Prefeitura de Caruaru realiza ações de manutenções em mais de 10 bairros da cidade

A Prefeitura de Caruaru, através da Secretaria de Urbanismo e Obras (SEURB), realizou, no período de 03 a 07 de dezembro ações de manutenções, reparos e Operação Asfalto Novo em diversas localidades da cidade.

Na área de manutenção de paralelo, equipes passaram por dez bairros executando os serviços em 24 vias, com um total de 59 intervenções e 457,36m de pavimento recuperado. Durante a semana, os bairros contemplados foram: Boa Vista, Caiucá, Cidade Alta, Indianópolis, Kennedy, Luiz Gonzaga, Maurício de Nassau, Nova Caruaru, Salgado, São João da Escócia e Vassoural.

Já com as execuções de saneamento/drenagem foram realizados os serviços em 23 ruas de localidades diversas, com serviços em 167m de tubulação, desobstrução de 160,60m, colocação de sete caixas novas, totalizando um número de 59 intervenções. Com as máquinas realizando os serviços de regularização de vias, equipes estiveram atuando no campo do bairro São João da Escócia.

Para finalizar, a primeira etapa da Operação Asfalto Novo foi concluída, o que contemplou cinco bairros da cidade, sendo eles: Boa Vista I, Boa Vista II, Indianópolis, Centro e Universitário, com recuperação de mais de 15 ruas. As obras foram realizadas sempre no período noturno, com o objetivo de não prejudicar o fluxo normal do trânsito. A cada via concluída, a mesma foi sendo liberada logo no período da manhã seguinte.

As ações são realizadas diariamente, com programação semanal, beneficiando inúmeras áreas de acordo com a necessidade de cada local.

Armando recebe comenda do presidente Michel Temer

O senador e ex-ministro do Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Armando Monteiro, recebeu das mãos do presidente Michel Temer, em Brasília, a comenda Ordem Nacional Barão de Mauá como reconhecimento pelo trabalho que produziu em favor do desenvolvimento do país, estimulando os setores da indústria, o comércio exterior e os serviços. O atual ministro do MDIC, Marcos Jorge, e o general Joaquim Silva e Luna também participaram da solenidade ontem (12), pela manhã no Palácio do Planalto.

A Ordem Nacional Barão de Mauá é uma ordem honorífica brasileira que tem por finalidade condecorar pessoas físicas ou jurídicas nacionais e estrangeiras que tenham prestado relevantes contribuições à indústria, ao comércio exterior e aos serviços do País. A comenda é uma homenagem ao Barão de Mauá e foi criada pelo decreto nacional nº 9.549, sancionado pelo presidente Michel Temer no dia 31 de outubro de 2018 e publicado no Diário Oficial da União na edição de 1 de novembro de 2018.

Aluna de Biomedicina da UNINASSAU conquista vaga em concorrido Mestrado

A estudante do último período do curso de Biomedicina da Faculdade UNINASSAU Caruaru, Camila Cássia, conquistou uma importante aprovação. Mesmo antes de concluir a graduação, ela foi selecionada, em terceiro lugar, para o Programa de Pós-Graduação em Biologia Aplicada à Saúde – PPGBAS / Mestrado da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

O coordenador do curso de Biomedicina da UNINASSAU Caruaru, Auvani Antunes, destaca o papel da formação na conquista da estudante. “A aprovação da aluna Camila Cássia na seleção deste mestrado reflete o quanto o esforço do estudante, alinhado a bons professores e o desenvolvimento de cursos de graduação como o de Biomedicina da UNINASSAU, tem papel transformador na vida profissional de nossos discentes, que são incentivados desde o primeiro período a se desenvolverem e se tornarem profissionais de sucesso”, ressalta o coordenador.

A estudante Camila Cássia afirma que é muito grata a todas as pessoas que contribuíram para essa trajetória de sucesso e para seu crescimento acadêmico/profissional. “Sou o resultado da confiança e da força de cada uma dessas pessoas e minha expectativa é seguir na área da pesquisa. O programa que fui aprovada é muito renomado! Eu espero aprender bastante para, futuramente, seguir na docência e poder servir de inspiração como minhas orientadoras são para mim”, conclui a estudante.

SBP e Unicef unem esforços e lançam campanha de incentivo à vacinação de crianças e adolescentes

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) se uniram em uma campanha de incentivo à vacinação. O objetivo principal é conscientizar a população sobre a importância da imunização como forma de proteger as crianças, contribuindo, assim, para melhorar os índices de cobertura vacinal no País, prioritariamente entre aqueles que têm até cinco anos de idade.

A iniciativa prosseguirá em 2019, mas teve como seu marco inicial um acordo firmado entre essas duas organizações, em agosto deste ano. O público-alvo da campanha é composto por gestores públicos de saúde, profissionais de saúde, especialmente pediatras, as famílias de crianças pequenas e a comunidade geral.

PARCERIA – “Essa é uma parceria extremamente importante para nós. Tanto a SBP quanto o UNICEF lutam incessantemente pela melhoria da qualidade de vida e da saúde das crianças e adolescentes brasileiros. Nesse momento, em que o Brasil sofre novamente com o surgimento de novos casos de sarampo e o risco de volta da poliomielite, temos a obrigação de promover ações que fortaleçam e conscientizem os pais sobre a importância de vacinar os filhos”, comenta a presidente da SBP, dra. Luciana Rodrigues Silva.

Essa visão é compartilhada pelo UNICEF. “A questão da imunização está no DNA do UNICEF. Vínhamos acompanhando os números exitosos do Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, reconhecido mundialmente, que até 2015 trazia bons índices de cobertura vacinal. A partir de 2016, passou-se a observar uma queda nesses índices, especialmente das vacinas contra o sarampo e a poliomielite, até que o Brasil voltou a apresentar novos casos de sarampo, sendo a maioria deles no Amazonas e em Roraima”, explica a coordenadora da área de saúde da entidade, dra. Cristina Albuquerque.

Ela lembra que um dos motivos para o ressurgimento do sarampo no Brasil se deve à baixa percepção de risco da população e até de alguns profissionais de saúde. “Criou-se a sensação que, devido à erradicação do sarampo em 2016 e da pólio desde 1989 não havia mais a necessidade de se vacinar as crianças. No entanto, é preciso manter as coberturas vacinais das crianças elevadas, enquanto ainda existam casos dessas doenças em outros países.

RISCOS – Para a dra. Francisca Maria Andrade, especialista de saúde do UNICEF, a vacinação representa um dos maiores avanços da saúde pública e é uma das medidas sanitárias que tem o maior impacto na proteção dos seres humanos, especialmente das crianças. “Existem diversos estudos que demonstram a eficácia das vacinas e da efetividade em termos de custo-benefício. Por isso, precisamos estar atentos às dúvidas das famílias e dos profissionais de saúde para que a vacinação de rotina não seja comprometida”, enfatiza.

Segundo ressalta, as Unidades Básicas de Saúde (UBS) precisam se adequar às necessidades da comunidade, estendendo o seu horário de funcionamento para que pais que trabalham consigam levar os filhos para vacinar após seu horário de expediente. “Estamos atuando junto aos gestores, por meio do Programa Selo Unicef, em busca de melhorias nas políticas públicas voltadas às crianças e adolescentes”, salienta.

A especialista do Unicef defende ainda a realização de campanhas permanentes de vacinação para evitar a queda na cobertura vacinal no Brasil. “É preciso lembrar, continuamente pelos meios de comunicação e pelas equipes de saúde para que as vacinas sejam aplicadas dentro das datas estabelecidas no cronograma do Ministério da Saúde. Esse trabalho – em níveis de governo federal, estaduais e municipais, bem como das sociedades médicas e de outras instituições – é fundamental para que o Brasil possa manter as coberturas vacinais elevadas e continuar dando bons exemplos para o resto do mundo”, acentua.

CAMPANHA – A campanha promovida pela SBP e o UNICEF visa especialmente os municípios do Semiárido brasileiro e da Amazônia, por meio do Selo UNICEF, mas beneficia também as capitais onde a entidade desenvolve um programa chamado Plataforma dos Centros Urbanos (PCU).

A divulgação usará como principal canal as redes sociais, com busca da segmentação para o público que se pretende alcançar. Além disso, também foram produzidos spots para serem veiculados em emissoras de rádio, na televisão e no Youtube. “Inicialmente estão sendo divulgados cards para as famílias e, posteriormente, serão divulgados os cards voltados para os gestores públicos”, conta dra. Cristina.

Ao longo dos anos, a SBP e o UNICEF vêm realizando parcerias pontuais para a realização de campanhas que visam garantir os direitos das crianças e adolescentes. Ao assumir a presidência da Sociedade, dra. Luciana Silva se reuniu com a representante do UNICEF no Brasil, sra. Florence Bauer, para firmar novas parcerias entre ambas as instituições. Segundo disse, “a SBP tem essa vocação de defender medidas para que público infantojuvenil seja saudável em todos os aspectos, aplicando o melhor das evidências científicas que assegure esse objetivo”, destaca.

Partindo desse princípio, a SBP e o UNICEF construíram ampla parceria a partir dessa campanha de incentivo a vacinação, objetivando também que sejam feitas parcerias com as Sociedades de Pediatria estaduais. “Temos recebido demandas das Sociedades de Pediatria do Ceará (Socep) e da Bahia (Sobape), e, dessa forma, vamos formando uma grande rede para fortalecer esse trabalho em conjunto”, finaliza dra. Cristina.

/**/

Governo amplia benefícios fiscais para parques temáticos

O segmento de parques temáticos foi beneficiado esta semana com medidas que vão estimular investimentos e a geração de empregos no setor de turismo. O governo autorizou a importação de equipamentos sem similares nacionais com tarifa zero em compras realizadas até o final de 2020, segundo consta da Resolução nº 98 da Câmara de Comércio Exterior (Camex), publicada na edição da segunda-feira (10) do Diário Oficial da União.

O setor trabalha hoje com isenções temporárias, que zeram a tarifa por períodos pré-determinados de até oito meses. A decisão do governo atende a uma antiga reivindicação do setor que, em articulação com o Ministério do Turismo, busca a isenção permanente no âmbito de comitê técnico do Conselho do Mercado Comum do Mercosul.

“Esta decisão é mais um reconhecimento do governo do papel do setor do turismo como atividade que precisa de incentivos para gerar mais empregos e oportunidades de negócios”, avalia o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz. Estudo do Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), estima investimentos de R$ 1,9 bilhão e geração de 56 mil postos de trabalho nos próximos cinco anos com a isenção permanente.

“Com a resolução da Camex teremos um novo período de investimentos e crescimento do nosso setor. Os empresários podem aproveitar esta janela e contribuir para o incremento do turismo em suas regiões, por meio da atratividade dos empreendimentos em operação e da oportunidade para abertura de novos parques”, afirma o presidente do Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (Sindepat), Murilo Pascoal.

Para se ter uma ideia hoje, existem 23 pedidos de isenção em análise, número que poderá subir para 100, segundo expectativa do empresário Alain Baldacci, do Parque Wet´n Wild, de São Paulo. “Em dois anos temos tempo suficiente para planejar a abertura de novas unidades, a revitalização e a expansão dos parques em operação, com aquisição de novas atrações”, reforça.

Em Pernambuco, expectativa de vendas para este Natal é positiva

Os comerciantes do Pernambuco estão animados com o Natal neste ano. Segundo Federação das CDLs (Câmaras de Dirigentes Lojistas) do estado, a expectativa é que a comercialização aumente entre 2% e 3% em comparação com o mesmo período de 2017. O estudo mostrou também que os setores mais otimistas são os de alimentos, vestuário, perfumes e cosméticos, móveis e eletrodomésticos.

O Natal é tradicionalmente a melhor temporada para as vendas no varejo, mas nos anos anteriores, de forma geral, o mercado teve um fôlego menor. “Em 2018, o período vem acompanhado de uma expectativa grande de mudanças econômicas em nosso País com a posse das novas lideranças políticas no âmbito estadual e federal no ano de 2019. Existe uma crença elevada que o Brasil irá melhorar com os novos governantes, isso gera expectativas positivas que motivam a população a consumir mais”, explica Cleverson Pereira, professor de Cenários Econômicos do Centro Universitário Internacional Uninter.

Ações promocionais em redes sociais, que antes não eram tão utilizadas, também têm impulsionado o interesse do comprador. De acordo com Pereira, empresas, principalmente de eletrônicos, vestuário e eletrodomésticos, estão conseguindo impactar um número maior de pessoas que anteriormente não tinham o hábito de visualizar propagandas e chamadas de preços pelas redes sociais.

Cautela é o melhor caminho

O professor alerta que apesar do otimismo, é preciso ter calma, pois os novos governos demoram um tempo para gerar resultados reais. “Principalmente para aqueles que estão endividados, o meu conselho é que priorizem o pagamento das contas. Lembrando que 2019 começará com compromissos árduos como o IPTU, IPVA e material escolar e o ideal é começar um novo ano com a vida financeira equilibrada”.

Caso Beatriz Angélica: TJPE decreta prisão preventiva de suspeito de obstruir justiça

A 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), em sessão realizada no final da manhã desta quarta-feira (12), no Palácio da Justiça, centro do Recife, deferiu recurso do Ministério Público (MPPE) e decretou a prisão preventiva de Alisson Henrique de Carvalho Cunha por obstrução de justiça. Ele é suspeito de apagar imagens das câmeras de monitoramento de colégio onde, de acordo com investigação em curso, ocorreu crime de homicídio de Beatriz Angélica Mota Ferreira da Silva, na cidade de Petrolina, em dezembro de 2015.

Por maioria de votos, os desembargadores reformaram decisão recorrida de primeiro grau. A relatora do acórdão, desembargadora Daisy Andrade, se baseou, dentre outros aspectos legais, nos artigos 311, 312 e 313 do Código de Processo Penal. “É sabido que a decretação da medida excepcional pode ocorrer em qualquer fase da investigação policial ou do processo penal (artigo 311 do CPP), restando necessário que estejam presentes, além da prova da materialidade do delito e indícios de autoria, pelo menos um dos requisitos descritos no artigo 312 do Código de Processo Penal, quais sejam: a garantia da ordem pública, da ordem econômica, a conveniência da instrução criminal, para assegurar a aplicação da lei penal, também devendo ser observada a ocorrência de pelo menos uma das hipóteses estabelecidas nos incisos e parágrafo único do artigo 313 do mesmo Diploma Legal”, declarou a magistrada no voto.

O presidente do órgão colegiado, desembargador Cláudio Jean Nogueira Virgínio, acompanhou a relatora; o desembargador Eudes França foi contrário à decisão. O mandado de prisão de Alisson Henrique será expedido até esta quinta (13) e encaminhado para cumprimento pela Autoridade Policial.

Atendimento – Ao final da sessão, durante entrevista à imprensa, a mãe de Beatriz Angélica, Lúcia Mota, passou mal e foi socorrida por equipes médicas e socorristas da Assistência Policial Militar e Civil e da Diretoria de Saúde do TJPE. Após ser atendida no Posto Médico do Tribunal, no térreo do Palácio da Justiça, ela foi encaminhada a hospital indicado pela família em ambulância do Judiciário estadual.

Júri do trio acusado de homicídio e canibalismo em Garanhuns será nesta sexta (14)

O julgamento de Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Pires da Silveira e Bruna Cristina Oliveira da Silva acontece nesta sexta-feira (14), a partir das 9h, na 1ª Vara do Tribunal do Júri da Capital, no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, Ilha Joana Bezerra, no Recife. Os réus são acusados pelas mortes de Alexandra da Silva Falcão, 20 anos, e Gisele Helena da Silva, 31 anos, no município de Garanhuns, no Agreste pernambucano. A sessão do Júri será presidida pelo juiz Ernesto Bezerra Cavalcanti.

Os três réus são julgados por duplo homicídio triplamente qualificado (cometidos mediante paga ou promessa de recompensa, ou por outro motivo torpe; com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou de que possa resultar perigo comum; e à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa da vítima); e também pelos crimes de ocultação e vilipêndio de cadáver e de furto qualificado. Jorge Beltrão Negromonte da Silveira e Bruna Cristina Oliveira da Silva respondem ainda por estelionato (obtenção de vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício ou qualquer outro meio fraudulento). A ré Bruna Cristina Oliveira da Silva será julgada também pelo crime de falsa identidade.

Júri – No início da sessão, haverá a escolha dos sete jurados para compor o Conselho de Sentença. Para o julgamento, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) solicitou a ouvida do delegado Wesley Fernandes Oliveira, que investigou o caso em Garanhuns. Após a oitiva da testemunha, segue a fase de interrogatório dos réus. Em seguida, haverá o debate entre o promotoria e a defesa. Cada um tem até duas horas e meia para expor seus argumentos. Na sequência, poderá haver a réplica para o promotoria, que dura até duas horas, e a tréplica para a defesa, com a mesma duração. E depois, o subsequente julgamento pelo Conselho de Sentença.

Caso – Segundo a denúncia do MPPE, no dia 25 de fevereiro de 2012, por volta das 15h, na residência dos acusados, situada na rua Emboabas, no bairro de Jardim Petrópolis, em Garanhuns, Gisele Helena da Silva teria sido assassinada pelos réus por meio do emprego de arma branca (faca peixeira). De acordo com os autos, a vítima foi atraída para a casa dos acusados por Isabel, sob o pretexto de ouvir conselhos e falar da “Palavra de Deus”.

No local, conversou com Bruna e quando estava de costas foi atingida por um golpe de faca na garganta desferido por Jorge Negromonte, vindo a óbito, segundo narrado pelo Ministério. A vítima teria sido arrastada para o banheiro onde foi esquartejada por Jorge e Bruna. Partes dos corpos teriam sido armazenadas para o consumo dos três acusados. O restante do corpo foi enterrado no quintal da residência em um buraco previamente aberto por Jorge com esse intuito. Ainda de acordo com a denúncia, os réus subtraíram os pertences da vítima, dentre os quais carteira de trabalho, CPF e cartões de crédito, utilizados para realização de compras no comércio local.

O assassinato da outra vítima, Alexandra da Silva Falcão, de acordo com a denúncia do MPPE, ocorreu no dia 12 de março de 2012, também na residência dos acusados. Alexandra teria sido chamada por Bruna para trabalhar como babá de uma criança que ela apresentava como filha, enquanto Isabel ficou à espreita para garantir a execução do plano. Na residência dos réus, enquanto conversava com Bruna, a vítima foi atingida também por um golpe de faca na garganta desferido por Jorge, por meio do qual faleceu. Segundo os autos, em seguida foi arrastada para o banheiro, onde foi esquartejada por Jorge e Bruna. Parte dos restos mortais teria sido consumida pelos três e o que sobrou do corpo foi enterrado também numa cova feita por Jorge no quintal da sua residência.

Falsa identidade – Também consta nos autos que no dia 11 de abril de 2012, na 135ª Delegacia de Polícia de Garanhuns, a denunciada Bruna identificou-se como Jéssica Camila da Silva Pereira, por meio de um RG furtado, com o objetivo de não responder por eventuais ações penais. Os autos revelam que Jéssica teria sido a primeira vítima dos acusados quando tinha 17 anos. O crime ocorreu em 2008 no Loteamento Boa Fé-I, bairro de Rio Doce, em Olinda. Depois do crime, a filha da jovem, que tinha 1 ano, passou a ser criada por Jorge Beltrão, Isabel Pires e Bruna Cristina. Os três réus foram acusados de ter guardado a carne de Jéssica para consumo, além de ter ocultado os restos mortais. Pelo uso da falsa identidade em Garanhuns, Bruna responderá também no Júri da sexta, na 1ª Vara do Tribunal do Júri da Capital.

Condenação – Em relação aos outros crimes cometidos contra Jéssica Camila da Silva Pereira, os acusados foram condenados por homicídio quadruplamente qualificado, vilipêndio e ocultação de cadáver, na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Olinda, em 14 de novembro de 2014, em sessão presidida pela juíza Maria Segunda de Lima. O réu Jorge Beltrão foi condenado a pena de 21 anos e 6 meses de reclusão, mais 1 ano e 6 meses de detenção. Isabel Cristina foi condenada a 19 anos de reclusão e 1 ano de detenção. A ré Bruna Cristina, a 19 anos de reclusão e 1 ano de detenção.

Júri do trio acusado de homicídio e canibalismo em Garanhuns será nesta sexta-feira (14/12)

O julgamento de Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Pires da Silveira e Bruna Cristina Oliveira da Silva acontece nesta sexta-feira (14/12), a partir das 9h, na 1ª Vara do Tribunal do Júri da Capital, no Fórum Desembargador Rodolfo Aureliano, Ilha Joana Bezerra, no Recife. Os réus são acusados pelas mortes de Alexandra da Silva Falcão, 20 anos, e Gisele Helena da Silva, 31 anos, no município de Garanhuns, no Agreste pernambucano. A sessão do Júri será presidida pelo juiz Ernesto Bezerra Cavalcanti.

Os três réus são julgados por duplo homicídio triplamente qualificado (cometidos mediante paga ou promessa de recompensa, ou por outro motivo torpe; com emprego de veneno, fogo, explosivo, asfixia, tortura ou outro meio insidioso ou cruel, ou de que possa resultar perigo comum; e à traição, de emboscada, ou mediante dissimulação ou outro recurso que dificulte ou torne impossível a defesa da vítima); e também pelos crimes de ocultação e vilipêndio de cadáver e de furto qualificado. Jorge Beltrão Negromonte da Silveira e Bruna Cristina Oliveira da Silva respondem ainda por estelionato (obtenção de vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício ou qualquer outro meio fraudulento). A ré Bruna Cristina Oliveira da Silva será julgada também pelo crime de falsa identidade.

Júri – No início da sessão, haverá a escolha dos sete jurados para compor o Conselho de Sentença. Para o julgamento, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) solicitou a ouvida do delegado Wesley Fernandes Oliveira, que investigou o caso em Garanhuns. Após a oitiva da testemunha, segue a fase de interrogatório dos réus. Em seguida, haverá o debate entre o promotoria e a defesa. Cada um tem até duas horas e meia para expor seus argumentos. Na sequência, poderá haver a réplica para o promotoria, que dura até duas horas, e a tréplica para a defesa, com a mesma duração. E depois, o subsequente julgamento pelo Conselho de Sentença.

Caso – Segundo a denúncia do MPPE, no dia 25 de fevereiro de 2012, por volta das 15h, na residência dos acusados, situada na rua Emboabas, no bairro de Jardim Petrópolis, em Garanhuns, Gisele Helena da Silva teria sido assassinada pelos réus por meio do emprego de arma branca (faca peixeira). De acordo com os autos, a vítima foi atraída para a casa dos acusados por Isabel, sob o pretexto de ouvir conselhos e falar da “Palavra de Deus”.

No local, conversou com Bruna e quando estava de costas foi atingida por um golpe de faca na garganta desferido por Jorge Negromonte, vindo a óbito, segundo narrado pelo Ministério. A vítima teria sido arrastada para o banheiro onde foi esquartejada por Jorge e Bruna. Partes dos corpos teriam sido armazenadas para o consumo dos três acusados. O restante do corpo foi enterrado no quintal da residência em um buraco previamente aberto por Jorge com esse intuito. Ainda de acordo com a denúncia, os réus subtraíram os pertences da vítima, dentre os quais carteira de trabalho, CPF e cartões de crédito, utilizados para realização de compras no comércio local.

O assassinato da outra vítima, Alexandra da Silva Falcão, de acordo com a denúncia do MPPE, ocorreu no dia 12 de março de 2012, também na residência dos acusados. Alexandra teria sido chamada por Bruna para trabalhar como babá de uma criança que ela apresentava como filha, enquanto Isabel ficou à espreita para garantir a execução do plano. Na residência dos réus, enquanto conversava com Bruna, a vítima foi atingida também por um golpe de faca na garganta desferido por Jorge, por meio do qual faleceu. Segundo os autos, em seguida foi arrastada para o banheiro, onde foi esquartejada por Jorge e Bruna. Parte dos restos mortais teria sido consumida pelos três e o que sobrou do corpo foi enterrado também numa cova feita por Jorge no quintal da sua residência.

Falsa identidade – Também consta nos autos que no dia 11 de abril de 2012, na 135ª Delegacia de Polícia de Garanhuns, a denunciada Bruna identificou-se como Jéssica Camila da Silva Pereira, por meio de um RG furtado, com o objetivo de não responder por eventuais ações penais. Os autos revelam que Jéssica teria sido a primeira vítima dos acusados quando tinha 17 anos. O crime ocorreu em 2008 no Loteamento Boa Fé-I, bairro de Rio Doce, em Olinda. Depois do crime, a filha da jovem, que tinha 1 ano, passou a ser criada por Jorge Beltrão, Isabel Pires e Bruna Cristina. Os três réus foram acusados de ter guardado a carne de Jéssica para consumo, além de ter ocultado os restos mortais. Pelo uso da falsa identidade em Garanhuns, Bruna responderá também no Júri da sexta, na 1ª Vara do Tribunal do Júri da Capital.

Condenação – Em relação aos outros crimes cometidos contra Jéssica Camila da Silva Pereira, os acusados foram condenados por homicídio quadruplamente qualificado, vilipêndio e ocultação de cadáver, na 1ª Vara do Tribunal do Júri de Olinda, em 14 de novembro de 2014, em sessão presidida pela juíza Maria Segunda de Lima. O réu Jorge Beltrão foi condenado a pena de 21 anos e 6 meses de reclusão, mais 1 ano e 6 meses de detenção. Isabel Cristina foi condenada a 19 anos de reclusão e 1 ano de detenção. A ré Bruna Cristina, a 19 anos de reclusão e 1 ano de detenção.

Socioeducandos da Funase em Caruaru concluem curso no IFPE

Após pouco mais de um mês de aulas, três jovens em cumprimento de medidas socioeducativas em Caruaru, no Agreste de Pernambuco, concluíram o curso de qualificação profissional em Pedreiro de Alvenaria, ofertado pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFPE). A formação teve um total de 60 horas/aula, com encontros nas segundas e sextas-feiras. Dos três concluintes, dois são do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) Caruaru, e o outro, da Casa de Semiliberdade (Casem) Caruaru. Ambas as unidades são administradas pela Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase).

Foi a segunda turma de socioeducandos após a celebração de uma parceria entre a Funase e o Campus Caruaru do IFPE. No primeiro semestre, outros quatro adolescentes, todos do Case Caruaru, haviam sido inseridos no curso de Eletricidade Veicular. Após concluírem as aulas, eles tiveram seus casos analisados pela Vara Regional da Infância e Juventude de Caruaru e receberam a liberdade pelo bom comportamento e pelo compromisso com o curso. Os concluintes da segunda turma, que teve a certificação feita nesta semana, devem ser beneficiados com a mesma iniciativa, tendo seus casos analisados pela Justiça, com chances de liberação.

O evento de certificação contou com a presença de dois dos três concluintes, de seus familiares e de integrantes das coordenações e das equipes técnicas do Case Caruaru e da Casem Caruaru. O coordenador do Eixo Profissionalização, Esporte, Cultura e Lazer da Funase, Normando Albuquerque, articulador da parceria com o IFPE, destacou a importância de os socioeducandos terem concluído o curso. “Vocês fizeram tudo certo, esperaram pacientemente e concluíram esta etapa. São momentos como este que nos renovam e nos estimulam”, afirmou. “A sociedade está aberta para vocês. Este foi um degrau. Continuem estudando e esperamos encontrá-los em breve, novamente como nossos alunos”, complementou a diretora-geral do Campus Caruaru do IFPE, Elaine Silva.

Imagens: Divulgação/Funase