Titular da extinta Decasp está à espera da liberação para trabalhar com Moro

03/05/2017 Julio Jacobina/DP Coletiva Sobre Operacao Caes de Fu coordenada pela Del. Patricia Domingos.

A delegada especial Patrícia Domingos, que atualmente integra o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), aguarda apenas a liberação do governo do estado para atuar na equipe do ministro da Justiça, Sérgio Moro. A policial atuava na Delegacia de Crimes Contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), que foi extinta em novembro do ano passado por meio de decreto assinado pelo governador Paulo Câmara (PSB). Nesta sexta-feira (15), Patrícia confirmou o convite feito pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

“O governo (estadual) ainda não formalizou a minha liberação. Estou aguardando. Acho, inclusive, que seria muito bom para o estado ter uma representante da Polícia Civil trabalhando em políticas públicas de segurança nacional”, argumentou a policial. Ela disse, ainda, que o convite foi feito recentemente para um cargo na Diretoria de Políticas Públicas, voltada para ações de combate à corrupção, tráfico de drogas, organizações criminosas e outros tipos de crime.

A delegada argumentou também que um convênio entre o governo do estado e a Senasp permite que servidores públicos sejam deslocados para o órgão na condição de servidor mobilizado. Questionado sobre a liberação da policial, a Secretaria de Defesa Social informou não ter recebido do Ministério da Justiça o ofício solicitando a liberação de Patricia Domingos. Confirmou, no entanto, que 50 servidores do estado já atuam na Força Nacional, quando a cota do estado é de 25 servidores.

Na Delegacia de Crimes Contra a Administração e Serviços Públicos, a delegada Patricia Domingos realizou investigações que resultaram na prisão de políticos e empresários. O projeto de lei extinguindo a Decasp foi aprovado na Assembleia Legislativa por 36 votos a favor e seis contra, gerando uma grande polêmica na sociedade. A Decasp foi substituída pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco).

Diario de Pernambuco

Mulher é encontrada morta em motel de Olinda

Uma mulher de 56 anos morreu na madrugada deste sábado (16) em um motel no bairro de Peixinhos, em Olinda. Segundo a Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), Fernanda Fortunada de Lima estava no local com o parceiro, que não teve o nome e nem a idade revelada, desde as 22h desta sexta-feira (15).

De acordo com o delegado Joaquim Braga, que registrou a ocorrência, o companheiro da mulher contou que a morte aconteceu por volta das 3h30 deste sábado. “Ele disse que tentou chamá-la, mas ela não respondia e percebeu que ela estava fria, então desligou o ar-condicionado, a cobriu e chamou a recepcionista que acionou a polícia em seguida”, contou o delegado. Há suspeita de que Fernanda tenha sofrido um ataque cardíaco.

Além da PC, o Instituto de Criminalística (IC) também esteve no local. O corpo de Fernanda foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), no bairro de Santo Amaro, no Recife.

A PC informou ainda que o caso foi registrado como “Morte a Esclarecer” e que um inquérito policial foi instaurado para averiguar as causas e circunstâncias em que o fato se deu e que só vai se pronunciar após o final das investigações.

Folhape

Forró e rock unem Caruaru e Liverpool em disco de Israel Filho

O rock que vira xote, que vira baião e que continua preservado por vocais, guitarras, baixos e baterias. Tal qual o forró que não se desprende do triângulo, da zabumba e da sanfona e permanece fiel às suas origens. Premissas idealizadas pelo cantor pernambucano Israel Filho, que tem 35 anos de trajetória artística, que se juntou ao grupo caruaruense “Hey John Beatles Cover” e colocou em prática o projeto “Israel Filho & Forró Beatles”, lançado no início deste ano.

São onze faixas que misturam em uma mesma sonoridade, por exemplo, a clássica composição de John Lennon, “Help” em meio à “Vida de Viajante”, de Luiz Gonzaga, o mesmo “Velho Lua” que lá pela década de 1970, com assinatura de Raul Seixas (“Raul Rock Seixas”, 1977), emprestou “Asa Branca” para ser alternada com “Blue Moon of Kentucky”, cantada por Elvis Presley, entre outros intérpretes.

“Há algum tempo guardo comigo esse desejo de trazer a mistura do forró ao rock, em especial o dos Beatles sem, no entanto, deixar de lado a originalidade dos dois ritmos. Encontramos os meninos do Hey John, que toparam o desafio e hoje estamos felizes com a receptividade do trabalho que, inicialmente, pode até causar estranheza, para logo depois unir fãs dos dois movimentos”, contou Israel, em conversa com a Folha de Pernambuco.

Formado por Helder Alcântara (Ringo Star/bateria), Roberto Liberato Filho (John Lennon/guitarra), Lucas Rezende (George Harrison/guitarra) e Jarbas Aquino (Paul McCartney/baixo), o grupo está na estrada há pelo menos oito anos e recebeu bem a ideia de fomentar o forró com a reprodução das músicas do quarteto de Liverpool.

“É um projeto novo, aceito pelo grupo e, principalmente, pelo público, surpreendido em pleno período junino de Caruaru, quando subimos ao palco com o Israel ano passado”, contou Helder. “Diretamente de Liverpool para Caruaru”, esbraveja o também caruarense Israel que, com o projeto, em paralelo à sua carreira de forrozeiro já consagrado, assume a responsabilidade de eternizar o ritmo nordestino ao rock emblemático dos Beatles, e vice-versa, é claro, com “Hey Jude” e “Esperando na Janela”; “Let It Be” e “Não Chore Mais”; “Imagine” e “Só o Amor Constroi”, entre as faixas do disco “Israel Filho & Forró Beatles”.

Folhape

Jovem é assassinado à bala na zona rural de Caruaru

Foto; No Detalhe


Pedro Augusto

O sábado mal começou e uma pessoa acabou sendo assassinada na Capital do Agreste. A vítima da vez atendia pelo nome Valdir Pereira Zacarias, de 21 anos. De acordo com informações repassadas pela Polícia Civil, o jovem encontrava-se no caminhão onde comercializava água mineral, quando foi interceptado à bala por criminosos.

Valdir foi morto na Estrada que dá acesso ao Loteamento Xique-Xique, na zona rural de Caruaru. Após o levantamento cadavérico do Instituto de Criminalística, o corpo da vítima foi encaminhado ao IML local.

Arraial dos Amigos com Assisão, o Rei do Forró

Imagem relacionada

Está chegando a hora de acabar com a espera e receber a melhor festa de forró privada que acontece em Caruaru: o Arraial dos Amigos. Este ano em sua terceira edição, o evento vai reunir nomes de destaques da cultura nordestina, numa tarde com muita música, gastronomia nordestina e muita, muita alegria. Além do Rei do Forró, Assisão, a festa terá Kléver Lemos e Batateira e seu Pé-de-Serra.
Coordenada pelo empresário Walmir Aragão, o evento acontece como já é tradição na Chácara San Diego, localizada na Capital do Forró e vai ser realizada no dia 25 de maio, a partir das 14h. “Será uma festa com muito conforto e alegria. Nosso objetivo é reunir amigos, famílias inteiras. Por isso o nome ‘Forró dos Amigos’. Aqui todo mundo se conhece”, revela Walmir Aragão.

Shows- Assisão trará em seu repertório verdadeiros clássicos da música nordestina, com destaque para ‘Pau nas coisas’, ‘Fogueirinha’, ‘Chuva miúda’, ‘As quatro estações’, além de diversos pout-pourris, incluindo o mais famoso do artista: ‘no terreiro da fazenda’, ‘casaca de couro’, ‘ milho novo’ e ‘olê laurindo’. “Assisão é uma atração de renome nacional e vem dar um brilho especial à festa”, completou Aragão.

Já Klever Lemos vai trazer os principais clássicos do forró estilizado de bandas como Limão com Mel e Mastruz com Leite, além de reeditar clássicos do cancioneiro nordestino. Entre eles estão Jorge de Altinho, Flávio José, Luiz Gonzaga, entre outros.

Pé-de-Serra de Batateira traz clássicos regionais do Trio Nordestino, Os três do Nordeste, Azulão, Marinês, entre outros ícones. “Este ano a festa vai fazer o público viajar no tempo através da música”, disse Walmir.

Como já é tradição, criança até dez anos não paga e adolescente pagam apenas R$ 50,00 referente ao buffet. Um detalhe importante é que cada um dos convidados pode levar sua bebida. O Buffet junino é por conta da festa e conta com guloseimas como sarapatel, arrumadinho, bolos juninos, etc.

Serviço : Arraial dos Amigo Ano 3
Local : Chácara San Diego – Terra Vermelha
Dia 25 de maio Início: 14 h. Traje junino.
Atrações: Assisão, Klever Lemos e Forró pé de Serra Batateira
Buffet junino
Criança até 10 anos não paga .
Valor: R$100,00 (Primeiro Lote)
Adolescente: R$50,00 referente ao Buffet
Reservas e informações: (81) 9.9186-2895 (Walmir Aragão)

Para este sábado, Sala Recife e o Boteco Chic são destaques do Asala

O Asala abriu o seu novo espaço, a Sala Recife, o Boteco Chic, em parceria com a Devassa/Vitória Distribuidora. São 15 rótulos de cervejas da Devassa, Eisenbahn, Baden Baden, KirinChiban, entre outras. Para harmonizar com a nova carta de petiscos de boteco, estão deliciosos caldinhos, pastéis, mix de defumados…

Agora, além das tradicionais delícias do cardápio do Asala, você tem um novo local para curtir com seus amigos os jogos de futebol, tênis, NBA, Surf (WSL), Fórmula 1…

O Asala funciona na Avenida Marcionilo Francisco, na esquina com a Rodrigues de Abreu, no Bairro Maurício de Nassau.

Enem terá rascunho com linhas para a redação

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) garantiu hoje (15) que o rascunho da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terá linhas, como de costume, e que haverá espaço suficiente na prova para os cálculos matemáticos.

Essas questões causaram preocupação em estudantes desde que o Inep anunciou medidas para economizar papel na impressão do exame. No último dia 11, o Inep anunciou que a prova terá uma nova diagramação e que a medida eliminará a necessidade de impressão das folhas de rascunho personalizadas.

Estudantes reagiram à mudança nas redes sociais e defenderam a manutenção das linhas no rascunho da redação. “Enem sem pauta no rascunho de redação não dá, não temos noção do tamanho do texto e só temos uma chance na folha definitiva. Essa remoção afeta, gravemente, nosso desempenho e, com isso, todo um ano de estudo e dedicação”, disse um internauta pelo Twitter.

Nesta sexta-feira, o Inep tranquilizou os estudantes que prestarão o exame: “Não há motivos para preocupações. O rascunho da redação, como já de costume, terá linhas. Ele ficará ao final do Caderno de Questões entregue no primeiro dia de prova.”

A autarquia acrescentou que uma das novidades sobre o Enem 2019 está no segundo dia do exame, em que não haverá mais uma folha de rascunho avulsa para cálculos matemáticos. “Esse espaço, entretanto, estará disponível na última página do caderno de questões”, garantiu.

Economia

Além da mudança na diagramação, o Inep anunciou outras mudanças no Enem. Os dados biométricos dos estudantes passarão a ser coletados com uma pequena esponja que permite a coleta da digital e pode ser utilizada mais de 3 mil vezes. Até o ano passado, a coleta da digital era feita com uma lâmina de grafite, individual.

A capacitação dos colaboradores envolvidos na aplicação do Enem será feita principalmente a distância. Com isso, será reduzida a capacitação presencial.

As medidas fazem parte do Programa de Redução de Custos e Otimização dos Recursos Logísticos, um dos seis pilares do Programa de Modernização do Inep. Ao todo, o instituto estima uma economia de R$ 42 milhões nos exames e avaliações de 2019 que estão a cargo da autarquia.

O Inep é responsável também por avaliações como a Prova Brasil, o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) e o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade).

Enem

Neste ano, o Enem será aplicado nos dias 3 e 10 de novembro. As inscrições estarão abertas de 6 a 17 de maio. Entre 1º e 10 de abril os estudantes poderão pedir isenção da taxa de inscrição. Nesse mesmo período, o Inep vai receber as justificativas dos que faltaram às provas em 2018.

Protestos de coletes amarelos são marcados por tumultos em Paris

Os manifestantes reagem ao lado de uma barricada em chamas, durante uma demonstração do movimento "coletes amarelos" em Paris, França, em 16 de março de 2019. REUTERS / Philippe Wojazer

Vestindo os coletes amarelos pelos quais se tornaram conhecidos mundialmente, manifestantes franceses e imigrantes, que residem no país, voltaram hoje (16) às ruas de Paris e de outras cidades francesas. Este é o 18ª sábado desde o início das manifestações em novembro do ano passado. O movimento é heterogêneo e não tem um líder ou grupo à frente.

A lista de reivindicações é ampla, incluindo tanto questões de proteção ambiental, como a demanda por melhorias salariais. Além disso, há, entre os manifestantes, representantes de setores da extrema direita que defendem teses anti-europeias.

Vídeos compartilhados por internautas nas redes sociais com a hashtag Gilets Jaunes (Coletes Amarelos, em francês) exibem manifestações em diferentes pontos de Paris.

A maior concentração de coletes amarelos foi registrada na Avenida Champ-Élysées, onde lojas de griffe foram saqueadas, manifestantes e policiais entraram em confronto.

Em alguns dos vídeos, policiais usam jatos d´água e sprays para tentar dispersar os manifestantes, que queimaram pneus e o que encontraram de inflamável pelo caminho, além de lançar pedras e outros objetos contra as forças de segurança.

Segundo a Rádio França Internacional, as autoridades francesas estavam cientes de que ativistas ultrarradicais se infiltrariam nas manifestações, inclusive vindos do exterior. Pelo menos 5 mil policiais e seis carros blindados compõem o dispositivo de segurança na capital. Outras ações estão programadas em Bordeaux, Dijon, Caen e Montpellier.

Segundo o ministro do Interior, Christophe Castaner, o protesto de hoje conta com 7 mil a 8 mil manifestantes, sendo 1.500 ultra-violentos.

Ao menos outras duas marchas estão previstas para ocorrer em Paris hoje: a Marcha do Século pelo Clima, que cobra dos governantes soluções para tentar conter as mudanças climáticas e enfrentar suas consequências; e a chamada Marcha da Solidariedade, convocada para denunciar a violência policial e o “racismo de Estado”.

Aeroportos foram arrematados com ágio médio de 986%

O leilão de privatização de 12 aeroportos superou a outorga estipulada pelo governo de R$ 2,1 bilhões. No total, os lances pelos três blocos somaram R$ 2,377 bilhões. Os terminais estão localizados nas regiões Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste, e, juntos, recebem 19,6 milhões de passageiros por ano, o que equivale a 9,5% do mercado nacional de aviação. O investimento previsto para os três blocos é de R$ 3,5 bilhões, no período de 30 anos.

O ágio médio, diferença entre o mínimo fixado pelo governo para pagamento inicial, e a soma dos lances vitoriosos, foi de 986%.

Em um certame marcado por muitas ofertas, a disputa maior se concentrou no bloco do Nordeste entre o grupo espanhol Aena Desarrollo Internacional e o grupo suíço Zurich Airport. O grupo espanhol saiu na frente com oferta de R$ 1,850 bilhão. Próximo ao final do leilão, o grupo suíço ofereceu R$ 1,851 bilhão pelo bloco. O lance foi coberto logo em seguida pela Aena, que ofereceu R$ 1,900 bilhão, e levou o bloco.

O leilão desta sexta-feira (15), realizado na B3, em São Paulo, foi o primeiro no modelo de blocos. Até então, os terminais vinham sendo leiloados individualmente. Segundo o governo, a organização dos terminais em três blocos está relacionada a uma maior vocação de uso dos terminais: os do Nordeste para o turismo, os do Centro-Oeste, para o agronegócio, e os do Sudeste, para atividades empresariais ligadas ao setor de energia, como petróleo e gás.

Pelas regras do edital, vence o leilão quem apresenta o maior ágio sobre o valor mínimo de contribuição inicial mínimo do bloco. Para o Nordeste, o lance mínimo inicial foi de R$ 171 milhões. Para o bloco Sudeste foi de R$ 47 milhões, enquanto para o bloco do Centro-Oeste, R$ 800 mil, totalizando R$ 219 milhões. Esses valores deverão ser pagos à vista junto com o ágio ofertado na data de assinatura do contrato.

Após a apresentação dos envelopes com as propostas, os grupos passaram a ofertar lances de viva voz pelos blocos. O primeiro bloco arrematado foi o do Nordeste, que teve o maior número de ofertas. Formado pelos aeroportos de João Pessoa e Campina Grande, ambos na Paraíba; do Recife, de Maceió, Aracaju e Juazeiro do Norte, no Ceará, o bloco recebeu seis propostas.

O maior lance foi do grupo espanhol Aena Desarrollo Internacional, que ofereceu R$ 1,900 bilhão para pagamento à vista, um ágio de 1.010,69%. Em segundo lugar ficou o grupo suíço Zurich Airport, com oferta de R$ 1,851 bilhão, um ágio de 982,05%. O grupo também arrematou o bloco Sudeste. Em terceiro lugar, o Consórcio Região Nordeste ofertou R$ 1,785 bilhão, ágio de 949,31%.

O bloco Centro-Oeste, formado pelos aeroportos de Cuiabá, Rondonópolis, Sinop e Alta Floresta, em Mato Grosso, recebeu 2 propostas: a do vencedor, Consórcio Aeroeste, de R$ 40 milhões, um ágio de 4.739% e o Consórcio Construcap-Agunsa, que ofereceu R$ 31,5 milhões, ágio de 3.711,01%.

Já para o bloco Sudeste, formado pelos terminais de Macaé, no Rio de Janeiro, e de Vitória, no Espírito Santo, foram apresentadas quatro propostas. A Zurich Airport venceu com oferta de R$ 437 milhões, ágio de 830,15%; a ADP do Brasil, R$ 304 milhões, ágio de 547%; a CPC (Companhia de Participações em Concessões), R$ 167 milhões, ágio de 255,47%, e a Fraport, com oferta de R$ 125,002 milhões, ágio de 166,07%.

Outorga
As regras do edital preveem a adoção do chamado risco compartilhado entre o governo e as concessionárias vencedoras do leilão. Por esse dispositivo, o pagamento do valor da outorga, de R$ 2,1 bilhões, vai depender da receita bruta da futura concessionária. O edital fixou que essa outorga variável, a ser paga ao longo do período de concessão, será calculada em cima da receita bruta da futura concessionária, sendo o percentual de 8,2% para o bloco Nordeste; 8,8% para o bloco Sudeste; e 0,2% para o Centro-Oeste.

Inicialmente, o novo concessionário não pagará nada pelo período de cinco anos. Após esse período, têm início os pagamentos do percentual da receita até o final do contrato.

Os vencedores terão que, em um primeiro momento, realizar melhorias em banheiros; sinalizações de informação; internet wi-fi gratuita; sistemas de climatização; escadas e esteiras rolantes; elevadores, entre outras intervenções.

Essa é a quinta rodada de concessões de aeroportos, iniciadas em 2011, com o leilão do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte. A aposta do governo é que as concessões podem trazer melhorias na qualidade do serviço com novos investimentos.

Mega-Sena pode pagar R$ 11 milhões neste sábado

Apostadores que acertarem as seis dezenas do concurso 2.134 da Mega-Sena dividirão um prêmio que, segundo a Caixa, pode chegar a R$ 11 milhões. O sorteio ocorrerá as 20 horas de hoje (16), em Itupeva (SP).

Se aplicado na poupança, investimento mais conservador do mercado, o prêmio renderia quase R$ 41 mil por mês. A aposta mínima na Mega-Sena custa R$ 3,50 e pode ser feita até as 19h (horário de Brasília), em qualquer uma das mais de 13 mil casas lotéricas do país.

Na quarta-feira (13), nenhum apostador acertou os seis números do concurso 2.133. As dezenas sorteadas foram 19, 20, 26, 51, 52 e 57. Mesmo sem aposta contemplada com o prêmio principal, na segunda faixa, com cinco acertos, 32 apostas receberam o prêmio de R$ 58.792,56 cada. Outras 2.790 apostas acertaram quatro números e levaram R$ 963,31 cada.