre, não somente para a floresta tropical como também para os povos indígenas do país e para os defensores dos direitos humanos.

A situação dos povos indígenas e defensores de direitos humanos é crítica. No Brasil governado por Temer um defensor do meio ambiente ou dos direitos humanos é assassinado a cada semana.
Sônia Guajajara, uma das lideranças indígenas mais reconhecidas no Brasil, também estará presente no protesto nesta sexta-feira. Sônia Guajajara alerta que o presidente representa uma ameaça direta aos povos indígenas no Brasil.

O desmantelamento da FUNAI, sendo promovido por Temer, pode criar sérias dificuldades para essas populações. Guajajara pede que a sociedade internacional, e a Noruega em especial, exerçam pressão política para influenciar o Brasil a acabar com a perseguição de ativistas e a destruição da floresta. “Temer não cumpre com suas obrigações e não respeita os direitos constitucionais. Os seus ataques aos direitos dos povos indígenas e ao meio ambiente são de uma magnitude nunca antes vista”, disse.

Democracia em falência

A CPI do INCRA e da FUNAI foi concluída recentemente, e a acabou sugerindo a criminalização de defensores de direitos e lideranças indígenas.

“O governo do Temer está promovendo mudanças políticas que causarão aumento da pobreza e um aumento ainda maior da diferença entre pobres e ricos. Uma das decisões políticas mais drásticas tem sido manter o teto dos gastos nas áreas de saúde, educação e serviços sociais no nível de 2016 para os próximos 20 anos. Ao mesmo tempo, as instituições democráticas do país estão sendo enfraquecidas e os nossos parceiros estão bastante preocupados com a perseguição da sociedade civil”, disse o coordenador da organização não-governamental Ajuda da Igreja Norueguesa, Arne Dale.

“Defensores de direitos humanos, membros de sindicatos, movimentos sociais e igrejas estão se mobilizando contra o governo corrupto de Temer. Uma luta que a Noruega e a sociedade internacional deve apoiar”, diz Dale.

O desmatamento tem que diminuir

O desmatamento na Amazônia brasileira aumentou em 29% de 2015 para 2016. O Congresso brasileiro está prestes a tratar um grande número de propostas que devem enfraquecer a legislação ambiental e reduzir unidades de conservação no país.“A Noruega tem que exigir que o Brasil cumpra com os seus deveres conforme acordos internacionais e nacionais. Quando a primeira ministra se reunir com o presidente Temer nesta sexta, é necessário que ela alerte, claramente, que a Noruega se verá obrigada a reduzir o seu apoio ao Fundo Amazônia de forma significativa, caso os ataques contra a floresta e seus povos continuem”, disse o Lars Løvold, diretor da Rainforest Foundation Noruega.

As ONGs organizadoras do protesto pedem às autoridades norueguesas firmeza no diálogo com Temer, e pressão para que ele providencie proteção para os povos indígenas e suas lideranças, assim como o cumprimento das obrigações internacionais para redução do desmatamento e das emissões do Brasil.

Favip representa Caruaru em evento de Direito

Nos dias 20 (terça-feira) e 21 (quarta-feira) de junho, o DeVry|Unifavip, representado pelo Projeto de Extensão do Tribunal do Júri (PROJURIS), esteve concorrendo no I Concurso de Júri Simulado da ESA-PE, realizado em Recife – PE. O resultado será divulgado no dia 3 de julho, às 18h30, na sede a OAB-PE. O melhor júri de Pernambuco irá participar do evento nacional, ainda sem data definida.

No primeiro dia, a DeVry|Unifavip enfrentou a Faculdade do Recife (FAREC) no auditório da Faculdade de Direito do Recife (UFPE). No segundo dia, o oponente foi a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), com quem simulamos na 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Recife, em plenário do Fórum Joana Bezerra. Foram dois momentos distintos: no primeiro processo, a atuação foi como defesa técnica; no segundo, no posto de representantes do Ministério Público.

O resultado final consistirá na média entre as avaliações feitas pela banca julgadora, composta por juristas com alto grau de conhecimento. Vale reforçar que o projeto de Projuris da DeVry|Unifavip acontece há sete anos e entre as 11 instituições que participaram deste concurso, a DeVry|Unifavip é a única que realiza júris reais, com sentenças reais.

Riacho das Almas divulga atrações do São João

A Prefeitura de Riacho das Almas segue divulgando a programação dos festejos juninos do município. E no fim de semana dedicado ao principal Santo celebrado no período, uma série de eventos devem ser realizados na cidade e especialmente na zona rural.

As comemorações em homenagem a São João começam na Vila de Palmatória. Nesta sexta-feira (23) a partir das 20h tem apresentação da Quadrilha Raízes Nordestinas. Depois, às 21h tem show com Wesley Paredão e Banda.

Também no dia da fogueira de São João, tem festa na sede do município, no Pátio Arraial do Gonzagão. Às 22h tem show com o cantor Israel Filho, que realizará uma bonita ação: ele doou 600 CD’s que serão distribuídos para a comunidade em troca de alimentos não perecíveis que serão entregues para famílias carentes do município. Depois, às 0h será realizado show com a banda Bicho do Mato.

No sábado (24) serão realizadas festas em três comunidades rurais do município. Na Vila do Vitorino, a partir das 19h30 tem Forró Quentão. Já às 21h30 tem show com Carlinhos Monteverde. Na Vila de Trapiá a partir das 21h30 tem show com a banda Forrozão Top 100 e as apresentações terão sequência com o forrozeiro Adriano Estigado. No Sítio Baraúnas, a partir das 20h tem apresentações com a banda Pegada Pesada e às 21h30 com Skema é Massa.

E no domingo (25) o forró continua na Vila do Vitorino. A partir das 19h tem show com o Grupo 100 Conserto e na sequência a apresentação do cantor Maurício Ramalho.

 

Serra Negra terá esquema especial de segurança

Após uma reunião com a Polícia Militar, a Prefeitura de Bezerros montou um esquema especial de segurança para os últimos três dias de festa na Serra Negra. Além de pontos estratégicos com os agentes do Departamento Municipal de Trânsito (DEBETRANS), o plano vai contar com reforço de policiais à pé e com viaturas.

De acordo com o Capitão João Henrique, responsável pelo efetivo de Bezerros, serão 15 homens à pé, uma viatura extra até às 13h, um trio de motos Rocan, duas viaturas dando apoio ao DEBETRANS em quatro pontos de bloqueio e uma viatura do Batalhão da Polícia Rodoviária Estadual de Trânsito.

No polo dos festejos, o posto de saúde montado pela Prefeitura vai contar com ambulância e um médico plantonista durante todo o evento, auxiliado por técnicos de enfermagem. Um grupo de 12 Bombeiros Civis também estará de prontidão.