Governador começa a perder o controle do PSB

Folhapress

Não é irrelevante uma declaração prestada na última sexta-feira pelo deputado federal Felipe Carreras de que respeita “decisões partidárias”, mas não votará em Lula ou em qualquer outro candidato do PT para presidente da República “de jeito nenhum”.
A declaração é em si contraditória porque a decisão do PSB de Pernambuco é no sentido de apoiar o ex-presidente, conforme manifestação externada na véspera pelo governador Paulo Câmara. E se torna ainda mais relevante porque Carreras foi secretário estadual de Turismo até abril passado. Isto pode ter sido o primeiro sinal de que o governador começa a perder o controle do PSB pernambucano. Se a insubordinação tivesse partido de um parlamentar da Frente Popular, mas não filiado ao PSB, era perfeitamente compreensível porque muitos fizeram oposição ao PT a vida inteira e certamente não se sentirão à vontade participando da campanha lulista. É o caso, por exemplo, do deputado André de Paula, que construiu sua carreira política no extinto PFL como liderado político do ex-senador Marco Maciel. Exigir dele engajamento na campanha de Lula seria quase uma violência, sabendo-se que tem um passado antipetista. É claro que o deputado Carreras tem todo o direito de votar em quem quiser. Mas para ser coerente com o que escreveu não deveria ter dito que “respeita decisões partidárias”. Se já anunciou antecipadamente que não votará em Lula, que será o candidato do PSB estadual, óbvio que estará afrontando o seu próprio partido, que faz um enorme para ter o PT como aliado.

Para impedir aliança com o PDT
Glesi Hoffmann já tem certeza de que o PSB não fará coligação formal com o PT para apoiar Lula ou quem o partido indicar para presidente. Seu esforço, a partir de agora, é tentar impedir que o PSB caia nos braços de Ciro Gomes (PDT), pois se isso ocorrer iriam também o PCdoB e possivelmente o PV. É isso o que a senadora deu a entender em sua passagem pela Bahia.

Palanque duplo > Não será bom para Marília Arraes (PT) o apoio de Paulo Câmara (PSB) a Lula, pois vai deixá-la sem a “exclusividade” do candidato petista em Pernambuco. Aliás, o PSB já prepara uma campanha para o interior dizendo que “Paulo é Lula” e “Lula é Paulo”.

Time forte > Armando Monteiro (PTB) está começando sua campanha pra governador com um time de prefeitos de forte expressão política: São Lourenço da Mata, Camaragibe, Ipojuca, Gravatá, Caruaru, Igarassu, Garanhuns, Belo Jardim, Petrolina, Salgueiro e Araripina.

Cai fora! > O Palácio tirou o deputado Nilton Mota (PSB) do Pajeú para facilitar composições políticas em favor da candidatura de João Campos (PSB) a deputado federal. “Niltinho” perdeu os prefeitos de Itapetim (Adelmo Moura), Brejinho (Tânia Maria) e São José do Egito (Evandro Valadares).

Tá na hora > Há forte inquietação na Frente Popular pelo fato de ainda não serem conhecidos os candidatos a vice-governador e à segunda vaga de senador. E também “stress político” porque muitos deputados estaduais estão vendo a derrota se aproximar.

Decisão, já! > A ministra Carmem Lúcia (STF) tem obrigação de decidir o mais rápido possível com quem ficará o comando do MDB estadual, se com o vice-governador Raul Henry ou com o senador Fernando Bezerra Coelho. Prolongar essa indefinição é uma afronta à democracia.

Desvalorização de 10% do real levará inflação a 5% em 2019, afirma banco

Folhapress

Uma desvalorização de 10% do real no próximo ano pode levar a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para 5%, aponta levantamento do Credit Suisse obtido com exclusividade pela reportagem. O estudo busca prever os efeitos de um real mais fraco sobre os preços, o que é conhecido pelos economistas como pass-through.

Embora o impacto não seja claramente perceptível pelo consumidor comum, um dólar mais forte encarece, por exemplo, matérias-primas que precisam ser importadas pela indústria -o que acaba pressionando os preços. O tamanho do repasse do câmbio para a inflação varia conforme o tempo e também o ritmo da atividade econômica.

Segundo a equipe do Credit Suisse, em condições normais, esse efeito é considerável: a cada 10% de desvalorização cambial, 0,7 ponto percentual é adicionado à inflação. Mas como a economia brasileira está saindo de um período de recessão e passando por um ciclo de retomada que ocorre a passos lentos, esse repasse cambial à inflação não é desprezível, mas é menor.

No ambiente atual, de crescimento baixo e desemprego alto, uma desvalorização de 10% do real adicionaria 0,44 ponto percentual à inflação de 2019, diz Lucas Vilela, economista do Credit Suisse. O crucial nessa equação, explica o economista, é a elevada ociosidade das empresas. Em um quadro de demanda mais fraca, a necessidade de importar da indústria, por exemplo, pode ser menor.

Como a inflação esperada para 2019 pelo Credit Suisse está em 4,5%, o efeito a levaria para perto de 5% -acima do centro da meta estabelecida pelo Banco Central, de 4,25% no próximo ano, com uma margem de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Por enquanto, esse não é o cenário central do banco, que espera um dólar médio de R$ 3,65 em 2019.

Embora as projeções dos economistas para inflação tenham acelerado para algo ao redor de 4% como consequência da paralisação dos caminhoneiros, o nível ainda é considerado confortável. De qualquer forma, o sinal de alerta em relação a pressões inflacionárias está aceso, com ao menos dois importantes eventos com fôlego para mexer com o câmbio: o período pré-eleitoral e os respingos de uma guerra comercial entre EUA e China. Vilela prevê uma forte elevação da taxa Selic no próximo ano -dos atuais 6,5% para 9,5% no fim de 2019– como forma de evitar uma inflação maior a partir de 2020.

Humberto impede aprovação de projeto

Preocupado com a manutenção da produção musical e audiovisual no país, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), pediu o adiamento da votação de um projeto de lei na Comissão de Desenvolvimento Regional (CDR) da Casa que acaba com o pagamento de direitos autorais por parte de hotéis, motéis e pousadas. Ele anunciou que irá apresentar um voto em separado contrário à medida. O pedido de vistas feito pelo senador ocorreu na última reunião da CDR, ocorrida na semana passada.

Pelo texto, esses estabelecimentos, que executam obras musicais e audiovisuais em seus dispositivos de som, estariam livres do pagamento dos direitos de autores e artistas responsáveis pelas composições. “Essa proposta favorece os empresários do ramo hoteleiro, aumentando suas margens de lucros, em prejuízo da criação intelectual. Não podemos permitir que isso aconteça”, disse o senador.

Segundo ele, é injusto que os músicos brasileiros, inclusive os que não são famosos, sejam prejudicados por essa medida, já que os hotéis, motéis e pousadas são locais de frequência das pessoas e não podem deixar de pagar os direitos autorais.

“A simples disponibilização de rádio e TV gera o dever desse pagamento ao Escritório Central de Arrecadação de Direitos Autorais (Ecad). O uso das obras por terceiros nesses locais exige essa cobrança”, ressaltou.

Humberto avalia que, ao desconsiderar direitos que zelam e regulam a atividade criativa no país, a proposta, de autoria da senadora Ana Amélia (PP-RS) e relatoria favorável de Antonio Anastasia (PSDB-MG), traz grave prejuízo para a cadeia criativa e produtiva da música brasileira, atingindo incontáveis autores que têm como sua única fonte de proventos o recolhimento de seus direitos autorais patrimoniais.

O parlamentar, que foi o relator no Senado do projeto que manteve o Ecad como órgão de arrecadação dos direitos autorais, deixando-o mais transparente e diminuindo as suas taxas de administração, conta com o apoio do Grupo de Ação Parlamentar Pró-Música – GAP.

Trata-se de uma associação informal que reúne artistas e compositores de música que vêm, desde 2006, participando ativamente dos trabalhos no Congresso Nacional, exclusivamente no aperfeiçoamento da legislação brasileira sobre cultura, notadamente a música.

Fazem parte do grupo nomes como Caetano Veloso, Angelo Ro Ro, Djavan, Jota Quest, Tico Santa Cruz, Marisa Monte, Yamandú Costa, Gilberto Gil, Chico Buarque, Fernanda Abreu, Paralamas do Sucesso, além de outros artistas.

Preço médio da gasolina nas refinarias é mantido em R$ 1,9970

A Petrobras anuncia que o preço médio do litro da gasolina A sem tributo nas refinarias será mantido em R$ 1,9970 nesta terça-feira. O preço do diesel, por sua vez, segue inalterado desde o dia 1º de junho, em R$ 2,0316. A redução do preço do combustível foi uma das reivindicações dos caminhoneiros na greve feita no fim de maio.

Sanharó promove curso de fabricação de doces e geleias

A Prefeitura de Sanharó, através da Secretaria de Agricultura, está promovendo um Curso de Fabricação de Doces e Geleias. A iniciativa, em parceria com o Governo do Estado e Senai, tem como objetivo capacitar os participantes para que eles possam abrir o seu próprio negócio e gerar renda. As aulas começaram nesta segunda-feira (16), na Escola Amaro Soares.

Estão sendo formadas duas turmas de 25 alunos cada, nos horários da tarde e noite. A carga horária total é de 20 horas/aula e o curso é gratuito.
“Esse curso é fruto de uma das nossas promessas de campanha, que é o compromisso de preparar a juventude para o mercado de trabalho. Com o certificado de curso emitido pelo Senai, as pessoas poderão montar seus próprios negócios”, destacou o prefeito Heraldo Oliveira, que participou da solenidade de abertura do curso.

Ele lembrou que a Prefeitura já realizou outros cursos profissionalizantes, como o de Lacticínios e o de Atendimento ao Cliente. Também estiveram presentes o secretário de Agricultura, Tarcísio Leite, e o assessor de Infraestrutura, Ângelo Costa.

/**/

Sanharó promove curso de fabricação de doces e geleias

A Prefeitura de Sanharó, através da Secretaria de Agricultura, está promovendo um Curso de Fabricação de Doces e Geleias. A iniciativa, em parceria com o Governo do Estado e Senai, tem como objetivo capacitar os participantes para que eles possam abrir o seu próprio negócio e gerar renda. As aulas começaram nesta segunda-feira (16), na Escola Amaro Soares.

Estão sendo formadas duas turmas de 25 alunos cada, nos horários da tarde e noite. A carga horária total é de 20 horas/aula e o curso é gratuito.
“Esse curso é fruto de uma das nossas promessas de campanha, que é o compromisso de preparar a juventude para o mercado de trabalho. Com o certificado de curso emitido pelo Senai, as pessoas poderão montar seus próprios negócios”, destacou o prefeito Heraldo Oliveira, que participou da solenidade de abertura do curso.

Ele lembrou que a Prefeitura já realizou outros cursos profissionalizantes, como o de Lacticínios e o de Atendimento ao Cliente. Também estiveram presentes o secretário de Agricultura, Tarcísio Leite, e o assessor de Infraestrutura, Ângelo Costa.

Sesc Arcoverde recebe 21ª edição do projeto Sonora Brasil

Nesta segunda (16/07) o Sesc Arcoverde terá o prazer de receber a 21ª edição do Sonora Brasil. O evento gratuito será comandado pela Banda Manauense, do estado do Amazonas. A apresentação será realizada a partir das 20h, no Espaço Escadaria, na própria Unidade.

No biênio 2017/2018 o projeto Sonora Brasil apresenta os temas “Na pisada dos cocos” e “Bandas de música: formações e repertórios”. A Banda Manauense, estrela da noite, traz consigo a responsabilidade de levar ao público um recorte específico advindo das bandas tradicionais de origem militar, cujas formações, de modo geral, tinham como integrantes músicos oriundos dessas bandas.

O grupo é formado por músicos da cidade de Manaus, capital do estado do Amazonas, e tem como integrantes Cláudio Abrantes (flauta), Jonaci Barros (saxofone), Vadin Ivanov (clarinete), Rodrigo Nunes (bombardino), Paulo Dias (trompete), Carlos Alexandre (sousafone), Ronalto Alves “Chinna” (percussão) e Neto Armstrong (banjo). Eles prometem uma apresentação para lá de especial e trarão um repertório que tem como referência os antigos carnavais que precederam os blocos e escolas de samba.

Considerado o Maior projeto de circulação musical do país, o Sonora tem como objetivo desenvolver programações que se comuniquem com a história da música no Brasil, permitindo assim o contato da população com a diversidade da música brasileira. É importante destacar que todas as apresentações do projeto são acústicas, valorizando assim a qualidade do que é produzido.

O Sesc Arcoverde está localizado na avenida Capitão Arlindo Pacheco de Albuquerque, 364, no Centro.

Sesc – O Serviço Social do Comércio (Sesc) foi criado em 1946. Em Pernambuco, iniciou suas atividades em 1947. Oferece para os funcionários do comércio de bens, serviços e turismo, bem como para o público geral, a preços módicos ou gratuitamente, atividades nas áreas de educação, saúde, cultura, recreação, esporte, turismo e assistência social. Atualmente, existem 19 unidades do Sesc do Litoral ao Sertão do estado, incluindo dois hotéis, em Garanhuns e Triunfo. Essas unidades dispõem de escolas, equipamentos culturais (como teatros e galerias de arte), restaurantes, academias, quadras poliesportivas, campos de futebol, entre outros espaços e projetos. Para conhecer cada unidade, os projetos ou acessar a programação do mês do Sesc em Pernambuco, basta acessar www.sescpe.org.br.

Recursos para compra de veículos a prazo cresce 30% em maio

O mercado de crédito para a compra de veículos segue dando sinais positivos em 2018. Os bancos de montadoras e as instituições financeiras liberaram R$ 49 bilhões em crédito para a compra de veículos, nos primeiros cinco meses deste ano, valor 30,1% superior ao registrado em maio de 2017. Para as operações de CDC (Crédito Direto ao Consumidor) foram liberados R$ 48,3 bilhões e, para leasing, R$ 755 milhões.

De acordo com os dados divulgados no boletim da ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras), em maio, os bancos liberaram R$ 9,915 milhões em CDC para a compra de veículos, volume 20,3% maior do que em maio do ano passado. Já as operações de leasing movimentaram R$ 132 milhões, com queda de 41,6% na comparação com maio de 2017. O maior volume, de R$ 103 milhões, foi destinado às empresas, e os R$ 29 milhões restantes às pessoas físicas.

Segundo o presidente da ANEF (Associação Nacional das Empresas Financeiras de Montadoras), Luiz Montenegro, os números representam um consumidor mais positivo. “Apesar de tímido, o crescimento constante da liberação do crédito indica um comportamento cada vez mais confiante por parte dos consumidores. Há cautela, mas as pessoas não estão desistindo de firmar o compromisso de adquirir ou trocar seu veículo, o que é muito bom para a estabilidade do mercado”, afirma.

Saldo das carteiras

Em maio, o saldo das carteiras atingiu R$ 180,8 bilhões, elevação de 1,1% em relação ao mês de abril e 12% em doze meses. Deste total, R$ 177,3 bilhões correspondem às operações de CDC e R$ 3,5 bilhões à carteira de leasing.

Taxas e Prazos

As taxas dos bancos de montadoras continuam mais atraentes ao consumidor. Em maio, a média oferecida permaneceu em 1,39 ao mês e 18% ao ano, enquanto os bancos de varejo ofereceram 1,64 e 21,5% respectivamente. O prazo médio das concessões foi de 43,1 meses. No mesmo período de 2017, era de 42 meses. Os planos máximos disponibilizados pelos bancos aos consumidores foram mantidos em 60 meses.

Inadimplência

A taxa de inadimplência nas operações CDC para pessoas físicas foi de 3,7% em maio e segue representando uma queda de 0,9% pontos percentuais em doze meses. Na carteira de leasing, o índice de não pagadores se manteve em 2,2%, redução de 1,3 ponto percentual na comparação com mesmo período do ano passado.

Sobre a ANEF

Fundada em 1993, a ANEF representa as suas marcas associadas junto aos órgãos do governo, de entidades de classe e associações congêneres, divulga, esclarece e presta informações, tanto à imprensa quanto aos consumidores em geral, sobre as modalidades de financiamentos – CDC (Crédito Direto ao Consumidor), Finame, Leasing e Consórcio –, nos segmentos de automóveis, ônibus, caminhões e motocicletas. A entidade representa, hoje, 14 marcas e suas respectivas estruturas de serviços financeiros, incluindo bancos, empresas de arrendamento mercantil e administradoras de consórcios vinculados à indústria automotiva.

Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes seleciona para 179 vagas

A Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes está com duas seleções simplificadas abertas para preencher vagas emergenciais nas secretarias de Assistência Social e de Saúde. As vagas são para quem tem desde nível fundamental de ensino até nível técnico e superior, com salários que variam entre R$ 954 e R$ 10,9 mil. A contratação ocorrerá por meio de um Processo Seletivo Simplificado. As inscrições devem ser feitas no site da organizadora (www.institutodarwin.org). Os processos seletivos serão realizados em uma única etapa: análise da experiência profissional e de títulos.

Vagas na Assistência social
As 16 vagas para a Secretaria Municipal de Assistência Social foram abertas na última quarta-feira (11), com publicação de edital no Diário Oficial do Município de Jaboatão dos Guararapes e no site www.institutodarwin.org. As inscrições para a seleção simplificada custam R$ 37 e seguem até o dia 13 de agosto. Oportunidades são para os cargos de auxiliar de educador/cuidador, com salários de R$ 954. É necessário ter Nível Fundamental de Ensino.

Vagas na Saúde
Na Secretaria de Saúde de Jaboatão dos Guararapes, seguem abertas até o dia 31 de julho as inscrições para uma seleção simplificada para contratar 163 profissionais com salários que variam entre R$ 1.350 e R$ 10.904,42. A taxa de inscrição custa R$ 45 para as funções de nível técnico e R$ 60 para as funções de nível superior. O resultado final será divulgado no dia 21 de agosto.

As oportunidades são para assistente social, enfermeiro plantonista Samu, Enfermeiro, enfermeiro Saúde da Família, farmacêutico, fisioterapeuta, fisioterapeuta estratégia Saúde da Família, fonoaudiólogo, fonoaudiólogo estratégia Saúde da Família, médico veterinário, médico veterinário clínico, nutricionista, nutricionista estratégia Saúde da Família, odontólogo Saúde da Família, odontólogo endodentista, odontólogo periodontista, odontólogo protesista, profissional de Educação Física, psicólogo, sanitarista, terapeuta ocupacional, médico cardiologista, médico clínico geral, médico do trabalho, médico estrategista Saúde da Família, médico ginecologista/colpocopista, médico infectologista, médico intervencionista Samu, médico mastologista, médico neurologista infantil, médico ortopedista/traumatologista, médico otorrino, médico psiquiatra, médico radiologista, médico reumatologista, médico ultrassonografista, pediatra, psiquiatra adulto, psiquiatra infantil, médico clínico, médico psiquiatra 20h, psiquiatra infantil RAPS, psiquiatra plantonista, pediatra para a rede de saúde mental, advogado, químico, assistente social 30h RPAS, enfermeiro saúde mental diarista, enfermeiro plantonista 20h RPAS, farmacêutico RPAS, fonoaudiólogo RPAS, profissional de Educação Física RPAS, psicólogo 40h RPAS, psicólogo plantonista 30h RPAS, terapeuta ocupacional 30h RPAS, terapeuta ocupacional plantonista RPAS, auxiliar em saúde bucal Saúde da Família, auxiliar em saúde bucal, atendente de farmácia, técnico em enfermagem, técnico em enfermagem Saúde da Família, técnico em enfermagem plantonista Samu, técnico em saúde bucal, técnico em segurança do trabalho, técnico em enfermagem diarista e técnico em enfermagem plantonista.

Brasil fecha primeiro semestre com 63,6 milhões de consumidores inadimplentes

A lenta recuperação econômica não tem colaborado para a queda da inadimplência no país. De acordo com dados apurados pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), o volume de consumidores com contas em atraso e registrados em cadastros de devedores acelerou no último mês de junho, ao crescer 4,07% na comparação com o mesmo período do ano passado. Trata-se da nona alta consecutiva na série histórica do indicador. A última vez que a inadimplência apresentou recuou foi em novembro de 2017 (-0,89%). Ao todo, o SPC Brasil e a CNDL estimam que o país concluiu o primeiro semestre deste ano com aproximadamente 63,6 milhões de brasileiros com o CPF restrito em virtude de atrasos no pagamento de contas. Esse dado representa 42% da população adulta do país.

O indicador ainda revela que na comparação mensal – ou seja, passagem de maio para junho, sem ajuste sazonal-, houve um crescimento de 0,61% no volume de consumidores inadimplentes – foi a maior variação positiva desde março deste ano.

Na avaliação do presidente da CNDL, José Cesar da Costa, o ano de 2018 vem frustrando as expectativas de que haveria uma consolidação no processo de retomada econômica, inclusive com reflexos positivos na vida dos consumidores. “Embora os juros estejam menores e a inflação dentro da meta, o desemprego ainda é elevado e acaba reduzindo a capacidade de pagamento das famílias. A recuperação está mais lenta do que o esperado e as projeções mostram que teremos um segundo semestre ainda difícil para as finanças do brasileiro”, analisa o presidente.